The Traitors - Capítulo 06

| | |

Capítulo Seis - O primeiro toque

Narrador P.O.V's
 Liam já estava cansado de andar a procura de SeuNome, não sabia onde ela havia se metido, havia procurado em cada canto daquela escola e não a encontrou. Resolveu parar em um banco na área natural do colégio e então se sentou nele suspirando e levando ar aos seus pulmões que queimavam clamando por ar e descanso. Seus olhos castanhos passaram por ali e então viu SeuNome sentada debaixo de uma árvore, ela parecia tão pequena que o tronco podia escondê-la facilmente se alguém passasse por trás dele. Ele bufou por ser tão burro e então se levantou do banco andando em direção a ela que, lia um livro que ele nunca havia ouvido falar. Sentou-se do lado dela fazendo com que a mesma o olhasse, fechou o livro imediatamente.
Liam: Estou atrapalhando?- ela quis dizer que sim, mas só estava passando os olhos pelas palavras sem entender nada, seu pensamento estava no quanto seu pai era canalha-
Você: Não, não estou fazendo nada de importante.- forçou um sorriso- O que houve?
Liam: Fui pegar os chips com o Cameron, e... você precisa ver isso.- pegou seu celular e colocou na caixa de mensagens e o entregou a ela-

Nas mensagens trocadas por seus pais estavam as seguintes mensagens:
"Precisamos nos encontrar de novo para acabar de resolvermos aquele assunto, não vejo a hora de revelar a todos! Estou animado. xx John"

"Se você está animado imagine eu! Haha. Pode ser no Pulccinella? Amo a comida de lá. xx Shirley"

"Claro que pode, nos vemos ás oito então. Preciso ir, tenho uma reunião agora, cuide bem dos meus papéis."

 E John não obteve resposta.

 SeuNome quis quebrar o celular de Liam, só não o fez por motivos de não ser dela, sentiu lágrimas de ódio se acumularem em seus olhos, mas não as deixou cair.
Você: Deve ser papéis da separação dele e da minha mãe, nossos pais devem pretender ficar juntos, Liam. Tem noção de como isso dói?- ele a olhava triste-
Liam: Eu sei, mas temos que continuar espionando eles para conseguirmos provas mais concretas.- forçou um sorriso tentando anima-la - Você ainda quer continuar com isso?- perguntou com receio, ela fez um sinal de positivo com a cabeça-
Você: Eu quero mais que tudo desmascarar meu pai, minha mãe não merece isso.- ela sentiu seu coração pulsar forte, teve certeza que era do tamanho do ódio que sentia-
Liam:- sorriu aliviado- Aqui está seu chip, Cameron disse que só podemos receber as mesmas mensagens que nossos pais recebem mas não podemos enviar.- a entregou o chip-
Você: Esse garoto é um gênio.- sorriu e pegou o chip da mão de Liam-
Liam: É, ele faz o que pode.- tentou não sentir ciúmes-
Você: Passa na minha casa hoje a noite?- ele parou pra pensar um pouco-
Liam: Claro, acho que meu pai me empresta o carro dele, é só me passar o endereço da sua casa.
Você: Te mando por mensagem depois.- sorriu e pegou seu celular na mochila e olhou as horas- Preciso ir, a aula de química começa daqui a alguns minutos, não posso perder.
Liam: Ah, okay. Pode ir, também vou pra minha aula.- sorriu triste, estava bom ficar ali com ela-
Você: - se levantou, ele se levantou em seguida- Te espero em casa ás sete e meia.- lhe depositou um beijo na bochecha e sorriu, saindo logo depois-
image
 Liam ficou parado feito um bobo apaixonado - e realmente era - até ver SeuNome sumir de vista. Pegou sua mochila e começou a andar em direção a sala em que seria sua próxima aula, mal pisou no corredor e o sinal soou alto, levou um pequeno susto por estar pensando no beijo que SeuNome havia lhe dado na bochecha. Ele que não imaginava chegar nem nisso. Mas por um lado Liam estava sentindo ódio, queria gritar pra todo mundo que sua mãe era puta adiantando as piadinhas que teria que aguentar quando todos descobrissem.
Louis: Hey bro, porque não me esperou?- Liam tomou um susto novamente, Louis apareceu do seu lado como se tivesse surgido das trevas-
Liam: Ah, me desculpa. Eu estava na diretoria quase até agora.- entraram na sala-
Louis: E o que deu lá?
Liam: "Na próxima vez que vocês três estiverem metidos em encrenca eu vou expulsa-los da minha escola!"- imitou o diretor Hughes, Louis riu da péssima imitação- Mas ele não vai ligar pros nossos pais.- falou agora normal, se sentou em sua cadeira, Louis sentou na carteira ao lado-
Louis: Sorte a sua, dizem que aquela sala tem baldes de água fervente e cabeças de alunos por todo o lado.- Liam riu-
Liam: Não tem nada disso lá, tem até um toque afeminado, sabe? Quem sabe ele não é gay.
Louis: Um cara daquele tamanho não pode ser gay, não é possível.- tirou seu caderno de dentro da mochila e o colocou em cima da mesa-
Liam: Tudo é possível. Beijei a SeuNome.- a boca de Louis se abriu em sinal de indignação-
Louis: Mentira.
Liam: Por um lado sim, mas ela me deu um beijo na bochecha, já é um começo.
Louis: Hum, garanhão.- fez uma voz esquisita, a professora entrou com aquele óculos fundo de garrafa, combinava tanto com ela e com sua cafonice, jogou os livros grossos de cálculos em cima da mesa e logo em seguida fechou a porta chamando a atenção dos alunos da sala-
Xxx: Fechem os cadernos, nada de consulta. Teste surpresa.

Todos reclamaram.

 No banheiro da escola, Judy se acabava em lágrimas, olhou no espelho e sua maquiagem estava toda borrada. Poderia parecer drama mas ela realmente gostava de fazer algo na escola e uma dessas coisas era cuidar de alguma parte do jornal da escola. SeuNome havia tirado isso dela sendo vista com Liam e depois com Matt. Pra ela tudo isso era culpa de SeuNome que não tem nada a ver já que não teve culpa de ser vista com os dois por Mendy e ela ter tirado conclusões precipitadas, assim como ela estava tirando da amiga agora. Limpou as lágrimas quando viu que alguém entrou no banheiro, pararam ao seu lado e então ela olhou pra pessoa. Era Beck.
Beck: O que houve?- estava preocupada-
Judy: SeuNome arruinou minha vida no jornal da escola, o diretor me expulsou e agora eu me sinto um nada, eu só queria fazer alguma coisa de útil e uma das minhas melhores amigas tirou isso de mim, se eu pegar ela eu vou...
Beck: Se acalma, ela não tem culpa se Mendy mentiu e escreveu aquela matéria ridícula, deu a maior confusão.- defendeu SeuNome-
Judy: Ela tem culpa sim, se ela não tivesse dado uma de vadia agora eu estaria escrevendo ou fotografando no jornal.
Beck: Eu acho que vocês deveriam conversar e resolver isso. Não pode ficar culpando ela assim, Judy.
Judy: E o que quer que eu faça?- estava irritada-
Beck: Sei lá, conversa com ela. Resolve isso.
Judy:- suspirou e limpou o resto da maquiagem borrada- Eu vou tentar.
Beck: Chama ela pra ir na sua casa, vocês se resolvem e fazemos a noite das garotas, o que acha?
Judy: Por você.- deu de ombros- Mas eu não vou me resolver com ela.

Mas ela não iria aguentar até a noite. Judy estava fervendo de raiva e queria acabar com aquilo de uma vez por todas, a raiva estava a consumindo e não a deixava perceber que SeuNome não tinha culpa de nada do que estava acontecendo com ela.
Algumas horas depois | Saída da escola | 13:37PM
 SeuNome procurava as amigas para se despedir, Beck tentava segurar Judy que estava a procura de SeuNome. Finalmente Judy parou de tentar se soltar quando viu SeuNome, olhou para Beck como se estivesse sem raiva alguma.
Judy: Eu estou bem, Beck. Não sou um cachorro pra você me segurar desse jeito.- Beck a olhou desconfiada- Eu não vou fazer nada, só vamos conversar civilizadamente.- forçou o sorriso, Beck se convenceu e a soltou. Judy foi imediatamente atrás da amiga que estava de costas, quando a alcançou a pegou pelo braço e a levou até o estacionamento onde estava quase vazio, SeuNome não estava entendendo nada, Beck estava trás delas caso as coisas saíssem do controle-
Você: Hey, vai com calma, o que houve?- se soltou-
Judy: O que houve? Você quer saber o que houve? Por sua causa eu fui expulsa do jornal da escola, por sua culpa eu não vou poder mais pisar naquela sala, foi isso que houve!- Judy chorava de raiva, mas sua voz estava apenas um pouco alterado-
Você: Eu não fiz nada!- pareceu indignada- Não me culpe assim!
Judy: Se você não tivesse dado uma de vadia eu ainda estaria lá...- SeuNome a interrompeu-
Você: Vadia?- riu com raiva- Eu não sou vadia, Judy. Eu não estou ficando com nenhum dos dois, Mendy só se enganou!
Judy: Ela pode ter se enganado mas quem pagou por tudo isso que você aprontou fui eu, o diretor tirou tudo aquilo que eu mais amava por sua causa!
Você: Aposto que quem colocou a culpa em você não foi eu, e sim a Mendy e os outros do jornal, eles poderiam muito bem te defender mas não fizeram. Não me culpe por um erro dos outros.- ela estava com os olhos marejados-
Judy: Não me venha chorar agora, dar uma de coitada só porque está passando por uma fase difícil, todos nós passamos...- pensou- Mas o problema é que nossos pais não traem um ao outro e os seus...- sorriu com raiva- Os seus sim, SeuNome.- SeuNome engoliu o choro, sua raiva foi junto dando lugar a angústia-
Você: Não coloque problemas pessoais no meio disso.
Judy: Eu coloco... e aliás, não me dirija mais a palavra.
Você: Tudo bem.

 SeuNome saiu dali o mais rápido que pode para não chorar na frente de Judy, estava com ódio de Judy pelas palavras dela, não deveria ter tocado no assunto de seus pais. Ela apenas suspirou quando o carro de sua mãe parou, ela entrou e partiram para sua casa. Ainda no estacionamento Judy estava com os olhos lacrimejados, mas agora eram de arrependimento pelo que tinha dito.
Beck: O que foi que você fez, Judy.- falou algo pela primeira vez- SeuNome não vai te desculpar nunca-
Judy: E não precisa. Eu não quero as desculpas dela.- seu orgulho veio a tona-

SeuNome White P.O.V's
Algumas horas depois | Casa dos White| 19:15PM
Xxx: Toc, toc.- abriram a porta, era minha mãe com um copo de leite- Não quer me contar o que houve?- se aproximou, colocou o copo no criado mudo e se sentou ao meu lado na cama, me endireitei-
Eu:- suspirei- Briguei com a Judy.
Lydia: Por qual motivo? Vocês são tão amigas.- ela estava séria-
Eu: O diretor Hughes tirou ela do jornal e ela acha que o motivo fui eu porque houve uma coisas que inventaram sobre mim e disseram que quem escreve tudo foi ela.
Lydia: O que disseram de você?
Eu:- suspirei- Disseram que eu estava ficando com dois garotos da escola ao mesmo tempo, ela me disse coisas tão rudes, doeu aqui.- disse e coloquei a mão no peito, ela suspirou-
Lydia: Vou ligar pro diretor, vou falar pra ele colocar ela de volta no jornal, resolvido?
Eu: Isso sim, mas nada vai apagar o que ela me disse.
Lydia: E o que ela disse?
Eu:- suspirei- Me chamou de vadia.- menti-
Lydia: É, não é um caso tão grave filha, eu xingo as funcionárias de vadia o tempo todo.- sorriu como se aquilo fosse normal-
Eu: Posso sair com um amigo hoje?- mudei de assunto-
Lydia: Que amigo?
Eu: Liam.
Lydia: Hum, quero que esteja aqui até as dez.
Eu: Vou estar.- sorri- Que horas são?
Lydia:- olhou em seu relógio de pulso- Sete e vinte e um.
Eu: Porra, estou atrasada.- murmurei e me levantei, minha mãe me olhou feio- Me desculpe.
Lydia: Beba seu leite, preparei com todo carinho.- sorriu, eu peguei o copo e virei tudo de uma vez e fui direto pro banheiro, fechei a porta e me olhei no espelho, meu rosto estava inchado, pudera, passei a tarde toda chorando- 

 Tirei minha roupa e ouvi a porta do meu quarto ser fechada, suspirei por minha mãe ter acreditado nas minhas mentiras e até mesmo falado que iria me ajudar a fazer Judy voltar pro jornal da escola. Entrei debaixo do chuveiro e o liguei, eu estava super atrasada e não queria que minha mãe visse Liam nem ele visse ela. Meu banho não demorou muito, até porque eu não podia ficar enrolando. Sai do banheiro me enxugando e indo até o guarda-roupas e escolhi rápido o que iria vestir. Coloquei a roupa e fui em frente ao espelho ajeitar meu cabelo, fiz um coque até ouvir uma buzina. Corri até a janela e vi que era Liam. Peguei minha bolsa com a câmera e meu celular em cima da cômoda e saí correndo do meu quarto. Desci as escadas quase caindo e me despedi da minha mãe com um beijo rápido na bochecha e ela apenas me mandou tomar cuidado mesmo sem querer saber onde eu ia com um garoto estranho.

 Saí de casa e fechei a porta, andei até o portão e o abri, do lado de fora os seguranças me cumprimentaram, balancei a cabeça os cumprimentando também. Entrei no carro de Liam e fechei a porta, ele estava com um enorme sorriso, me olhou e logo deu a partida saindo dali.
Liam: Está tudo bem? Beck me contou o que houve.- agora ele estava sério-
Eu: Desde quando conversam?
Liam: Desde hoje, eu acho.
Eu: Hum, está tudo bem sim, daqui uns dias tudo se resolve.
Liam: Porque contou pras suas amigas do caso dos nossos pais?
Eu: Como se você não estivesse contado pros seus.- sorri irônica-
Liam: Mas nós somos homens, quase que Judy estraga tudo.
Eu: Cala essa boca antes que eu mande você parar essa merda.
Liam: Hey!- me repreendeu- Não fala assim.
Eu: Então não me irrita.- cruzei os braços, ele olhou meu gesto-
Liam: Pensei que fosse mais madura.
Eu: Pensei que você fosse legal.- ele freou o carro com força, me fazendo ir pra frente-
Liam: Pensei que gostasse de viver, coloca esse cinto.- ordenou-
Eu: Você não manda em mim.- retruquei-
Liam: Coloca. Esse. Cinto.- disse pausadamente e Deus que me perdoe mas ele ficou incrivelmente sexy, nem parecia o idiota de dois dias atrás. Coloquei o cinto e o vi sorrir vitorioso- Falar pausadamente sempre funciona, você percebeu? A voz da pessoa fica tensa e a outra acaba obedecendo.
Eu: Você é tão...- ele me interrompeu-
Liam: Idiota? Só não esquece do bonito.- começou a assobiar, liguei o rádio do carro e começou a tocar uma música que eu não conhecia, Liam pareceu enlouquecer, batucar no volante e cantar junto, aumentou o volume, eu fiquei o olhando estranho- Vamos lá SeuNome, se solta!- continuou a cantar, afinou a voz e fez a high note do cantor, senti vontade de rir mas fiquei apenas o admirando, ele me olhou sorrindo-
Eu: Seu sorriso é bonito.
Liam: Sério?- sorriu parecendo querer me provocar e voltou seus olhos pra rua logo em seguida-
Eu: Sim, não me provoca assim.- eu dei um empurrão de leve nele que riu-
Liam: Para de me bater, estou dirigindo e tenho que prestar atenção no trânsito.- ele disse como se fosse a pessoa mais responsável do mundo, eu assenti com a cabeça apenas curtindo a música desconhecida que tocava no rádio-

 Ficamos curtindo a música até chegarmos ao restaurante, ele estacionou um quarteirão antes por motivos de "Minha mãe pode reconhecer o carro, não vou ser burro de colocar na porta do restaurante", palavras do próprio Liam. Andamos devagar até entrarmos no restaurante conversando um pouco, ele nos apresentou ao gerente como senhor e senhora Payne o que me fez rir descontroladamente. Fomos ao segundo andar do restaurante e fizemos o gerente nos garantir que ninguém havia reservado uma mesa ali ou que subiria. Nos sentamos na beirada onde dava pra ver todo o piso do restaurante, ótimo lugar. Comecei a assobiar meio nervosa, eu estava ansiosa e Liam pegou na minha mão que estava em cima da mesa. Recuei imediatamente e ele pareceu envergonhado.
Liam: Me desculpe, eu...
Eu: Hãm... você cuida disso, okay?- disse pegando a câmera dentro da minha bolsa e dando a ele-
Liam: Tudo bem.- forçou o sorriso-

 Ficamos esperando por mais alguns minutos até vermos a mãe dele entrar com meu pai, ela estava na frente, parecia uma fêmea no cio e meu pai o macho louco pra acasalar. Olhei as horas em meu celular enquanto Liam os fotografava entrar, eles eram pontuais. Por sorte sentaram onde a câmera capturava boas imagens. Observei eles chamarem o garçom que fez apenas um sinal com a cabeça e saiu.
Liam: O que acham que vão fazer hoje?
Eu: Não sei, mas espero que se beijem.- ele me olhou estranho- Pra gente fotografar, calma.- me expliquei-
Liam: Ah bom.- riu e tirou mais uma foto-

 A mãe de Liam pegou alguns papéis dentro da bolsa e uma caneta, colocou em cima da mesa e pareceu explicar pro meu pai. Bufei e Liam não parava de fotografar cada passo deles, o garçom chegou a mesa deles com dois copos de água com gelo, eles agradeceram e o garçom saiu.
Liam: Por isso que ela ainda tem fome quando chega em casa.- disse sério-
Eu: É, meu pai também.- sorri de lado-

 Ficamos os observando mais alguns minutos e o máximo de proximidade que eles tiveram foram sorrisos apaixonados. Dez minutos depois eles saíram do restaurante o que fez com que eu e Liam nos olhássemos com nossas melhores caras de trouxas. Saímos do restaurante logo depois deles, eu estava decepcionada por eles não terem se beijado ou trocado carícias. Aquilo além de um fracasso tinha sido perda de tempo.
Liam: Que cara é essa?- finalmente disse algo, o vento frio bateu e eu tremi-
Eu: Isso foi perda de tempo.
Liam: Não, conseguimos ótimas fotos.- ele era otimista demais-
Eu: Mas eles nem fizeram nada demais...
Liam: É, mas os sorrisos já diziam tudo, não seja tão pessimista assim SeuApelido.- o olhei por me chamar por meu apelido, mas eu admito que gostei quando foi pronunciado por ele-
Eu: É... talvez você tenha razão.- chegamos no carro e ele desativou o alarme e abriu a porta pra mim, entrei e ele a fechou, coloquei o cinto enquanto ele deu a volta entrando pelo lado do motorista-
Liam: Da próxima conseguimos mais coisas, você vai ver.- sorriu e colocou a chave na ignição ligando o carro e logo dando a partida-
Eu: Espero.- ficamos um pouco em silêncio- O que acha que seu pai vai fazer quando descobrir tudo isso?
Liam: Vai ficar puto, seu pai que se cuide.
Eu: E minha mãe então.- encostei a cabeça no encosto do banco-

 Liam suspirou e ligou o rádio, o clima estava estranho então quebrou um pouco o gelo. Demoramos um pouco mais pra chegarmos na minha casa e eu tive a certeza que ele foi pelo caminho mais longo. Assim que estacionou o carro eu tirei o cinto.
Eu: Nossa, nem parece que já se passou uma hora e meia.- disse quando olhei no painel do carro e vi as horas-
Liam: É, nem parece.- sorriu-
Eu: Bom, eu...- e eu olhei o sorriso de Liam, pareci ficar hipnotizada. O sorriso dele sumiu e sua expressão era de dúvida e então eu fiz uma coisa que eu nunca imaginei que faria: eu o beijei.

 No início achei que ele não iria ceder, eu estava com medo, mas então sua mão pousou delicadamente em meu rosto e seu polegar acariciava minha bochecha. Tomei cuidado pra não relar nos machucados em seu rosto , ele sorria entre o beijo e aquilo pareceu ficar melhor. Quando me dei conta do que estava fazendo eu parei imediatamente o beijo e pareci sair do paraíso e ir diretamente para o inferno.
Eu: M-me desculpa Liam, eu preciso ir.- peguei minha bolsa e saí imediatamente do carro ouvindo Liam me chamar, eu o ignorei e um segurança abriu o portão quando me aproximei-
Xxx: Algum problema?- ele perguntou apontando pro carro de Liam-
Eu:- forcei o sorriso- Não, está tudo bem.

 Mas eu me perguntava: que merda eu acabei de fazer?

Continua...
Oi pessoal, quanta confusão, não? O que acharam desse beijo que você deu no Liam, hum? E da sua briga com a Judy? Muita coisa, então comentem o que acharam que vou ler os comentários e responder todas com carinho. Quem quiser meu contato aqui está meu  Facebook e meu Twitter, beijão e até breve

6 comentários: