Somebody To Die For - Capítulo dois

| | |
Capítulo dois - Meninos Perdidos

Voice's SeuNome Darling

          Acordei sentindo alguns raios de sol em meus olhos, os abri, e percebi que não estava tão claro. Olhei em volta, não era a minha casa. Parecia uma árvore. Me levantei da cama e fiquei olhando o local. Toquei na parede, era madeira. Me belisquei, eu não estava sonhando. Minhas roupas estavam um pouco molhadas, e então eu me lembrei do que havia acontecido ontem à noite. Aquela sombra havia me levado, me levado pra longe de casa. Seja lá onde eu estivesse eu queria ir embora. Já estava de manhã, e se minha mãe descobrisse que eu sumi iria ficar bastante preocupada, não quero vê-la se preocupando. Não havia janelas, e não se parecia com uma casa. Ouvi passos, me deitei novamente na cama e vi um garoto.

XXX: Não disfarça, eu sei que está acordada.
Eu: Onde eu estou? – Me levantei um pouco e o encarei. Ele parecia ser um pouco mais velho que eu, e seu rosto não me parecia ser nada simpático. Engoli em seco ao encarar seus olhos sombrios.
XXX: Está na Terra do Nunca. Ah, espero que tenha gostado do improviso. Não temos casas então improvisamos uma pequena moradia para você numa árvore.
Eu: Foi bem inteligente. – Olhei ao meu redor. – Quem é você?
XXX: Ah, eu deveria ter me apresentado. Eu sou Zayn, Zayn Malik. – Não sei o que aconteceu, mas ouvi-lo dizer seu nome me causou um arrepio. Ignorei e voltei a encara-lo. – Perdoe minha sombra, foi um engano ter de trazido para cá.
Eu: Ah, a sombra era sua? – Ele assentiu. – Nunca ouvi falar em Terra do Nunca. É alguma ilha escondida? – Zayn riu, e eu não entendia o motivo de sua risada. – Falei algo engraçado?
Zayn: Não. É que a Terra do Nunca fica em outra dimensão. Um dia entenderá o que estou falando. Como se sente, SeuNome?
Eu: Como sabe o meu nome? Eu nunca te disse. – Ele deu um sorriso.
Zayn: Eu sei de muitas coisas. Sei que tem dois irmãos, John e Michael. Sei que seus pais trabalham muito, mas ainda assim acredita que são uma família feliz.
Eu: Como sabe dessas coisas? Nem conheço você direito, como pode saber tanto assim de mim?
Zayn: Esta ilha é movida pela imaginação. Consegui descobrir quem você é apenas tentando imaginar a sua história. Devo confessar que não me decepcionou.
Eu: Quero ir para casa. Pode me levar?
Zayn: Infelizmente eu não posso. Deverá ficar um tempo aqui. Não se preocupe, você irá gostar daqui, especialmente dos meninos.
Eu: Não acho uma boa ideia uma garota estar no meio de meninos.
Zayn: Relaxe, são crianças.
Eu: O que crianças estariam fazendo aqui? – Zayn sentou na cama, ao meu lado enquanto me encarava.
Zayn: São crianças abandonadas ou se sentem abandonadas. As prometo uma vida melhor se vierem comigo, e como pode ver, eu não descumpro as minhas promessas.
Eu: Não conheço esta terra ainda para poder dizer que você cumpre as suas promessas.
Zayn: Nós podemos mudar isso agora. – Ele esticou a mão e sorriu. Ele tinha um belo sorriso.
Eu: Como posso confiar em você?
Zayn: Não pode. – O encarei. – Mas é a única opção que você tem.

          Revirei os olhos antes de segurar a sua mão e ele me ajudar a levantar. Subimos uma pequena escada, o que significava que eu estava em baixo da terra. O lugar parecia ser calmo, e eu gostava disso. Algumas árvores eram estranhas outras eram bem normais, o que fazia o lugar ser mais perfeito. Zayn me levou até um acampamento, não muito longe da árvore em que eu estava. Tinha vários meninos, crianças e adolescentes. Achei estranho o fato de não ter meninas, mas não falei nada. Um garoto me encarava desde o momento que cheguei no acampamento. Ele tinha cabelos castanhos e lindos olhos verdes, ao seu lado, estava um garoto com lindos cachos castanhos e assim como ele, encantadores olhos verdes. Zayn me levou até eles e cumprimentou ambos. 

Zayn: SeuNome, este é Cobin. – Apontou para o garoto que me encarava. – E este é Harry.
Eu: É um prazer conhece-los. – Sorri. – Cobin? É um nome estranho para mim.
Cobin: Cobin é meu apelido, meu nome mesmo é Joseph, mas eu definitivamente odeio esse nome me faz lembrar do passado que eu tive. – Me sentei ao seu lado, o encarando.
Eu: Conte-me o que aconteceu, se não se importar, é claro.
Cobin: Meu pai me vendeu quando era pequeno. – Arregalei os olhos. – E pra quem ele me vendeu, me maltratou até eu ter meus dezoito anos. Quando já não tinha mais esperanças, encontrei Zayn e ele me trouxe para cá.
Harry: Você não gosta de contar essa história. Não sei como foi tão pacífico quando ela pediu. – Harry riu. – Prazer SeuNome. Você é de onde?
Eu: Londres.
Harry: Sério? Sou de Cheshire, já esteve lá?
Eu: Meus pais sim, eu nunca saí de Londres. – Zayn se juntou a conversa.
Zayn: Antes de vir pra cá eu era de Bradford. Já faz muito tempo que não vou aquela cidade, me traz lembranças ruins.
Eu: O que aconteceu com você?
Zayn: Não quero comentar. – Assenti. – Você me parece bem nova, quantos anos tem?
Eu: Tenho dezessete. – Olhei em minha volta, os garotos pareciam ser bem felizes naquele lugar, mas seus olhares não negavam, eu via sofrimento. – Seria muito incomodo se eu perguntasse o motivo de não ter meninas?
XXX: Não gostamos muito de meninas. E por incrível que pareça você é a primeira menina a pisar dessa ilha, e tudo por um engano. – Olhei para trás, um menino de cabelos castanhos assim como os seus olhos disse. – Sou Liam.
Eu: SeuNome, SeuNome Darling. – Sorri amigavelmente.
Zayn: Liam é o meu melhor amigo, creio que você irá gostar dele com o passar do tempo.
Harry: Quando diz ‘gostar’, a que tipo de ‘gostar’ você está se referindo? – Harry dizia enquanto fazia aspas com os dedos. O modo como ele dizia me fez ficar um pouco corada.
Zayn: Digo o gostar do mesmo modo que eu gosto de você. – Zayn o respondeu. – Para mim não existe o outro gostar. – Deu uns tapinhas no ombro de Harry e veio até mim. – Tenho que resolver algumas coisas, deixarei você nas mãos competentes... deles.
Cobin: Ele vai para aquela árvore.
Liam: Deveríamos cortar aquela árvore. – Eles falavam entre si, como se eu não estivesse ali. – Acha que seria uma boa ideia cortar aquela árvore?
Harry: Se cortar a árvore ele tirará a sua sombra e... e você sabe o que acontece depois.
Eu: Que árvore é essa que vocês estão falando? – Os três garotos me encararam e Harry veio até mim, me abraçou de lado e começou a caminhar comigo. – Para onde está me levando?
Harry: Quero que você conheça o Louis e o Niall, eles são bem legais. E sabe o outro gostar que eu falei? – Assenti. – Aconselho a usar aquele gostar no Niall. – Apontou para um garoto loiro que estava ajudando outro garoto à construir alguma coisa.
Eu: Devo admitir que ele não é de se jogar fora. – Harry riu.
Harry: Você é uma menina bastante atrevida. – Ele apertou as minhas bochechas, as fazendo ficar um pouco vermelhas. – Nossa, você fica vermelha tão fácil.
Eu: E você é um completo estranho. – Dei uns tapinhas em sua mão para ele parar de apertar as minhas bochechas. – Pare, está doendo!
Harry: Desculpa. Ei, tenho que fazer algumas coisas. Se importa de eu te deixar sozinha por um tempo? Assim você pode conhecer melhor o acampamento e até a ilha. – Ele pegou algo do bolso da camisa um pouco rasgada e me deu, era um papel. – Caso se perca, aí está o mapa. Mas você só pode vê-lo se aceitar quem realmente é.
Eu: Espera, eu não... - Não consegui dizer, ele já havia ido embora. - ... Entendi.

         Abri o papel, não tinha absolutamente nada. Eu tinha que aceitar quem eu era, mas, quem sou eu? Até onde eu sei, me chamo SeuNome Darling, moro em Londres e tenho dois irmãos que amo muito. Guardei o mapa no bolso da minha camisola e fiquei olhando os meninos. Eles suavam arcos, flechas e facas. Que tipo de pessoa daria isso para uma criança? Fiquei andando, e vi que fazia pouco tempo que o sol havia nascido. Ainda tinha um pouco de fumaça na fogueira. Me sentei e Cobin veio até mim com um copo de água. Ele me deu, disse que parecia que eu estava com sede. Agradeci e ele foi até onde o tal Niall e Louis estavam. Percebi o que estavam construindo, parecia um tipo de gaiola feita de bambu. Talvez fosse usado para capturar algum animal, ou então Zayn prendia alguém que se comportava mal. Seja lá para o que fosse, seria muito útil. Zayn me disse que esta terra é movida pela imaginação, e se ele quiser, ele pode imaginar que essa gaiola seja a mais forte de todas, e ela será. Um garoto encapuzado veio até mim, fiquei um pouco assustada, ele era estranho.

XXX: Nova pro aqui, não é? – Não o respondi. – Ouvi dizer que foi encontrada no mar. – Continuei sem responde-lo. – Acho que deveria me apresentar. Sou Félix, muito prazer.
Eu: SeuNome, SeuNome Darling. – O cumprimentei.
Félix: Você parece ser uma garota desconfiada. Cuidado, se Zayn descobre isso eu não sei o que ele poderia fazer com você. – Ignorei seu comentário, esse garoto me dava medo.
Eu: Não ficarei por muito tempo, Zayn disse que em breve poderei voltar pra casa.
Félix: Casa? Zayn só pode estar ficando louco.
Eu: Desculpe, do que está falando?
Félix: Não é o estilo do Zayn deixar alguém que pisa nessa ilha ir embora assim sem mais nem menos. Geralmente ele prende você aqui e se for útil, você fica, se não, ele manda ir embora.
Eu: Acho que estamos falando de Zayn’s diferentes.
Félix: Só existe um Zayn nessa ilha, o único que eu conheço.
Eu: Podemos mudar de assunto? Mão estou me sentindo muito confortável com esse papo, assim como esse capuz que cobre o seu rosto. – Ele tirou seu capuz, revelando seu rosto. Cabelos lisos e loiros, e em seu rosto havia cicatrizes, ele certamente participou de uma batalha ou algo do gênero.
Félix: Tem um amigo meu preso numa dessas jaulas que você viu.
Eu: E o que tem isso? – Perguntei, olhando para a imensa floresta em minha frente.
Félix: Ele está no meio da mata. Sozinho, sem comida e foi atingido por uma flecha molhada pelo veneno de uma planta. Se eu pudesse iria até lá salvá-lo, mas infelizmente tenho que fazer o que Zayn manda, se não o piro vem para mim.
Eu: E...? – O incentivei a continuar, estava um pouquinho interessada na conversa.
Félix: Queria que você o libertasse por mim. Se conseguir, acharei uma forma de você sair dessa ilha sem que o Zayn perceba. – Encarei um pouco Zayn, ele brigava com uma... árvore? Isso não importa, eu sentia que ele tinha um lado sombrio.
Eu: Faria mesmo isso?
Félix: Com toda certeza. – Deixei de encarar Zayn e olhei para Félix. – É pegar ou largar. – Ele falava comigo, mas percebi que em momento algum ele se atreveu a olhar em meu rosto.
Eu: Onde ele está?
Félix: No meio dessas florestas. Se seguir em linha reta o encontrará. Sua jaula está pendurada numa árvore. Fique olhando para cima, mas ao mesmo tempo para baixo, cuidado com as planas com os espinhos, elas podem fazer um estrago em você.
Eu: É bom que já tenha arranjado um jeito de eu sair daqui quando eu voltar. – O avisei antes de me levantar e entrar mata a dentro.
Félix: Você não irá se arrepender.

         Segui em frente, parecia uma trilha. Peguei o mapa que Harry havia me dado e não me conformei com o fato dele ainda estar em branco. Se eu estivesse sonhando, queria logo acordar, esse sonho não estava me agradando nem um pouco. Tomei cuidado comas plantas com espinho que Félix me disse, elas estavam molhadas com um líquido preto e aparentemente gosmento. Já fazia alguns minutos que eu estava andando, e nada de encontrar o tal garoto que estava preso. Me sentei no chão, com as costas encostadas numa árvore. Estava pensando em voltar para o acampamento, mas ouvi um gemido. Olhei para cima e encontrei a tal jaula que Félix havia me falada, pude ver um menino deitado, mas ele não olhava para baixo, estava olhando para cima. Escalei a árvore até chegar onde o menino estava.

Eu: Pisiu. – Ele olhou para os lados, procurando quem estava o chamando. – Aqui! – Quando finalmente olhou para mim, recuou para trás, assustado.
XXX: Quem é você? Zayn a enviou para me matar? – Neguei.
Eu: Me chamo SeuNome, e me mandaram te soltar. – Procurei algo pontudo para cortar a corda que o prendia, mas não encontrei nada.
XXX: Me soltar? Quem a mandou aqui?
Eu: Não sei se posso falar, mas ele me disse que era um amigo seu.
– Encontrei uma lâmina no chão, desci da árvore e a peguei. – Qual é o seu nome? – Perguntei enquanto subia na árvore novamente.
XXX: Steve, mas eles me conhecem por tagarela. – O encarei confusa. – Falo demais. – Comecei a cortar a corda, e o garoto olhou para mim preocupado. – Não, se você cortar eu... – A única coisa que vi foi a jaula cair no chão. Desci e quebrei-a com uma pedra.
Eu: Você está bem? – O ajudei a levantar.
Steve: Estou livre, isso é o que importa. Seja quem for que a mandou aqui não deve gostar muito do Malik ou então quer vê-la presa assim como eu. – Ele tomou a lâmina de minha mão e colocou-a no bolso. – Isto me pertence! Quem te mandou aqui?
Eu: Félix. Ele me disse que vocês eram amigos.
Steve: Félix: Oh, não. Você tem que me prender agora antes que...
Félix: Eu disse que não seria uma boa ideia deixa-la solta. – Virei-me e vi Félix acompanhado de Zayn e outros meninos, neles incluíam Cobin, Niall e Louis. Engoli em seco, temendo o que faria comigo em seguida. Senti uma raiva de Félix, ele havia me enganado.
Zayn: Você está muito encrencada, garota.
Continua...
Queria dizer que a partir de agora não vai acontecer coisas muito boas com você e terá um capítulo que o Zayn vai estar na pior. Mas eu acho que estou contando muito. Ainda não li os comentários anteriores, até porque eles ainda não foram liberados e eu estou os esperando para mim poder ler e responder.
Sabe, eu estou gostando de escrever essa long, está sendo divertido para mim. Creio que terá seus dez capítulos ou até mesmo doze, vamos ver como será. Tenho várias ideias e acho que gostarão dos acontecimentos que terá na long. Eu espero mesmo que estejam gostando tanto quanto eu.
Um grande abraço, fiquem bem!


12 comentários:

  1. eu comecei a ler agora e estou adorando continua por favor !!!!!!!
    Lorena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Leitora nova na área, postarei o mais breve que puder

      Excluir
  2. eu comecei a ler agora e estou adorando continua por favor !!!!!!!
    Lorena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou começando a escrever o capítulo quatro, eu espero que o capítulo três tenha ficado do seu agrado.

      Excluir
  3. Ain , sou burra cara. KKKKK '
    Enfim , tirando o fato que eu vou ser presa .
    EU ESTOU AMANDO!
    C-O-N-T-I-N-U-A ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é burra não, só tem um coração de anjo e queria ajudar o prisioneiro lá. O Félix só é um obstáculo que tá querendo te ver provavelmente morta.
      Luuh, eu amo a sua fanfic e é por isso que eu também te peço pra continuar ela :D
      Já estou escrevendo os próximos capítulos. Beijos!

      Excluir
  4. Cara eu gosto muito de conto de fadas distorcidos seriao voce tem que continuar to super curiosa pra saber oq acontecerá com a seunome
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto, pera, gostar eu pouco. Eu AMO contos de fadas distorcidos, pois tem histórias que são meio sem sentidos, um é a Branca de Neve. Tipo, super normal um cara bonitão andar no meio da floresta ver um velório achar a defunta bonita e ir lá beijar ela. Por isso que gosto de OUAT, já que na série ela é um pouco mais durona que o príncipe.
      Eu continuei, e pretendo continuar mais. Estou amando escrever esse long.
      Beijão!

      Excluir
  5. Zayn me causando mais arrepios que o normal.
    Amei demais o capítulo! "A que tipo de 'gostar' está se referindo?" Haha, Harry pensando besteira.
    Não acredito que vou ser pressa! Esse Fêlix me deu um pouco de medo.
    Zayn solitário como sempre♡.
    Amando a longfic. Continua♥.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Zayn vai começar a ficar odiável na long, sério, pelo o que eu vou fazer eu vou sentir vontade de entrar na fanfic e matá-lo.
      kkkkk Uma vez Harry, sempre Harry. Acho que é ele que vai começar a fazer com que a vida da SeuNome na ilha fique mais engraçada que o normal.
      Felix é um chato, deu vontade de socar a cara dele enquanto eu escrevia.
      Solitário, sem palavras e o melhor de tudo, um pouquinho cruel.
      E eu to te amando, Lady!!!!

      Excluir