Moments - Capítulo 04

| | |

He smells like teen spirit...

Dora Devine

— Dora, promete pra mim que vai ligar todos os dias?
— Prometo.
— E que nunca, nunca vai se esquecer de mim?
— É meio impossível esquecer de você, Giovanna. - dito isso, recebi um sorriso largo e vários beijos na bochecha. Um atrás do outro.
— Querida! - minha mãe exclamou assim que Giovanna largou meu pescoço aos prantos. 

Eu sabia que dona Helena iria chorar aqui, mas eu realmente não queria que ela fizesse isso em público, apesar de essa situação ser bem normal num aeroporto.

— Eu prometo ligar pra você mãe, todos os dias.
— E se acontecer alguma coisa, por favor, avisa. Quero estar por dentro de tudo!
— Pode deixar mãe, não vou deixar você sem saber de nada! - falei a abraçando, enquanto suas mãos escorriam por meus cabelos, num carinho. 
— Vou sentir tanta falta do meu bebê! - disse apertando minhas bochechas e balançando minha cabeça de um lado para o outro. Assim que percebeu minha careta de dor, largou minhas bochechas e me apertou contra seu corpo novamente, num abraço ainda mais apertado que o anterior. Rodolfo ria em suas costas.
— Me ajuda! - balbuciei para o rapaz risonho a minha frente e sem demora, ele veio e puxou lentamente minha mãe pelos ombros, enquanto a mesma soluçava. Eu sorri para ela, que sorriu de volta, antes que Rodolfo me abraçasse fraternalmente.
— Vou sentir sua falta, grandão. - falei durante o abraço e senti Rodolfo me apertar mais. 
— E eu já estou sentindo a sua, baixinha. - disse e quebrou o abraço, depositando um beijo em minha testa.
— Cuida bem da dona Helena, tá?
— Já faço isso todos os dias. - disse abraçando minha mãe pelos ombros, enquanto a mesma sorria com o braço em volta do braço de Giovanna.

Depois de acenar com os olhos cheios de lágrimas, embarquei com várias borboletas no estômago causadas pela ansiedade de chegar a Londres e ao mesmo tempo, por medo de não conseguir me adaptar aos costumes britânicos, como por exemplo, tomar o costumeiro Yorkshire Tea... Odeio chá! Inseguranças a parte, eu tinha certeza que com meu irmão ao meu lado tudo seria mais fácil, eu só não tinha certeza de uma coisa: o que fazer com o frango e a farofa dentro da minha bolsa? Como agora ou depois?

HORAS DEPOIS...

Então isso aqui é Londres... Várias nuvens num céu branco e sem graça? Agasalhos pesados, café e chá pra tudo que é lado? Sotaque forte num inglês quase indecifrável? Rapazes de gorro na cabeça sem parecer um marginal? Gostei.

No meio de tantas cabeças era quase impossível encontrar meu irmão, considerando o fato de que ele parece um anão de tão baixinho. Talvez se eu procurar pelo topete ridiculamente pintado de loiro eu consiga achar facilmente. Queira Deus que sim, porque olha não tô a fim de pedir informações com meu péssimo inglês. 

Com o pescoço esticado feito uma girafa (isso me lembra comida), eu procurava meu irmão no meio de toda aquela gente e estava ficando assustada por ainda não te-lo encontrado, mas depois de alguns minutos, eu consegui vê-lo segurando uma plaquinha, onde meu nome estava escrito numa caligrafia muito bonita. Ele estava acompanhado.

Assim que me viu, passou por entre aqueles corpos parados em frente ao portão de desembarque e veio em minha direção. Fui ao seu encontro e assim que nos aproximamos, senti seus braços me apertando contra si, fazendo com que eu quase sumisse entre eles.

— Cara, tô ficando mais alta que você. - falei durante o abraço, ouvindo-o rir.
— Não mudou nada, né? - disse me fazendo rir. - Eu também senti muito a sua falta, Dora, que bom que também sentiu a minha. - disse ironicamente depois de quebrar o abraço.
— Eu até poderia dizer isso pra você, mas não gosto de mentir. - falei piscando para ele, que riu. Assim que me virei em direção a Liam, ele começou a sorrir e abriu os braços, me chamando para um abraço que eu sempre quis receber. O famoso “Bear Hug”.
— Nem acredito que finalmente você está aqui na minha frente, praticamente quebrando meus ossos. - falei ainda no abraço e ele riu.
— Culpa da academia. - disse mostrando o "muque", me fazendo rir.


— Quer dizer então que vocês andam se exercitando? - perguntei aos dois, que assentiram e caminharam ao meu lado, em direção ao estacionamento. Josh carregava uma mala e Liam carregava a outra.
— Por falar nisso Dora, você também deveria começar a fazer academia, né? - Josh disse e eu parei no meio do caminho, semicerrando os olhos em sua direção. Liam riu, com uma de suas mãos pousadas na barriga, enquanto sua cabeça foi jogada para trás, fazendo com que o som emitido por sua boca fosse ainda mais alto que o normal.
— Está insinuando que estou gorda, Devine? - perguntei com a mão na cintura e ele veio caminhando ao meu lado, me guiando com uma de suas mãos nas minhas costas. 
— Não estou insinuando, todos estão vendo que é verdade. - disse perto de meu ouvido, como se fosse um segredo, me fazendo abrir a boca em forma de “O”. Ele deu alguns tapinhas em meus ombros e saiu andando na frente.
— E daí que eu estou alguns quilinhos a mais? Mulher tem que ter carne pra pegar! 
— Esse é o lema de um rapaz loiro que eu conheço. - Liam disse rindo e me fazendo rir junto. É óbvio que ele se referia a Niall e esse foi só mais um motivo para que eu acreditasse que nós nos daríamos muito bem. 

MINUTOS DEPOIS...

— Chegamos! - Josh exclamou assim que parou o carro em frente a uma casa grande e bem decorada. Era noite e as luzes da casa estavam ligadas, o que indicava que havia gente lá dentro. A porta do carro foi gentilmente aberta para que eu pudesse sair e sem demora, o fiz. Os dois rapazes que me acompanhavam pegaram minhas malas na traseira do carro e logo depois, me acompanharam até a porta branca, que dava entrada para a casa. 

— Welcome to your new home! - Liam disse antes de abrir a porta da frente.

A primeira coisa que vi foi a grande escada branca com corrimão, que levava ao segundo andar da casa. Ao lado desta estava a sala de estar toda decorada com móveis brancos, que dava um ar calmo e suave ao cômodo. Alguns passos para longe da porta me permitiram ver que debaixo da escada, havia uma porta grande que levava a cozinha da casa. Da cozinha, podia-se ver o quintal, com piscina e uma grande área de grama verdinha. Uma árvore grande estava plantada no fundo do quintal e por conta disso, uma bela sombra estava disposto para quem quisesse. 

— Gente, a Dora chegou! - Josh gritou ao pé da escada e segundos depois pôde-se ouvir uma grande gritaria e passos rápidos em direção a escada. Logo uma manada de elefantes descia correndo a escada, num empurra-empurra só, apenas porque eu havia acabado de chegar. Acho que já posso me sentir uma pessoa importante!

— Dora! - Louis foi o primeiro a chegar e pulou em cima de mim assim que me viu. Rindo, eu o abracei, enquanto ele estava pendurado no meu pescoço, fingindo um choro exagerado.
— Calma Lou, vai ficar tudo bem! - exclamei passando a mão por seus cabelos, entrando na brincadeira e fazendo como minha mãe fazia comigo quando eu chorava em seu colo. Depois de alguns segundos, ele me largou e fingiu secar as lágrimas do seu choro fingido. Eu gargalhei. - Também estou feliz por ver você!
— Hey, Dora! - Niall veio de braços abertos em minha direção e segundos depois, eu estava no meio deles, recebendo um abraço confortável e caloroso.

Logo depois cumprimentei Danielle e Eleanor, que gentilmente, me entregaram um presente comprado pelas duas. Era um vestido preto, bonito e elegante, que elas queriam que eu usasse na minha primeira festa num pub inglês. Harry, todo cavalheiro e galanteador, me cumprimentou com um beijo nas costas de minha mão direita, me desejando boas vindas. Agora sim eu sei por que esse rapaz faz tanto sucesso entre as mulheres de todo o mundo. 

Não preciso nem dizer que Malik foi o único a não me cumprimentar, né? Ele só desceu as escadas assim que todos já haviam descido (e ganhados centenas de hematomas apenas para chegar aqui embaixo) e se jogou no sofá, com os olhos presos em seu celular, como se nada tivesse acontecendo. Não que eu me importe com isso, aliás, ele fez muito bem em se jogar no canto e não dirigir uma palavra se quer a mim, porque meu dia estava uma maravilha e sinceramente, não queria ouvir sua voz e fazer todos os sentimentos bons que deixei nascer em mim descerem pelo ralo.

— Que tal se nós saíssemos para comemorar a chegada da Dora? - Niall sugeriu me abraçando pelos ombros, enquanto todos concordavam com a ideia.
— Desculpa gente, mas eu gostaria muito de comemorar na minha cama. - falei - Estou morrendo de cansaço, mas ficaria feliz se nós pudéssemos comemorar amanhã, num restaurante ou em qualquer outro lugar que quiserem. - falei e todos assentiram compreensivos.
— Ótimo, então vamos almoçar juntos amanhã? - Danielle sugeriu.
— Acho uma boa ideia. - Liam disse - Mas todos têm que ir. - disse encarando Malik, que tirou os olhos da tela de seu celular e o encarou, expressando sua indiferença em relação a este assunto.
— Não tenho motivo nenhum pra comemorar. 


Ao ouvir aquilo, Liam suspirou e deu os ombros, acomodando-se na poltrona em que estava sentado.

— Não precisa mostrar suas garras, gatinho, sua presença não é importante. - dito isso, ele me encarou com indiferença e se levantou indo em direção a porta, provavelmente a fim de ir para sua casa. E foi aí que todo aquele sentimento bom que eu carregava se esvaiu, deixando que a raiva tomasse conta de tudo.
— Idiota! - falei baixo, antes de subir as escadas em direção ao quarto que neste momento, se tornaria meu. Abri a porta e me deparei com as malas em cima da cama, mas logo as tirei dali, deixando um espaço para que eu pudesse me deitar.

Antes que eu pudesse começar a pensar mal do Malik, meu celular começou a vibrar em meu bolso e eu rapidamente o peguei, vendo que era Giovanna que me ligava o que fez com que eu suspirasse aliviada. Eu já havia trocado de chip e mandado uma mensagem pra ela, por isso não havia problema algum em falar. “Aceitar ligação”.

— Gio?
— E aí, já conheceu seu namorado?
— Já tinha até esquecido dessa história maluca! - exclamei e ela riu - Pra sua informação sim, eu o conheci e me arrependo muito.
— Ele é tão ruim assim?

Neste momento, ouvi um som alto interromper a fala de Gio. Eu juntei as sobrancelhas e me sentei na cama, enquanto minha amiga ainda falava de algo que eu não entendia o que era, graças ao som alto vindo da casa ao lado. Me aproximei da minha janela, que dava para a janela do quarto da casa ao lado. Malik estava sem camisa, recolhendo algumas coisas do chão, inclusive alguns controles de vídeo-game. Ah, que maravilha, a janela do quarto de Malik era bem em frente a minha!

Eu podia ouvir do seu quarto o som de Nirvana, que era tocado no último volume, atrapalhando minha conversa com Giovanna. 

— Gio, espera um minuto, ok? Eu já volto a falar com você!
— Vai logo Dora, a ligação para o exterior é muito cara!

Segurei o telefone em minha mão e coloquei minha cabeça para fora da janela, gritando para que ele abaixasse o volume do som, mas ele parecia não ouvir, pois estava cantando algumas estrofes da música, enquanto jogava as roupas sujas no cesto. Eu gritava, acenava, mas ele não via, então coloquei a cabeça para dentro, varrendo o quarto com os olhos, a procura de algo que eu pudesse jogar lá dentro para chamar a atenção dele. 

Ao ver que em meu quarto não havia nada que não fosse tão importante para jogar, entrei no quarto em frente ao meu (que parecia ser de Josh) e peguei um sapato que eu encontrei jogado. Bom, seu outro par não estava ali, então eu sabia que se jogasse não faria falta. 

Voltei ao meu quarto e novamente, coloquei a cabeça para fora, junto com meu braço direito e o sapato que eu pretendia jogar. Mirei, joguei, acertei! O sapato caiu lá dentro, chamando a atenção do garoto pálido que estava ali. Ele abaixou o som e com cara de tédio, colocou a cabeça para fora. 

— Você ficou louca? - perguntou gesticulando.
— Não, mas você parece que sim. - respondi - Porque este som tem que estar tão alto? Eu estou tentando falar no telefone! 


— Dane-se! - respondeu - Eu estou na minha casa!
— Mas a sua casa é perto da minha, deveria ter mais respeito, garoto! - exclamei irritada.
— E foi muito respeitoso da sua parte jogar esse sapato dentro do meu quarto! - exclamou - Dá licença que eu tenho muito o que fazer!

Dito isso, ele colocou sua cabeça para dentro e aumentou ainda mais o volume do som. Claro que fez isso para me provocar, mas sinceramente, eu não estava a fim de discutir por causa disso. Me coloquei para dentro e antes que eu pudesse dar um passo, senti algo bater em minhas costas fortemente, fazendo com que o local ficasse queimando. 

Me virei rapidamente e vi no chão o sapato que eu havia jogado no quarto de Malik, enquanto o mesmo estava na janela, acenando ironicamente, enquanto sorria. Me aproximei da janela e abri um sorriso largo, antes de acenar e logo depois, mostrar aquele dedo bem mal educado. A partir daquele momento, eu sabia que minha vida na Inglaterra não será tão agradável quanto eu pensei que seria. 


E aqui começa a jornada da nossa querida Dora, ao lado da pessoa que ela mais repudia no mundo: Zayn Malik. Confiem em mim, isso ainda vai dar muito o que falar, hein?! Esperem por confusões e mais brigas entre esses dois seres humanos. Por enquanto, eu só espero que vocês tenham gostado dessa capítulo. Fiquem com Deus, até a próxima atualização xoxo

10 comentários:

  1. Aaaaameidorei gente pff continua logo ,sei como comentários ajudam e prometo comentar em todos os capítulos. ;)
    Thami's

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, florzinha, e eu vou postar logo, viu?! (:

      Excluir
  2. Maria Eduarda Zancanelo16 de junho de 2015 16:03

    Kkkkkk. Quero mais urgente. Adorei, Zayn foi muito mal educado com a Dora. Tadinha. Se fosse eu ia fazer incluir o sapato. Kkkk q pessoa revoltada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo esse lado babaca do Zayn, acho até meio sexy hahahahaha Eu vou postar loguinho! (:

      Excluir
  3. continuaaaa, adoro quando os personagens não se gostam <3 kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compartilho desse mesmo sentimento <3 hahahah O próximo capítulo será postado em breve! (:

      Excluir
  4. Huahsuahsu <3 estou amando essa fanfic
    Brasileiros, gente! Finalmente alguém colocando o charme Brasileiro na história! *uu*
    Okay, tem várias fanfic sem Brasileiros que são bem realistas, mas serio, nunca tinha lido uma fanfic da 1D com Brasileiros bem escrita assim! Me senti tão próxima agora <3 me possua, molier <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar da fanfic se passar em Londres, eu queria muito que alguma coisa ou alguém deixasse sua marquinha brasileira na história (GIOVANNA, PERNAMBUCANA MARAVILHOSA hahahahahah ♥) e fico realmente feliz que tenha agradado! Agradeço por esse comentário lindo e, sim, lhe possuo e.e

      Excluir