Crazier - Cap 10

| | |

 Antes

  Eu nunca em toda a minha vida vou entender o que se passa na cabeça de um homem! O que será que tem lá dentro? Aposto que é um conjunto de neurônios cheios de vários "nadas". Como ele pôde permitir que eu dormisse e não me acordou? Ele sabe que eu tenho uma filha, uma mãe, e responsabilidades! Eu não passo uma noite fora de casa assim desde... Desde a época em que nos conhecemos! E eu não sou assim, me tornei uma pessoa responsável, posso não bater muito bem da cachola de vez em quando -ou quase sempre- mas eu sei dos meus deveres! Só espero que minha mãe não tenha chamado a polícia pra me encontrar...


Agora


(Seu Nome) P.O.Vs
              Era por volta de 11:00hrs da manhã quando meu celular começou tocar. Peguei ele depois de muito custo, pois estava debaixo da cama e eu não faço a menor ideia de como ele foi parar la. Olhei o visor e quem ligava era o Harry. Recusei a ligação e enfiei a cabeça embaixo do travesseiro. Droga! Eu sou muito idiota! Como eu pude me deixar levar ontem à noite? Como pude deixar que ele me beijasse e pior, como pude passar a noite inteira com ele? Não sei o que fazer comigo mesma, o tempo passa e à medida que eu penso que estou ficando madura, percebo que na verdade faço cada vez mais burrada. Eu não posso continuar com isso, quero dizer, não posso continuar esse jogo com Harry, porque ao contrário de antes, não podemos ter uma simples paixão de verão, somos adultos agora e a coisa é muito mais séria do que antes. Preciso me afastar enquanto ainda é tempo!

             Menos de um minuto depois o celular começa a tocar de novo. Que ótimo! Se eu bem conheço Harry, ele não vai desistir tão cedo. Aperto o botão de atender e falo:

Ligação ON

- Alô?
- (Seu Nome)? Oi, bom dia!
- Bom dia Harry, o que houve?
- Não houve nada demais, só quis te dar bom dia, porquê?
- Quis me dar bom dia 11 da manhã? Não acha muito cedo?
- Na verdade eu to ligando pra saber se a gente podia sair pra jantar hoje, quer dizer, é feriado aqui no Havaí e eu sei que você não trabalha.
- Ah desculpa Harry! -finjo lamentar- Mas acontece que não vai dar.
- Porquê não? -ele parece desapontado.
- Porque... -o que eu vou dizer?- Parece que eu peguei uma gripe ontem à noite. -finjo tossir- Deve ter sido o sereno.
- Poxa, é uma pena...
- Pois é. Sinto muito estragar seus planos.
- Não, tudo bem. A gente se vê amanhã no hotel?
- Claro. Até amanhã.
- Até.

Ligação OFF

              Se depender de mim é claro que não nos veremos amanhã, nem depois e nem depois. Preciso manter distância, eu sei quando estou perto de me apaixonar por uma pessoa e não está muito longe de acontecer isso com Harry, principalmente se continuarmos nos vendo assim tão frequentemente. Saio da cama e decido tomar um banho, afinal, Harry conseguiu me tirar o sono da manhã... Mel ainda dormia feito um bebê no quarto, eu acabei meu banho e encontrei minha mãe na cozinha preparando algo pra comer.

- Bom dia mãe. -dou um beijo na bochecha dela.
- Bom dia. -ela diz e sorri me olhando pelo canto do olho.

              Droga! Eu conheço esse olhar, ela sabe que eu cheguei em casa só hoje de manhã. e já está demorando pra começar a falar.

- Dormiu bem? -pergunto.
- Perfeitamente. -ela diz e coloca uma xícara de chá pra mim no balcão- Mas... Acho que você dormiu melhor ainda.
- Porque você acha isso? -pergunto inocente.
- Não se faça de besta tá legal?
- Credo mãe, não sabe nem brincar!
- Pode ir me contando tudo agora! Quem é o carinha?
- Não é ninguém mãe. -falo brincando com o pão e a faca.
- Eu não acho que "ninguém" a faria chegar de manhã em casa.
- Acontece que... Se eu te contar... Acho que não vai gostar...
- Como assim não vou gostar? Não vai me dizer que você deu mole pra aquele mauricinho do José Felipe?!
- Não mãe! -quase grito de horror- É claro que não!
- Então quem é?
-suspiro profundamente e falo quase num sussurro- HarryStyles.
- Quem? -ela pergunta se aproximando.
- Harry Styles. -falo mais alto- Ele voltou mãe, ta aqui pra passar o verão.

               Eu estava esperando que minha mãe gritasse comigo e me chamasse de irresponsável mas ao invés disso ela ficou quieta olhando pra minha cara sem expressão.

- Mãe você ta me assustando, para de me olhar assim e fala alguma coisa.
- O que... Você quer que eu fale?
- Não sei ué, que eu sou irresponsável?
- Olha eu...

              Antes que ela pudesse terminar a frase, alguém buzinou na frente de casa. Eu corri até a janela pra ver quem era e quase dei um pulo até o teto. O carro era de Harry e ele estava dentro com um outro cara vestido de branco. Arregalei os olhos e voltei correndo pra cozinha.

- Mãe, mãe, mãe pelo o amor de Deus!
- O que houve garota? Parece que viu um fantasma!
- Pior que isso! O Harry está aqui!
- Ele tá aqui? -minha mãe arregala os olhos.
- Ta! -assinto com a cabeça- Por favor, por favor, por favor, atende a porta e diz que eu não posso recebê-lo.
- Claro querida! -ela sorri.

              Essa é mesmo a minha mãe? Como ela pode ter aceitado tão rápido? Isso vai me custar algo mais tarde mas não importa. Saio correndo pro quarto, pego uma coberta e volto correndo pra sala, me jogo no sofá e me cubro com a coberta. Dou uns tapas na cara e esfrego o nariz pra parecer mais doente, afinal, vai que minha mãe deixa ele entrar. Aguço meus ouvidos pra ver o que eles estão falando:

- Senhora Whinslet, é um prazer revê-la depois de tanto tempo. Está mais linda do que nunca.
- Harry! -minha mãe sorri- Que adorável! É um prazer te rever também!

               Esse safado! Ele sabe muito bem como manipular minha mãe, que ódio!

- Será que eu podia ver a (Seu Nome)? Ela me disse que estava doente.
-  Oh, mas é claro que você pode entrar querido, entre vamos!

               Como é que é? Como assim mãe sua traidora? De qual lado a senhora está? Eu queria gritar nesse momento, mas tenho que fingir que minha garganta dói então é impossível. Vejo Harry adentrar e o homem de branco com uma maleta entra junto.

- Ei, -Harry diz entrando na sala- Como você está? -ele me pergunta.
- Bem! -respondo de mal gosto, a única coisa que eu quero é esganar minha mãe.


- E a gripe? -ele pergunta.
- Parece que fica cada vez pior. -faço manha e tusso- Dói até pra tossir Harry.
- Meu Deus, tadinha. -ele se senta no sofá ao meu lado e me abraça.
- É tadinha! -eu falo e me aconchego no seu abraço, droga! Porque tem que ser tão bom?
- Eu não quero te atrapalhar.
- Eu realmente queria que você ficasse Harry, mas minha garganta está tão sensível, dói até quando eu falo, não quero ser inconveniente mas acho mesmo que você deveria ir, afinal, não vou poder nem conversar com você.
- Está tudo bem, eu não vim aqui pra conversar. -ele responde sério.
- Não? -eu pergunto desconfiada.
- Não. -ele sorri- Eu trouxe o Dr. Sanders pra examinar você, ele trouxe uma injeção nova que é tiro e queda pra gripe, você melhora com duas horas de repouso.
- Injeção? -engulo em seco- Tipo, com agulha e tudo o mais?
- Sim! -Harry sorri- Você vai ficar boa rapidão! Dr. Sanders pode começar.
- Começar o quê? -pergunto desesperada.
- Ele vai te aplicar a injeção, fica tranquila que ela é no braço.

             O Dr. Sanders se aproxima e eu sinto minha pressão abaixar na mesma hora. Não sei se já mencionei isso antes mas tenho um eterno pavor por agulhas, eu não as suporto, é como se fossem uma bomba atômica que seria colocada dentro de mim. Olho para o Dr. Sanders e não consigo esconder o meu medo.

- Muito bem, posso pegar o seu braço? -ele pergunta já com a seringa na mão e uma agulha enorme.
- M-Meu braço?


- Sim, preciso dele pra injeção. -ele diz.
- N-Na verdade não. Não pode pegar o meu braço.
- Porquê não? -Harry pergunta.
- Porque... Porque ele ta estragado. Eu estraguei ele ontem.
- Estragado? Como assim? -Harry questiona.
- Como assim o quê Harry? Vai dizer que nunca estragou um braço na vida?
- Sim. -ele fala como se fosse óbvio- Eu nunca estraguei um braço, nem sei o que isso quer dizer.
- Quer dizer que estragou ué, não da pra usar, infelizmente, é um dia triste pro senhor Doutor, mas meu braço não tem condições físicas, mentais e nem psicológicas de receber essa sua agulha aí, então pode ir pra lá com esse negócio.
- Espera, você está com medo da agulha? -Harry pergunta rindo,
- É claro que não! -retruco.
- Então você mentiu que estava doente?
- E-Eu... Eu o quê? -dou uma risada debochada- Harry bobinho, de onde tirou isso?
- Eu conheço você.
- Eu não menti!
- Se você não mentiu e não tem medo de agulhas, então deixa o Dr. te aplicar a injeção.
- Tá legal eu menti. -admito.
- Então quer dizer que você mentiu mesmo? Tem certeza que não quer a injeção?


- Pode parar com a chantagem Harry. -reviro os olhos-
- Tudo bem. -ele sorri- Pode me esperar lá no carro Dr. eu já vou.
- Quando você descobriu? -pergunto assim que o doutor sai.
- Desde que você falou no telefone. -ele sorri.
- Uau! Eu sou tão ruim assim pra mentir?
- Claro que não. -ele ri- Eu que sou bom demais em decifrar as gatinhas.
- Ai eu mereço! -reviro os olhos.
- Então, porque me deu um fora?
- Eu não te dei um fora Harry eu só... -que desculpa eu invento?- Só não quero te cansar com a minha beleza.
- Mas beleza nunca é demais, é o que eu digo pra mim todo dia quando me olho no espelho.
- Então você fala com espelhos? -sorrio.
- Na verdade eu falo com o cara do espelho, eu olho pra ele e falo "poxa vida cara, como você é lindo!"
- Uau! Sua modéstia me fascina Harry.
- Eu fascino a todos, inclusive você.
- Tá legal! -dou risada.
- Então temos um jantar essa noite? 
- Eu não s...
- Temos ou não?
- Tudo bem. -suspiro- 
- Eu sabia que ia aceitar.
- Não sabia não! E é melhor você ir embora logo!
- Você é quem manda! Até de noite então, te pego às 19:00hrs.
- Ta. -reviro os olhos.
- Ei? -ele me chama e eu olho pra ele.
- Que foi?
- Você tá linda sem maquiagem e com pijama. Eu podia olhar pra você o dia inteiro. -ele fala me olhando.


- Realmente ta na hora de você ir! -falo me levantando e arrastando ele pra porta.
- Eu to falando sério!
- Eu também! -falo abrindo a porta.
- Eu não ganho nem um beijo? -ele reclama.
- Tchau Harry. -falo rindo e fechando a porta na cara dele.

               Eu encosto na porta, fecho os olhos e suspiro profundamente. Em que raios de buraco você está se enfiando (Seu Nome)? Pergunto à mim mesma mas sei que não tenho essa resposta...

Heeey girls, demorei bem menos pra postar dessa vez né? Eu não sei porque mas parece o Benedito! Quando eu arrumo os vírus do PC, o teclado arranja de estragar de novo. Mas enfim, não é por isso que vou ficar sem postar pra vocês neh? Afinal, já estou bem em falta. Enfim, eu não me esqueci da maratona e ainda pretendo fazer, eu fiz uma de Unknown hoje porque eu tinha prometido lá primeiro, mas a vez de vocês vai chegar. Um beijããoo -Deh

2 comentários:

  1. AAAAAH que saudade de Crazier ♡
    Amei o capítulo
    Continua rápido please ♡♡

    DS

    ResponderExcluir