Moments - Capítulo 12

| | |

I think they call that jealousy...

Dora Devine

Ah, o jogo? Bom, foi um jogo normal. Dois times, uma bola em campo e dois alvos, ou seja, o gol. Eles corriam, xingavam, chutavam a bola, gritavam, corriam mais, brigavam, xingavam mais um pouco e no fim de todo esse drama mexicano, o Doncaster Rovers ganhou a partida como eu previra. Além de lindos e musculosos, deu pra perceber que os caras jogavam muito. E eram lindos e musculosos. Acho que eu já disse isso, né? Eu só queria deixar isso bem claro.

Enquanto Louis e os outros meninos estavam do lado de fora do estádio tirando fotos e conhecendo as fãs que os esperavam no estacionamento, eu me enfiei dentro do carro do Josh (eu não queria correr mais nenhum risco por hoje, obrigada) e fiquei olhando a fofura que eram esses meninos com as fãs. Eu poderia até achar que elas tinham um instinto meio assassino às vezes, mas eu achava engraçado como elas eram dóceis quando estavam com eles.

Algumas choravam durante toda a conversa e recebia muitos abraços por isso, outras pareciam querer gritar e sair pulando até Marte (mas a maioria conseguia se segurar) e outras pareciam estar encontrando a mãe em casa. Super calmas, como se conhecer o ídolo não fosse assim tão excitante e animador. Mas as que eu mais gostava com certeza eram aquelas que eram parecidas comigo.

Me lembro quando conheci Dougie Poynter uma vez num restaurante muito chique em São Paulo durante sua passagem pelo Brasil alguns anos atrás. Minha mãe me odeia até hoje pela vergonha que eu a fiz passar, mas tenho certeza que ela agiria pior se visse Sydney Magal dando bobeira pela rua.

Aquele bobó de camarão estava uma delícia, mas eu não poderia deixar de notar uma franjinha loira passar por mim. Ainda mastigando e amassando o camarão todinho entre meus dentes cheios de ferro, eu olhei e, quando percebi quem era, quase tive um piripaque em cima daquela cadeira.

Tinha um cara grandão com ele, mas eu não estava nem aí. Eu também não estava nem aí quando saí tropeçando em cima das pessoas a fim de chegar ao grande amor da minha quase adolescência. Eu precisava realizar meu sonho de olhar naqueles olhos azuis e falar num inglês errado o quanto eu amava a estranheza dele.

Quando ele percebeu que tinha uma louca correndo atrás dele, ele se virou pra mim com um sorriso que jamais esquecerei. Aquele foi o meu laudo de morte instantânea. Dougie Poynter sorrindo pra mim. Eu não precisava de mais nada na vida. Deus poderia me levar se quisesse, eu o faria sem ao menos hesitar.

Chorei igual uma cabrita desmamada e embolei o meu português esquisito num inglês pior ainda, deixando escapar coisas como: "Meu God" e "Eu te love you muito". Ele pareceu não entender muito bem, mas me abraçou, tirou foto e disse que me amava antes de me largar sozinha berrando no meio de vários olhares de desaprovação. Minha mãe já tinha dado uma A.D.P.

Mas apesar de tudo, acho que nós que somos fãs não devemos ficar nos regulando. Grita mesmo, chora mesmo, pula mesmo e foda-se o que vão pensar, afinal, pra você conhecer o ídolo milhares de vezes você tem que ter nascido com o popô virado pra lua, ou no mínimo, limpar ele com notas de cem.

Me tirando dos devaneios da vida e da minha mente inquieta, um barulho no vidro da janela fez-se ouvir e olhei rapidamente, meio assustada. Digamos que fiquei um pouco traumatizada com isso, já que era exatamente o que faziam quando eu fui taxada de amante do Zayn e destruidora de seu noivado pelas revistas e sites de fofoca. Só tive paz quando toda essa história foi desmentida pelo pessoal de mídia dos meninos, porque eu não podia ao menos sair pra comprar pão. Mas dessa vez, era apenas Chloe com seu sorriso enorme e olhos azuis esbugalhados e animados. Baixei o vidro.

— Ué, eu pensei que você já tinha ido pra casa. - eu comentei começando a perceber que que suas bochechas estavam ficando avermelhadas. Eu alarguei o sorriso que já estava em meu rosto e ergui uma das sobrancelhas, o que só serviu para que ela ficasse mais corada. — Por acaso aconteceu algo que eu não sei?
— Dora, você não vai acreditar no que acabou de acontecer! - ela parecia muito animada e envergonhada ao mesmo tempo, o que me fez rir, mas continuou em silêncio. Arqueei um pouco mais a sobrancelha rindo.
— Chloe, conta logo!
—- Ah, é, desculpa! - ela abanou as mãos e balançou a cabeça, me encarando - Niall me convidou para ir a pizzaria com vocês!

Ela começou a pular e eu comecei a rir ainda mais de sua reação, vendo que ela queria muito gritar. Naquele momento, acabei percebendo que Chloe Morrison era a definição em pessoa do tipo de fã que eu mais gosto. Então, do nada, eu comecei a gritar e pular sentada no carro e como se fosse um tipo de incentivo, ela começou a gritar também e pular mais, ambas caindo na gargalhada logo depois do chilique.

— Posso saber o que está acontecendo aqui?

Josh entrou no carro ao meu lado, morrendo de dar risada. Paramos no mesmo instante. Acho que Chloe estava prestes a explodir de tão vermelha, tadinha.

— Estávamos comemorando uma grande conquista, não é Chloe? - eu a encarei e ela sorriu, assentindo. 
— E posso saber que conquista é essa?
— Dora, tenho que ir.

Chloe sumiu da janela sem nem ao menos terminar a frase direito, deixando Josh com cara de bocó ali. Pelo retrovisor, pude ver Niall abrindo a porta de seu carro para ela, que entrou fazendo uma pequena reverência como uma princesa faria, o fazendo rir.

— Ah, já entendi que conquista é essa.

Josh disse rindo, já prendendo o cinto e ligando o carro. Eu até queria rir também, mas eu tinha algo um pouco mais importante pra tratar com aquele traidor de meia tigela. Assim que saímos do estacionamento e entramos na avenida no meio de mais um milhão de carros, eu resolvi que era hora.

— Finalmente estamos sozinhos! - eu exclamei, fazendo-o me encarar por meio segundo. 
— Dora, eu sou Josh, seu irmão, não sou o Zayn! - ele brincou rindo. Cruzei os braços.
— É exatamente sobre isso que quero falar. - comecei, vendo-o me encarar novamente enquanto passava a marcha - Você sabe quem foi me buscar na faculdade hoje enquanto você saía pra se divertir? 
— Ei, espera! - ele disse me interrompendo - Dora, do que você está falando? 
— Não seja idiota, Josh, você sabe muito bem do que eu estou falando! Zayn teve que me buscar porque você não estava!
— Eu não saí, Dora, eu estava na casa de Jon e ele sabia disso. Quando eu peguei o carro pra ir te buscar, Liam me disse que Zayn já tinha ido.

Naquele momento minha cabeça tinha dado um belo de um nó e eu não sabia o que pensar direito. Enquanto minha mente dizia pra não acreditar naquele Judas, ele parecia estar dizendo a verdade. Não havia nenhum resquício de divertimento em sua expressão.

— Eu pensei que essa fosse a vingança que você disse que faria. - falei um pouco menos irritada com a situação, ajeitando minha bolsa no colo. 
— A minha vingança tinha a ver com a câmera do beijo. Um amigo meu trabalha lá e me devia uns favores...
— Então aquilo foi armação sua! - eu comecei a bater nele do jeito que podia, enquanto ele tentava se esquivar sem tirar a mão do volante e rindo igual um idiota. - Como eu não desconfiei disso antes? 
— Mas na verdade as coisas saíram um pouco dos planos, mas muita gente aprovou, não acha? - ele comentou soltando uma gargalhada cheia de malícia. 
— Eca, como você está nojento!

No meio das gargalhadas exageradas dele, eu comecei a pensar no que havia acabado de ouvir ali. Se Josh estava na casa do Jon, que é praticamente ao lado da nossa, e Malik sabia disso, porque ele ainda quis ir me buscar? Quer dizer, ele poderia muito bem ter ido chamar Josh ou algo do tipo... E como ele sabia a hora em que eu sairia de lá? Foi ali que eu percebi que aquilo não tinha nada a ver com Josh. Tinha a ver com Malik.

DEPOIS...

O carro parou assim que estacionamos em vagas vazias no Pizza Hut e, apesar da visão alimentícia estar bem diante dos meus olhos, eu não conseguia pensar em outra coisa que não fosse a conversa que tive com Josh assim que saímos do estádio alguns minutos atrás. Tudo bem que também havia uma briga para saber se eu queria comer pizza de brócolis ou uma clássica, mas a curiosidade sobre o que se passa na cabeça do idiota do Malik com certeza era o pensamento predominante.

Nenhuma opção pra mim parecia plausível para suas atitudes. Ele dizia me odiar, mas nunca negou me ajudar quando eu pedia, mesmo eu o xingando dos nomes mais nojentos que existem, ele sempre estava lá. Até um beijo ele me deu pra me ajudar a fugir de ter que falar com Pedro. And I didn't even asked! Eu estava prestes a visitar uma cigana ou qualquer coisa do gênero, porque eu não tinha ideia do que fazer.

Enquanto entrávamos no estabelecimento eu direcionei meus olhos pra ele no mesmo instante em que ele ria junto com Louis, deixando a vista aquela fileira de dentes brancos, alinhados e apaixonante pra qualquer mulher que fosse ver. Estava tão bem vestido que nem parecia ser um babaca como era.

Todos nos sentamos num mesa grande e eu fiquei ao lado de Chloe e Josh, ainda afundada nos meus pensamentos e com os olhos presos em Zayn. Eu só achava estranho ele ser tão legal com todo mundo e comigo ser um completo ignorante. Não que eu me importe com isso, tipo, não ligo mesmo pra isso, só penso que eu devo mesmo ser uma chata pra ele me tratar com tanta indiferença. Quer dizer, eu também não era nenhuma rosa com ele, né, vamos combinar. Mas ainda assim...

— Dora, vai querer pizza de que? 

A voz de Josh e seu braço pesado em meus ombros me fez acordar e perceber que eu estava encarando o idiota sem a menor vergonha na cara, e todos pareciam ter percebido isso. Senti minhas bochechas esquentarem, mas fingi que nada daquilo importava e encarei os olhos castanhos do meu irmão sorridente, mentalmente abrindo uma cratera no chão e me deixando cair lá dentro pra nunca mais voltar. 

— Brócolis!
— Pelo amor de Deus, Dora, tenha mais amor pela vida! - Liam exclamou fazendo careta do outro lado, me fazendo rir.
— É gostoso, gente! Deveriam experimentar! 
— Eu apoio, Devine! - Niall esticou sua mão branca e enorme na minha frente e eu batia  minha na sua, como num pacto a favor dos pobres e oprimidos.

Entre risadas e caretas enquanto todos falavam do meu sabor de pizza favorito, eu percebi que Malik estava me olhando da mesma forma que eu o olhava segundos atrás. E naquele momento eu queria já estar no núcleo da terra, apesar de querer muito saber o que raios ele estava pensando naquele momento. Ah, como eu queria ler mentes, Senhor!

A pizza chegou entre uma conversa e uma gargalhada durante uma conversa nada a ver (super heróis improváveis) e eu vibrei ao perceber que aquela pizza seria todinha minha, fora o pedaço único que eu dividiria com o irlandês para que ele experimentasse. Até que uma voz muito conhecida por mim se fez ouvir e o pedaço que eu havia acabado de engolir querer voltar para o prato.

— Hey, que coincidência!

Emma e seu par de seios estavam sorridentes bem ao lado da mesa, me fazendo a encarar do mesmo jeito que uma criança encararia a rainha má da Branca de Neve. Eu não podia acreditar na sorte que eu tinha, parecia brincadeira! Quando ela me cumprimentou com um sorriso, eu forcei outro sentindo um arrepio subir pela minha espinha. Não, não era tesão. Era raiva mesmo.

— Caramba, que diria, hein? - falei irônica vendo-a ainda sorrir para todos, que a encaravam curiosos. — Você está sozinha? - "por favor, não esteja sozinha, por favor!".
— Na verdade Chloe que me chamou, mas eu não sabia que ela estava acompanhada.
— Tudo bem, vem, senta aqui com a gente! - Danielle super simpática ofereceu, mas ela pareceu hesitar por um instante.
— Eu pensei que estaríamos apenas eu e ela e, além dos mais, não quero atrapalhar vocês! - ela disse abrindo um novo sorriso, esse menor.
— Claro que não, senta aqui!

Malik com a maior cara de pau do mundo, apontou para a cadeira ao seu lado e Emma nem pensou duas vezes antes de se sentar, agradecendo. E em questão de segundos já estava sendo interrogada por todos, de vez em quando causando algumas risadas entre eles. Todos pareciam muito interessados no fato de ela ser minha "amiga da faculdade" , o que automaticamente me fazia entrar na conversa. 

O problema é que eu sou muito transparente e não consigo fingir quando não estou bem. E a pior pessoa da roda pareceu perceber. Todas as vezes que falava com ela, ele me lançava um olhar pretensioso, me fazendo lembrar do que ele me disse mais cedo quando conheceu Emma. É claro que ele estava pensando que eu morria de ciúmes dele, mas eu não estava com ciúmes dele. 

Eu não tinha motivo nenhum pra sentir ciúmes dele, vamos combinar. Nunca liguei em vê-lo com garotas gostosas, inclusive, até gostei da ex-noiva dele. Só achava que ele não deveria perder tempo com elas, já que é uma coisa de uma noite só. Ah, eu rasguei o número de Emma porque... Porque eu... Enfim, o importante é que eu não tenho e nunca vou ter ciúmes de Zayn Malik. Né?

HEEEEY! 
Parece que as coisas estão começando a mudar para nossa querida e amável Dora, não é? A coitada parece estar ficando desesperada por perder o controle de tudo, mas isso ainda é fichinha para o que vai vir. Ah, falando nisso, tenho uma surpresinha no próximo capítulo, hein?! Preparem os seus hearts! Bom, espero que tenham gostado e comentem, okay? Até a próxima att ♥

2 comentários:

  1. Amei ♡
    Qual a surpresa ? Conte-me .. AGORAAAA!
    Continua

    DS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ih, miga, a surpresa só será desvendada no próximo capítulo, não tem graça se eu contar hahahaha Mas acho que irão gostar! Vou continuar com certeza absolutíssima (:

      Excluir