Somebody To Die For - Capítulo três

| | |

Capítulo três - Jogo Perigoso

SeuNome Darling P.O.V's

          A fogueira estava bem perto de mim, o que fazia suar mais que o normal. Minhas mãos estavam presas numa estaca, assim como o meu corpo também. Zayn tocava uma gaita enquanto os meninos dançavam diante a fogueira. Estava zangada comigo mesma, especialmente zangada com um menino perdido chamado Félix. Steve, ou Tagarela, não sei ainda como chamá-lo estava preso em outra jaula, a qual Niall e Louis estavam construindo. Eu ainda não falei com eles, mas ambos me olhavam com pena. Talvez eles não fossem tão cruéis como Zayn. A dança ridícula e o calor da fogueira estavam me incomodando. O nó dado nas cortas que prendiam as minhas mãos estavam muito forte e estavam machucando muito. Olhei para meus pulsos e eles estavam vermelhos, bem vermelhos. Senti algumas lágrimas caírem dos meus olhos, a dor era insuportável. Eu só queria voltar para casa e esquecer que tudo isso aconteceu comigo. Vi Cobin vir em minha direção, tentei não encará-lo, olhando para o lado oposto. Não queria conversar com ninguém, nem mesmo com alguém que aparenta ser tão simpático como Cobin. Ele se aproximou um pouco, mas ao perceber que eu estava com medo, se afastou.

Cobin: Está muito acochado? – Não o respondi. – Vou afrouxar um pouco.
Eu: Não. Não quero que Zayn o veja me ajudando.
Cobin: Não se preocupe comigo, sei me virar perfeitamente bem quando se trata do Malik. – Ele falava enquanto afrouxava as cordas, mas ao invés de afrouxá-las, ele me soltou. – Assim está bem melhor. – Ele sorriu, e eu o olhei com um olhar de pura confusão.
Eu: Não iria afrouxar as cordas?
Cobin: Iria, mas prefiro vê-la sem as cordas. Mas não pense em escapar, Zayn sente quando alguém some da ilha. – Ele pegou a minha mão e me levou até onde estava Louis e Niall. – Agradeça a eles, foram eles que me pediram para te soltar.
Eu: Obrigada mas...
Niall: Deixe de mentiras, Cobin. Confesse logo que ela está esquentando seu coração aos poucos. – Os dois riram, fazendo Cobin ficar um pouco vermelho. – Prazer, sou Niall.
Eu: SeuNome. – Sorri. – E você de ver Louis, estou certa?
Louis: Certíssima. – Ele pegou um banquinho e me pediu para sentar. – Deve estar cansada, ficar em pé durante horas não deve ter sido fácil. Não se preocupe, Zayn não fará nada com você enquanto estiver no acampamento.
Eu: Me sinto mais segura agora.
Niall: Perdoe os modos de Félix, ele acha que fazendo tal coisa é o melhor para a ilha.
Cobin: Ou então para tentar ser o preferido do Malik. Quer algo para beber ou comer, Darling? – Neguei. – Tem certeza? Parece que está faminta.
Eu: Não, eu estou perfeitamente bem. Sabe me dizer que horas são?
Louis: Uma coisa que tem que aprender sobre esta terra é que o tempo não passa. Pode ficar de noite e de dia, mas o tempo nunca irá passar. Enquanto estiver aqui, não vai envelhecer.
Eu: Esse é um dos motivos do Zayn viver aqui?
Cobin: Não, o motivo de Zayn querer estar aqui é um passado torturante para ele.
Eu: Ele certamente não vai querer que eu fique sabendo.
Niall: E ele ter contado para nós foi um milagre. Somente os mais chegados a Zayn sabe do seu segredo.
Eu: Não deveriam estar comentando sobre isso comigo. Não quero vê-los machucados se fizerem algo que o Zayn certamente não gostaria que fizessem.
Cobin: Você é muito insegura, precisa ter mais confiança em nós e até mesmo em você mesma. Se estamos lhe contando é porque sabemos que Zayn não fará nada conosco.
Eu: Como assim tenho que ter mais confiança em mim mesma? O que vocês estão aprontando? – Eles se entreolharam o que me fez ficar um pouco zangada. Eles certamente sabem que essa conversa está sendo bem estranha para mim e devem estar zoando com a minha cara.
Louis: Você acredita, mas desde que chegou não libera essa sua crença.
Eu: Desculpe, mas eu não estou entendendo. – Niall revirou os olhos.
Niall: O que estamos tentando te dizer era que você podia ter se soltado ou afrouxado as cordas sozinha. Este lugar é movido pela imaginação, basta acreditar. – Eu pisquei algumas vezes e ele veio até mim, abraçando-me de lado com um sorriso no rosto. – Pense em algo no qual você desejaria comer? – Fechei os meus olhos e imaginei um delicioso pedaço de um bolo de chocolate da minha mãe. Niall estendeu a minha mão e eu abri os olhos. Quando fiz isso, uma luz apareceu da mesma e o pedaço do bolo que imaginei estava ali, bem na minha mão. – Você pode comer quantos pedaços de bolo quiser e não ter dor de barriga o mesmo você podia fazer com as cordas.
Eu: E se eu desejar sair daqui? Eu irei sair?
Louis: Isso só quem poderá te responder é o Malik. – Voltei a encarar Zayn, ele ainda tocava aquela gaita e os meninos continuavam a dançar ao redor da fogueira. Encarei Steve, ele se encontrava preso e eu sentia pena dele. Fiquei em silêncio por alguns minutos e finalmente me atrevi em perguntar.
Eu: Ele vai ficar bem? – Louis olhou para onde eu apontava e logo depois olhou para Liam que se aproximava de nós com um prato de comida e um copo. Ele me entregou, e eu o peguei e comi, mesmo não estando com fome.
Louis: A Darling quer saber sobre Tagarela, será que deveríamos contá-la a verdade?
Liam: Uma hora ou outra ela vai ficar sabendo mesmo. – Liam sentou-se conosco e olhou pra mim. – Ele vai morrer.
Eu: Morrer? O que ele fez para vocês simplesmente quererem matá-lo?
Niall: Nós não vamos matá-lo! – Ele encarou os garotos. – Ele está sobre o efeito de Sonho Sombrio, uma planta venenosa daqui da ilha. E infelizmente, não podemos fazer nada para salvá-lo.
Eu: Não existe nenhuma cura para esse veneno?
Cobin: Infelizmente não. – Voltei a ficar em silêncio e reparei que o céu começava a ficar mais claro, estava amanhecendo. – Não está acostumada passar a noite acordada?
Eu: O quê?
Liam: Parece que você não dorme há dias. – Ele riu.

          Os dias se passavam rapiadamente, e eu perdia as esperanças de voltar para casa. Não fazia absolutamente nada naquele acampamento, e Zayn parecia notar isso pois começou a me ensinar a lutar de espada. Não podia sair do acampamento, e se quisesse, alguém teria que ir comigo caso eu queira fugir. Zayn é mais malvado do que pensei. Durante esses dias, o vi maltratando os meninos especialmente os mais novos que aparentavam ter oito anos de idade, talvez menos. Félix não ia com a minha cara e nem eu com a dele. Sempre que ele me vigiava, acabávamos brigando e um de nós dois saíamos machucados. Malik estava me ensinando bem, já que eu conseguia ferir um pouco Félix que era um ótimo espadachim. Pelas minhas contas, fazia exatamente uma semana e meia que estava aqui, e nada me agradava. Cobin demonstrava ser igual a Zayn, mas quando estava comigo era um doce de pessoa. Tagarela ou Steve ficava cada vez mais fraco, e eu não podia fazer absolutamente mais nada para diminuir seu sofrimento ou a dor que ele sentia. O local que ele foi atingido pelo veneno foi na costela, e ao redor do arranhão estava ficando preto, como se algo horrível estivesse o comendo por dentro. Nesse momento eu me encontrava sentada encostada numa árvore, encarando o chão e vendo os garotos se divertirem e conversarem entre si. Pela posição do sol, era quase meio dia e meu estômago implorava por comida. Desde ontem que eu não comia absolutamente nada e era possível notar que eu perdi alguns quilos. Eu finalmente entendi o motivo de chamarem Steve de Tagarela, o garoto não parava de falar por nenhum segundo, até mesmo estando prestes a morrer ele era incrivelmente falante. Me levantei e peguei um arco, Liam estava me ensinando a usá-lo, e eu diria que não era tão difícil assim como parecia. Antes que pudesse pegar uma flecha e atirar numa maçã que me parecia estar deliciosa, Zayn tomou o arco de minha mão e sorriu.

Eu: Acho que eu peguei essa coisa primeiro. – Ele sorriu e atirou na maçã. Bufei quando ele foi pegar a maçã e a mordeu. Eu queria comê-la e parece que até mesmo isso ele não me deixaria fazer.
Zayn: O que acha de brincarmos um pouco?
Eu: Acho que isso é uma coisa que você está fazendo. Vai me dizer que você ainda brinca?!
Zayn: Você parece estar um pouco entediada, achei que uma brincadeira poderia alegrar o seu dia.
Eu: Você é um garoto bem observador.
Zayn: Tenho que ser, né? Não é fácil ser bonito e ainda ter que lutar contra piratas que querem ver a minha cabeça como enfeite de parede. – Ri, e o mesmo pareceu se divertir com isso.
Eu: Dá até pra imaginar o motivo deles quererem a sua cabeça.
Zayn: Até porque você imagina muito. – Ele deu de ombros e subiu em uma pedra, chamando a atenção dos adolescentes e crianças que estavam em seu acampamento. – Venham meninos! Vamos brincar!

[...]

Eu: Não estou com um bom pressentimento sobre essa brincadeira, Harry.
Harry: E não é para ter, eu conheço muito bem o Malik e as brincadeiras dele sempre saí alguém ferido ou então pode colocar alguém na beira da morte.
Liam: E ele estar segurando um arco não me dá esperanças de que essa brincadeira vai ser divertida. Pelo menos, não será divertida para mim.
Niall: Já faz meia hora que ele disse que iriamos brincar e até agora nada. – Niall disse vindo se escorar na árvore comigo, Harry e Liam. – Porque estão com essas caras de preocupados? Relaxem! Zayn sabe muito bem o que está fazendo, e creio que será uma brincadeira bem divertida.
Eu: Infelizmente tenho que te dizer que as nossas opiniões são completamente o oposto da sua.
Niall: Você tem medo? Olha, me desculpa mas medo é uma coisa que não existe no vocabulário dessa ilha já faz um bom tempo, deveria estudar mais o nosso dicionário.
Eu: Desculpa mas eu prefiro continuar com o meu. – Suspirei. – Que brincadeira é essa?
Harry: Isso me cheira a encrenca.
Liam: Não só encrenca, como também muita confusão. Não boto fé de que isso vai ser tranquilo.
Niall: Ouvi dizer que o Malik vai pedir para o menino menos experiente em arco e flecha para atirar contra ele, além de ser uma brincadeira divertida para os outros é um modo de treinamento para o novo recruta.
Zayn: E você está completamente certo, Horan. – Zayn disse vindo em nossa direção, com um meio sorriso no rosto e satisfeito consigo mesmo. Ele estava muito confiante de que essa brincadeira sairia muito bem sucedida. – Sei que está preocupada, SeuNome, mas aqui é o lugar onde tudo é possível.
Eu: E eu posso saber o motivo de você inventar essa brincadeira do nada? – Ele sorriu, admito, seu sorriso era muito lindo e acho que ele sabia sobre a minha opinião.
Zayn: Para você conhecer melhor como são as coisas por aqui. Não é só tédio, pode ter certeza.
Eu: Já tenho provas o suficiente para saber que não é só tédio, todas as noites tem festa e me impressiona não ter bebidas.
Zayn: Bebidas são para adultos, e aqui é um lugar para crianças.
Eu: Me referia a sucos não bebidas alcoólicas.
Harry: Depois sou eu que penso besteira. – Os garotos riram.
Eu: E eu estou zangada com você, Malik.
Zayn: O que foi que eu fiz dessa vez? Puxei seu pé enquanto dormia? Ah, esqueci! Você não consegue mais dormir, me desculpe por isso.
Eu: Você comeu a minha maçã! – Ele deu de ombros. Mas que mania!
Zayn: Não seja por isso. – Ele pegou a minha mão e a segurou por alguns segundos, logo apareceu uma maçã bem vermelhinha. – Aproveite a maçã! Bem, a brincadeira vai ser o seguinte: Irei dar este arco ao garoto mais novo entre nós, nesse caso é o Bob. – Zayn entregou o arco para um garotinho que aparentava ter seis anos de idade, a idade de Michael. Fiquei um pouco triste ao lembrar de meus irmãos. – Você terá que tentar me acertar, e caso não consiga, não fique triste, você terá muitas chances até um dia acertar no nosso pior inimigo, Capitão Gancho. – Alguns meninos gritaram e aplaudiram Zayn enquanto eu apenas olhava aquilo e achava um absurdo.
Cobin: Eu achei que seria mais divertido. – Ele cochichou em meu ouvido.
Zayn: Se me deixasse terminar de explicar, caro Cobin. – Ele sorriu, seu sorriso aparentava ser um pouco maldoso. – As flechas estão molhadas com Sonho Sombrio, e como vocês sabem, apenas um arranhão já pode fazer um belo de um estrago enquanto a vítima tem uma morte lenta e dolorosa.
Eu: Isso já está passando dos limites! Ele pode morrer!
Liam: É, ele pode. Mas se Zayn quer fazer isso não podemos fazer mais nada, quando ele toma uma decisão, é difícil convencê-lo à mudar de ideia.
Harry: Lhe aconselho a deixar quieto e assistir, quem sabe ele não é arranhado pela flecha. – Dei um tapa em sua cabeça. – Ai! Okay, já entendi, você gosta dele.
Eu: O quê? Está me estranhando, Styles?
Harry: Como sabe meu sobrenome? – Eu sorri, assim como ele sorria para mim quando eu perguntava como tal coisa era possível.
Eu: Foi você que disse que tudo aqui era possível. Pensei em saber mais sobre você e descobri tudo sobre você. Que feio, Styles! Aquela garota não merecia ter sido enganada daquele jeito.
Harry: Menina, esta ilha está mexendo com a sua cabeça, está ficando igual a nós, está mais malvada.
Eu: O que posso fazer? Vocês são contagiosos. E... Niall? – Ele me encarou.
Niall: Me chamou? – Assenti. – O que foi?
Eu: Você precisa de um banho urgentemente! – Disse tampando o nariz, o que fez os meninos rirem e Niall ficar um pouco zangado. Vi o garotinho pegar a flecha completamente molhada por Sonho Sombrio e senti meu coração acelerar, se ele errasse, alguém poderia ser atingido.
Steve: Ah, Zayn, queria dizer uma coisa.
Zayn: Fale logo antes que eu perca a paciência com você!
Steve: Se você morrer, ficarei muito feliz em lhe encontrar no inferno. – Ele riu, e vi que Zayn estava um pouco zangado, e quando o Malik ficava zangado eu tinha medo dele.
Zayn: Infelizmente eu não posso dizer o mesmo sobre você. Está pronto Bob?

          O garotinho apenas assentiu com a cabeça, e um milhão de coisas vieram a minha mente quando ele colocou a flecha no arco. Zayn Malik era um garoto sombrio, maldoso e parecia bem maduro. Ele escondia um segredo, um segredo que certamente o faria cair no chão caso alguém o dissesse em sua frente, e dava para perceber isso. Uma vez eu estava o seguindo e encontrei a árvore no qual tanto falavam que não podiam cortar. Eu o vi lá, chorando e se perguntado o que tinha feito de errado. Minha mente se acalmou um pouco, certamente era apenas para mim ver o garoto atirar a flecha. Parecia que estava em câmera lenta. A flecha molhada com um veneno mortal estava indo em direção ao Malik e, quando eu menos espero, ele segurou a flecha com apenas uma mão e o impressionante disso tudo: ele não havia se arranhado. A flecha estava próxima ao seu peito, próximo o bastante para perfurá-lo. Engoli em seco e senti meu coração bater mais forte. Os meninos perdidos gritavam e Zayn sorria orgulhoso de si mesmo. Ele olhou para mim, e seus olhos pareciam dizer que ele estava certo. Tudo correu bem e que ninguém sairia machucado. Engoli em seco novamente e a minha respiração estava ofegante. Esse lugar era maluco, ou melhor, ele era maluco. Me sentei, e o medo foi aos poucos passando, logo estaria calma novamente. Ele colocou a flecha de volta na aljava, e o garotinho pareceu feliz por não ter matado o líder daquele acampamento. Enquanto a mim? Eu ainda estava apavorada com tamanha maluquice daqueles meninos. Eu me achava maluca até ser trazida para esse lugar. E por falar em ser trazida para cá, fazia tempo que eu não via mais aquela sombra.

[Um dia depois...]

Louis: Darling, poderia me dizer em que anos nós estamos?
Eu: Olha, até onde eu me lembre estamos no ano 1911. – Ele assentiu enquanto me ajudava a carregar um balde cheio d'água. Eu estava começando a gostar daqui, mas isso não significava que eu não queira mais voltar para casa. Colocamos o balde perto da árvore onde Malik certamente morava.
Louis: Então faz ou vai fazer exatamente cem anos que fui abandonado pelo meu pai. – O encarei assustada.
Eu: Cem anos? Louis quantos anos você tem?
Louis: Olha, pelas contas eu tenho uns 122 anos, e se não fosse a Terra do Nunca, estaria morto agora. – Ele sorriu enquanto se sentava no chão. Louis estava suado, e devo dizer, ele estava um pouco fedorento. – Por isso que eu gosto daqui. Serei eternamente jovem e não preciso ter responsabilidades.
Eu: Desculpe a pergunta, mas você já pensou em sair da ilha e construir uma família?
Louis: Fazer uma família só vai me trazer dor de cabeça. Obrigada por perguntar mas eu estou perfeitamente bem aqui.
Eu: Desculpe se te chateei ou algo assim. É que... Geralmente garotos da sua idade... Quer dizer, que tem a idade que você aparenta ter começam a construir uma família, e eu acho isso fofo.
Louis: Você quer construir uma família? – Corei, acho que até demais.
Eu: Bem... Quem sabe um dia, isso se eu conseguir sair daqui.
Louis: Boa sorte então! – Ele pegou um chapéu e colocou no rosto, certamente iria tirar um cochilo.
Eu: Vou precisar de toda a sorte que tiver. – Me levantei e decidi sair um pouco do acampamento. Creio que ninguém iria notar. Peguei uma trilha e fui andando em direção reta, assim eu teria poucas chances de me perder. Tomei cuidado com as plantas com espinhos, elas estavam molhadas com o veneno que me fez ter trauma desde a brincadeirinha sem graça que Zayn fez. Ouvi um barulho e achei que fosse um dos meninos perdidos que havia notado que eu saí. Sem que pudesse me mover, sou puxada para o meio do mato e acabo caindo no garoto. Iria me preparar para reclamar, foi quando vi que o garoto era Cobin.
Cobin: Já estava pensando em fugir?
Eu: Não, eu não sou louca em sair sabendo que Zayn tem o total controle da ilha. – Me levantei, o ajudando logo em seguida. – O que estava fazendo?
Cobin: Vi você sair do acampamento e resolvi te seguir, mas acabei pisando num galho e chamando a sua atenção e então tive que te puxar para não sair correndo e se perder pela ilha.
Eu: Parecia que estava me espionando.
Cobin: Até que não é uma má ideia. – Dei um leve tapa em sua cabeça. – Bem, não sei se você confia em mim, mas confiando ou não eu vou te levar. – O encarei confusa. – Quero te mostrar algo.
Eu: E quem disse que eu vou com você?
Cobin: Já vi que eu vou ter que te sequestrar. Olha, te dou uma chance. Você vem ou eu vou ter que te levar na brutalidade? – Não o respondi, Cobin estava demonstrando ser pior que Zayn com esse papo de me sequestrar. Ele revirou os olhos e me pegou, colocando-me em seus ombros enquanto eu me debatia.
Eu: Me solta agora!
Cobin: Não até você ver o que eu tenho para lhe mostrar.
Eu: Vou ficar de olhos fechados então. – Eu fechei meus olhos, o que foi inútil já que eles instantaneamente se abriram. – Para de desejar que eu fique de olhos abertos!
Cobin: Então fique de olhos abertos. – Ele suspirou. – Não se assuste com a multidão que vai te acompanhar agora, gostamos muito de você e estamos te levando pra muito longe do acampamento pra você realizar um sonho. Somos ou não somos os melhores amigos que você já teve?
Eu: Do que é que você tá falando? – Ele me colocou no chão e eu vi Liam, Harry, Niall e... Louis em minha frente. – Como você chegou aqui tão rápido?
Louis: Imaginação. Sabe, algumas vezes você esquece que esse lugar é mágico.
Eu: Tá bom. Mas o que os cinco meninos perdidos estão aprontando? Zayn está sabendo disso?
Niall: Bem, vamos te levar até a praia, o que vai ser um pouco perigoso. E não, eu acho que o Zayn não sabe da nossa mini fuga para lhe mostrar as sereias.
Eu: Sereias? Mas vocês me disseram que...
Liam: E não é mentira. As sereias são criaturas demoníacas no qual quando atraem um marujo para o fundo do mar a última coisa que você vê boiando são os ossos e as roupas.
Eu: Que horror! – Harry tocou em meu ombro.
Harry: Mas fizemos um acordo e elas aceitaram conhecer você sem que tenha mortes, sangue e batalha. Mas infelizmente não posso dizer o mesmo do Capitão Gancho.
Eu: Em minhas histórias, ele era o vilão.
Niall: Não vou te esconder nada. Mas fomos nós que começamos essa guerra com o Capitão. Malik não queria que ele habitasse a Terra do Nunca e até hoje eles brigam para um expulsar o outro.
Eu: Então vocês são os vilões?
Cobin: Quase isso. Bem, vamos logo pois as sereias não vão esperar por muito tempo.

Continua...
É melhor vocês irem aproveitando enquanto está tudo na boa e feliz. Pois os perigos vão começar a partir do próximo capítulo, onde terá uma pequena batalha e você  vai para um lugar bem distante do acampamento do Zayn. Mas acho que estou dando spoilers demais. E provavelmente, será bem provável que vocês possam ir para uma outra dimensão. Olha aí, eu dando mais um spoiler para vocês.
Esse foi o maior capítulo do long até agora, e eu estou adorando escrever o long. Já tenho várias ideias e posso dizer que até o último capítulo tenho tudo pronto. E eu espero que esteja agradando vocês.
 Também queria agradecer aos comentários de vocês, ainda não tive tempo de respondê-los, e se der, irie respondê-los hoje mesmo.
Gente! Vou logo dizendo que vai entrar um personagem na long que vai fazer vocês suspirarem, mas também vai fazer vocês rirem um pouco. E eu estou mais que feliz, pois ontem (já que são quase uma hora da manhã eu tenho que falar ontem) lançou o filme que eu tanto esperei, contei os dias para a estreia, quase tive sérios ataques quando saía um clip do filme, cena vazada ou trailer novo. Sabe que filme é? Como Treinar o Seu Dragão 2 
Acho que eu conversei demais com vocês.
Muito obrigada por estarem acompanhando, isso me faz ter vontade de escrever.
Um grande abraço, fiquem bem! 
 

5 comentários:

  1. Sté, adorei o capítulo ♥♥♥♥
    O Zayn é maluco, eu tava torcendo pra flecha acertar ele kkkkk.
    Mas graças a Deus nada aconteceu!
    Você parou na melhor parte. Amo sereias ♥ Eu sou a Ariel ♥
    Eu também surtei porquê saiu Como Teinar Seu Dragão2 e vou surtar ainda mais quando a minha mãe estiver perto, assim ela me leva para assistir.
    Continua, minha little dreamer ♥ Amo você.

    ResponderExcluir
  2. Tipo assim , o Zayn é meio louco ? Tem problemas mentais ? Ou algo do tipo ?
    Estou amando o Long ♥

    ResponderExcluir
  3. Espero que o Cobain me salve desses perigos já que ele é o mais doce comigo, e eu acho que o capitão gancho do Once upon a time podia aparecer pq mds que homem kk Enfim continua cara tá muito legal e estou curio
    sa
    xoxo Duda

    ResponderExcluir