Longfic - / Brand New Bitch (Parte 5)

| | |

Capítulo 05 - Primeiras impressões e muita paciência para demência de professores

Sue P.O.V's <clique

- Mas então, aí eu e o Jordan fomos no cinema. Nem me lembro que filme era. Também, nem prestei atenção, a gente não parava de se beijar! 
Mari, a garota de cabelo colorido do meu lado não parava de falar enquanto andávamos pelo corredor em direção a sala de história. Depois de três aulas eu já tinha me socializado com praticamente metade da sala, feito amizade com várias garotas e não me pergunte como consigo fazer isso. Era estranhamente automático. Nos despedimos de Rachel e Nicki que riam do que Mari contava e seguimos nós duas já que tínhamos praticamente o mesmo horário nas segundas. Infelizmente os acontecimentos da minha nova amiga com o namorado não tiraram a minha cabeça de Jack. Só queria ser uma mosca nesse momento para saber que merda ele deve estar fazendo, indo ás festas sem mim, aproveitando a nova vida de solteiro enquanto eu não consigo deixar de sentir aquela maldita dor do término. Já que não conseguiu nada com a Jade provavelmente ele já deve estar pegando geral em Los Angeles, se o conheço bem. Não, eu não vou mais pensar nele, nem sobre tudo que aconteceu. Me recuso. Me recuso! Além do mais, aquela vida já era, então por que é tão difícil deixar para trás? Nesses momentos que eu até gostaria de ser mais como a Jade e ser tão aventureira a ponto de deixar meu lar, família e amigos para trás. Tudo bem que ela mal tem amigos, talvez por isso seja mais fácil. 
                     Mari me contava mais do namorado na maior intimidade comigo até chegarmos a porta da classe. Levantei um pouco a cabeça e encontrei o lugar já lotado, tínhamos que apressar o passo ou não íamos conseguir lugares, avisei isso a ela rapidamente cortando o que estava falando, o que a fez adentrar a sala cumprimentando os populares que tinha me apresentado antes e procurar carteiras pra nós enquanto eu estava meio dispersa.

Mari: Tem duas aqui Summer! -me chamou do meio da sala e sorri dando um passo afrente para encontra-la, mas uma mão rapidamente me parou. Antes que eu pudesse me apresentar, a professora que me encarava nervosa começou a falar.
Ela: Eu não te mandei para a biblioteca com o Donovan? Por acaso esqueceu algo nessa sala?
Eu: Me desculpe? -levantei as sobrancelhas.
Ela: Desculpada. Agora saia da minha sala porque o castigo vale para o dia todo. -ri confusa.
Eu: Não estou entendendo, estou de castigo pelo que exatamente?-praticamente a segui até sua mesa.
Ela: Não finja que não sabe, não tenho tempo para malcriações de alunos, senhorita Cowell. -é claro. Jade. Ela já teve aula de história e já fez sua fama ruim. Essa garota não aprende mesmo jogar com as pessoas, não tem paciência. Para variar, mais uma nos confundido. Por que eu fui condenada com essa piada de mal gosto logo quando nasci?
Eu: Olha professora, aquela é minha irmã gêmea.
Ela: Aham, claro.
Eu: Não, é sério! -já podia ouvir Mari me chamando de longe em meio as conversas paralelas.
Ela: Não tenho tempo pra isso Jade Cowell, vá para a sua próxima aula já.
Eu: Essa É minha próxima aula, meu nome é Summer. -provavelmente mais nervosa ainda, a mulher leu alguns papéis mas não achou meu nome, então me pediu para ir com ela até a secretaria me olhando ainda como se eu estivesse fazendo uma pegadinha ou algo assim. Tive que a acompanhar até lá para esclarecer que tinham mesmo duas de nós. Sério? Tudo isso? Ótimo Jade, sempre tornando as coisas mais fáceis pra mim, para variar. Depois de ouvir alguns resmungos rabugentos e contra gosto de desculpa da vadia, voltei para a aula.


          O intervalo dura trinta minutos e ele tinha acabado de começar. Estava conhecendo melhor as meninas e até que já estava me familiarizando com o colégio. Rachel disse que eu podia fazer o teste para líder de torcida em três dias. É, eu estava sentindo que não ia ser tão ruim ficar aqui, resumindo, meu dia até então estava sendo ótimo, tirando a confusão da primeira aula, mas pensando bem isso acontece com frequência. Felicia tinha nos encontrado depois de alguns minutos que fomos liberadas e depois de pegar seu lanche, se juntou a nós. Mas não durou muito porque um cara chegou dizendo que precisava falar com ela aí eles dois saíram do pátio juntos. Em meio a risadas e conversas descontraídas, acabei avistando Jade que se aproximava agitadamente de nós, enquanto murmurava xingamentos. E eu achando que ela ia estar com sono até agora...

Jade: SÃO DE VERDADE! -disse chacoalhando as mãos na frente do busto e fazendo uma expressão delirante. É, eu estava surpresa por ela ainda não ter pulado o muro mais próximo para fugir da escola.
Eu: O quê?
Jade: Os peitos da maluca são de verdade! Sabe? A mina que esbarra com eles em todo mundo, acabei encontrando com ela no banheiro quando fui expulsa da aula e a louca colocou as minhas mãos naquelas coisas! São de verdade. -disparou antes que eu pudesse convida-la para sentar. Eu a encarava assim como Rachel, Nicki e Mari faziam até que explodimos em risadas.
Rachel: Você já percebeu! -quase se engasgava. -A Felicia tem esse probleminha. Todo mundo percebe menos ela por sinal, mas sabe, não fica falando.
Nicki: Sorte que ela não tá aqui. -bebeu seu suco tentando parar de rir.
Jade: Estou falando, essa Felicia tem problemas.
Eu: Gente, essa é a Jade. -a apresentei entre risadas. Ótima impressão que ela já chega passando para as minhas novas amigas. -Não quer sentar?
Jade: Não, tô ótima aqui.
Mari: É um prazer. -disse de qualquer jeito sem mal olhar para minha irmã que respondeu um "aham" do mesmo jeito se debruçando na mesa para pegar um pedaço da minha comida. Na mesma hora, Jade fez um sinal com a cabeça e caminhou até uma parte mais afastada do pátio com uma expressão de quem queria conversar. As garotas perceberam a situação e começaram a conversar entre si, dando-me liberdade para seguir Jade, e foi o que eu fiz.
Eu: Que foi?
Jade: Meu dia ta uma merda, você não faz ideia! -se queixava de maneira engraçada. -Sue, não dá, não consigo mais aguentar esse lugar.
Eu: É o seu primeiro dia, deixa de drama! Além do mais, me diz uma escola que você não acha ruim. -ela abriu a boca para citar alguma, mas percebeu que não existia resposta para a minha pergunta.
Jade: Mesmo assim está sendo uma merda.
Eu: Não diga. -ironizei. -A professora me confundiu com você, praticamente me expulsou da classe na frente de todo mundo e agora eu estou mal vista em história. Minha prática de virar a preferida da professora para ganhar nota já era com ela. -a degenerada me olhou como se dissesse "ops". Atá que ela se importava com a minha nota, no fundo só queria que eu me ferrasse nas matérias como ela.
Jade: Nem todo mundo tem que gostar de você, aprenda. -balançou a cabeça. -E se a professora não transa a culpa não é minha. -rimos juntas e percebi que duas garotas nos encaravam de longe e cochichavam. Cutuquei Jade.
Eu: Será que elas nos reconheceram?
Jade: E isso é um problema?
Eu: Óbvio que sim. Se formos reconhecidas, será mais fácil do nosso pai encontrar a gente. Uma coisa leva a outra. Então vamos nos dividir e fingir que não estávamos conversando. -Jade revirou os olhos com uma leve risadinha e caminhou para longe dali, enquanto eu voltei para a mesa das meninas. Me senti estúpida, como o que disse pra ela pode ajudar? Não faço ideia, mas a verdade é que eu não tinha pensado sobre isso antes.


Eu: Nós podíamos ir no cinema hoje né?
Jade: Pra quê? Se te conheço bem, vai ser aqueles típicos filmes que tem pelo menos umas quatro cenas de caras sem camisa, só para fazer um bando de idiotas gritarem no meu ouvido pra provar que são virgens e ridículas? Não, obrigada. -sorriu irônica atrás da bateria. Na verdade, desde quando Jade toca bateria? Eu sei que ela ama música, mas nunca a vi com uma dessas antes, mas assim que descobriu num canto do apartamento de Dave, por alguma razão ela não parava de tentava tocar (lê-se, atormentar os vizinhos) sozinha.
Eu: Tá, já entendi. -deixei meus chips de lado. -Desde quando você curte baterias?
Jade: Ah...eu quero aprender ué. -sorriu ironicamente pensativa. -Quem sabe eu consigo pegar um músico, hein?
Eu: Ótimo, tanto faz. -me levantei. -Só não fica com essa barulheira o dia todo, pelo amor de Deus.
Jade: Seu desejo é uma ordem, vou tocar mais alto. 1...2...3...! -e começou a bater aquelas baquetas sem ritmo algum piorando a minha dor de cabeça.
Eu: PARA PORRA, VOCÊ TOCA MUITO MAL!-berrei tampando os ouvidos. Jade parou e fez uma carinha fofa.
Jade: E eu nunca fiz uma aula!-se gabou e eu saí dali ao perceber que aquela merda ia continuar. Era só questão de tempo para os vizinhos começarem a se suicidar um a um por causa dela. Falando nisso, no final da aula minhas amigas disseram que acharam a Jade doida pelo jeito como ela chegou falando sem nenhum filtro até nós. Ela tinha que me fazer pagar mico, claro. No fim da aula ainda ficamos esperando Dave nos buscar como ele disse que faria mas tivemos é que pegar carona com alguns dos últimos alunos que saíram. Uma vergonha, mas sabemos como Dave é e não estávamos lá em posição de exigir mais coisas dele. Me fechei no meu quarto e fiquei ali de bobeira por algumas horas até me tocar de que já estava quase atrasada para encontrar a Felicia. Se a Jade não ia ver o filme dos gatos sem camisa, eu que não ia perder. Peguei minha bolsa e passei pela sala tapando os ouvidos e ao fechar a porta, pude sentir um tremendo alívio percorrer o meu corpo.

XX: Tudo bem aí? -alguém disse entre risadas. -Desculpa perguntar, mas você faz muita careta.
Eu: Ah, oi! -era o 709 mais conhecido como perfeição do prédio. Estava com a porta de seu apartamento aberta, mas não fiquei olhando lá dentro. -É que eu moro com dois furacões em pessoa.
Ele: Sei...falando da Jade, não é?
Eu: É. -evitei olhá-lo. -Como você sabe? Digo, o nome dela...
Ele: Nós nos encontramos na manhã seguinte daquele incidente na sua cozinha, tomamos café juntos e conversamos. Normal, sabe...coisa de vizinhos.  -Ah é. Com a minha cabeça nas nuvens eu mal me lembrava, Jade tinha tido praticamente um encontro com ele e tentou me esconder. Como se eu não fosse conseguir a verdade dela minutos depois.
Eu: Ah, claro. Vizinhos. -ri sozinha e finalmente consegui ir até o elevador. -Tucker né?
Ele: Pode me chamar de Jamie. E você é a Summer, certo? -uau, ele curtia essa coisa de puxar papo com estranhos hein.
Eu: É, e pelo visto vocês conversaram bastante.
Alex: Mais ou menos. -Onde está essa droga de elevador quando se precisa dele? -Indo ver o namorado? -perguntou divertido me olhando de cima abaixo. O olhei surpresa, se ele não esbanjasse tanta beleza sendo intrometido eu com certeza ia lhe dar uma resposta malcriada.
Eu: Estou indo encontrar uma amiga. -fechou sua porta vindo rapidamente até mim.
Alex:: Se você quiser carona, um amigo está me esperando e eu posso te deixar na casa dela antes de ir com ele.
Eu: Cinema na verdade. -adentramos o elevador finalmente. -E não precisa, obrigada.
Alex: Qual é, insisto. Já que eu saí com a sua irmã, vamos equilibrar. -deixou escapar uma risada e eu também.
Eu: Equilibrar o quê?-ri. -Eu nem te conheço e não estamos em nenhuma competição.
Alex: É brincadeira. -disse -Só queria ser gentil, pelo visto vocês não tem tido muito disso desde que chegaram. Muito pelo contrário, na verdade. Eu tive a mesma experiencia quando me mudei.
Eu: Engraçado, valeu por notar.
Alex: Okay... -as portas se abriram e sussurrei um "até mais" antes que seguíssemos direções opostas no térreo, ele para a garagem e eu para a frente do prédio onde pretendia pedir um táxi já que a Felicia acabava de me avisar de última hora por mensagem que não ia poder me buscar. Meu braço já estava doendo de tanto que eu acenava para os carros amarelos e até então nada. Já estava pegando o celular para ligar para um, quando vi um carro metade dentro da garagem do outro lado do prédio e Alex vendo a minha situação ridícula saindo do mesmo e deixando seu amigo esperando. Por favor não venha até aqui, não venha até aqui.
Alex: Ei, última chamada. -se aproximou e eu só consegui rir com a situação. Eu tinha alguma outra escolha a não ser pegar essa carona de uma vez? Ele é muito insistente e isso já está me irritando, quer saber, dane-se os caras sem camisa. -Tá me escutando? -pediu e parei de sonhar acordada.
Eu: Sim! Dane-se os caras sem camisa.
Alex: Quê? -fez um tom de voz engraçada.
Eu: Nada! -respondi de supetão. Uma garota com vários cachorros passou quase me atropelando, aliás, essa minha mania de conversar no meio da calçada nunca dá certo, o garoto já devia achar que eu era um desastre em pessoa. Aliás, pura covardia. O que responder depois do Alex mostrar seus dentes brilhantes? Fiquei encarando ele igual idiota e não consegui dizer nada.
Eu: Quer saber, esquece. -respirei fundo. -Vou aceitar a carona.

                         Felizmente, em menos de 2 minutos eu já estava no carro com meu vizinho e o tal amigo que eu tinha acabado de descobrir se chamar Tristan. O veículo era pequeno para o tanto de tensão que rolava no ar, talvez Sean não tivesse gostado nada de eu os atrasar para sabe lá onde eles estavam indo. Tinha que admitir a mim mesma que ainda estava com o orgulho ferido por ter aceitado vir com eles, e que me sentir extremamente atraída por Alex me incomodava muito. Okay, ele estava sendo legal.
Por causa do transito, cheguei atrasada mas de qualquer jeito tinha chegado.

Eu: Obrigada, vocês salvaram a minha pele. -disse com a mão na porta pronta para abri-la.
Alex: Olha só, se estiver afim de música ao vivo, hoje ás oito eu vou estar tocando no bar embaixo do prédio branco do lado do nosso. -disse. -Convida a sua irmã também, seria legal se vocês fossem.
Eu: Que tipo de música vocês tocam? -meus olhos deviam estar brilhando.
Sean: Do tipo boa. -respondeu sério e fiz uma careta.


Cheguei em casa praticamente de noite, e não queria ter que dar uma desculpa esfarrapada para ter que sair outra vez. Mas enfim, era o que eu ia acabar fazendo. Ou talvez não. Encontrei Jade na sala dividida entre o celular e a maratona de X Files que geralmente fazíamos juntas mas pelo visto ela cansou de esperar.

Eu: Desculpa a demora J. -ela me olhou sem pausar o episódio.
Jade: Tudo bem, eu já estou acostumada com as suas demoras. Mas a maratona de X Files de fim do mês não pode parar. -ironizou. -Onde você tava? Trouxe comida?
Eu: Aconteceu um imprevisto, calma criatura! -disse levantando as mão no alto. Não, eu não ia dançar "Put your hands in the air", estava ligando meu modo de defesa contra Jade enfurecida. Cruzei a sala indo animada até ela. -Na verdade trouxe uma coisa muito melhor. -ela pulou do sofá largando o celular.
Jade: Sorvete? Um dos atores do filme? Aquele salto preto com spikes e corrente?
Eu: Não. -ri, pensando no que disse. -Corrente? Bizarro.
Jade: Querida, eu sou baixa.
Eu: Você não é baixa, você é subterrânea Jade.
Jade: Falou tudo, irmã gêmea com praticamente a mesma altura que eu. -sorriu irônica. -Fala logo, e se for algo legal é bom você me dar ou me convidar de uma vez. -abri a boca para dizer mas comecei a pensar sobre isso na mesma hora, nós duas em um bar com Alex não ia sair boa coisa. Eu não sabia quais eram as intenções desse cara, e tinha uma razão fresquinha para não confiar neles. Além do mais, e se acabássemos brigando na frente dele e causando um mico que duraria por muito tempo já que dividimos o andar com ele e não sei até quando iríamos? -EI! EI! Imagina que louco se você começa a escutar o que eu tô falando? -disse e começou a passar a mão rapidamente na frente do meu rosto.
Eu: Que foi Jade? Que saco!
Jade: Presta atenção em mim então, porra! Tô esperando você falar e fica aí me olhando com essa cara de bunda. Meu tempo preciso está sendo desperdiçado.
Eu: Ah...é que fomos convidadas para o teste de líder de torcida! -menti com a primeira coisa que consegui pensar rapidamente. O olhar encantado de Jade esfriou na minha direção.
Jade: Vamos fingir que você não achou que eu ia ficar animada com uma merda dessas. -voltou para a série sem nem me chamar e percebi que Dave não estava em casa trabalhando, e sim na rua provavelmente se divertindo (lê-se vagabundeando). Pois é, digamos que deu certo com a garota dele.

Me fechei no quarto e me joguei na cama, fui olhar minhas notificações quando percebi algo estranho no perfil de Jack, e não que eu estivesse olhando. Em relacionamento com uma garota. Mas já? Claro, como eu não estava impressionada com isso? Filho da puta, ele estava aproveitando muito bem de eu não estar na cidade, nem imagino o que os nossos amigos estavam pensando sobre mim. Deviam é achar que eu estava na pior enquanto Jack já estava em outra. As fotos dos dois estavam me dando vontade de vomitar, fazendo com ela as coisas que costumávamos fazer. O pior era pensar que ali uma hora dessas podia ser a Jade. Não, eu vou fingir que nem acabei de pensar uma coisa dessas, ela jamais seria tão baixa. Eu odeio minhas atitudes por impulso. E a maioria delas são feitas exatamente por impulso. Isso sempre dá alguma merda. Eu estava muito puta mas não era somente por isso. E mesmo sabendo disso tudo, eu resolvi me vestir para ir. Sem é claro, contar nada que Jade tinha sido convidada. Detalhes...


CONTINUA...
Notas Lizzy: Heey gatas! Eu espero que esse capítulo anime vcs, sei que o fandom está passando por um momento muito difícil mas não podemos abaixar a cabeça, combinado? Temos que apoiar nossos ídolo e não desistir deles. Bom, agora falando do capítulo, sei que ficou pequeno mas ele era mais para mostrar que eu NÃO abandonarei o blog por causa do que está acontecendo, como algumas de vocês viram até respondi alguns comentários da postagem anterior dizendo para vcs não se preocuparem porque não vou deixar as fanfics e com certeza em ABRIL terá concurso de postadora garantido. Xx

Notas Deb: E mais uma vez, estou me sentindo completa por publicar mais uma parte da Long :3 Espero que tenham se animado um pouco mais agora, precisamos rir em momentos como esses. Sei que é uma época difícil para o nosso fandom, mas somos uma família, ficaremos juntas e não iremos desistir! Agora mais do que tudo, os garotos precisam da gente, principalmente o Zayn. Peço para que se acalmem e lembrem-se de que mesmo não sendo a mesma coisa sem o Zayn, que não vai desaparecer da mídia, nós temos nossos outros garotos para apoiar. Esse não é o fim, acreditem. Não desistam e fiquem fortes! #WeWillAlwaysSupportOurAngels.
Se vc leu essa coisa enormeeee até aqui, muito obrigada e sinta-se beijada (o). 
Bjus!

Um comentário:

  1. ♥♥♥Ameei.Sou nova por aqui,por favor,me ajudem a divulgar meu novo blog.Obg
    http://sonhomeugirls.blogspot.com.br/p/fanfics.html

    ResponderExcluir