The Traitors - Capítulo 26

| | |

Capítulo vinte e seis - Ela está de volta

Liam Payne P.O.V's
 Os olhos de Abby se arregalaram ao me ver ali, ela tentou recuar mais ao ver que era inútil fugir ela suspirou se entregando. Estava visivelmente frustrada, dava para perceber.
Abby: Hãm...- tentava pensar em alguma desculpa-
Matt: Vocês se conhecem?- ele estava confuso-
Eu: Sim e vocês? Se conhecem?- não pude esconder que também estava-
Matt: Claro que nos conhecemos, ela é minha prima.- encarei Abby por mais alguns instantes tentando processar o que acabara de ouvir.-
Abby: Eu acho que preciso me explicar, não é?
Eu: Com certeza você precisa.
Matt: O que está acontecendo? De onde se conhecem?
Abby: Longa história... pode vir comigo Liam?

 Assenti com um aceno de cabeça a seguindo. Saímos da casa sem nem dar bola pra Matt que gritava como nos conhecíamos e queria saber o que estava acontecendo mas logo que demos o fora no meu carro ele pareceu conformado que não saberia o que estava acontecendo tão cedo. Dirigi até uma lanchonete em silêncio, Abby parecia não querer falar nada e com certeza eu também não diria nada até que ela se explicasse o por que de ter sumido sem dizer nada a ninguém e principalmente a Judy. Quando entramos no local não estava lotado mas haviam algumas pessoas que ocupavam mesas aleatórias e conversavam descontraidamente. Escolhi uma mesa perto da grande janela de vidro da lanchonete e me sentei, Abby em seguida de frente pra mim, nossos olhares se encontraram e percebi que ela estava nervosa. Deveria.
Abby: Creio eu que devo uma explicação a vocês, principalmente a Judy.- ela disse pegando um cardápio fingindo lê-lo-
Eu: É, você deve. Judy só fala de você durante todo essa tempo que passou. Você a deixou apaixonada e sumiu.- disse tirando o cardápio das mãos dela-
Abby: Eu sinto muito mesmo Liam, eu não queria ter que sumir desse jeito.
Eu: Então porque sumiu?- a encarei esperando uma explicação sincera, olho no olho-
Abby: São tantas coisas.- passou a mão nos cabelos- Por onde começo?
Eu: Pela parte que você disse que foi a festa com uma prima e que eu me lembre Matt não estava lá.
Abby: Matt tem uma irmã, eles foram adotados juntos, achei que sabia.
Eu: Não sou o tipo que especula a vida dos outros.- senti vergonha por mentir daquele jeito- Continua.
Abby: Bom, depois da festa eu estava confusa sem saber o que fazer. Queria me livrar de vocês e continuar vivendo minha vida feliz de garota hétero, mas a imagem de Judy me infernizou por todo esse tempo.- ela disse e um garçom chegou-
- Alguma bebida?- disse preparando o bloquinho-
Eu: Uma Coca-Cola por favor.
Abby: Uma água com limão.- sorriu de lado e o garçom saiu- Eu tive que voltar mas não sabia que iria encontrar você tão de repente.- ela se voltou pra mim novamente-
Eu: Eu sou uma das suas últimas preocupações, você não tem ideia de como Judy está.
Abby: Se ela estiver igual a mim o estado é crítico.- o garçom chegou com nossas bebidas e saiu rápido indo atender outra mesa-
Eu: Mas o que pretendeu com essa fuga?
Abby: Esquecer. Você não sabe como é horrível pra mim saber que fui covarde e sumir do mapa. - bebeu um gole da sua água com limão- Mas pra mim foi só uma noite, uma nova experiência, mas infelizmente todas as vezes que eu deitava a cabeça no maldito travesseiro a imagem daquela ruiva vinha a minha cabeça. Judy mexeu comigo, de verdade.
Eu: Hum... ela vai ficar puta quando souber que você está na cidade, e o pior, que é prima do Rogers.- dei um gole na minha Coca gelada-
Abby: Você não vai contar, vai?- ela pareceu assustada-
Eu: Claro que vou, Judy é minha amiga e uma das melhores amigas da minha namorada, não vou conseguir esconder isso.
Abby: Você precisa, eu ainda estou confusa.
Eu: Judy também está.- rebati-
Abby: É complicado pra mim foi uma experiência diferente que mexeu comigo e eu acho que sou lésbica.
Eu: Judy também acha a mesma coisa. Ela quer te encontrar pra ter certeza e tirar essa dúvida que na verdade já está irritando todo mundo.
Abby: Me dê um prazo.- ela fixou seus olhos em mim-
Eu: Como vou ter certeza de que você não vai fugir de novo?
Abby: Você já sabe que sou prima de Matt, não precisa de mais nada e já sabe como me encontrar.
Eu:- suspirei- Olha, eu te dou duas semanas pra aparecer. Não deve mesmo ser fácil mas não quero ver ninguém sofrendo.
Abby: Duas semanas é o que eu preciso.- piscou-
Eu: Você se mudou?- beberiquei mais um gole da bebida, minha garganta estava cada vez mais seca-
Abby: Sim, mas é temporário.
Eu: Então creio que vai estudar na nossa escola.
Abby: Não, eu já sou mais velha do que pensa. Já poderia estar na faculdade mas estudar não é bem minha praia.- fiz uma careta-
Eu: Quantos anos você tem?
Abby: Vinte.- soltou um risinho- Eu sei que não parece.
Eu: Convencida.- eu ri sem humor-
Abby: Preciso ir, Matt deve estar soltando fogo pelas ventas e preciso explicar a ele também.
Eu: Tudo bem.- tirei a carteira do bolso e deixei uma nota em cima da mesa e saímos da lanchonete.

  Depois daquele conversa com Abby pouco mais de uma semana se passou bem rápido. Ela ainda não havia aparecido e Judy estava cada vez mais louca e insuportável. Eu e Matt estamos amigos agora e isso é bom, a conversa resolveu nossa situação. Desde aquele dia, SeuNome tem andado estranha comigo, pensei até que fosse por causa da ocupação com a festa dos pais dela mas Beck deixou escapar algo sobre ela estar com raiva de mim e desconfiada. Qualquer dia eu juro que fico louco. Tantas coisas acontecem e tão rápido que as vezes eu tenho vontade de parar o relógio só pra ver como é ter a sensação de se viver um dia normal.
Eu: Você tem certeza que não está brava?- repeti pela milésima vez enquanto SeuNome revirava os olhos e fechava a porta de seu armário- Por que está assim comigo? O que eu fiz? Porque está brava?
Você: Eu não estou brava.- havia incerteza na voz dela- Só cansada, a festa dos meus pais é daqui quatro dias e eu ainda tenho que montar o vídeo das fotos que tiramos, ir ver o salão e rezar pra que tudo dê certo... eu estou esgotada.
Eu: Eu te conheço SeuNome, sei que não é só isso.
Você: Talvez eu continue a agir normalmente se me dizer com quem foi se encontrar quando disse que ia pra sua casa no dia que me encontrei com os caras do telão da festa.- arregalei meus olhos-
Eu: Como você sabe que eu fui me encontrar com alguém?
Você: Eu não sei. Eu liguei pra sua casa algum tempo depois e sua mãe me disse que você não estava e que não tinha voltado pra casa desde que saímos de lá juntos. Apenas deduzi.- ela ajeitou os livros dentro da mochila e a fechou-
Eu: Ela não queria que ninguém ficasse sabendo.
Você: Ai que meigos.- ela disse séria-
Eu: Quer dizer... eu posso explicar. Fui pra casa de Matt e acabei encontrando Abby.
Você: Abby? A mesma Abby da Judy?
Eu: A própria.
Você: Já faz mais de uma semana porque não disse pra Judy?
Eu: Porque ela disse pra eu não contar, por favor não conta pra ela. Abby está confusa, mas dei um prazo pra ela que já está vencendo.
Você: Não sei devo confiar em você.
Eu: Confie, eu não sou o tipo traidor. Minha mãe é, eu não.
Você: Ok Liam, me convenceu. Nos vemos depois da aula?
Eu: Com toda certeza.- ela disse e me deu um selinho saindo dali aos pulinhos.-

 E eu tinha quase certeza que ela iria contar tudo a Judy.

SeuNome White P.O.V's
Eu: Preciso falar com você.- disse cansada. Havia acabado de bater o sinal da saída e eu corri até o armário de Judy a encontrando guardando uns livros nele-
Judy: Oi pra você também.- ela sorriu de lado estranhando e fechou a porta-
Eu: Não tenho tempo pra saudações, é sério.
Judy: O que? Você está estranha, creio que seja sério mesmo.- sorriu-
Harry: Já está pronta?- ele deu um pulo aparecendo ao lado de Judy-
Judy: Já sim só estou esperando SeuNome me dizer o que ela tanto quer falar.
Liam: Quem vai falar o que?- ouvi a voz dele e logo senti um beijo molhado em minha bochecha, arregalei os olhos-
Judy: SeuNome quer me dizer algo mas eu juro que nem sei o que é.
Liam: Ela ia é?
Eu: Eu não ia não.- disse sem jeito- Eu só estava brincando Judy.- eu disse apertando a alça da mochila-
Judy: Não pareceu estar brincando.
Liam: Ah... não mesmo.- dei uma cotovelada nele-
Eu: Precisamos ir.- eu disse o puxando pela mão e ouvi Judy me chamar e ignorei totalmente. Puxei Liam nervosamente até o estacionamento e parei quando chegamos o olhando séria e de braços cruzados-
Liam: O que foi?
Eu: O que foi? Você me atrapalhou!
Liam: Que bom que eu atrapalhei, você ia abrir o bico pra Judy não é mesmo?- pensei um pouco, eu estava errada mas não iria dar o braço a torcer-
Eu: E daí? Ela é minha amiga não posso sentir a culpa de saber e não contar a ela.
Liam: Mas vai ter que esperar, tá bom?- ele acariciou minha bochecha com o polegar- Ela vai saber daqui alguns dias.
Eu: Eu não vou conseguir esperar, não mesmo. Ela vai notar que estou estranha.
Liam: Não vai não, inventa alguma mentira, qualquer coisa mas por favor não conta.- suspirei e sorri de lado-
Eu: Ok... eu não vou contar...- o carro da minha mãe estacionou-
Liam: Obrig...- o interrompi-
Eu: Mas se eu contar, não foi culpa minha e sim da ansiedade.- dei um selinho rápido nele- Até amanhã.- abri a porta do carro e entrei-
Liam: Até...- ele acenou bobo e eu fechei a porta-

 Minha mãe deu a partida e logo já estávamos fora do estacionamento da escola.
Lydia: Como foi a aula hoje?- finalmente quebrou o silêncio-
Eu: Nada demais... na verdade teve algumas coisas que aconteceram mas eu não quero contar.- ainda estava confusa com o comportamento dela-
Lydia: E por que não?- ela franziu o cenho-
Eu: Porque não, você vem agindo estranho comigo desde aquela festa e finge que nada aconteceu. Não quero mais que haja falsidade entre nós mãe, se quiser me contar o que está acontecendo me conte, agora se quiser continuar assim fica calada.
Lydia: Será que podemos ir almoçar juntas pelo menos? Estou morrendo de fome.- ela riu fraco mas eu não estava com humor nem pra fingir um sorriso-
Eu: Tá bom, desde que eu saiba porque vem agindo assim.

 O resto do caminho até um restaurante foi em silêncio, não havia o que conversar com ela, eu estava contando as horas pra que esse programinha mãe e filha acabasse logo. Odeio quando as pessoas agem estranho comigo e depois falam como se nada tivesse acontecido.

 Ao chegarmos no restaurante eu desci pra que minha mãe achasse uma vaga no estacionamento e eu uma vaga em alguma mesa. Entrei e estava cheio de pessoas de todos os tipos, suspirei passando os olhos pelo local até achar uma mesa livre. Me sentei nela e esperei pela minha mãe enquanto olhava o menu e decidia o que eu iria comer. Logo ela chegou e se juntou a mim. Um garçom ficou ao nosso lado com seu bloquinho nas mãos esperando que nos decidíssemos e quando fizemos os pedidos ele saiu e eu encarei minha mãe.
Eu: Vamos conversar agora?
Lydia: Vamos, sobre o que quer falar?- revirei os olhos-
Eu: Porque tem agido assim comigo?
Lydia: Eu estou constrangida de falar isso com você mas já que insiste tanto... você tem passado tanto tempo com o Liam que parece ter esquecido de quem realmente é sua família, sem contar que fica como melhor amiga da Shirley.- ela disse com desgosto-
Eu: Pensei que eram amigas.
Lydia: Eu sei fingir bem, só converso com ela porque ela trabalha com seu pai e porque você namora o filho dela.
Eu: Mãe, eu nunca te trocaria pela vadia da Shirley.- eu sorri-
Lydia: Jura?- ela deu um sorriso de lado-
Eu: Claro, minha mãe é você e apesar de não estarmos tão bem eu nunca vou te trocar.- sorri pegando na mão dela e a acariciando-
Lydia: E além disso, ela é uma grande traidora.- eu arregalei meus olhos e ela me encarou- Que cara é essa?
Eu: N-nada.- gaguejei- Porque você acha que ela é traidora?
Lydia: Porque eu sei que ela desvia dinheiro da empresa do seu pai. Eu sei o que Shirley Payne realmente é.

Judy Clark P.O.V'S
 Já era noite e eu estava editando uma matéria pra edição do jornal da escola, iria enviar por Email pro pessoal que cuida da impressão. Estava quase no meu último ponto final quando três batidas na porta me fizeram despertar.
Eu: Entra!
SrªClark: Filha, tem visita. É uma garota, disse que é sua amiga.- bufei-
Eu: Já vou.- fechei o notebook e minha mãe saiu do quarto fechando a porta-

 Não estava querendo ver ninguém ultimamente, minha auto estima estava no inferno de tão baixa, minha mãe já estava ficando preocupada. Vesti um short e desci as escadas correndo pra ver quem era, minha mãe estava na sala com meu irmão pequeno assistindo e eu estranhei não ter ninguém ali.
Eu: Mãe? Estava me zoando?
SrªClark: Não, a garota não quis entrar, está esperando lá fora.- ela fez uma careta e eu revirei os olhos indo até a porta.-

 Girei a maçaneta e a porta se abriu, revelando ali aquele figura de cabelos negros, meu coração acelerou e eu sentia uma alegria enorme dentro de mim ao mesmo tempo que queria sair dando socos e chutes pra todos os lados.
Eu: Abby? O que está fazendo aqui?- não pude conter um sorriso-

Continua...
Oioi. Gente estava morrendo de vontade de postar mas não pude postar antes pois tinha um simulado hoje mas agora graças a Deus estou livre, enfim Abby está de volta pessoal! Ela vai ajudar com algumas coisinhas que já vão estar no próximo capítulo! O que vocês acham da volta dela? Até o próximo capítulo!

4 comentários:

  1. Acho que essa é a primeira fic que eu leio que tem uma lésbica, adoro. Continua logo, parece que fica melhor a casa capítulo ♡.♡

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu não gosto muito da Abby. Nada contra, mas por algum motivo que eu não sei, eu shipo a Judy com o Harry. Não sei de onde eu tirei isso. Enfim, continuaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu te entendo mas eu gosto da abby e também shippo a judy com o harry,,,, enfim, vou continuar amor

      Excluir