Longfic - / Believe in Me (Parte 4)

| | |
Capítulo 04 - Eram 'parabéns' de todos os lados

SeuNome P.O.V's

festa naquela mansão já estava durando mais de duas horas e eu não estava me divertindo como esperava que fosse. Todos a minha volta estavam doidos, fazendo coisas completamente imprudentes como eu imaginava. Eu estava com um copo de marguerita na minha mão que balançava enquanto eu me mexia ao som da música estrondante na tentativa de descontrair como todos a minha volta. eu nunca frequentei muitas festas na adolescência, apenas lembrava de duas ou três que tinha ido com a Helena e as amigas dela já que me arrastavam para esses lugares e em troca da popularidade eu estava ficando cega, mas aliás, quem não gosta de uma boa festa? Ainda mais ali, naquela mansão maravilhosa e cheia de gente importante, eu devia estar curtindo de verdade em vez de apenas fingir que estava. Mas simplesmente não conseguia continuar com a promessa que fiz a mim mesma mais cedo antes de me lembrar o que realmente tinha acontecido. "Eu prometo a mim mesma que não vou mais pensar em como isso aconteceu, eu tive sorte -não sei como- de conseguir avançar para o futuro e não vou mais reclamar. Se Deus escolheu isso, então eu vou viver isso sem tentar voltar ao passado, que se dane as coisas que perdi, eu só tenho a ganhar agora." Só que AGORA eu sabia que nada daquilo aconteceu por acaso, não foi um milagre, foi um feitiço. Um feitiço para mexer com a natureza e isso não pode estar certo, não é?
Também não conseguia tirar aquela mensagem misteriosa da cabeça, quem era J? Eu estava mesmo traindo Louis como ele dizia? 

Louis dançava muito bem com o embalo daquela música agitada, muitos já tinham ido embora mas outros bebiam e dançavam cada vez mais, como se a noite não precisasse terminar tão cedo. As mãos dele passavam pela minha cintura quando me girava e as vezes eu conseguia distrair meus pensamentos com isso, mas a prova de que eu não sabia fingir que não estar preocupada era que ele estava sempre me perguntando se eu estava bem ou se tinha acontecido alguma coisa. Sempre negava e pedia mais bebida, não queria me acostumar a beber mas nem estava prestando atenção em quantas doses estava consumindo mas parecia que meu organismo de adulta era mais forte para bebida do que quando eu tinha 16. Logo Louis que já ria de tudo e mais parecia o Niall, sussurrou se eu já queria ir para casa. Os garotos estavam na porta principal e fomos até eles, mas Zayn voltou meio irritado dizendo discretamente que haviam paparazzi no jardim e na porta da mansão tentando fotografar as celebridades bêbadas/drogadas saindo da festa. Esperamos até que um segurança nos avisasse que a barra estava limpa para sairmos. Assim que conseguimos, Louis entrelaçou minha mão e entramos em uma limousine preta na qual cabiam todos nós, eu não fazia ideia da onde estávamos indo mas os garotos pareciam animados demais para quem estaria supostamente indo para casa. Eu fiz essa pergunta alto e uma garota loura que eu logo descobri o nome, Melissa, responder que íamos para a casa do Josh Devine, lá estava tendo mais uma festinha particular só para os amigos mais íntimos. 

A ideia na hora me pareceu completamente tentadora, mas aqueles pensamentos ruins não saíam da minha cabeça por algum maldito motivo e eu não conseguia me animar com isso. Todos estavam conversando e rindo até chegar lá, mas simplesmente não conseguia prestar atenção em nada. 
        Quando chegamos a uma linda casa azul num bairro chique, a limousine parou na frente e não parecia ter muita gente por perto o que era bom, eles pareciam ter meio 'pavor' de paparazzi antes de entrar ou sair de carros. Os garotos desceram primeiro, a Melissa pegou a mão de Niall que estava meio bêbado, outras garotas também ali saíram falando alto e rindo, encontraram Josh já no jardim que os mandou entrar como se fossem a família, Louis e eu fomos em seguida sendo assim os últimos a entrar. Haviam algumas cervejas num balcão de pedra ali na cozinha, a caixa já estava aberta que Harry ajudou a pegar junto com com cara que logo me disseram ter o nome de Danny. Todos nos reunimos na varanda extensa e luxuosa da casa, que nos dava uma bela vista da piscina e jardim de Josh. Todos sentaram nos bancos e cadeiras ali e eu fiz o mesmo. Louis colocou a mão pousada na minha cintura me dando um leve arrepio que eu agradeci por ele não ter percebido. Eu ainda não estava acostumada com isso, estar numa relação. Ainda mais com Louis Fucking Tomlinson. 

- Estava uma loucura a festa, você perdeu. -proferiu a Melissa e Josh balançou a cabeça bebendo sua cerveja. -Eu acho que fui a única que não viu a Paris lá, 
- Pelo amor de Deus, não me diga que vocês só foram por causa dela. -disse Josh, Zayn deu de ombros e abriu a boca.
- Não estou nem aí pra ela, mas tive um dia de cão e precisava de um pouco de diversão.
- Quer dizer, finalmente você saiu da cama Zayn. -rimos. -Aliás, quantos eventos você já perdeu? 
- O Zayn não aparece nas festas pra não engravidar as garotas só de olhar pra elas. -disse Danny e ele riu. -Zayn Malik molhador de pepecas.
- Não tenho culpa de ser gostoso. -rimos e Harry lhe deu um empurrão.
- Mas você foi considerado o terceiro mais desejado do mundo, não o primeiro. -Louis riu. 
- Ai porra, depois dessa preciso de um cigarro. -respondeu com um sorriso fingindo que se importava.
- Vamos jogar pôquer Josh!-uma das garotas, Tifany, para ser mais exata, bateu nas pernas dele o provocando. -Amo quando jogamos. E seus amigos estão aqui. 
- Não estou nem um pouco afim, mas bem que você podia se jogar na piscina e molhar essa blusa branca gatinha. -respondeu e todos deram gritinhos de aprovação enquanto eu ria. 
- Só vou se eu perder de você, amor. -disse em tom de provocação. 
- Nem, eu prefiro ficar aqui e ver vocês dois brigarem e depois se pegarem. -riu Liam e Melissa concordou. 
- Como é que?-ela riu e Liam levantou as mãos fingindo não ter dito nada. -Tudo bem, me falem como está indo os preparativos da última turnê de vocês. -Liam soltou uma gargalhada alta.
- Ta falando que nem uma entrevistadora.
- Cala a boca idiota!-ela gargalhou e bebeu da garrafa do namorado.
- Como assim última turnê?- perguntei espantada. 
- 2020, SeuNome, o contrato de banda acaba, lembra?-eu realmente não estava muito preparada para aquilo. 
- Vocês...passaram tantas coisas...-falei meio anestesiada com a notícia.
- Tem razão. -Louis disse ao meu lado. -Mas não é totalmente o fim gatinha. -todos entraram em um silencio deprimente. 
- Ah não, não caras! -disse Niall. -Podem parar agora com essa palhaçada, sabem que bêbado eu fico um gay sentimental e vocês vão me fazer chorar!-riu acabando com aquele clima e alguns abraços começaram. Nunca imaginei aquela cena. 
- Você é sempre gay Niall, não só quando está bêbado. -Louis o empurrou.
- É mas ele também está sempre bêbado. -Liam gargalhou e caí na risada. Danny pegou a garrafa vazia de seu lado e colocou no chão, girando-a e ela parou nele. 
- Não aguento mais meu trabalho, sem brincadeira. -Danny disse.
- Ah não, eu sei o que está tentando fazer e pode parar!- Louis gritou numa voz fina. Danny o ignorou e girou novamente caindo na Melissa. 
- Na minha vida está tudo ótimo, estou fazendo um trabalho com uma revista nova esse mês. Aquela antiga nunca mais. 
- É, você estava muito gorda para aquela revista de moda né, lindinha?-provocou Tifany.
- Eles queriam que eu posasse nua!-rebateu Melissa de bom humor enquanto Zayn acendia um cigarro ao lado. Giraram a garrafa e caiu em mim, eu demorei para responder. 
- Vai SeuNome!
- Eu não sei como se joga isso. -Liam riu.
- A gente sempre faz isso. Fala como tá a sua vida, trabalho e etc. É tipo o que inventamos para falar as novidades já que é difícil a gente se reunir. -Exclamei um "ah". 
- As coisas vão...uhm bem e no trabalho...também. -sorri amarelo e Louis gargalhou. Girei a garrafa e caiu em outra pessoa. Parei de prestar atenção nas respostas quando percebi que Josh estava me olhando. Ignorei seu olhar mas depois de alguns minutos ali estava ele de novo. O interroguei com uma sobrancelha levantada e me lembrei do que Louis tinha me dito de manhã "Foi seu aniversário de 23 anos, você estava doidona, até dançou na mesa e se eu não segurasse ia acabar dando para o Josh". Na mensagem que recebi o cara assinava como "J", será que era o Josh? Aquilo tinha que fazer algum sentido. Eu queria bater minha própria cabeça numa parede mais próxima naquele momento, porque não me lembro de ter me sentido tão vadia antes. O jeito que ele estava me olhando, mesmo com a namorada ao lado entregava o jogo. 
- Josh!- disse fazendo o jogo parar. -Posso falar com você um minuto?

Todos ali estranharam meu pedido mas ele se levantou enquanto vi o jogo continuar, Louis nos olhou andar até o jardim mas depois voltou a se concentrar no jogo. Perto da piscina eu parei me certificando de que ninguém podia nos ouvir, eu queria socar ele e também socar a mim mesma. Ele me olhava em interrogação. 

- Olha, eu quero socar a sua cara com tanta força nesse momento que você nem imagina seu...
- Ei, ei, ei!-disse rápido. -O que é que te deu?
- Filho da puta, como você pôde ter alguma coisa comigo sendo que tem namorada? Sendo que eu tenho noivo e o amo?!- Josh riu.
- Tá louca SeuNome? O que você tomou? A gente não tem nada. -agora eu que ri.
- Não? Então que merda é essa? Você fica olhando daquele jeito pra mim na cara dura, me mandando mensagem pornô e...
- O quê?-franziu o rosto- Jeito? Que jeito?-puxou um salgadinho do meu cabelo. -Eu estava olhando isso e tentando te avisar que estava enroscado no seu cabelo! E que mensagem? 
- Eu...er...você não enviou nada?
- Não. -o olhei tentando intimida-lo. -Seja lá o que deu em você, eu tenho namorada e amo ela. Eu e você mal nos falamos, SeuNome. 
- Você jura?
- É claro! Você deveria saber né, ou perdeu a memória?- agora eu estava morrendo de vergonha. 
- Droga Josh, me desculpa. -ele balançou a cabeça. -Eu acho que bebi demais. -tentei concertar. -Por favor não conta essa loucura minha para o Louis, ok? -ele me mediu intrigado. 
- Ok. 

Ele se virou e voltou para a varanda se juntando aos outros e eu suspirei. Se não era o Josh, então quem era "J"? Podia ser qualquer um. Olhei novamente meu celular para me certificar que tinha mesmo recebido aquilo ou não era algo louco desse feitiço querendo me enlouquecer ainda mais. Ainda estava lá. Quer dizer que eu ainda era uma traíra. Sentei em uma das cadeiras de praia ali ao lado da piscina quando vi Melissa vir até a beira acompanhada pelos outros que acompanhavam o que ela ia fazer e então ela se jogou e eles gritaram em comemoração a provavelmente algum desafio que ela estava pagando. Depois eles me chamaram para que eu não ficasse sozinha e aceitei uma cerveja fingindo bom humor. Conversamos mais um pouco, Louis não me perguntou nada depois mas ele ficou meio estranho comigo. 
A noite acabou em risadas, selfies borradas, garrafas de cervejas, roupas pingando a água da piscina e conversas paralelas. 

[...]

Meus ouvidos latejaram ao som de um barulho irritante que só depois de pular e sentar na superfície macia da cama, eu identifiquei como uma buzina. Olhei em volta ainda nem um pouco acostumada com aquele meu enorme quarto. Aquilo tudo não foi um sonho, eu estava mesmo naquela vida. Pisquei e me estiquei rezando para não ser verdade que estavam buzinando na minha rua aquela hora da manhã. Olhei pela janela do quarto vendo um carro parado ali, e um homem de provavelmente uns trinta e poucos anos acenar com um sorriso animado, que eu retribui da janela com um aceno e um sorriso falso de cara inchada. Eu estava morrendo de sono. Fui fazer minhas higienes e coloquei uma roupa rapidamente, em seguida desci e saí de casa, a fechando e indo até o carro do homem.

- Oi, er..pois não? Posso ajudar?- ele me olhou confuso. 
- Olha a hora SeuNome, você sempre já está pronta quando venho te buscar. 
- Buscar para quê? 
- Para o trabalho, claro!-resmungou- Entra logo nesse carro. 
- Bill? -disse me lembrando de ontem. 
- Bateu a cabeça, foi, louca?- arregalei os olhos fazendo uma careta e entrei no carro. 

Eu trabalho, tinha até esquecido. Minha cabeça estava tão cheia e doída com tudo aquilo tão rápido, eu só queria poder dormir mais um pouco já que tinha ficado acordada até tarde ontem. No caminho eu perguntei se ele sempre vinha me buscar para o trabalho e ele respondeu que só na ultima semana por causa do meu carro no concerto. Eu tinha um carro então, que demais! Será que ele era como eu sempre quis? Conversível, com um motor ainda melhor que o do da Helena? Fiquei imaginando enquanto o cara começou a me metralhar com coisas sobre jornalismo e uma festa que eles iam dar em comemoração a alguma coisa que eu não entendi na revista que eu trabalhava. Isso aí, eu trabalhava numa revista de moda, isso é demais! 
Assim que chegamos e ele deixou o carro no estacionamento de funcionários seguimos para dentro do prédio, eu o segui e passamos por uma recepção com piso completamente encerado que eu quase tropecei, graças a Deus segurei em um homem engravatado me poupando de um vexame maior que aquele. Entramos no elevador com mais um monte de gente e eu tentei ficar de bico calado para não soltar alguma frase idiota como sempre faço. Quando chegamos finalmente a cobertura do prédio que mais parecia um salão que estava aparentemente sendo arrumado por dezenas de pessoas, atravessamos e Bill me disse que hoje as pessoas que se inscreveram iam ajudar a preparar o comitê. 

- Eu me inscrevi para ajudar no comitê?-ele confirmou. Eu devia estar dormindo, mas estava ali para ajudar a arrumar uma festa de trabalho. Essa SeuNome adulta gosta de sofrer viu, quanto mais descubro essa vida menos quero conhecer o que me tornei. 
- Ahm, tá. Mas sabe onde está a Helena? -Bill puxou o braço de uma moça ocupada como os outros ali e perguntou isso a ela. A mulher apontou para o lado de fora do salão e eu agradeci. Saindo pelas portas de vidro do salão havia ali a parte aberta da cobertura, que tinha uma visão linda do céu, as pessoas organizavam mesas, cadeiras, vasos, flores e decorações por tudo ali. Avistei Helena e me aproximei pegando umas flores e fingindo estar ajudando. 
- Ah oi, atrasada! 
- Esse é meu sobrenome, bem lembrado. -ela sorriu. 
- Bem que você podia lembrar de atender o celular na noite passada. 
- Fui em uma festa, desculpa.
- Eu sei, já está nos sites de fofoca. -fiz uma careta impressionada. Eles são rápidos. 
- Escuta Lena, você não acha estranho o Louis namorar uma jornalista?
- Você e ele nunca se importaram com isso, lembra?-riu como se eu fosse ridícula. -Nossa área é moda. 
- Eu sei. -Bill estava de longe fazendo um sinal pra mim parar de conversar e voltar ao trabalho. Aquilo estava lembrando a escola. Bufei e fingi estar ajudando. -Escuta, eu preciso falar com você sobre uma coisa. -ela parecia mal me ouvir. -A oito anos...o que aconteceu na noite do meu aniversario, você se lembra?
- Do que tá falando? Da gente beber um monte no meu telhado?-riu. -O que é que tem?
- Não, estou falando de um provável feitiço, magia ou sei lá que você me deu de aniversário. 
- Tá pirando, é? 
- SeuNome! SeuNome!-uma voz irritante se aproximava me tirando do raciocínio. -Tem uma moça no telefone dizendo que está atrasada para ir escolher os preparativos do seu casamento.
- Mas nem foi marcado ainda!
- É, eu sei mas pelo visto seu noivo marcou hoje de manhã. Estão me dizendo que será daqui a três semanas. -a moça de óculos disse e a Helena começou a dar pulinhos em volta de mim enquanto eu estava petrificada.  
- AHIN! Parabéns, parabéns SeuApelido! Você vai se casar!-olhei para a moça e para a Helena mal acreditando naquilo. Outras pessoas em volta também pareceram ouvir a novidade e começaram a me rodear distribuindo abraços e 'parabéns' de todos os lados.
- Então, a senhorita vem ou não? 
- Eu...er...
- Pode ir SeuNome, eu enrolo o Bill enquanto estiver fora e faço a sua parte no comitê. -disse feliz. 
- Sim mas eu queria conversar uma coisa muito importante com v...-antes que terminasse de falar a moça já me puxava dali e a Helena acenava. Droga, eu precisava fazer ela lembrar para me ajudar. Eu mal sabia se ia ficar nessa vida ou se ia voltar a ter 16, mas pelo visto teria que continuar nessa vida por um tempo. Passamos pelo salão e Bill nem nos viu sair. Na frente do prédio um táxi já estava esperando por nós. 
- Vou ter que remarcar a sua reunião das 2 horas e...-a moça disse bem na hora em que um cara passou por nós correndo e pegou a minha bolsa. Eu arregalei os olhos. O meu anel caríssimo de noivado estava lá. 
- Porra! Entra no táxi, rápido, rápido!-quase gritei empurrando-a para dentro do carro e gritando para o motorista dar partida rapidamente. -Corre moço, atrás daquele cara!-apontei pelo vidro o ladrão que corria pela calçada lotada com a minha bolsa. 
- Moça o transito tá difícil, tá achando que dá pra correr nessa fila?
- Escuta, meu anel de noivado está lá, eu não vou deixar roubarem!-gritei e entramos numa sinaleira. O ladrão estava fugindo. - Porra!-gritei- Olha eu vou chupar o seu pau inteiro se você alcançar aquele cara!- o cara ultrapassou os carros da fila passando no sinal vermelho e a garota do meu lado estava de boca aberta. Eu acompanhava o ladrão com os olhos. -Anda! Ele virou a esquerda! Vira a esquerda ou eu acabo com você!-o taxista deu um grito tentando me fazer parar de gritar e virou, logo o ladrão já estava mais perto do táxi do que eu imaginava. -Para o táxi!-berrei e ele deu uma freada parando o carro. -Ei, paga ele. -disse para a moça antes de abrir a porta e sair em disparada atrás do cara. 
- Para moça! É só uma bolsa!-o cara gritou ofegante e eu tirei um dos sapatos jogando contra ele. Quando o alcancei arranquei minha bolsa de suas mãos cansadas enquanto ele ofegava.
- Pensa melhor antes de tentar roubar alguma coisa de uma garota na TPM, imbecil. -suspirei cansada e o cara sumiu numa rua rapidamente. A moça saiu do táxi e veio até mim. 
- SeuNome, você ENLOUQUECEU? O que foi isso? O cara podia ter uma arma! 
- Eu...não sei, foi o calor do momento. -ri da situação. 
- Vamos, agora a gente tem que conseguir outro táxi!- balançou a cabeça negativamente e eu tentei fazer uma cara fofa. -Você é a namorada mais louca que um cara da 1D já teve. -riu- Que qualquer cara já teve.

CONTINUA...

Genteney essa garota é doidinha!
Sempre quis fazer uma personagem principal assim, acho que consegui. A história vai se desenrolar aos poucos, mas ainda vai ter um certo suspense por um tempo, eu sei que vocês querem me matar mas tudo bem. Vou acabar hoje atarde de editar o último capítulo enquanto tento faz uns trabalhos atrasados começar a nona temporada de Supernatural, mas alguém tá vendo? 
Até *-----*

5 comentários:

  1. Acho que não preciso dizer muita coisa sobre este capítulo, certo? Está perfeito como os anteriores. Continue, moça xoxo

    ResponderExcluir
  2. amei vc é diva, íncrivel ....Só uma coisinha tem como vc pedir para as outras postadoras atualizarem tbm?

    ResponderExcluir
  3. amei vc é diva, íncrivel ....Só uma coisinha tem como vc pedir para as outras postadoras atualizarem tbm?

    ResponderExcluir
  4. Amei vc é demais só uma perguntinha tem como pedir para as outras postadoras atualizarem suas fics?

    ResponderExcluir