Truly, Madly, Deeply - Capítulo IV

| | |
- Não é mulher, é Harry Styles



SeuNome P.O.V

- Você é a garota que estava com ele? - Assenti.
- Por mim eu não estaria naquele carro, eu tinha acabado de conhecê-lo e não estava muito afim de falar com ele. - Niall pediu para mim continuar. - Estávamos indo para o supermercado, e ele me ofereceu carona. Não aceitei, mas Louis insistiu tanto que acabei aceitando. Eu vi que tinha algo de errado no carro, mas Louis preferiu achar que era coisa de minha cabeça.
- Eu disse para Louis te escutar da próxima vez.
- Não vai ter próxima vez. - Ele me olhou confuso. - Quando Louis descobriu que foi sabotagem disse que não podíamos mais nos ver, para o meu próprio bem, mas também disse que eu estava me metendo muito na vida dele.
- Louis só está um pouco estressado. Sei que quando a poeira abaixar ele vai voltar a falar com você. - Sorri. Niall levantou-se e procurou algo em seu bolso. - Vou levar você para casa. Acho que deixei as chaves do meu carro na quarto quando vai pegar o seu curativo. Será que você pode me esperar por alguns minutinhos? - Dei um meio sorriso.
- Espero quanto tempo for necessário, não tenho pressa. - Ele sorriu.
- Volto logo!
      Niall subiu até seu quarto e eu fiquei o esperando sentada no sofá. Aproveitei para olhar um pouco mais a casa. Como disse, era bem simples para uma celebridade. Olhei os retratos grudados nas paredes cor branca da sala de estar, vi Niall, seu pai e provavelmente seu irmão. Os móveis estavam combinando com a pintura do local, branco e preto. Pelo visto Niall gosta de preto e branco. Vi a foto de um bebê perto de um vaso com flores. Segurando o bebê, estava Niall, com um enorme sorriso estampado no rosto.
      Coloquei a porta-retrato de volta no lugar e me sentei. Niall estava demorando um pouco, mas eu não estava nem um pouco apressada. Foi então que eu me lembrei que tinha marcado de ir até a casa de Liam. Peguei a minha bolsa e decidi subir atrás de Niall, mesmo estando com muita vergonha. Um, dois, três. Subi três degraus e parei assim que ouvi a porta do apartamento abrir. Era um homem no qual eu tinha a leve impressão de tê-lo visto em algum lugar. Me lembrei da foto da família de Niall, ele era certamente o pai de Niall. Sorri, mas infelizmente não fui correspondida.
- Quem é você? - Ele me perguntou um pouco irritado. - É mais uma das prostituas que Niall trás aqui?
- Eu não precisava saber disso. - Sussurrei. - Eu sou uma conhecida, Niall quase me atropelou mais cedo e me trouxe aqui para colocar um curativo em minha ferida. - Ele me olhou com desdém.
- Qual é o seu nome? - O homem me perguntou meio desconfiado, e eu tinha a estranha sensação de já tê-lo visto sem ser naquela foto.
- Me chamo SeuNome. Muito prazer! - Estiquei a mão para cumprimentá-lo, ele olhou para a minha mãe e apertou a mesma, me cumprimentando. - E você é?
- Sou Bob, pai do Niall. - Ele cruzou os braços, ainda me encarando. Sorri antes de respondê-lo.
- Percebi, vocês dois são muito parecidos. - Ouvi Niall descer assobiando e brincando com as chaves. Ao ver seu pai deu um sorriso torto e eu tive a estranha sensação de que ambos não se davam muito bem. Niall pegou a minha mão e me levou até a porta.
- Niall, precisamos conversar quando você voltar! É importante! - Bob segurou seu braço antes de sair. Niall puxou seu braço com brutalidade e virou-se para seu pai.
- Ao contrário de que eu não tenho nada para conversar com você. - O loiro fechou a porta severamente e me acompanhou até o saguão do prédio em que ele morava. Niall estava um pouco zangado.

Liam P.O.V

      Onde ela estava? Fazia mais de uma hora que eu estou a esperando e nada dessa menina aparecer. Já liguei para a polícia, para os bombeiros temendo o pior. Agora só faltava eu ligar para o FBI, aí pronto, o mundo estaria a procura de SeuNome Completo. Até onde ela me disse, esse é o nome dela. Andava de um lado para o outro com as mãos na cabeça. Ouvi meu celular tocar, alguém estava me ligando. O peguei apressadamente e vi que era SeuNome. Rapidamente atendi e quase tive um ataque ao ouvir a sua voz.
--Ligação On--
- Liam, desculpe a demora, eu tive alguns probleminhas. 
- Probleminhas? PROBLEMINHAS? Você sabe o quanto eu fiquei preocupado com você, garota? Estava quase ligando para o FBI ir te procurar. O que aconteceu com você?
- Quase fui atropelada... - Não a deixei terminar de falar.
- VOCÊ FOI O QUÊ? - Gritei. - EM QUE HOSPITAL VOCÊ ESTÁ? CORRE PERIGO DE VIDA? QUEBROU ALGUM OSSO? ESTÁ EM COMA?
- Se eu estivesse em coma não estaria falando com você. - Ela ironizou. - Eu estou bem, excerto pelo fato de que a ferida em minha cabeça ficou pior.
- Eu vou matar o desgraçado que quase te atropelou!
- Você vai matar Niall Horan? Duvido muito. - Fui até a cozinha, abri a geladeira e peguei uma garrafa d'água. - Espero que quando eu chegar os biscoitos ainda estejam quentinhos!
- Então é isso, né, desgraçada? Vem aqui em casa só por causa dos biscoitinhos que eu faço? Pois vou deixar de fazer essa porcaria a partir de hoje. Diga adeus aos seus preciosos biscoitos! - Brinquei e logo em seguida beberiquei a água que eu havia colocado em um copo.
- Tá pedindo pra ser espancado. - Ela entrou na brincadeira, me fazendo rir. - Voltando. Eu já estou chegando. Um beijo!
- Outro pra você, se quiser dou até dois.
--Ligação Off--
Niall P.O.V

      Deixei SeuNome na casa de Liam e me despedi. Não queria voltar para casa, meu pai queria falar comigo e eu não estava nem um pouco afim disso. Resolvi passear um pouco, eu precisava disso. Um passeio por uma praça não seria nada mal, mas estava com preguiça, então apenas estacionei o carro e peguei um dos livros que Eleanor havia me emprestado. Ela insistia que eu lesse, disse que se gosto de pensar muito e viver num mundo paralelo, eu poderia me sentir bem no mundo dos livros assim como eu me sinto bem pensando numa vida maravilhosa. Peguei novamente A Última Música, e me sentia incomodado sobre os comentários de Harry e Zayn sobre o livro ser de romance. Era legal, e eu não tinha vergonha de admitir que lia livros de romance, pois isso não define o que eu sou. Sei muito bem o que eu sou, não vai ser por causa da cor da minha blusa, o livro que estou lendo ou o estilo de música que irá dizer se eu sou gay ou não. Odeio quando a sociedade julga sem ao menos conhecer. Não tenho preconceito, afinal, não ligo para isso, cada um tem a sua vida e deve aproveitá-la do modo que quiser.
      Passei algumas horas dentro do carro lendo o livro, estava bem interessante. Percebi que escurecia, então coloquei o marcador na página que estava e guardei o livro no porta-luvas do carro, eu o levava para todo lugar que ia. Dei partida no carro e voltei para casa, e infelizmente teria que ouvir meu pai falar alguma coisa a respeito da SeuNome. Toda garota que eu levava para casa ele sismava em querer saber da vida dela, de onde veio, se é órfã ou algo do gênero. O estranho é que ele parou de fazer essas perguntas e dizer que precisava falar comigo, pelo menos até hoje. Guardei o carro na garagem do prédio e fui para o saguão onde cumprimentei com um sorriso para a recepcionista que quando podia dava em cima de mim. Peguei o elevador e apertei no botão para ir ao sexto andar. Quando cheguei, meu pai se encontrava sentado no sofá com uma cerveja na mão.
- Precisamos conversar. - Ele disse.
- Acho que você já me disse isso hoje. - Sorri sarcástico.
- Nialler é sério. - Ele se levantou, ficando parado e me encarando seriamente. Iria falar algo, mas ele me interrompeu. - Não, você não fez nada de errado. Pelo menos, até onde eu saiba... - Sussurrou.
- E o que você tem pra me falar. Oh, espera! 'Quem era ela? Tem namorado? A quanto tempo se conhecem? Qual é o nome dos pais dela? Onde mora? Ela é órfã ou é adotada?' - Ele me olhou mais sério, certamente estava zangado por eu estar zoando as suas perguntas. - Você nunca muda.
- Nem mesmo você. - Ele riu e olhou para mim. - Mas a questão não é essa, Niall.
- E o que você quer?
- Tenho apenas uma pergunta, já que não confio nela e pode ter mentido. Você dormiu com ela? - Ele perguntou um tanto desesperado, o que me fez ficar um pouco assustado, ele nunca fez essa pergunta.
- Não, eu apenas quase a atropelei e a trouxe para fazer um curativo na ferida dela. Porque a pergunta?
- A questão é que... Eu não quero você perto daquela garota.

SeuNome P.O.V

      O tempo passava muito rápido, parecia que quando eu piscava os olhos havia se passado o dia e a noite chegava. Fazia cerca de três dias desde quando Niall quase me atropelou. Ele não falou mais comigo, mas eu não me importava pois estava ansiosa demais esperando o resultado da prova que sairia semana que vem. Scott conversava comigo quando eu não estava ocupada, e acabamos tendo uma boa amizade desde então. Louis falava comigo de vez em quando, disse que estava com raiva e que não pensou direito quando falou todas aquelas coisas e me expulsou de sua casa. Eu apenas disse que estava tudo bem, e sempre que ele falava comigo parecia que ele se sentia envergonhado por causa daquele dia.
      Ultimamente estou tendo uma queda pelas flores. Sempre gostei, mas ao ver lindas flores numa floricultura acabei ficando mais encantada. Pesquisei sobre diversos tipos de flores, o que me fez amá-las mais ainda e sentir a imensa vontade de comprar algumas rosas para enfeitar o apartamento. Estava com algumas sacolas de comida, pois tinha acabado de comprar o que faltava antes de ter que ir fazer as compras do mês. Espero que ainda tenha flores maravilhosas como vi naquele dia, estava muito cheio e não decidi entrar. Atravessei a rua, indo diretamente para a floricultura quando senti alguém cutucando meu ombro. Olhei para trás e vi Scott sorridente.
- Como se sente sabendo que falta menos de uma semana para sabermos o resultado?
- Pra falar a verdade. Nervosa, muito nervosa. E você?
- Não estou muito nervoso, pois tenho certeza que tirei uma nota boa. - Ele ficou calado alguns segundos e depois me olhou desesperado. - Mentira, eu não tenho certeza nenhuma. Não sabia de quase nada naquela prova e tenho medo de não passar e ser um fracassado!
- Você não vai ser um fracassado. - Scott me olhou e deu um meio sorriso.
- Como pode ter tanta certeza assim?
- Você é um ótimo aluno pelo que pude ver naquele dia da prova, e tenho certeza de que você irá passar!
- Eu também tenho certeza de que você vai passar, você é muito boa! - Sorri. - Para onde estava indo?
- Na floricultura, decidi comprar algumas flores para o meu apartamento.
- Posso ajudar?
- Claro! Contando que não me faça passar vergonha...
- Assim você me magoa. - Rimos.
      Não havia muitas pessoas, e a flor que eu queria ainda estava ali, a minha espera. Sorri e pedi para Scott segurar as sacolas de compras enquanto procurava a única atendente livre. Ela era estranha, e parecia que eu já havia a visto em algum lugar. Usava uma peruca loira e uma maquiagem muito mal passada. Calça jeans e um sobretudo branco, realmente estava fazendo frio. Ao me ver, ela sorriu e eu pude ver as suas famosas covinhas. Mas que merda ele estava fazendo aqui?
- Harry? Harry Styles?
Continua...

Me desculpem a demora, tive muitas coisas para fazer e não consegui concluir o capítulo. Ficou pequeno, mas eu quis deixar a comédia para o próximo capítulo, e eu acho que vão gostar. Um beijo e até mais!

4 comentários:

  1. Ah mds,Harry? Kkkk
    NECESSITO do proximo capitulo
    continuaaa

    ResponderExcluir
  2. Kkkkkk ta pfct * - *
    Continua logo pk néh
    Nn demora pk senão eu até esqueço a sua fic

    ResponderExcluir