Longfic Louis Tomlinson - Lótus (FIM)

| | |
Final


Naquela noite...

         (Seu Nome) chegou ao hospital com o coração na mão de tanta preocupação. Assim que se encontrou com Louis não aguentou e se jogou nos braços dele, de alguma forma ela sabia que ele era o único que poderia tirar um pouco de sua preocupação. O rapaz que estando igualmente preocupado, agiu de maneira extremamente normal com o intuito de confortá-la de algum jeito.

- Ela está bem? -(Seu Nome) perguntou com os olhos enxercados-
- Ela vai ficar. -Louis respondeu com um sorriso de lado-
- Ah Louis estou tão preocupada, nesse tempo todo que passei com ela, eu não sei, é como se fosse minha filha.
- Eu sei como se sente, eu também me sinto assim. -ele falou-
- É. -ela suspirou- Se existe alguém que me entende com certeza é você...

          As horas passaram, (Seu Nome) já havia visto Jenny e conversado um pouco com ela. Até então (Seu Nome) não sabia da gravidade do problema, mas foi minutos depois disso que Louis a preparou para a notícia e despejou tudo de uma vez deixando-a ciente de que Jenny estava com leucemia. O choque atingiu a jovem em cheio, ela não sabia nem mesmo como agir diante daquela situação, estava desesperada. Depois de tomar um calmante foi que ela conseguiu finalmente caminhar pelo corredor ao lado de Louis.

- Estava ocupada quando te liguei? -ele perguntou caminhando com ela pelo corredor do hospital-
- Eu estava no meio de um jantar de comemoração com o Math. -ela sorriu de lado tristemente-

           Louis arregalou os olhos preocupado e disse:

- Eu sinto muito de verdade, espero não ter causado problemas.
- Não se preocupa com isso, não to nem um pouco ligando pro que ele vai dizer.
- Vocês... Brigaram?

          No fundo Louis estava torcendo pra que aquilo tivesse acontecido, ele não queria ser o causador de uma briga de casal, mas só ele sabia o quanto não conseguia tirar (Seu Nome) da cabeça, em todas as horas do dia ela era o único pensamento que passava na cabeça dele, sempre ela. Louis já não aguentava mais, queria tanto tê-la em seus braços e poder beijar seus lábios...

- Digamos que ele quis dar uma de meu dono e eu não aceitei. -ela falou simplesmente-
- Sinto muito. -Louis falou-
- Não eu nem me importei. -ela falou- Não sei o que está acontecendo mas... -suspirou- Nada.
- O quê? -Louis perguntou na intenção de ela terminar a frase-
- Não é nada. -ela sacudiu a cabeça-
- Tenho certeza de que é alguma coisa, porque não me fala?
- É só que... -ela fitou os próprios pés- Louis, -ela olhou fundo nos olhos dele- quando eu estou com ele, só consigo pensar em você. E... E quando eu estou com você eu não consigo pensar em mais nada. Não sei o que está acontecendo comigo...

           Ela abaixou a cabeça novamente, não sabia nem como tinha criado coragem pra falar aquilo, mas estava tão preso dentro dela, que sentia uma imensa necessidade de por pra fora, de algum jeito aquilo a tinha deixado aliviada. Louis pegou o queixo dela e ergueu seu rosto até que seus olhos estivessem fixos nos dele. Então ele falou:

- O sentimento é mútuo.

           E então colou seus lábios aos dela em um beijo quente, um beijo que ambos esperavam já há algum tempo, era como a realização de um sonho. Estavam em uma sintonia tão graciosa que até suas línguas pareciam se entrelaçar com perfeição e elegância.

Mais tarde...

           (Seu Nome) adentrou sua casa naquela noite e mesmo com todo o choque da doença de Jenny, ela parecia estar nas alturas. Louis havia a deixado mais calma ao dizer que a leucemia de Jenny ainda era muito recente e provavelmente ela se curaria com os devidos cuidados. Mas o que deixava (Seu Nome) com um sorriso bobo no rosto sem ao menos perceber, era se lembrar da boca de Louis cobrindo a dela, eram tantos os sentimentos que se passavam naquela hora, mas de uma coisa ela tinha certeza: Estava completamente e perdidamente apaixonada por Louis. O que ela pensava que sentia por Math não era sequer uma queda, ela percebeu que nunca o amou de verdade, ela só estava certa demais de que era aquilo que ela queria pelo fato de ter sonhado sua vida inteira em casar com um bombeiro, mas o amor não é assim. 

           Adentrou seu quarto e viu Math na janela olhando para o jardim. Ele se virou pra ela e colocou o copo que estava na mão em cima da cômoda. Ele passou a mão pelo cabelo e falou com a voz e a expressão séria:

- Você demorou.
- Estavam fazendo exames nela, ela está com leucemia. 

          Math ficou um tanto surpreso mas ainda assim não deixou que o ar sério se evaporasse. Ele caminhou alguns passos e falou:

- Eu acho que a gente precisa conversar.
- Sim você tem razão. -Seu Nome falou- Precisamos conversar, agora.
- Porque não me disse que estava visitando o orfanato?
- Porque eu não queria que você interferisse nisso Math. Você não é muito caridoso.
- Se quisermos ser um casal de verdade, não pode haver segredos (Seu Nome). -ele falou atordoado-
- É exatamente sobre isso que eu queria falar. -ela suspirou- Eu não quero mais me casar com você Math.
- Você... O quê? -ele perguntou parecendo não acreditar-
- Somos totalmente diferentes, não ia dar certo. Desculpa. -ela falou sinceramente-
- Isso... Isso é por causa do que eu falei quando você saiu do restaurante? Eu estava nervoso me desculpa.
- Não não Math, não tem nada haver com o que você falou, tem haver comigo. Eu... Eu não amo você. É melhor a gente acabar aqui.

           Math apenas sacudiu a cabeça afirmativamente mas não falou uma palavra. (Seu Nome) caminhou até a cama e pegou um travesseiro e uma coberta.

- Aonde você vai? -Math perguntou-
- Não somos mais nada então... Não é certo dormir junto.

            Ele sacudiu a cabeça novamente e ela deu as costas saindo do quarto.

[...]

Algum tempo depois

Tempos se passaram e as coisas simplesmente começaram a dar certo. Jenny conseguiu se curar da leucemia e (Seu Nome) e Louis moram juntos agora, ainda não casaram mas pretendem, assim como querem adotar Jenny e ter uma família feliz. Moral da história? No amor não se pode ter planos, porque querendo ou não, a gente sempre se apaixona pela pessoa errada, mas não existe amor impossível, porque se é amor de verdade, todas as coisas que vierem pra impedir de tudo dar certo, nunca conseguirão acabar com um amor verdadeiro.
---------------------
Na literatura clássica de muitas culturas asiáticas, a flor de lótus simboliza elegância, beleza, perfeição, pureza e graça, sendo frequentemente associada aos atributos femininos ideais.

FIM

5 comentários:

  1. nao tinha final melhor adorei nao amei a moral

    ResponderExcluir
  2. O final podia ser melhor, mas gostei...

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei só que no final tipo depois que de td !! foi pequeno mais foi legal<3

    ResponderExcluir
  4. ameeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir