Moments - Capítulo 17

| | |

I love weird coincidences...

Dora Devine

Assim que paramos o carro na frente daquele prédio enorme e magnífico no centro de Kesington, senti um frio na barriga, me lembrando que eu nunca havia ido a um restaurante tão luxuoso como aquele, mesmo quando meu pai obrigava a família toda a comparecer naqueles jantares chatos com o pessoal rico e fresco da empresa onde ele trabalhou vários anos antes de se separar da minha mãe e se mudar para Minas.

Já Harry parecia super habituado a essas coisas, ajeitando o blazer como um completo getleman assim que saiu do carro e entregou a chave para um daqueles caras devidamente uniformizados que levam o veículo do cliente até o estacionamento, ou algo do tipo. Nunca entendi direito o trabalho deles, mas acho que deve ser legal se sentir dono daquelas máquinas por pelo menos alguns minutos.

Ele veio todo sorridente em minha direção enquanto eu fazia uma pequena e rápida oração para a Nossa-Senhora-das-pessoas-que-são-péssimas-andando-de-salto-e-mesmo-assim-inventam-de-usar, sorrindo de volta com um ar um pouco preocupado. Assim que coloquei o meu fino coberto pelo pano do vestido (graças a Deus, porque estava meio frio) entre o dele, ele sussurrou no meu ouvido algo que eu já esperava ouvir. 

— Você é maluca. - disse, me fazendo rir enquanto passávamos pela porta giratória do prédio e chamando a atenção das várias pessoas que circulavam pelo lado de dentro.
— Eu sei, já me falaram isso várias vezes durante todos esses meus anos de vivência. - ele abriu outro sorriso divertido, balançando a cabeça negativamente.
— Você não se sente nem um pouco ofendida com isso?
— Não, Styles. - respondi alargando o sorriso - Talvez você nunca tenha escutado isso, mas dizem por aí que pessoas malucas são as melhores.
— Acho que concordo com isso. 

Depois de me lançar uma piscadela, eu caí na gargalhada, educadamente, claro. Eu estava num lugar super luxuoso e chamar a atenção das pessoas sendo escandalosa não estava nos meus planos. Paramos de frente a uma bancada onde estava uma recepcionista muito bem maquiada e vestida, com aquele sorriso genérico que todas elas parecem ter. Quando percebeu quem estava diante de seus olhos castanhos com delineado gatinho (Harry, não eu), arrumou a postura e alargou mais o sorriso. Tudo isso de um modo nada discreto.

— Sejam bem vindos ao The Athena Restaurant! - ela disse com uma voz macia e talvez até um pouco sexy - Vocês tem reserva?
— Uhmmm... Na verdade não temos. Mas acho que pode dar um jeito nisso, não pode? - Harry disse super encantador, o que quase me fez rir. Mas manti minha postura de madame, coisa que eu não era e provavelmente nunca seria.
— Ahmm... Me desculpe, senhor, não estou permitida a fazer isso. - ela parecia muito envergonhada naquele momento.
— Eu não tive tempo de reservar, você sabe como é, eu trabalho bastante... - ela mordeu os lábios pintados de vermelho e sujou um pouco o dente, mas não pareceu se importar.
— Tudo bem, acho que posso encaixar vocês aqui. - ela finalmente cedeu, mas parecia meio nervosa, coitada. Harry olhou pra mim reprimindo um sorriso. Olhei pra baixo, pois com certeza não iria segurar a gargalhada. — Mesa para dois?
— Sim, por favor. - Harry disse, enquanto ela batia os dedos nas letras do teclado de seu computador de última geração. Ela pegou um cartão e nos entregou, enquanto olhava para todos os lados possíveis.
— Não contem para ninguém, por favor, eu posso perder o meu emprego. - ela disse e ele pegou o cartão calmamente.
— Muito obrigado por ter nos ajudado, é que essa é uma noite muito importante para nós. - ele tinha um tom melancólico na voz, que me fez pigarrear para não rir. Abri um sorriso. - Como posso retribuir o favor?

Os olhos dela brilharam naquele momento e suas bochechas coraram no mesmo instante, mas acabou balançando a cabeça negativamente e olhou pra mim, meio envergonhada. Acho que sei o que ela queria em troca. Ela procurou um papel e uma caneta.

— Eu sou muito sua fã, desde o começo da banda, então eu queria um autógrafo.
— Claro, sem problemas. 

Ele assinou aquele papel com a letra mais bonita que eu já o tinha visto escrever, com vários corações espalhados e um deles em cima da letra "i" do nome dela, que percebi ser Matilde. Ele abriu um sorriso largo e entregou o papel para ela, que só faltou beijar até que tudo estivesse coberto pelo seu batom. Ela agradeceu mais uma vez com aquele sorriso quase rasgando as bochechas e enfim saímos dali, subindo as escadinhas que levavam até a área do restaurante.

— Não sabia que você fazia o tipo que usa a fama para conseguir coisas. - falei ainda segurando em seu braço, vendo-o rir um pouco.
— Você é ingênua de pensar que ninguém nunca fez isso. - ele afirmou - Você sabe, ás vezes temos que recorrer a isso.
— Boa noite, madame, senhor! - um homem de terno interrompeu minha risada, com um aceno leve de cabeça e um sorriso hospitaleiro - O cartão, por favor.
— Aqui. - eu disse, já que havia pegado de Harry segundos atrás para ver o que estava escrito ali. O moço pegou com cuidado, abrindo um outro sorriso, esse agora simpático.
— Espero que tenham uma boa noite!

Abrindo passagem para que pudéssemos passar, tive uma ótima visão daquele lugar, que já era lindo por fora, mas por dentro conseguia se superar. Apesar de estar no centro do luxo e do dinheiro da cidade de Londres, aquele lugar conseguia ser simples e te dava a sensação de estar em casa. A decoração abusava das cores mais claras mescladas com cores mais escuras, e as paredes de vidro dava ao lugar uma luz maravilhosa. 

As mesas eram todas quadradas e todas as cadeiras tinham um tom verde pastel, que combinava perfeitamente com as paredes brancas e os vasos pretos com flores que enfeitavam cada uma das mesas. Nos cantos, eu podia ver que haviam alguns sofás, todos da mesma cor que as cadeiras, porém com almofadas coloridas e um ar mais descontraído, ainda acompanhados por uma mesa mais comprida e decorada da mesma forma que as outras espalhadas pelo salão.

Através das paredes de vidro eu podia ver algumas poltronas e uma visão maravilhosa da cidade, algumas árvores e um espaço parecendo uma praça, cheio de flores e um chafariz enorme e lindo, iluminado pelas luzes amarelas instaladas na parte gramada do lugar. Um pouco mais a frente, vi um pequeno lago e dois cisnes lindos nadando ali, dando um charme a mais no local.

Também haviam algumas cabanas, onde haviam pessoas sentadas, bebendo e conversando, como se estivessem num barzinho mesmo. Eram várias delas espalhadas entre as árvores e plantas. Me lembrava muito um parque, porém com uma inspiração clara naqueles contos de fadas. Era um lugar incrível, o qual nunca pensei ver na vida.

— Uau, Harry, esse lugar é lindo! - eu disse com os olhos presos nas luminárias, que se pareciam muito com aquelas de casas e castelos antigos.
— Foi você que escolheu vir pra cá, lembra? - ele sorriu pra mim, mas meu sorriso murchou assim que vi Emma e Malik sentados numa mesa um pouco longe da entrada pelas costas dele.
— Na verdade, não fui eu quem escolheu. - quando Harry percebeu para onde eu estava olhando e voltou seus olhos para lá, ele me encarou com um olhar estranho.
— É por isso que estamos aqui? - quando aquela pergunta saiu de seus lábios senti meu coração covarde acelerar. Arrependimento.
— Harry, por favor, me desculpe! Eu juro que não queria...
— Porra, ela é muito gostosa! - ele me ignorou e olhou novamente para os dois. Revirei os olhos não acreditando no que estava ouvindo.
— Isso é sério? - Harry me encarou novamente, com as sobrancelhas erguidas.
— O que? 
— O que, o que, Styles? - balancei a cabeça negativamente, o puxando para dentro do restaurante em direção a uma mesa vazia. - Acho que agora é hora de explicar o que devemos fazer aqui. - percebi que ele me olhava com um pouco de medo. - Estamos num encontro, certo? Você só precisa dizer isso, o resto deixe comigo.
— Dora, posso te perguntar uma coisa? - ele disse me olhando com atenção.
— Fala.
— Porque está fazendo isso?

Aquela pergunta me pegou em cheio, quase como um tapa na cara. Revirei meu cérebro de ponta a ponta a procura de uma resposta plausível para dar a ele, mas eu não achei nada que serviria. Mas eu sabia o porque de eu estar aqui. Era simples, mas era fútil, era egoísta e era infantil. Eu não queria ter que admitir a mim mesma que eu estava com ciúmes, muito menos para Harry.

— Tudo bem, você não precisa responder se não quiser. Acho que já entendi. - ele chamou minha atenção com um sorriso divertido nos lábios, e minhas bochechas coradas com certeza já tinham entregado o real motivo de estar aqui. - Acho que se quer fazer isso, deveríamos nos sentar numa mesa mais perto deles.

Ele não estava brincando. Harry realmente tinha entendido tudo e estava disposto a me ajudar. Me levantei com um sorriso no rosto e me surpreendi um pouco ao vê-lo colocar meu braço junto ao seu novamente enquanto caminhávamos para uma mesa que estava posicionada bem perto deles, porém ainda atrás deles. Emma poderia nos ver se quisesse.

Como um completo cavalheiro que realmente era, Styles puxou a cadeira para mim (um dia ligo para dona Anne para agradecer a educação que ela deu esse menino, porque é algo completamente surreal). Fiz uma reverência dramática para o meu companheiro, me sentando e me ajeitando na cadeira enquanto ele tomava seu lugar a minha frente.

Aquela posição era perfeita. Eu estava de costas para Malik e Emma, e Harry por sua vez, poderia me contar todos os movimentos dos dois sem me comprometer. Eu estava nervosa e minha cabeça naquele instante estava travando uma bela de uma briga. De um lado alguém dizia que eu estava ali apenas para diversão. Já a outra parte queria me fazer entender que não tinha para onde fugir e nem adiantaria negar o que eu estava sentindo.

— Cara, ela é muito gata! - Styles dizia com os olhos presos em Emma. 
— Harry, guarde seus pensamentos pervertidos para depois. Estamos num encontro, idiota, faça jus a isso. - eu falei batendo em sua mão grande que estava sob' a mesa. Ele ajeitou seu corpo na cadeira e suspirou.
— Vai ser difícil, mas vou tentar. - revirei os olhos, pegando o menu.
— Meu Deus, aqui tem camarão! - eu exclamei animada, já lambendo os lábios.
— Pensei que iria pedir uma porção de fritas. - Harry disse com as sobrancelhas juntas, mas com um riso entre os lábios.
— Styles, olha pra esse lugar! Acha mesmo que iriam servir uma porção de batatas fritas? Tenho que parecer chique...
— Mesmo que não seja. - ele completou minha frase, me fazendo rir. Ele também pegou o menu, olhando a parte das bebidas. - Será que camarão combina com vinho?
— Quem liga se combina ou não? Meu Deus, Harry, você come Gummy Bears com café!
— É gostoso! - ele exclamou em sua defesa, me fazendo rir novamente - Deveria experimentar, tenho certeza que vai gostar.
— Ugh, você é nojento!

No meio de algumas risadas e comentários sobre os pratos que iríamos pedir, um rapaz todo trabalhado no smoking chegou ao nosso lado, todo educado e sorridente, exatamente igual o homem que estava na entrada do salão. Com um pano branco sobre o braço (nunca entendi o porque disso) e um bloquinho nas mãos, ele perguntou o que queríamos comer. Encarei Harry.

Ele fez um sinal com a mão, para que o rapaz se abaixasse um pouco e assim ele fez, um pouco hesitante. Harry disse algo no ouvido dele, que assentiu com a cabeça e sorriu, anotando tudo em seu bloquinho. Harry também tinha um sorriso nos lábios, o que me deixou um tanto confusa. Depois de pedir licença, o rapaz saiu. 

— Não se preocupe, já fiz nosso pedido. - ele disse me fazendo juntar as sobrancelhas.
— Mas você nem sabia o que eu tinha escolhido. - argumentei, vendo-o sorrir.
— Ela está olhando pra cá.

No mesmo instante, me coração de uma boa de uma disparada. Fiquei meio confusa, sem saber o que fazer, mas Harry parecia ter o plano perfeito. Abrindo o mesmo sorriso que abriu para a recepcionista, ele colocou sua mão sobre a minha que estava em cima da mesa, me fazendo arregalar os olhos surpresa.

— Vou ficar te dizendo coisas aleatórias e sorrindo como se estivesse flertando com você. Então aja como se estivesse gostando disso. - ele disse, me fazendo rir da situação e jogar os cabelos para trás, como se fosse uma pessoa super sedutora. 
— Até que você não é tão idiota como pensei. - falei, colocando minha outra mão sobre a dele, acariciando-a com meu dedão. 
— Ela parece meio confusa. 
— Acho que isso é um bom sinal. - falei sorrindo, satisfeita.
— Seu batom esta borrado.

Num surto quase psicótico, saquei meu celular da bolsa para verificar e vi Styles começar a gargalhar na minha frente. Ao perceber que aquilo era uma mentira idiota e sem noção, guardei o celular e cerrei os olhos em sua direção. 

— Acabei de descobrir que eu estava errada. Você é um completo idiota sim. - falei balançando a cabeça negativamente, ainda ouvindo seu riso.
— Eu disse que falaria coisas aleatórias!
— Minha maquiagem não é uma coisa aleatória, Styles! - exclamei - Levei horas para fazer isso aqui e ainda saiu uma porcaria!
— Se lhe serve de consolo, está bonita hoje. Só hoje.
— Vou enfiar um escargot no seu nariz, palhaço! - eu disse ao ver um garçom passar com alguns para uma mesa não muito longe da nossa.
— Acho sexy quando você fica agressiva. - ele disse, rindo ainda mais.
— Cala a boca, Harry! - eu não consegui segurar o riso, caindo na gargalhada junto. 

Depois de mais alguns minutos de brincadeiras e falsos flertes, o mesmo rapaz voltou com uma bandeja com dois pratos e com duas garrafas num carrinho, o que me fez perguntar onde Styles estava com a cabeça quando pediu duas garrafas de vinho. Primeiro ele serviu Harry, que havia pedido camarão Giouvetsi (que parecia estar uma delícia) e logo foi servido com um vinho tinto que tinha um aroma maravilhoso.

Achei estranho o meu prato estar coberto, mas não questionei. Porém levei um susto quando ele foi descoberto e revelou uma porção de batatas fritas, de um jeito bastante gourmet para algo tão simples. As batatas formavam um desenho abstrato no prato, o que fez com que eu me sentisse no MC'Donalds. Olhei para Harry, que ria dos meus olhos arregalados, enquanto o prato estava sendo colocado na mesa. 

— E agora, para a senhorita, a pedido do Sr. Styles, um dos nosso melhores vinhos.

Quando eu ouvi aquelas bolinhas subirem enquanto o líquido era despejado na minha taça, eu não aguentei e comecei a gargalhar, percebendo que aquilo era ali Coca-Cola. O rapaz também ria, talvez achando divertida aquela situação. Depois de um aceno de cabeça e um sorriso simpático, ele nos deixou sozinhos. Eu ainda não estava acreditando.

— Harry Styles, não acredito que você fez isso! - eu exclamei olhando para o meu prato, com um sorriso que poderia cortar minhas bochechas até chegar aos olhos.
— Eu sei que você não é fã desses pratos sofisticados, então pedi uma porção de fritas pra você. Em troca, pediram para que falássemos bem no restaurante. - como fizemos durante toda a noite, gargalhamos.

Bom, algumas mulheres se sentem conquistadas com um buquê de flores, jóias caras e serenatas no meio da madrugada (comigo isso não funciona, não suporto que atrapalhem meu sono com músicas melosas e mariachis). Eu? Me entregue uma porção de fritas e uma lata de coca que lhe amarei eternamente. 


*** ***
— ... Bom, meu primeiro beijo foi assim. - ele disse, enquanto eu já estava roxa de tanto rir daquela história. Ele também ria muito, porém tomando alguns goles de vinho.
— Meu Deus, desde sempre você foi meio doente. - eu exclamei, me recompondo.
— Qual é? Achei que seria sexy prensar ela na árvore daquele jeito. Só não sabia que a coitada sairia cheia de marcas nas costas.
— Ai, alguém me ajuda! - eu disse voltando a rir, com a barriga doendo. - Não aguento mais rir de você, Styles, chega, por favor!
— Pelo jeito vocês estão se divertindo bastante.

Ouvir aquela voz fez com que eu me calasse quase que imediatamente. Harry também havia parado de rir, porém não parecia tão abalado quanto eu. Voltei meus olhos para ele, que sorriu pra mim, como um conforto. Suspirei, brigando com meu subconsciente para que parasse de dizer o quanto Malik estava lindo. Emma também estava deslumbrante, não tinha como não notar.

— Sim, estamos aproveitando bastante. - Harry respondeu.
— E você não queria admitir que estava saindo com ele, não é? - Emma riu, o que deu ao clima um ar mais leve. Quer dizer, acho que apenas eu estava sob' tensão ali.
— Digamos que ainda era segredo. - respondi olhando para Harry, que pigarreou uma risada meio estranha. Voltei a olhar para Emma.
— Esse vestido realmente fico lindo em você, Dora! - ela disse com um sorriso largo. Como eu poderia sentir raiva de alguém como ela? Não dá!
— Obrigada, eu comprei com uma amiga antes de vir pra cá.
— Você também está linda, Emma. - elogiou Harry, com a maior cara descarada. Quase revirei os olhos em resposta. Esse cara não perde tempo mesmo, hein?
— Ah, obrigada, mas dou os créditos a Dora e Chloe que me ajudaram.
— Dora tem um bom gosto. - Malik disse com um tom meio irônico e pretensioso.
— Está com inveja porque ninguém te elogiou? - questionei com o mesmo tom que ele usou segundos antes.
— Você está lindo, Malik! - Harry exclamou, tirando toda a raiva que eu estava sentindo naquele momento e tornando tudo cômico. Emma gargalhava.
— Encontrou um namorado bem divertido, Dora, exatamente como você!
— O quê? - nós três exclamamos, em tons diferentes.
— Com licença, vou ao banheiro.

Catei minha bolsa e praticamente corri em direção ao banheiro feminino, me sentindo a pessoa mais idiota do mundo. Esperei uma senhora sair primeiro para que eu pudesse entrar e, quando o fiz, quase expirei todo o fôlego que havia em meus pulmões. Encarei meu reflexo no espelho e decidi que iria retocar meu batom, sendo interrompida por uma grávida entrando rapidamente no banheiro.

Ela estava realmente muito elegante, mesmo estando com uma barriga enorme de gravidez. O vestido vermelho tinha uma fenda que vinha até sua coxa, o que a deixava ainda mais sexy do que já parecia ser. Seus olhos estavam esfumados e o batom vermelho a deixava ainda mais linda. Até que ela olhou pra mim, simpática, mostrando um sorriso. Quase caí para trás. Eu poderia reconhecer aquele sorriso a quilômetros de distância. 

Ali, bem na minha frente, Marianela fazia o mesmo que eu iria fazer antes de sua chegada. Era ela, claro que era! Eu jamais me esqueceria da mulher com quem Pedro me traiu.


FINAMENTE, MEU DEUS!
Cara, vocês não tem noção do quanto eu reescrevi esse capítulo. Pra mim nunca ficava bom, ainda mais porque tenho planos para os próximos capítulos e não sabia se adiantava algumas situações ou deixava para depois. Mas finalmente, com a graça do Senhor do céu, consegui finalizar o capítulo e decidi tudo que acontecerá no próximo. Acho que podem ter uma ideia do que vem por aí, huh? MIL DESCULPAS por não ter postado semana passada como respondi nos comentários, mas é que eu fiquei um bom tempo sem internet, a energia caindo direto no meu bairro, então nem tinha como escrever. Mas finalmente estou de volta e posto o próximo logo, sem promessas e datas previstas (até porque sempre dá algo errado e nunca consigo postar no dia). Mas enquanto esperam, comentem aí embaixo o que acharam desse capítulo e o que acham que vem nos próximos, fechou? BEIJU 

4 comentários:

  1. Respostas
    1. O capítulo está em andamento, amor, logo será postado, okay? (: xx

      Excluir
  2. Amei o cap. 😍😍 continua logo ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em ler isso, anjo, de verdade ♥ Postarei hoje, certo? (:

      Excluir