Truly, Madly, Deeply - Capítulo III

| | |
- Amigo ou traidor?


SeuNome P.O.V

      Havia se passado duas semanas desde o dia em que Louis descobriu que o seu carro foi sabotado. Fazia exatamente duas semanas que Louis não fala mais comigo para poder me proteger. Liam ainda fala comigo, mas quando está com Louis parece que eu nem existo, mas eu não ligo, sempre vivi sozinha e não vai ser agora que ficarei triste com isso. Me inscrevi no ENEM e agora vou fazer uma prova, seguirei a profissão de escritora, sempre sonhei com isso. O local onde seria a prova estava cheio, o que me fazia ficar cada vez mais ansiosa para a prova. Dei um suspiro e e fechei meus olhos, isso me acalmava. Ao abrir vejo um garoto me encarando com um sorriso no rosto. Retribui um pouco envergonhada.

- Não deveria ficar nervosa, eu sei que você irá passar. - O garoto disse.
- Desculpe mas... Nos conhecemos? - Ele riu e negou com a cabeça. - Sou SeuNome, e você é?
- Meu nome é Scott. Creio que você não é britânica, tem um sotaque bem diferente. Espera, deixa eu adivinhar. - Scott fez uma cara pensativa e sorriu logo em seguida. - Você é irlandesa.
- Sim. - Bati palmas e ri. - Você vai fazer faculdade de que?
- Engenharia da computação. Mas e você? Vai fazer faculdade de que? E por qual motivo escolheu Londres ao invés de Dublin? - Ele perguntou com um sorriso no rosto. - Se não quiser me responder, não responda.
- Bom, eu quero ser escritora. - Seu sorriso aumentou.
- Vou comprar os seus livros, pode apostar que eu vou! - Ri. - Mas porque aqui?
- Eu sou órfã, fui abandonada aqui em Londres e desde então faço tudo aqui, nunca senti vontade de voltar para Irlanda encontrar a minha família. Se eu já tive? Sim, eu já tive vontade. Mas eu perdi as esperanças quando me disseram que fui abandona.
- Eu te entendo. - O olhei e logo depois virei o rosto.
- Não, você não sabe o que é se sentir abandonado. Deve ter uma família que o ame.
- Sim, eu tenho. Mas sei a sensação de ser abandonado porque eu também fui abandonado. Fui criado por uma família que me encontrou quase morto na rua, e desde então eles cuidam de mim como se eu fosse da família. Mas a sensação de ter sido abandonado nunca saiu de mim.
- Me desculpe, eu não sabia.
- Tudo bem, temos ainda muito tempo para nos conhecer. - Ele sorriu.
- Espera, está me chamando para sair? - Ele riu e abaixou a cabeça, voltou a me encarar e demorou um pouco para responder a minha perguntar
- Bem, se você estiver interpretando assim... - Ele deu de ombros. - Sim, eu estou te chamando para sair. Você quer?
- Não quero te decepcionar mas eu não tenho a mínima experiência em encontros. - Confessei. - Mas como estou mesmo precisando esquecer os problemas que estão acontecendo comigo, eu aceito sim.
- Depois da prova, no Starbucks. - Ele virou-se novamente. Quando fui me distrair pensando ele se vira novamente e aponta para mim, me assustando um pouco. - Me espere lá fora!
***
      Eu estava brava comigo mesma e mais brava ainda com o filho da puta do tempo. Estava fazendo um sol imenso lá fora e agora uma puta de uma tempestade. Estava esperando Scott e ele logo aparece com um guarda-chuva nas mãos. Scott sorriu e me deu o guarda-chuva. Recusei, mas ele insistiu em que eu fosse de guarda-chuva e que ele iria na chuva, não se preocupava em se molhar. Sugeri que fossemos os dois, mas como o guarda-chuva era pequeno teríamos que ficar bem apertados, e parece que Scott gostou da ideia.

- Não posso ficar muito, tenho várias coisas para fazer quando chegar em casa. - O avisei ao sentarmos numa mesa. Fiquei olhando o movimento do lugar, até que estava calmo. Olhei para a janela ao meu lado e pude ver Liam comprado alguma revista do outro lado da rua, ao virar-se, acenou e eu retribui.
- Está acenando para quem? - Scott procurou a pessoa.
- Um amigo meu. Amigo não, um conhecido. - O respondi.
- Você parece triste, o que aconteceu com você? Desculpe ser intrometido mas eu só estou um pouquinho curioso. - Eu o encarei e dei um suspiro, lembrando do modo que Louis me expulsou de sua casa.
- Um conhecido meu está correndo um grande risco de vida. Algumas pessoas ou alguém está querendo vê-lo morto. A primeira vez que tentaram matá-lo eu estava com ele. Retiraram os freios de seu carro e sofremos um acidente, vi que você está reparando demais em alguns arranhões em meu rosto. Ainda não estou totalmente recuperada daquele dia.
- O que mais aconteceu?
- Ele descobriu que alguém quer vê-lo morto, e para me proteger, ele disse que não poderíamos mais nos ver por um tempo. Mas quando eu o conheci uma parte do meu coração se sentiu completa, e quando ele disse que não poderíamos mais nos ver me senti sozinha novamente.
- Quantos amigos você já teve em sua vida?
- Apenas um. Ele era órfão igual a mim, mas sofria bullying e então se matou, me deixando sozinha naquele orfanato no qual só saí quando completei meus dezoito anos.
- Ele não era só seu conhecido, era seu amigo. Esse seu amigo do passado preenchia esse seu vazio dentro de você. Você se sente abandonada. Mas esse seu mais novo amigo, no qual está sendo vítima de um atentado, se preocupa com você. - Ele deu um meio sorriso. - E isso é bom!
- Como pode ter certeza de que ele se preocupa comigo? Desde o dia em que fui abandonada, aprendi a não confiar muito nas pessoas. Mas algumas parecem ser tão sinceras que conseguem me enganar fácil.
- Se ele não se importasse com você não teria se afastado. Ele não quer te ver passando pelo o que está passando, SeuNome. E sabe de uma coisa? Essas pessoas que já lhe enganaram não sabem o valor que você tem. É uma boa pessoa e por trás desses olhos azuis sei que tem esperança de encontrar a sua família. É o mesmo olhar que eu tinha.
- Acha que eu vou conseguir isso um dia? Encontrar a minha família?
- Eu não acho, eu tenho certeza.

Niall P.O.V

      "A vida, entendeu, era bem parecida com uma música. No começo, há mistério, e no final, confirmação, mas é no meio que reside a emoção e faz com que a coisa toda valha a pena." Coloquei o marcador na página em que estava e fechei o livro. Beberiquei meu café e fiquei olhando para a cama do livro. A Última Música foi muito recomendado por Eleanor, ela era simplesmente devoradora de livros. Guardei o mesmo em minhas coisas e fiquei encarando o casal em minha frente. Uma garota de cabelos loiros e olhos azuis, ela era incrivelmente linda, e tenho que admitir que o garoto que estava com ela tinha sorte de ter uma garota tão linda como ela para ser a sua namorada.
      Ela parecia triste, e o garoto tentava consolá-la. Bebi mais um gole de meu café e continuei a encará-los por um tempo. Eles pareciam ter dezoito, mais ou menos. Vi ele segurar as delicadas mãos da garota e ela sorrir para o mesmo. Um garçom chegou perto de ambos e fez o pedido do casal. Voltei a me concentrar em minha vida. Peguei outro livro recomendado por Eleanor. Era uma saga de tigres no qual eu achei bem interessante e pedi a ela emprestado o livro que continuava a saga. Era de romance, na verdade, todos os livros que Eleanor me recomenda são de romances. Mas ele era bem diferente e não era tão clichê como alguns que tem por aí. 
      "Tenho medo de me decepcionar quando encontrar a minha família, Scott." Voltei a encarar os dois em minha frente quando ouvi a garota falar um pouquinho alto. Não sou uma pessoa muito curiosa, mas ao ouvir falar que não conhecia a sua família me fez ficar mais curioso do que o normal. Me concentrei em ouvir um pouco a conversa, mas eles estavam falando mais baixo e eu não conseguia ouvir muita coisa. Mas fiquei muito mais curioso quando ouvi o nome de Louis e Liam na conversa. Seriam os garotos ou uma mera coincidência?

SeuNome P.O.V

- Até agora as únicas pessoas que eu posso confiar aqui é você, Liam e Louis.
- Conheço um Liam e um Louis, se não me engano tem um Liam e um Louis naquela banda One Direction. - Eu ri um pouco alto, não sei por qual motivo. Não sei se foi pela cara de curioso que ele fez ou pelo fato de eu ser amiga de Liam e Louis da One Direction.
- Tá rindo da banda? Não rir não, os caras tocam muito e a banda é muito show! - Scott deu um de seus meios sorrisos e eu o encarei tentando esclarecer tudo o que eu estava ouvindo. - Você me pegou!
- Você é BoyDirectioner? - Ele assentiu. - É um fã encubado?
- Tenho medo de ser chamado de gay. - Ri mais ainda. - Não ri, isso é sério!
- Você é um idiota. Sabe quantas garotas correriam atrás de você se soubessem que é um BoyDirectioner? - Ele negou. - Eu entro em grupos de fãs para saber como elas reagem ao verem alguma notícia do seu ídolo, e é estranhamente estranho. Mas quando elas encontram um garoto que também é fã do ídolo delas só falta matar o coitado.
- E quanto aos Haters?
- Estilo musical não define personalidade. Cada um gosta do que quer e existem pessoas que não entendem isso, acho que você deveria assumir que é fã da One Direction e... Quem sabe, eu leve você pra conhecer pelo menos dois integrantes da banda.
- Espera, o Liam e Louis que você estava falando é os da One Direction? - Scott surtou enquanto eu assentia. - Menina você nasceu com essa bunda virada pra lua, só pode! - Gargalhei.
- Ai caramba! - Disse quando olhei para o relógio de pulso que Scott usava.
- O que aconteceu?
- Estou atrasada! Tenho que terminar uma redação que um amigo meu pediu, ele quer saber como é a minha escrita e se tenho capacidade de ser escritora. - Me levantei e beijei sua bochecha, fazendo o mesmo sorrir.
- Espera! - Scott gritou, fazendo todos olharem para nós.
- Quando vamos nos ver novamente?
- Quando você quiser, meu pequeno fãs. - Ele sorriu envergonhado. - Deixei meu número e endereço na mesa, cuidado para não perder! - Disse antes de sair.
***
      O trânsito estava muito movimentado naquela rua, e eu tenho certeza de que demoraria um pouco para mim poder atravessar a rua. Enquanto esperava o sinal ficar vermelho fiquei pensando em Scott, ele era um cara legal e eu tenho a absoluta certeza de que seria um ótimo amigo. Sentia falta das palhaçadas de Louis, ele me fazia rir como nunca ninguém me fez rir. Por um lado ele tinha razão, teríamos que nos separar por um tempo e esperar a poeira abaixar. Mas por outro lado, ele estava completamente errado. Liam me disse que Louis acha que sou frágil demais para aguentar uma coisa dessas, mas ele não sabe o que eu passei a minha vida inteira, não sabe o que eu tive que aguentar para poder finalmente me ver livre daquele orfanato. A rua estava mais calma quando eu finalmente decidi atravessar, o que foi um erro não ter olhado para os dois lados. Vi uma buzina e me virei, um carro vinha em minha direção. A pessoa que dirigia o mesmo conseguiu parar, mas eu tropecei e caí no asfalto.

- Merda! - Gritei. A pessoa saiu depressa do seu carro e se ajoelhou perto de mim, ele estava ofegante e totalmente preocupado. Olhei para a pessoa e vi que era um dos companheiros de banda de Louis. Por qual motivo está caindo integrante de 1D perto de mim ultimamente? - Ah, fala sério! - Fiz uma careta olhando para ele.
- Você está bem? Machucou algo? Está arranhada? Quebrou algum osso. - O loiro perguntou apressadamente, me ajudando a levantar logo em seguida.
- Não, eu estou bem.
- Niall. - Ele estendeu a mão.
- Eu sei. - O respondi enquanto limpava a minha roupa, no qual estava um pouquinho suja de poeira. - SeuNome, e é um prazer conhecê-lo.
- Tem certeza de que está bem? - Niall perguntou novamente, me fazendo olhá-lo e negar com a cabeça.
- Na verdade, eu não estou nada bem. Desde o dia em que sai daquele inferno muitas coisas ruins veem acontecendo comigo. Primeiro sofro um acidente de carro e agora quase sou atropelada. Só falta ser assassinada enquanto faz uma simples compra do mês! - Desabafei.
- Você não está bem, deixe-me levá-la para a minha casa e lá você liga para aquele seu namorado.
- Eu não tenho namorado! Nunca tive! - Ele se calou e me empurrou até seu carro, no qual atrapalhava alguns motoristas que estavam realmente muito enfurecidos.
- Vem, eu vou cuidar de você!

Scott P.O.V

      Eu chegava em casa quando vi David sentado em meu sofá. Ele certamente me perguntaria por qual motivo eu demorei demais ou algo do gênero. Passei direto sem falar uma palavra para o mesmo, o que o fez ficar furioso e vir em minha direção. Joguei as chaves do apartamento em cima do balcão e fui até a geladeira, a abri e tirei um soco de laranja para mim enquanto esperava David fazer um imenso discurso para mim pelo motivo de ter demorado demais. Coloquei o suco num colo e guardei o resto na geladeira novamente. Olhei para David e me zanguei com o fato dele querer que eu faça coisas ruins.

- Eu não vou mais fazer isso!
- Ah, não vai? Você me deve, eu lhe dei uma família. - David ameaçou. - Você tem que se aproximar mais da garota, eu tenho planos para ela.
- Eu sei quais são os seus planos. Você quer matá-la, eu sei que foi você quem sabotou aquele carro. Havia uma pessoa no qual não tinha nada haver, uma pessoa inocente, ela também é inocente.
- Ela é minha filha com Lorena, fruto de uma traição. Ela não deveria existir e está se aproximando cada vez mais de meu filho, não quero vê-la se aproximando dele. - Beberiquei o suco. - Eu lhe dei a vida que pediu, agora tem que me retribuir esse favor!
- Você só fez piorar a minha vida. Eu preferia ficar naquele orfanato, pelo menos eu estava com ela, a protegendo de você! - David se aproximou de mim, me encarando com fúrias nos olhos. - Você se diz um homem, mas na realidade é um covarde, não tem nem coragem de revelar para todos quem realmente é.
- Olha o modo como fala comigo, moleque! - Ele apontou o dedo em meu rosto.
- Eu acho melhor você tomar mais cuidado em quem confia, pois essas pessoas podem lhe abandonar quando souberem que você quer matar a pessoa no elas amam.
- Você não sabia nem o que era amor, só tinha oito anos. - Ele riu.
- Podia ter oito anos, mas sabia de mais coisas do que você pensa. Você me deu uma família, mas essa família não foi como você me prometeu.
- Mas eu lhe dei uma família, você queria uma família!
- Uma família que me desse carinho, eles nunca me deram carinho. E promessas são promessas, David. Você não cumpriu a sua, e é por isso que eu não vou cumprir a minha!
- Volte aqui, Scott! Você não tem escolha! - David gritou, me fazendo parar e encará-lo.
- Sim, eu tenho escolha. E a minha escolha é proteger SeuNome de você!

SeuNome P.O.V

      Niall me mandou sentar e assim eu fiz enquanto o esperava um curativo para ele colocar num arranhão em minha cabeça. Esse arranhão já existia, mas quando caí hoje mais cedo magoei o mesmo. Coloquei a mão em minha cabeça, eu estava com uma enorme enxaqueca e isso era visível. Observei a casa de Niall e era muito simples para pertencer uma das celebridades mais bem sucedidas. Niall voltou com um kit de primeiros socorros e passou um remédio em minha ferida. Ardeu um pouco, mas logo passou e Niall colocou um band aid no arranhão.

- Sou eu. - Niall me olhou confuso.
- Quem é você? - Ele perguntou não entendendo o que eu queria dizer.
- Eu sou a garota que estava no carro com o Louis.

Continua...

Me desculpem a demora, tive e ainda tenho que fazer vários trabalhos escolares e isso está ocupando todo o meu tempo no computador. Como já tenho um resumo de vinte e dois capítulos da fanfic, postarei mais rápido e será mais difícil de eu ter um bloqueio criativo, já que tenho quase toda a fanfic pronta.
Mas e então, o que acharam do Scott? Será que é ele o amigo que você falou?
E David, qual é o verdadeiro nome dele?
E antes que eu vá me esquecendo, alguém assiste Once Upon A Time ou se quiserem chamar Era Uma Vez?
Se sim, qual é o personagem preferido de vocês? Eu gosto do Peter Pan e do Henry, e não me conformo nessa história do Pan ser pai e o próprio filho tê-lo matado. Mas fora isso a série é simplesmente perfeita, agora que a diva da Elsa vai aparecer será melhor ainda.
Comentem o que estão achando da fanfic, seus comentários me motivam a continuar.

15 comentários:

  1. Perfeito gataaaa
    Continuaaaa

    ResponderExcluir
  2. Omg omg omg
    continua continua continua
    Amando amando amando
    <3 <3 <3
    XxTah Tah Tah

    ResponderExcluir
  3. Eu entendo darlin muitas coisas pra fazer, a vida é assim fazer o que? Bem, eu não sou viciada em Once upon a time, mas eu gosto e sinceramente odeio o Peter Pan kk a minha personagem preferida é q Emma, não por ela ser a principal, mas porque eu a considero umq guerreira. Continua, estou curiosa
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda tem muitas coisas pra fazer. Trabalho sobre a merda da copa, provas semana que vem e trabalho de matemática, pode isso? Eu sou super viciada em OUAT kkk Peter Pan merece uns tabefes na cara dado, sabe? E concordo com vc, a Emma é uma das minhas personagens preferidas, mas em alguns momentos da vontade de matar ela.
      Vou continuar assim que possível!!!

      Excluir
  4. Por favor continuaaa..mto perfeito >.<
    começei a ler hoje e adorei a fic >.<
    ~Lenah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou continuar, fofa. E fico feliz em saber que tenho mais uma leitora.

      Excluir
  5. Continuaaaaaaa! Tá muito perfeita!
    xx Luh

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Mayra, minha Oncer preferida, vem cá e me dá um abraço! Cê ta lendo minha fic, muié?
      Okay, nós duas amamos o Peter
      Só que o Henry é meu marido kkkk

      Excluir
  7. Ai continua pf to muito aguniada
    Ta perfeito vc escreve muito bm!!!

    ResponderExcluir