Badboy of' Mine - Capítulo 34

| | |
- Não sei bem como termina

"Eu escrevo pecados, não tragédias. "

Narrador P.O.V's

Depois de quase duas horas e meia de insistência da parte de Frank, Danny resolveu ir ao hospital. Mesmo que seu ombro estivesse horrível, ele ainda assim achava que haviam coisas bem mais sérias para se preocuparem naquele momento, mas foi só para que aquele clima chato não continuasse em seu ouvido por mais tempo. Danny até pensou em subir para pressionar Débora a fazer o mesmo, mas depois daquela cena na noite passada em que ela foi pega de surpresa por causa do suposto aborto, a garota não tinha mais saído do quarto e ele queria ser o último a tentar invadir o espaço dela. Antes de saírem, Danny tentou pedir que SeuNome fosse falar com ela.

SeuNome: O que? -arregalou os olhos. -Danny, você tá chapado logo de manhã? Acorda! Ela vai atirar em mim ou pior se eu entrar lá.
Danny: A Deb não desceu até agora, ficou horas sem comer e nem sabemos se ela conseguiu melhorar aquele ferimento com uma mísera caixa de primeiros-socorros. -Frank fazia um barulho estúpido da porta com a boca tentando mostrar que já estava entediado de esperar. -Você se dá melhor com ela.
SeuNome: E-eu não sei, vou tentar.
Danny: Valeu, tô te devendo uma. -disse por último antes de correr até a porta. Não seria muito legal para Danny e Frank ficarem para ver o que ia dar, e de uma hora para outra o hospital parecia uma boa ideia.

Ao clique da porta, SeuNome resolveu acabar logo com aquilo e ver o que estava acontecendo com a amiga. Ela mesma tinha sido totalmente pega de surpresa pelo show da noite passada, depois de tanto tempo Débora não tinha feito a mínima questão de tocar naquele assunto com ela, mas sempre deixou SeuNome com uma curiosidade reprimida sobre o que havia acontecido entre ela e o ex. Agora estava claro, muito mais do que claro. E talvez esse fosse o pior de tudo, Débora não queria que ninguém mais soubesse daquela tragédia que a marcou tanto.
Bateu uma, duas vezes na porta e recebeu apenas um "Vai embora!" áspero, talvez entre soluços.

SeuNome: Ei, é a SeuApelido! Me deixa entrar vai. -insistiu -Só quero falar com você!
- Está sozinha?-a voz descompassada pediu do outro lado.
SeuNome: Sim! Abre por favor. -não houve mais resposta. A porta se abriu e SeuNome encontrou uma Deb com olheiras fundas e rosto inchado, resultado de uma noite chorando provavelmente. -Sentimos a sua falta no café.
Débora: Não consegui descer. -se sentou outra vez na cama espaçosa e desarrumada. Ao pé dela estava a caixa da noite passada aberta e revirada.
SeuNome: Sabe, até a Piper estava se divertindo, acredite ou não.
Débora: Eu sei, ela ajudou muito o Danny e eu ontem. -riu. -Vai entender essa garota. Talvez seja consciência pesada por ter ficado com aquele desgraçado do Logan. Ou sei lá, consciência pesada por alguma coisa, por ser tão vadia. -SeuNome riu e se aproximou sentando na beira da cama. -Me desculpa por ter ouvido aquela merda ontem, ninguém devia.
SeuNome: Você podia ter me contado.
Débora: Olha, eu queria ter superado, mas não superei. -franziu o nariz. -Mas não vou derramar mais uma lágrima sequer por causa disso. -Vendo o estado de Débora, SeuNome sentiu sua dor como se fosse uma velha amiga. Não conseguia imaginar como devia ser perder um filho, e em seus olhos deixou transparecer o quanto sentia muito.
SeuNome: Como está o seu braço?
Débora: Eu dei um jeito. -sorriu fraco.
SeuNome: Tudo bem que o Jack já tirou a bala mas você precisa ir ao hospital. O Danny foi agora pouco, ele queria que você fosse também. -disse rápido- Se quer continuar no plano você tem que estar bem.
Débora: Eu sei disso. -bufou. -Mas me deixa aqui por mais um tempo, ok? Eu prometo que em algumas horas volto ao normal com o trabalho. -SeuNome balançou a cabeça negativamente e a abraçou. -Obrigada por tudo.
SeuNome: Eu que agradeço. -a soltou tentando passar algum conforto.
Débora: O que vai fazer agora?
SeuNome: Falei que ia pensar sobre passar um tempo com Zayn.
Débora: Boa ideia, acho que ele precisa mais do que nunca da sua companhia nesse momento. -sorriu sem jeito. -Eu sei que vocês se gostam mesmo e você não vai ser mais uma decepção feminina pra ele.
SeuNome: Ta querendo dizer o quê? -pediu confusa e ficaram em silencio.
Débora: Eu não devia estar falando sobre isso, me desculpa. -arregalou os olhos agitada, se sentindo realmente frustrada, jogando uma almofada em SeuApelido. -Esquece o que ouviu!
SeuNome: Não, agora me fala. Eu preciso saber. -Deb riu nervosamente.
Débora: Essa história não é minha para contar. Por que você não pergunta a ele? Eu prometi ao Zayn que não ia mais falar sobre isso, e sou uma amiga fiel ok? -disse olhando para a porta. Ela não ia fugir.
SeuNome: Você sabe muito bem que ele não me diria.
Débora: Eu não posso SeuNome...me desculpa. -negou tirando de vez suas esperanças.
SeuNome: Tudo bem. -disse derrotada, de má vontade e pronta para mudar de assunto.
Débora: Argh droga!-bateu as mãos na almofada em seu colo. -Eu vou me odiar por isso, mas, acho que você tem que saber.
- Olha só, alguém não é muito boa em manter promessas Deb -a terceira voz veio da porta. O coração das garotas aceleraram no mesmo segundo, que maldita mania ele tinha! Aparecer assim do nada e ainda com esses frases típicas de "te peguei no flagra". -Provavelmente eu que deveria contar, né?
Débora: Claro, claro. -se levantou mexendo o braço devagar. -Eu vou encontrar os garotos, devia ter ouvido vocês e ido para o hospital. Tô vazando. -saiu de fininho depois de responder qualquer coisa para Zayn quando ele perguntou se ela estava bem. SeuNome o encarou, ele balançou a cabeça e saiu em direção ao corredor.
Depois de se recompor da surpresa, o seguiu até seu quarto. Ele procurava algo entre os lençóis.
SeuNome: Está fazendo o quê?
Zayn: Pegando umas coisas. -respondeu sem ao menos olha-la. Depois de alguns minutos achou o que procurava: seu celular e chaves do carro. -Vamos?
SeuNome: Onde?
Zayn: Só vem comigo, sem perguntas. -ela levantou a sobrancelha questionando o fazendo rir. -Só vem. -insistiu e SeuNome concordou. Passaram pelo corredor vazio e foram em direção a sala para sair, por incrível que pareça ninguém os notou saindo pela porta da frente. Zayn foi até seu carro e entrou, dando a entender que ela devia fazer o mesmo.
SeuNome: Me conta logo aonde nós vamos. -pediu desconfiada ao ouvir o som do motor enquanto Zayn aquecia o carro para saírem.
Zayn: Já falei, sem perguntas, você vai ver. -SeuNome franziu o cenho e se ajeitou no banco colocando parte do braço para fora da janela para sentir a brisa fraca do meio-dia. Ficaram um tempo relaxante na estrada durante a distancia considerável, a não ser nos momentos em que SeuNome tentava irritar Zayn perguntando sem parar onde estavam indo e afirmando que odiava surpresas, até chegarem em um ponto praticamente deserto perto da fronteira. Ele estacionou o carro longe da estrada, onde haviam tão poucas árvores que era possível contar nos dedos. SeuNome voltou a questiona-lo com o olhar e silenciosamente Zayn desceu do carro olhando sempre para o penhasco a alguns metros deles. Ela fez o mesmo e ele a puxou para subir no capô onde estava agora. O clima não estava tão quente quando ela esperava, pelo contrario, havia alguma brisa por mais que fosse fraca. A vista era perfeita, do ponto alto em que estavam, dava para ver a ponta das folhagens, uma por uma na silhueta das árvores e montanhas. SeuNome se sentia perdida em outro lugar, só ela e Zayn. Todo o resto desapareceu por algum tempo. E ela amou.
SeuNome: Precisava ter me trazido tão longe para me dizer...? -pediu de uma hora para outra -Ahm, e o que era?
Zayn: Sei lá, achei que devia. -ele falou, sentado com as pernas afastadas uma da outra, e com os braços apoiados em cima delas. -Você poderia ter me perguntado.
SeuNome: Eu sei. -respondeu apenas.
Zayn: Então por que não fez? -pediu cravando os olhos castanhos na garota. Ela se arrepiou e tentou olhar para o céu.
SeuNome: Você é bem difícil ás vezes, e sabe disso. -seu tom era leve, e o dele também.
Zayn: Às vezes? -riu. -Já não tivemos uma conversa parecida?
SeuNome: Cala a boca!-o acompanhou. -Acredite ou não, odeio estar brigada com você.
Zayn: Olha, é difícil de acreditar -pegou um maço de cigarros no bolso. -Me desculpa, mas preciso disso. Você entende não é? -mesmo relutante, SeuNome assentiu com a cabeça.
SeuNome: Quero dizer que em meio a esse drama que se instalou naquela casa, eu queria ter você só um tempinho...ou talvez o tempo todo. -ele sorriu com aquele veneno entre os dentes de maneira que a enlouquecia. Adorava o jeito como ele tragava o cigarro, era belo e perigoso. Mas ao mesmo tempo detestava esse seu hábito.
Zayn: Você pode me ter quando quiser, é só dizer.
SeuNome: Acho que nunca vi Zayn Malik tão fácil assim antes. -riu o fazendo revirar os olhos.
Zayn: Estou em um momento ruim e você é a maior estraga clima e pela saco que eu já conheci! -disse convicto de maneira que a fez rir mais. -Olha, eu vou ter que ser sincero com você agora antes que seja tarde demais, eu acho que você pode estar esperando que em algum momento nós vamos ter uma relação comum, com uma casa de cerca branca, cachorros e essas coisas mas, francamente, isso não vai acontecer. Com o que está por vir...olha, eu tentei ser normal, te levar para jantar e até aquela ideia idiota do parque de diversões, aquilo tudo aconteceu porque...eu sabia que iam ser os últimos momentos livres para fazermos alguma coisa comum. -ela mal tinha o que dizer, apenas conseguia o olhar.
SeuNome: Do que você tá falando, eu não quero uma relação comum!-Zayn deu risada do jeitinho dela.
Zayn: Antes não, mas agora eu queria mesmo que fosse diferente. Só que essa vida eu nunca vou levar. -soltou uma baforada para cima. -Eu não pedi que você ficasse.
SeuNome: Quer que eu vá embora, é isso? -ele a puxou mais para perto encostando-a em seu ombro. Ela se sentia tão bem, mas não como se estivesse caindo. O barulho das folhas mexendo ao longe somado com o ombro de Zayn podia ser até mil vezes mais tranquilizante que o som do mar de que amava.
Zayn: Não, não é isso, eu só tô com medo SeuApelido, com muito medo. -beijou o topo de sua cabeça.
SeuNome: Achei que você fosse o fodão. -ele riu sem humor.
Zayn: É, eu também. Mas talvez não seja.
SeuNome: Nós estamos juntos Zayn, e eu estou com você nessa acima de tudo. Isso que importa. -ele levantou cuidadosamente sua cabeça, selando os lábios de ambos.
Zayn: Mas o meu medo é de perder você de verdade.
SeuNome: Você não vai me perder nunca. -afirmou.
Zayn: Acontece que eu posso ter exagerado, não quero acreditar que você pode cuidar de si mesma. Naqueles atentados...
SeuNome: Eles só queriam me assustar, amor. -se ajeitou e ele estranhou o modo como foi chamado. Não era ruim, só, diferente. - E olha o machismo, idiota. -empurrou o ombro dele para longe fazendo Zayn rir e deixar cair o cigarro sem nem perceber ou se importar com isso.
Zayn: Eles queriam te assustar e conseguiram. -suspirou ajeitando as pernas um tanto entrelaçada com as dela, mas seus troncos estavam agora afastados. Aquele suspiro foi a quebra de todo o encanto ou coisa parecida que estavam tendo até agora, ela sabia que agora ele ia lhe contar algo. Continuou observando as montanhas. -Quando eu tinha 17 anos, conheci uma garota. Ela não era qualquer, era a garota.

SeuNome segurou para não bufar, um ciúme louco lhe dominou só de ouvir ele se referindo assim a ela. Era estranho imaginar que Zayn já tinha se apaixonado de tal forma por alguém antes. Por causa do silencio que se instalou, ela pegou sua mão que estava estendida sobre o capô sem ter coragem de olha-lo, mas mesmo assim não queria quebrar o clima logo agora que ele estava disposto a se abrir com ela. Com um aperto na mesma tentando incentiva-lo a continuar, Zayn o fez.

Zayn: Havia sido um namoro normal, sem toda essa insanidade que estamos vivendo agora, sabe? Claro, havia o álcool, constantemente quebrar as regras e a diversão mas nada comparado a hoje. -deu de ombros. -Nós nos conhecemos no colegial e ela era mais velha, sabe, repetente. Era razão de disputa entre os garotos da minha classe, e quando eu consegui ficar com ela sem nem fazer muito esforço, nossa, eu fiquei me achando para toda a escola, eu realmente estava feliz. -SeuNome já odiava a garota, e nem precisava ouvir a história inteira. -Nós saímos, passamos da segunda base e ela me teve completamente, eu só pensava em foder em todos os lugares e estar com ela o tempo todo. Nós éramos o verdadeiro casal apaixonado andando pelos corredores da escola, fazendo sexo em toda oportunidade, e eu nunca tinha me sentido assim antes, até que comecei a ouvir as conversas por onde passava, os meus colegas fazendo piadinhas sobre nós, sobre ela ser uma alcoólatra, usuária de drogas e rebelde, o que antes todos achavam legal agora era motivo de zoação. -Zayn procurou o cigarro nos bolsos, e aquilo estava sendo horrível para ele, dava para ver perfeitamente em seu rosto. -Eu comecei a ficar puto da vida, ás vezes ela sumia do nada e eu pirava mas sempre havia uma desculpa. Ela estava se afundando, as vezes de madrugada aparecia chorando na frente da minha casa totalmente alterada, minha mãe ficava louca de raiva comigo, me comparava mais com o David dizendo que ele não fazia as coisas erradas e eu devia ser como ele, que eu devia deixar aquela garota em vez de tentar ajuda-la. Dizia que as pessoas a gente não muda, elas tem que mudar sozinhas. -riu sem humor e SeuNome arfou sem conseguir dizer nada. -Minha mãe estava deprimida e muito preocupada comigo, mas isso ela estava desde que eu tinha 15 anos e comecei a conhecer as pessoas erradas e me meter em confusão. Mas sobre a Aubrey, antes eu tivesse ouvido. Eu insisti no namoro, eu estava cada vez mais desconfiado uma vez que os boatos de que ela me traía cresceram na escola. Eu não era mais o bad boy foda de sempre, eu era o corno apaixonado pela problemática. Depois de alguns meses meu amigo a pegou no flagra transando com um jogador no vestiário. Eu escolhi não acreditar nele mesmo sabendo que era verdade, estava apaixonado demais para não perdoar e ela se aproveitou disso.
SeuNome: Meu Deus, que horror. -falou pasma a única coisa que conseguiu.
Zayn: Acha que eu ficaria assim só por causa de uns pares de chifres? -a analisava deixando-a confusa. -SeuNome, ela fez muito pior do que isso. -os olhos dela foram aumentando e ele continuou. - Em um final de tarde, chegamos eu e ela em Las Vegas, exatamente aqui, nesse lugar. -se segurou para não olhar em volta. -Era uma das minhas primeiras vezes nessa cidade, estávamos bebendo sem parar e namorando, sentando no meio-fio para sentir o vento forte dos carros nas nossas costas praticamente arriscando aquilo que chamávamos de vida. Então ela pegou sua garrafa e começou a dançar com a música que vinha do som do meu carro, sorria e bebia indo cada vez mais para perto da ponta do penhasco. Eu vi que poderia cair nas condições em que estava, então mesmo bêbado fui até ela que se virou de frente para o horizonte e...aí...aí ela pulou. -a boca de SeuNome estava aberta mas sem omitir som, em menos de dois dias tantas revelações arrebatadoras tinham a pego de surpresa e eram tão frustrantes que ela mal conseguia pensar para encaixar tudo. Ela não podia imaginar o que ele sentiu e passou. -Essa foi a pior coisa de todas que ela podia ter feito, acabar com a sua vida, nada teria me feito mais infeliz. -suspirou- Aí eu fui dado como inocente, analisaram o caso e aderiram que foi suicídio porque as digitais não bateram. Depois disso eu fui levando o colegial no tapa, me juntei com os garotos e o resto você provavelmente já sabe. -O coração de SeuNome doía, parecia até que ela gostava de se machucar. Por que ficou tão curiosa para saber dessa maldita decepção? Devia ter deixado quieto quando Deb negou lhe contar, mas pior do que qualquer angustia era ver o efeito que havia causado nele, que sua fisionomia mostrava mesmo que Zayn forçasse a reprimir as lembranças.
SeuNome: Eu sinto muito, isso é horrível.
Zayn: Sim, mas eu não te contei isso para você ficar com pena de mim, e sim pra você parar de perguntar aos meus amigos. -rindo tentou descontrair a tensão que pouco lhes incomodava.
SeuNome: Não sinto pena de você, só, estou chocada. -admitiu- Você foi bem forte.
Zayn: É, eu fui. -acendeu outro cigarro lhe dando um sorriso. Ele mal precisou se recompor porque já havia superado, era triste de lembrar mas felizmente já tinha. Ela não fazia ideia, sinceramente. Na verdade uma coisa assim nunca passou por sua cabeça, todas aquelas informações a faziam ver o quanto ela o entendia agora, o quanto queria abraçar ele, aperta-lo bem e dizer o quanto o amava e que jamais faria algo para machuca-lo. Mas algo em sua cabeça gritava que já tinha feito, não sabia exatamente o que e que Zayn não se afetava tão fácil mas a convivência dos dois não era a melhor. O silencio não era incômodo, ele estava tão perdido em pensamentos tragando aquela nicotina pura e ela, perdida na sua história enquanto olhavam para o horizonte amarronzado, abaixo do azul vivo. Havia tanta coisa que gostaria de dizer pra ele, mas não conseguia. A mão de Zayn pegou a dela por cima de sua perna e SeuNome as apertou juntas em resposta. Sua cabeça virou para o lado e ele já a encarava descaradamente a algum tempo, ela fez o mesmo. Seus olhos o denunciavam mostrando que ele estava em conflito. Abriu e fechou a boca algumas vezes, deixando-a nervosa.
Zayn: Argh, eu quero amar você, eu quero você...o que tem de errado nisso? -as palavras a chocaram e seu coração apertou com mais intensidade. Os olhos se encheram de lágrimas, sua respiração era trêmula. As lágrimas desceram sem dó pelas laterais de seu rosto.
SeuNome: Se você pode me machucar também pode me amar. -respondeu convicta se sentindo ridícula, Zayn a virou no capô ficando por cima dela e a cobrindo com os braços nas laterais de seu corpo, SeuNome tirou o cigarro de sua boca para poder beija-lo e ele juntou os lábios aos dela depois de assoprar a fumaça contra sua boca e SeuNome aspirar contra gosto. -Vai continuar negando? -disse entre os beijos. -Você é um fodido.
Zayn: Me conte uma novidade, amor.
...

Depois de descobrir que Débora já tinha saído e sem avisar ninguém naquela casa para onde tinha ido, Logan se juntou a Jack e Piper em vez de procurar por ela para tentar pedir desculpas sem que pudesse se humilhar, é claro. Depois de quase três horas Frank e Danny chegaram alegando que estavam em um hospital até agora.

Frank: Você se deu muito bem com a Kris...Karen...Ke...
Danny: Karine. -revirou os olhos diante das conversas fiadas do amigo sobre uma das enfermeiras. -Piper ouviu e começou a especular sobre o assunto até desmancharem uma conversa.
Frank: Os dois ficaram falando de motos e criptogramas, coisas sem muito nexo mas se entenderam. -riu. -Além do mais nós concordamos que o Dan precisa expandir seus horizontes sexuais. Quantas garotas ele já ficou desde que chegamos na cidade? Não enche uma mão.
Piper: Verdade. -concordou do sofá. -Eu já me ofereci para ajudar, mas...-levou um tapa na coxa de Jack ao seu lado. -Que foi? Era brincadeira, amor. -ela nunca se acostumaria com esse relacionamento sério e fechado que Jack queria.
Danny: Você é uma tarada, isso sim! -Frank deu risada e ficou ao lado de Piper. -Vocês dois só pensam em sexo, por isso não namoram. -os outros riram mais ainda. -O quê?
Piper: EU tenho o Jack para a sua informação. -se apertou mais para perto dele no sofá na necessidade de fingir cultivar aquilo que ele pensava ter com ela.
Frank: Quem disse que eu quero namorar? -pediu. -O amor é só uma teoria idiota, uma hipótese.
Danny: Tarado, isso sim. -riu indo atender o telefone que tocava insistentemente de um dos clientes viciado em LSD que já ligava a 5 horas.

Enquanto Piper e Frank discutiam sobre a vida nada conturbada de Danny, Logan se sentindo indiferente na conversa assim como Jack que observava os dois com uma certa curiosidade reprimida no olhar, se levantou e subiu vendo a porta do quarto de Deb aberta enquanto passava pelo corredor. Resolveu entrar como quem não quer nada e percebeu o celular em cima da cama, jogado entre um travesseiro e outro. Provavelmente ela havia saído com pressa e o esquecido. A mente de Logan gritava de culpa no momento em que ele segurou o aparelho nas mãos e mesmo sem nem precisar fuçar, uma caixa amarela mostrava que ela havia recebido umas dez mensagens não lidas. Todas do tal de "Evan", pedindo desculpas e dizendo que iria tentar "se redimir de alguma forma". Desgraçado, só saudade não devia ser, devia ter feito alguma coisa pra ela, ainda mais com a fama de alcoólatra que Piper havia dito que ele tinha. Piper. Isso. Ela havia lhe contado tudo que sabia sobre o tal cara, os lugares que frequentava, e coisas assim. Logan apostava que Evan tinha feito alguma merda, e parar piorara ele ainda tinha dito a Débora aquelas coisas...ninguém poderia saber o quanto se arrependia de ter tocado no assunto do aborto.
Procurou em todas as mensagens até achar uma que dizia para ela encontra-lo em m dos pubs preferidos deles, um na Strip. Havia algo podre naquilo e ele iria descobrir. Logan digitou uma mensagem de volta, mandando-o ir para o tal pub imediatamente. Foi para o seu quarto rapidamente colocar uma jaqueta jeans qualquer e saiu. Não demorou muito para chegar no lugar, afinal a mansão ficava a poucos desvios da Strip.
              Ao adentrar o lugar, foi procurar o cara batia com a discrição feita por Piper, ele já estava no bar bebendo e conversando com outras pessoas.

Logan: Evan?-pediu confuso. -Seu nome é Evan?
- Sim, e aí? -virou a cabeça com um sorriso. Esse tinha bom humor. -Te conheço cara?
Logan: Não. Mas eu conheço você.
Evan: Ahm, posso saber de onde? -foram interrompidos pelo barman, ele pediu mais alguma bebida e Logan disse não querer nada. -Quer algo ou já está bêbado? -ele riu e Logan tentou acompanhá-lo, mas soou um pouco sarcástico.
Logan: Tô ótimo, mas valeu. -Evan era todo simpático, e Logan odiava ainda mais por isso de alguma forma.
Evan: Então, vai responder a pergunta?
Logan: É que eu sou amigo da Débora, ela fala muito de você pelo visto. -deu um sorriso falso enquanto o outro tinha um idiota no rosto.
Evan: É mesmo? -ele assentiu. -Nós brigamos mas acho que logo voltamos a ficar de bem. Mas enfim, aconteceu alguma coisa com a Deb?
Logan: Não, não. -mentiu lembrando daquela bala que devia ter sido para ele. -Nada disso, só...
Evan: Nós marcamos de nos encontrar aqui, ela vem?
Logan: Eu que marquei, porque queria falar com você sobre uma coisa que está me incomodando. Sabe...eu vim porque quero te pedir uma coisa. Nada demais, eu... -deu de ombros sem saber ao certo o que dizer. Evan o olhava esperando. -Eu quero que você termine com ela. -primeiro o ruivo a sua frente começou a rir alto tomando a bebida que havia sido posta a sua frente a um segundo, mas assim que percebeu que era sério começou a engasgar.
Evan: Enlouqueceu? Por que eu faria isso? Falei que nós brigamos mas foi exagero dela, a garota as vezes é meio pirada. -Logan apertou a mão fechada sem que ninguém visse para controlar a raiva que sentiu do imbecil a sua frente.
Logan: Ótima pergunta. -coçou a nuca. -Ainda não sei exatamente o motivo mas termine com ela e quando eu descobrir você vai ser o primeiro a saber.
Evan: Você só pode estar fazendo alguma pegadinha comigo. -forçava o riso. -Eu não vou fazer, isso é ridículo, eu nem te conheço cara!
Logan: Imaginei que você fosse falar algo assim. Mas, você acha certo vocês dois? Nada a ver, você não a trata como ela merece, eu conheço em o tipo. Não vai durar, não combinam...-Evan deu sua melhor risada de deboche sem acreditar que havia sido abordado no meio da sua noite até então divertida por um maluco desses.
Evan: Ah, você gosta dela. Já entendi, está na sua cara. Só pra gostar mesmo para ter coragem de vir aqui na minha cara dizer essas coisas. Olha, desculpa aí. Mas se é amigo dela mesmo você deve ter tido tempo para chegar na Deb e fazer dar certo. Se perdeu sua oportunidade, eu que não vou perder a minha. -sorriu deixando Logan realmente puto.
Logan: Você se acha mesmo suficiente pra ela?
Evan: Não. Eu sei bem que não sou, mas pelo jeito você também não é.
Logan: Eu sei disso. -respondeu sinceramente.
Evan: Ótimo. -enfatizou convicto. -Só isso? Porque se for, dá licença que você tá esquentando a minha bebida.
Logan: Ham, obrigado por escutar, Evan. -praticamente cuspiu o nome dele. -Se eu souber que você a traiu, fez alguma merda ou a magoou outra vez, vou te dar uma surra.
Evan: Se eu fizer algo assim, com certeza vou merecer apanhar.
Logan: Então você já se ligou. -disse por fim e saiu do pub com certa dificuldade. Não sabia se odiava mais ele ou a si mesmo por ter realmente perdido sua chance. Ele tinha razão, o maldito do Evan tinha razão. E o pior para Logan era se sentir alguém pior que ele. O que afinal estava pensando? Que o cara ia dizer "Beleza, eu vou terminar, pode ficar com ela dude". E ele ainda o ameaçou, onde estava com a cabeça? Ou melhor, a que ponto foi capaz de chegar? Na volta para casa só queria se convencer de que o imbecil no pub não a merecia tanto quanto ele.

                            O carro de Zayn acabava de estacionar na garagem quando Piper abriu uma das cortinas da cozinha inquieta espiando ele e SeuNome descerem conversando. Ela temia que talvez seus planos não dessem certo ou que alguém desconfiasse de algo por causa de seu sumiço. Era ruim pensar mas antigamente Piper costumava ser mais confiante que isso. Tinha que ficar focada. Não! Ninguém poderia imaginar.
Além do mais, havia acabado de perceber que não sabia praticamente nada sobre SeuNome, e nem fazia questão, aliás quanto mais longe aquela idiota ficasse dela ainda seria perto demais. Mas a chegada totalmente de surpresa daquelas pessoas ali a fizeram se questionar o que estava acontecendo. Enfim, quem eram aquelas pessoas?

Zayn: Foi uma aventura meio estranha, você não acha? -Piper ouviu enquanto entravam pela porta da cozinha conversando. Antes que pudesse responder, ambos olharam para ela quando notaram sua presença.
Piper: SeuNome. -sorriu falsamente ao dizer seu nome, e subiu os olhos para Zayn. Era inegável como ele estava irresistível, pena que era inteligente demais para cair na dela. Se tentasse algo com Zayn ele com certeza a afastaria como um inseto. Ela já tinha pensado tantas vezes nisso quando o via assim irresistível. Isso lhe dava raiva, ela não podia evitar. Como SeuNome conseguia tão facilmente sua atenção? Aquela garota por acaso tinha seios de cerveja ou lábios de heroína? Francamente... -Tem umas pessoas aqui, disseram que querem falar com você imediatamente mas como não estavam as mandei esperar. Elas insistiram em não ir embora mesmo que você demorasse. -SeuNome entrou em alerta. -Parecia urgente, ou sei lá.
SeuNome: Elas disseram os nomes?
Piper: Não, eu não fiz questão de perguntar, nem era pra mim. -riu do próprio comentário e Zayn procurou os olhos da garota para tentar identificar neles se ela fazia ideia do que a loira estava falando, mas a viu apenas conseguiu caminhar até a sala hesitante encontrando no sofá dois rostos que automaticamente lhe causaram um baque imaginário. SeuNome não as via a meses, e esperava não ver tão cedo de tão friamente desagradáveis que eram pra ela. Seu estômago se revirou e todo o sangue de sua face sumiu diante de Madison e sua madrasta, Meg, que agora se levantavam quase tão surpresas quanto ela.

CONTINUA...
Gente, acabei! Kk meu Deus, como eu sou enrolada. Parece até que eu saí de uma guerra mundial.
 Espero que estejam gostando xx

19 comentários:

  1. Perfeito.Cara sem palavras..vc escreve muito bem!!Por favor continua!!
    XxAna bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mt obrigada, fico feliz que pense assim ;3
      Pode deixar amr.
      xx

      Excluir
  2. Continua,ta perfeito!
    Panic!at the disco no inicio do capitulo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigadaa gatinha, vou sim.
      Sim, amo essa música ;)
      xx

      Excluir
  3. Te amo cara perfeito 'rs

    ResponderExcluir
  4. Acho que sou a primeira! Kkkk Socorrooooooo, eu não estava aguentando mais de ansiedade! O capítulo está perfeito, mano e o Zayn com essa tal garota? Babado e confusão amiga kkkkk... Posta logo o próximo capítulo! Go go go ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkk obrigada amr. Vdd, tenso, mt tenso! kkkk
      Okay, vou postar o mais rápido que puder <3

      Excluir
  5. CONTINUAAAAAAAAAA, ai como eu amo essa fic <33333

    ResponderExcluir
  6. Oi linda aqui e a Ana eu tô aqui pra pedir pra vc ñ desistir da fic só por o Zayn ñ esta mas presente na 1D.Isso vai mostrar que nem vc e nem nós sonhadoras que lemos suas belas histórias desistimos de um AMOR que é SONHAR❤
    Xx:Ana bjs👄

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Realmente o fandom está passando por algumas crises, alguns acontecimentos ruins que são impossíveis de não nos chatear :/ Mas não se preocupe, jamais passou pela minha cabeça deixar de me dedicar ao blog ou a fanfic por causa disso tudo. Como vc mesma disse, nós nunca desistiremos do nosso amor por esses cinco aconteça o que acontecer, então eu acho que não tem nada a ver as pessoas que estão deixando suas histórias </3 Provavelmente estão confundindo as coisas mas eu não pretendo fazer isso. Vamos continuar apoiando nossos ídolos como sempre fizemos, porque nesse momento é o que eles provavelmente mais precisam. Independente do que aconteceu, tenho esperanças de que tudo ainda vai dar certo, que as coisas se resolverão, vamos ter fé ;')
      Xx

      Excluir
  7. Lizzy eu peço encarecidamente que vc n delete o blog e nem desista da sua fanfic por causa do que aconteceu. sei que todas nós estamos tristes mas ainda amamos e queremos ler a continuação da sua fanfic assim como queremos acompanhar o maior blog de fanfics do One Direction na minha opinião. Por favor não desiste

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey anjo, eu não vou deletar o blog e nem desistir da fic. Obrigada pelo carinho, por virem me pedir isso, vcs significam mt pra mim. Não se preocupe, okay? :)
      xxx

      Excluir
  8. Viu o twitlonger do Liam w?

    ResponderExcluir
  9. Obrigada linda
    XxAna❤

    ResponderExcluir
  10. Chorando horrores com a saída do Zayn. T-T Mentira, não to chorando, mas vou sentir falta da voz dele nas musicas da 1D. :c

    Okay.. CADÊ OS POSTS DE VOCÊS, MINHAS FILHAS? TEM MUITA GENTE QUE DEPENDE DESSES CAPÍTULOS MIXURUCAMENTE FODAS PRA VIVER! -Q
    E EU QUERO CRAZIER, TO COM SDDS
    OBRIGADA, DE NADA.

    ResponderExcluir
  11. Ahhhh Lizzy linda, continuaaa <3 Quando o blog vai abrir vagas para escritora?

    ResponderExcluir