Longfic - / Brand New Bitch (Parte 4)

| | |

Capítulo 04 - Aqueles dias iam sair impróprios 



sono estava me controlando, consequência pura de ter ficado até altas horas da madrugada ouvindo esporro do Dave por causa do "pequeno incidente" na cozinha dele. Era cedo e eu me odiava por ter acordado uma hora dessas sendo que estava tão cansada, mas simplesmente não conseguia mais voltar a dormir. Coloquei minha roupa preferida e chutei a cesta de roupas limpas da Summer antes de sair do quarto. Ela sabe que não deve deixar suas merdas no meu quarto. Pelo silencio que estava no corredor eu era a primeira acordada. Caminhei para a sala recém arrumada pela Sue e lá veio a Linda latindo sem parar, eu sabia o que ela queria. Passear. E eu também precisava de café, então não pensei duas vezes antes de buscar sua coleira e em alguns minutos estávamos saindo do apartamento. Sorte que Dave havia nos dado uma cópia da chave cada uma. Eu meio que pensava no que faria antes de voltar as tão infernais aulas e na minha mente opções não faltavam, procurar um homem pra mim em um shopping, ir a algum show em Nova York ou ler algum livro repetido do Ozzy. Algo assim embora no momento, tudo que eu queria era andar por aí sozinha. 

Desci até o hall do prédio que estava praticamente deserto se não fosse pelo zelador limpando na espreita das portas que ao abrirem quase me matou de susto. Retribui o "bom dia" a ele e antes que pudesse dar um passo para fora do elevador vi alguém se aproximar correndo.

- Segura o elevador!-o cara disse e entrou rapidamente antes que as portas fechassem novamente. -Ah, oi!
As lembranças da noite passada voltaram em menos de um segundo, e uau, ele acabava de sorrir. E que sorriso. Era o cara do 709. Aquele corpo parecia ter sido esculpido por Afrodite, sinceramente. E o que falar das tatuagens naquele momento meio cobertas pelas roupas na qual eu não conseguia tirar os olhos?
Eu: Desculpe pela porta, eu estava meio...distraída.
Ele: Tudo bem. -um silencio de alguns segundos se iniciou. -Hm, eu não sabia que haviam outras irmãs nesse prédio. Gêmeas morenas, agora loiras, só faltam duas ruivas e esse prédio vira o melhor de Nova York. -comecei a rir e ele me acompanhou, eu estava entorpecida, viciada naquele som.
Eu: Para a sua informação, o que você fez no seu cabelo para deixa-lo loiro eu fiz no meu para escurecer e não ficar parecida com a minha irmã. -ele me olhava descrente e nesse segundo eu me arrependi de ter dito no impulso mesmo que de forma divertida. O garoto que parecia um pouco mais velho que eu me olhou melhor.
Ele: Tem razão, seu cabelo tem uma cor indefinida. -notou e assenti. -Está tão na cara assim que eu...
Eu: Na verdade não, mas sou de uma família com ótima visão...ahm...-o incentivei a dizer seu nome no momento em que não lembrava se já sabia ou não.
Ele: Eu sou Jamie.
Eu: Jade. -sorri de volta tentando não ser uma completa idiota. Nem percebi quando a Linda começou a latir do meu lado.
Jamie: Você sabe que é proibido animais de qualquer porte aqui, não é?
Eu: Eu...não. -disse meio nervosa, eu nunca morei em prédios então não sabia das regras que essa gente metida tinha. -Ele começou a rir e só podia ser da minha cara, certo?
Alex: É brincadeira. -disse em meio a sua gargalhada maravilhosa e fez uma careta. Juro que aquilo foi sexy.

Quando finalmente o elevador abriu eu me toquei de que queria descer mas acabei subindo novamente para o meu andar, que coincidentemente também era o dele. Maldita benção dos deuses com esse poder de me deixar distraída. Ele ajeitou a guitarra que segurava com a alça no ombro e saiu em direção a sua porta no corredor, mas antes que eu pudesse deixar o elevador fechar para descer, ouvi sua voz chamar meu nome fazendo-me segura-las e o encarar em alerta.

Alex: Eu tenho um tempo livre agora e odeio tomar café sozinho, você viria dar uma volta comigo?
Eu: Pode ser. -disse sem parecer interessada, o mais natural possível. -Legal.
Alex: Me espera um minuto?-assenti com a cabeça e ele entrou em seu apartamento, vendo que eu estava sozinha comecei a arrumar melhor o meu cabelo, a minha cara não devia estar das melhores mas tudo bem. Embora eu devesse, não conseguia sentir vergonha pela noite passada, o que provavelmente a Sue devia ao contrario de mim. Eu não conseguia ser como ela e me preocupar com o que os outros pensam de mim. Tudo bem, esse cara era uma tentação, eu geralmente preferia o tipo moreno de olhos escuros e eu até estava tentando deixar o sexo oposto de lado por um tempo para pensar mais em mim, mas não conseguia evitar me sentir atraída. Com certeza ele devia ser legal com todo mundo que mora aqui, eu não ia ficar me iludindo, aliás eu não sou a minha irmã. Mas se eu conseguisse, com certeza iria pega-lo de jeito.
               Após mais uma latida nervosa da Linda para sair logo do prédio, Alex apareceu. Em tempo real ele tinha demorado menos de cinco minutos, mas pra mim, foi como uma hora.

Alex: Hey. -sorriu sem jeito fechando a porta. -Desculpa, eu tinha que trocar de roupa e guardar umas coisas. -Antes que eu pudesse respondê-lo, o elevador ameaçou fechar e eu me atrapalhando me meti entre as portas para segurar ao mesmo tempo que tentava olhar da forma mais glamourosa que podia.
Eu: Sem problemas.
Alex: Vamos? -riu, provavelmente da minha cara de boba. 

              Cerca de vinte minutos depois, já tínhamos pegado um táxi e chegado em uma cafeteria super famosa de Nova York, ficava bem no centro, perto de prédios executivos e grandes lojas. Não trocamos muitas palavras no caminho mas ele havia me dito que nesse lugar haviam vários tipos exóticos de café que me deixaram ainda mais animada. Agora estávamos enfrentando uma grande fila de pessoas barulhentas para poder fazer os pedidos mas ainda bem que ali mantinham a baixa temperatura do ar, o que comparado com o abafado horrível da rua, estava ótimo.

Alex: Então, o que você faz da vida?-falava baixo de maneira até engraçada, sendo que havia barulho o bastante para gritarmos se quiséssemos.
Eu: Digamos que eu gasto o dinheiro do meu pai em besteiras, incluindo o colégio. -rimos.
Alex: Sabia que você ainda era colegial! Droga, agora vou ser acusado de pedofilia. -fingiu decepção, passando a mão no rosto.
Eu: Essa foi a pior cantada que eu já ouvi em toda a minha vida. -ele concordou.
Alex: Vai lá, tenho certeza que eu acerto a sua idade. -o encarei desafiadora, cruzando os braços abaixo do peito. -Hum, 12?
Eu: Magoou!-disparei. -Não te dei intimidade para me chamar de criança na minha cara.
Alex: Okay, falando sério...-me olhou atentamente. Se eu fiquei com vergonha? Quase nada. -18?- neguei. -17?
Eu: Acertou mais ou menos, vou fazer dia 11.
Alex: Legal, daqui a uma semana e meia.
Eu: Na verdade eu acho que não, falta muito tempo ainda. -ele me mostrou a data no celular em sua mão e realmente tinha razão. -Parece que alguém esqueceu o próprio aniversário. -eu mal acreditava, eu nunca esquecia, afinal tinha uma doida que fazia no mesmo dia pra me lembrar.
Eu: Tá certo espertinho, então, quantos anos tem?
Alex: Acabei de fazer vinte e dois. -a fila parecia ter andado finalmente, era quase a nossa vez. Agora eu mal podia esperar para sair logo dali.
Eu: Então já acabou o ensino médio. -disse com só um pouquinho de inveja. -E pelo sua guitarra logo de manhã você trabalha com isso, ou estava em uma festa...mas eu posso estar errada.
Alex: Eu sou músico. -me confirmou contente- Toco alguns instrumentos aqui e ali mas as vezes penso em montar uma banda, ou então continuar solo. Sei lá, o que der certo e eu não ficar entediado fazendo. -piscou fazendo um estalo com a boca e eu dei risada. Ele era carismático, parecia se conectar com as pessoas rapidamente. Continuamos conversando sobre coisas aleatórias, e eu acabei descobrindo que as mães de Alex era o dono do prédio que estávamos morando. Fazia sentido, afinal, um músico não ganha muito e para morar ali...bom, isso era necessário.

Como era impossível achar uma mesa vaga tanto dentro como fora da cafeteria, pegamos nossos copos quentes e saímos andando dali, andando sem pressa pela cidade já super caótica a aquela hora da manhã. Em alguma hora entre as avenidas que atravessamos eu quase fui atropelada mas essa cena pode ser abafada, eu evitava falar muito da minha vida para ele embora fosse difícil porque Alex conversava bastante, e em alguns momentos acabamos dividindo alguns segundos chatos de silencio mas logo passava após um comentário idiota meu ou dele. Já havia pouco liquido no meu copo quando chegamos ao Central Park, a grama bem verde brilhava com o sol a pino que castigava no calor, algumas crianças ali brincavam com cães, haviam casais e amigos de todos os tipos naquela grande extensão de gramado entre o caminho largo em que andávamos numa cena clichê.

Alex: E foi assim que eu conheci Don e o Timothy, os caras são incríveis. - terminou a historia de como conheceu alguns dos homens mais fodas de que já ouvi falar.
Eu: Você é muito sortudo, eu adoro os Eagles!- comentei descontraída. -Se quer saber, eu acho muito legal você trabalhar com música sabe, mas sem todo aquele exagero ridículo. Você só faz o que ama e pronto, sem ter que lidar com a mídia e essa industria que enlouquece qualquer um, além de que está cheio de pessoas podres, falsas...
Alex: Nossa, você parece saber muito sobre essas coisas.
Eu: Er...-suspirei e uma mulher de bicicleta passou raspando em mim- Meu pai é um figurão nessa área, empresário, jurado, chame do que quiser. -o fiz rir.
Alex: Nem imaginei mas...uh, uau. -ele parecia perplexo ou foi a unica coisa que pôde dizer. Ai ai, como as pessoas me subestimavam.
Eu: Por que a surpresa? -ri- Acha mesmo que é o único rico naquele prédio?
Alex: Primeiro lugar, minhas mães são ricas, e eu sou um músico falido que mais ou menos assim, depende delas. -riu, como se falasse isso para qualquer um o tempo todo. -E segundo, você é absurdamente adorável. -dei uma risada sem graça.
Eu: Se pretende me atacar, saiba que eu já fiz Taekwondo.
Alex: HEY!-protestou- Eu não sou um maluco, pedófilo, tarado ou algo assim. Se eu for te atacar pode chamar a polícia, devem ter alguns deles por ai. -parei para jogar meu copo vazio em um lixeiro.
Eu: Pode apostar que eu chamo.
Alex: Você não é daqui, não é?-insinuou com um sorriso amigavel. -Sua irmã me disse que vocês se mudaram a alguns dias.
Eu: É, mas a história é longa então não espere que eu te conte agora. -mal percebi que a coleira da Linda estava meio frouxa na minha mão enquanto eu encarava aqueles olhos azuis que brilhavam na sua cor intensa sob o sol. A expressão de nojo que Alex fez praticamente tirou-me a porradas do transe em que eu me encontrava. Primeiramente achei que seu semblante era esse porque meus dentes estavam sujos, o que não tinha muita lógica já que eu não havia digerido nada além do café. Antes que eu pudesse pensar mais sobre o assunto, Alex baixou a cabeça enojado e segui seu olhar até a Linda que estava agachada mirando um jato de xixi no sapato dele. Segurei a vontade de gargalhar puxando ela rapidamente e me preparando para ver a sua cara de completo arrependimento por ter me convidado para tomar café com ele.
Alex: QUE MERDA. -chacoalhou a perna e olhou o meu rosto. -Tudo bem, você pode rir. -ele não precisava me dizer quando eu poderia soltar minha gargalhada, eu já havia feito isso á alguns segundos antes.
Eu: Eu queria muito dizer que sinto muito mas...eu não sinto. -disse ainda rindo.
Alex: É bom saber que dá pra contar com os vizinhos. Tudo bem, vou esquecer isso afinal ela é tão...-estudou Linda com uma sobrancelha levantada como se tentasse achar alguma qualidade nela. -Bonitinha.
Eu: Claro, e o seu senso de humor é interessante. -ironizei.

    No caminho de volta continuamos no mesmo ritmo de conversa, aquilo estava parecendo bem improvável pra ele mas pra mim, eu não sei, era super normal. Qual é, eu sou Californiana, conversar com estranhos e situações de ultima hora são coisas comuns. Alex me contou mais sobre os suas mães e disse que eles não se davam muito bem por causa que ele negou seguir a profissão que ambos escolheram pra ele, mas mesmo assim seu pai não lhe negou um de seus apartamentos para o filho. Eles eram milionários ingleses mas ele cresceu boa parte de sua adolescia em Nova York e me contou que mal se lembrava da Inglaterra, apenas tinha aquele sotaque porque pegou de seus pais.
Depois que nos despedimos no corredor do nosso andar e ele se foi, peguei Linda no colo lembrando da cena dela fazendo xixi e isso me fez sentir que não tinha sido tão ruim assim. Apenas empurrei a porta ao ver que já estava destrancada. ou seja, Sue estava acordada, porque o Dave...com certeza não.

- MOÇO EU FALEI DUAS! DUAS PIZZAS TAMANHO FAMÍLIA DE FRANGO! -ela parecia estar dando chilique ao telefone a bastante tempo. Seus cabelos estavam mais bagunçados do que meu quarto. - EU SÓ QUERO COMER! -choramingou alto. -E NEM PENSE EM MANDAR AQUELAS MERDAS DE KETCHUP OU TROCAR OUTRA VEZ O REFRIGERANTE.

Quem era essa? Parecia mais um reflexo meu do que a Summer.

Eu: Bom dia. -passei rapidamente por ela que se despedia grosseiramente da pessoa ao outro lado da linha e desligava o celular. -Quanto bom humor.
Sue: Onde você estava? -pediu tentando ficar mais calma. -Nosso microondas está explodido e o Dave dorme como um bebê. Fui até o apartamento do nosso vizinho de ontem depois de achar uma desculpa para falar com ele mas ele nem estava. Eu estou tentando almoçar desde as 10 das manhã e com certeza hoje não é o meu dia. -bufou.
Eu: Fui só...-olhei o colo. -Levar a Linda para passear no Central Park e tomar um café. -disse rápido. Até que era verdade.
Sue: Você quer mesmo que eu acredite que você foi até o Central Park só pra ela passear? Sozinha?
Eu: Ué, eu não conhecia lá e todo mundo fala daquele lugar o tempo todo, não é?-soltei a cadela que correu de mim abanando o rabo.
Sue: Não mente pra mim, eu sei quando está fazendo isso porque você não fica irritadinha.
Eu: Mas eu não estou...-tentei não sorrir diante de seu olhar sério me fulminando. -Okay, que droga, eu estava saindo quando encontrei o Alex-rockeiro-tatuado no térreo e ele me pediu para ir com ele comprar café...
Sue: Então é esse o nome dele!-me interrompeu mas falei mais alto.
Eu: Ai começamos a conversar, a Linda marcou território nele pra mim e até que foi meio divertido.
Sue: VOCÊ NEM ME CONVIDOU SUA DEGENERADA!-eu não conseguia ficar séria diante disso. -E fêmeas não marcam território sua idiota!
Eu: Não vou me desculpar por isso. Qual é, Sue!
Sue: Não sei quem eu odeio mais, você ou...
Eu: Cobras, eu sei.
Sue: Não. Ficar com fome, acho que é uma das únicas coisas que me tiram do sério.

Achei que havia começado algum tipo de terremoto mas era só o Dave correndo apressado pela sala, pulando o sofá e sentando nele após alcançar seu notebook na mesa de uma maneira bem elétrica para quem tinha acabado de acordar provavelmente.

Eu: Dave, você está usando drogas mais pesadas?-Sue se espantou.
Sue: Ele usa drogas? -ele riu, estava de pijamas ainda e a maior cara de sono.
Dave: Eu não uso drogas!-exclamou, mexendo em alguns papéis. -E não façam isso crianças! -continuou com tom de alerta. -Tenho que mandar alguns relatórios para o Simon ainda hoje e dormi demais. -entrei em alerta vermelho quando ouvi o nome do meu pai, e pelo jeito Summer também.
Sue: Você continua com o acordo, não é? Vai continuar de boca fechada sobre nós?!
Dave: Claro, claro. -riu e ficamos uns segundos em silencio. -Drogas pesadas. Gostei. Como se eu precisasse...já sou todo tipo de drogas em pessoa.

Segunda.

A minha folga estava durando tempo demais pra ser verdade, aqueles últimos dias passaram voando. De manhã, Sue e Dave quase tiveram que me arrastar para fora da cama porque eu não queria começar a ir para a escola de jeito nenhum e muito menos ter que sair do meu precioso sono pra isso. Eles me chamaram de vários nomes como 'criancinha' e 'infantil', mas realmente não estava nem aí para o que eles pensam sobre o meu protesto. Isso me fazia lembrar do quão Alex era sortudo por não precisar voltar para o Ensino Médio. Eu teria que conviver com aqueles adolescentes filhos da puta sem vida e só de pensar naquela palavra assustadora..."estudar", na qual eu nem conseguia pronunciar em voz alta, me fazia querer gritar.

Sue: Chegamos! -ela exclamou enquanto Dave estacionava em frente ao colégio que fizemos matrícula á dias atrás. -É isso, vida nova.
Eu: Todo mundo sabe, Sue. Não precisa ficar nos lembrando da sua insanidade. -ela se ajeitou no banco do passageiro e olhou-se no espelho retrovisor.
Sue: Por acaso ta me chamando de insana por estar animada pelo primeiro dia de aula? -eu e Dave assentimos. Ela girou os olhos. -Não vai conseguir estragar meu dia, irmãzinha.
Eu: Já está estragado, é Segunda-feira!
Sue: E não me faça passar vergonha. -completou e fingi nem ter ouvido um absurdo daqueles. Se eu me estressava era com razão.
Dave: Pelo amor de Deus, podem ir logo? Eu não aguento mais!-olhava assustado para a frente do lugar onde centenas de pessoas adentravam naquela hora e por segundo. Parecia uma infestação de insetos.
Eu: Tá, tá. -abri a porta do carro ajeitando a alça da mochila no ombro e deixei que Summer fosse andando na minha frente.

      Conforme fomos nos enfiando no meio da multidão, pude ver como seriam as coisas nos próximos meses. Ao ver estudantes fazendo diversas coisas e ocupando todo aquele lugar, pude sentir aquele cheiro de inferno, ou pior, de escola invadir minhas narinas me dando uma tremenda vontade de sair correndo. Percebi que Summer se aproximava da sala da diretoria e apenas a acompanhei, esperando-a pedir alguma informação sobre salas, batendo o pé ritmadamente do lado de fora e como não tinha muita escolha, fiquei assistindo ao louco movimento dos alunos naquele corredor. Era quase igual na Califórnia, a não ser por algumas mínimas coisas. Enquanto mais ou menos ouvia a voz de Sue e da coordenadora em meio a falação constante, avistei uma aparição que se aproximava no corredor. A garota era sorridente, trajava roupas de marca e o que mais me chamou atenção além de seus olhos marcantes, eram seus seios enormes. E até ai tudo bem, mas ela os esbarrava nas pessoas enquanto caminhava ou cumprimentava elas e o mais engraçado é que provavelmente era sem querer. Segurei uma risadinha teimosa, será que ninguém falava nada pra ela? Sabe aquele probleminha que os adolescentes tem em esbarrar as mochilas com força um nos outros enquanto andam pelos corredores da escola? Então, ela fazia isso, só que com os peitos.

- Você ficou no 2° ano b e eu no c. -a voz de Sue me tirou daquela distração. -Então a sua primeira aula é história e a minha inglês. Tá rindo do quê?
Eu: Uma garota, ela fica batendo em todo mundo com os peitos siliconados. -ela me acompanhou na risada e percebi algumas pessoas nos olhando demais. Era uma merda ser aluno novo, principalmente quando se é gêmea.
XX: Olá, o que é engraçado? -virei a cabeça quase lentamente sendo pega no flagra. Era a garota peituda ali na nossa frente sorrindo pra nós. -Eu conheço quase todos aqui, e vocês são novas, não é? Eu sinto que as conheço de algum lugar.
Sue: Sim, sou a Summer e essa é a Jade. -sorriu de volta.
Ela: Californianas, certo? Percebi pelo sotaque. -sugeriu antes que pudéssemos responder. Alguns caras com namoradas passaram por nós cumprimentando ela. Mas sem encostar, amém. Eu não ia aguentar com meu senso de humor afiado. Pelo visto ela era popular, bem o tipo de amiga que a minha irmã geralmente fazia.
Sue: Exatamente.
Ela: Sou a Felicia, se precisarem de alguma coisa ou ajuda para falar com garotos. -piscou. -Me avisem. -o sinal bateu e todos se direcionaram para suas salas enquanto um uníssono de vozes ecoava no corredor ainda mais intenso. Felicia se despediu de nós e se afastou na mesma rapidez em que chegou.
Sue:  Agora chega de graça, você não vai me atrasar dessa vez, to indo.
Eu: Relaxa!-disse e ela me olhou feio. -Vai logo, some estrupício.

Ela saiu correndo quase que depois de todo mundo e eu fiz questão de esperar alguns minutos. Fiz hora na secretaria me fingindo de perdida e que precisava de um copo d' aguá. Então fui caminhando lentamente até a minha nova sala de história onde os alunos ainda se organizavam e entrei fazendo com que alguns pares de olhos curiosos me medissem até que achasse uma carteira vaga bem no fundo como eu gosto e finalmente sentasse. Fiquei olhando para o teto enquanto a professora dava boas vindas aos novos alunos e aquela porra chata de sempre. Quando estava quase dormindo, a ouvi proferir duas palavras mágicas: "Mitologia grega". Abri meu livro na página certa e por incrível que pareça, comecei a prestar atenção na aula. Finalmente algo que eu realmente entendo. Nada que um bom interesse secreto em livros de mitologia grega não tenham feito.

Professora:..Algum tempo depois, eles chegaram à Ilha paradisíaca dos Ciclopes, um lugar encantado e reinado pelo ciclope...
Eu: Polifemo, filho de Poseidon! -disse alto completando a explicação. E novamente, todos me olharam atentos, inclusive a professora.
Professora: Muito bem, srta. Cowell. -pigarreou e voltou a se concentrar na história que contava. -O ciclope os abrigou e devorou um de seus tripulantes. Então Odisseu fingiu que nada havia acontecido e embebedou Polifemo, que depois de cair no sono, teve seus olhos furados.
Eu: Na verdade...-interrompi a professora. -Polifemo teve seu único olho furado. Ele é um ciclope, possui apenas um.
Professora: Percebo que é afiada no assunto, estou impressionada. -disse ao mesmo tempo como se me mandasse calar a boca. Bufei pesadamente, aquela mulher estava me irritando por errar a mitologia e me fazer sentir como se fosse uma nerd. -No dia seguinte -voltou a usar seu tom mais autoritário-, cego, ele tirou a pedra da porta da gruta e não pôde enxergar quando os homens saíram escondidos junto com os animais que ali estavam.
Eu: Enquanto isso, Poseidon jurou vingança á Odisseu. -a interrompi sem conseguir me segurar.
Professora: Srta.Cowell! Com licença!
XX: Se ela sabe tanto assim então por que não vai ali na frente dar aula no lugar da professora, hein? -um metido de cabelos ruivos se debruçou numa carteira atrás de mim.
Eu: A culpa não é minha se eu sei mais do que ela. -disse alto enquanto cruzava os braços.
Professora: O que está insinuando com isso, mocinha?! -perguntou irritada.
XX: Ela disse que sabe mais do que a senhora, eu ouvi bem. -disse o desgraçado atrás de mim. Outros riram e ela me encarou severamente. Esse é mais uma razão para eu ter ficado dormindo na minha bagunça, esses professores mal comidos que descontam nos alunos.
Professora: Saia da sala, por favor Cowell.
Eu: Só porque eu disse uma verdade, qual é senhora!-acho que acabei piorando as coisas. -É a única matéria que eu sou boa então quer me deixar participar?
XX: Sra. Miller, sem querer me meter, a novata acaba de te mandar calar a boca.
Professora: Se. Retirem. Da. Minha. Classe. Agora. -todos a encaravam. -AGORA.

Nos levantamos depois de eu ter feito um certo pouco caso, o imbecil também. Legal, expulsa na primeira aula. Novo record para a minha humilde lista. 

Professora: Pra biblioteca os dois. E façam os exercícios das páginas 20 e 21.
XX: Não entendi por que estou sendo expulso.
Professora: Ninguém gosta de fofoqueiros puxa-saco, senhor Donovan.
  A porta se fechou na minha cara. Professora estúpida.
XX: Vai ficar parado ai tentando a fazer mudar de opinião com o poder da mente, ou vai me seguir até a biblioteca?! -a voz rápida e meio afiada desse cara já me irritava. 
Eu: Não ouse falar comigo de novo. -saí andando o deixando ali. O cacete que eu ia para a biblioteca, ainda mais com ele. O vi de longe sentar em um banco entre os armários e entrei no banheiro feminino que era realmente bem fácil de achar. Já na entrada fui surpreendida pela Felicia chorando apoiada na pia. Assim que me viu no reflexo do espelho, limpou as lágrimas rapidamente e eu me virei para sair achando que ainda tinha tempo.
Felicia: Hey! -chamou- É a Jade? Ou Summer? -droga, ela me viu. Me virei outra vez.
Eu: Jade. 
Felicia: Ah, oi de novo. -me aproximei um pouco abrindo uma das torneiras. - A propósito, eu não estava chorando.
Eu: Tudo bem, que bom então. -sorri tentando não fazer contato visual.
Felicia: Ta bom, você venceu! -disparou como uma metralhadora sem que eu insistisse. -Eu acho que o meu namorado está me traindo com um professor do time dele. Ele acha que eu sou burra por acaso? Eu percebo as coisas, as pessoas também comentam!-chorou ainda mais, eu era péssima em consolar pessoas, logo essa agora!
Eu: Poxa...-ela chorava e os peitos chacoalhavam assim como seu tórax. Aquilo era algum um pesadelo de segunda-feira?
Felicia: Ah, não! -riu em meio ao choro- Não tenha a impressão errada, eles são de verdade! -puxou as minhas mãos rapidamente colocando nos seios dela. -Viu? -puxei-as de volta na mesma velocidade de olhos arregalados. Ela tinha algum problema? Pelo visto seu ego era maior do que seu Q.I. Felicia deu uma risadinha e saiu de lá. 
Vish, vai entender esse povo.


CONTINUA...
Notas Lizzy: Já estava com saudade de postar BNB mas não conseguimos. Eu amo as mensagens de vcs, sério, o jeito que vocês levam a sério e "entram" na história, se identificam mais com um personagem, eu rio muito lendo essas coisas. Obrigada mesmo, amo vocês. 


Notas Deb: Hey, niggas! Espero que tenham gostado dessa parte da Long. Eu estava com muitas saudades de vocês porque pra mim uma semana sem postar é como um século longe. Bom, mal posso esperar para publicar as outras partes (sempre falo isso, mas é porque eu estou animada demais com Brand New Bitch kkkk'). Sugiro que se preparam para rir muito, porque eu ri. 
Obs: Mudei de ask para: paynepsicodelic

19 comentários:

  1. Kyaaaaaah :3 amei! moça dos peito maluca, não estupre a Jade pfvr -q eu preferia o Niall com a Sue, mas ficou tão fofis esse capítulo! *0*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tambem quero a summer com o niall o que eu acho que vai acontece pelo o jeito o liam parece combina com a jade

      Excluir
    2. Acho que ele vai preferir ela por ser a diferente ;3; isso é meio chatinho, por isso torço pra Sue

      Excluir
  2. Finalmenteeee, adorei meninas, ri até 2105 kkkkkkkkkkkkkkk posta logo pelo amor de Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe a demora :/
      Que bom amr! Agora é a vez da Lizzy de postar, manda ela deixar de ser preguiçosa kkkk brinks. Já estamos terminando de editar
      xx

      Excluir
  3. Nooooooooossa, vai ser umas das melhores IB's que li disso eu nao tenho duvidas! Veeei to curiosa pra vcs continuarem.
    Lizzy, eu tiraria uma foto aqui agora pra você ver, EU TO CHORANDO. E o pior é que só você consegue fazer isso cmg. Cada história, cada trailer, cada frase, musica, tudo tudo tudo, é maravilhoso. E tipo, eu fico sorrindo igual uma idiota aqui vendo como você escreve tudo tão perfeito, incrível, cada dia que passa eu me impressiono mais, é sério. As vezes eu vejo uma postagem e falo: "porra, ta muito grande, to com preguiça, leio depois, ou se não pulo algumas coisas." Mas ai eu lembro que você que escreveu, que é da de uma coisa sua que eu to falando, ai eu leio sem parar. leio até o que está entre as virgulas, pontos, parágrafos, linhas, tudo. Vc faz drama, ação, romace tudo tão perfeitinho, ai agora percebi que tem muito talento em comédia tb! Escolhe um moça! Comedia é meu genero preferido e vc junto com a sua irmã que é outra garota foda (leio o lermaniac dela) estão fazendo essa historia perfeitaaa e viciante parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, nós esperamos que vcs gostem da continuação kkk. Vou tentar postar o mais rápido possivel ok? Olha, fiquei sem palavras para te responder, vcs fazem o meu dia! Sou mt grata e me sinto honrada por vc pensar assim, kkkk isso também acontece comigo as vezes, maldita preguiça q atrapalha tanto!
      Também amo muito comédia, é sem dúvida o meu gênero preferido e escrever um fic assim é mt divertido. Haha, vdd! O ILermaniac é vida, terra, ar, come and get it nanana. Ela é foda nas ideias, na imaginação, a talentosa da coisa toda e por isso que eu estou amando fazer BNB com ela. Obrigada por td amr :3
      xxx, Liz

      Excluir
  4. Aiaia ninguem gosta de puxa sacos senhor Payne!!!! Amo sua fic! Continuaa plss! Leitora nova

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk psé, já chegou fazendo paynezice af
      Mt obrigada gata ;3 Pode deixar e seja bem vinda <3

      Excluir
  5. Amei o capítulo, ri demais !
    o vestido é preto e azul ou dourado e branco? bjssss suas divas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom amr, ficamos felizes :3
      Lizzy: É preto e azul
      Deb: Branco e dourado!
      kkkk liga n, bjs!

      Excluir
  6. Kkkkkk pqp Jade , se fudeo ...
    To amando _❤❤❤❤❤❤👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só o que ela sabe fazer é se f**** hsuahsh, se prepare q isso é só o começo.
      Fico feliz anjo!
      xx, Deb

      Excluir
  7. scrr...alguém me helpa...porra só tem 4 capítulos e eu já estou viciada nessa fic...necessito dessa fic pra viver...continua logo please

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada babe, ficamos felizes!
      Alguém NOS helpa, você é um amor :3 Pode deixar, vamos sim.
      xx, Deb e Lizzy

      Excluir
  8. Socorro ta muito bom! continuem meninas <3
    PORRA PORRA PORRA QUERO MAIS CARA P ONTEM PUTA MERDA podem dizer que isso é puxar o saco mas cara eu sou sua fã, nossa nem sei oq dizer só continua 😍💕
    Minha boca está aberta em um perfeito O cr essa Fic é perfeita mano namoral. ..Continua logo pfvr vcs estão de parabéns q q isso. LEITORA NOVA CHORANDO DE EMOÇÃO EM 3, 2,1...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Brigadaa pelo carinho anjo.
      KKKKKK aww, quem não nem sabe o que dizer sou eu :D
      Okay, vamos continuar sim.
      xx Liz

      Excluir
  9. porra voces sao as melhores escritoras do mundo amei frozen e Fuking liam payne, vcs juntas é o bonde lacrando! continua logo que demora é essa, to amando tipo de fic que vc le um capitulo e ja sabe que vai lacrar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nhawwn mds! *---*
      Mt obrigada amr, desculpa a demora, nós estamos muito ocupadas ultimamente mas vamos postar essa semana. Obg pelo carinho :3
      xxx

      Excluir