Longfic Louis Tomlinson - Lótus

| | |
                                                  Capitulo 3
                                        

Anteriormente:  (Seu Nome) recolhe o papel do chão e lê: Louis Tomlinson, e um número de telefone, em seguida dobra-o e guarda em sua bolsa de mão enquanto o rapaz é arrastado para fora do estabelecimento, aos poucos começam os cochichos das pessoas e a festa volta ao que era antes, como se nada houvesse acontecido. Mas algo aconteceu ali, oh sim aconteceu, a semente foi plantada, e dessa semente serão colhidos belos e viçosos frutos em um futuro muito muito próximo.


Agora...

    Após a agitada noite que se passou, tudo parecia estar fora do lugar para (Seu Nome), seu coração estava apertado, angustiado desde a noite que viu o rapaz determinado entrando destemido no buffet, ela sentia lá no fundo uma obrigação, de ajudar as crianças, seu doce pedido para que não deixasse que mais crianças morressem. Só de pensar em crianças morrendo de fome e frio (Seu Nome) estremece. Ela precisava, ela precisava fazer alguma coisa, e iria.

   Math havia viajado hoje cedo, então não teria problemas com ele, na verdade ele nem ficaria sabendo do que a bela moça fizera. Pegou o cartão escrito de letra cursiva com o número de telefone e aquele nome tão encantadoramente amigável: Louis Tomlinson. A jovem discou o número e ficou olhando pra tela decidindo se deveria ou não apertar o botão de chamar. Por fim, ela sabia qual era o certo a fazer e o certo sempre é o caminho que deve ser seguido, então ela simplesmente pois a chamar. Louis atendeu após o segundo toque, ele tinha uma voz doce, calma e serena.


Ligação ONN

- Alô? -ele disse-
- C-Com licença, esse é o telefone de Louis Tomlinson? -gaguejou desajeitada-
- Sim, quem está falando?
- Aqui é (Seu Nome), você invadiu meu noivado noite passada.

    Um silêncio constrangedor ficou sobre eles por um momento, até que Louis disse finalmente:

- Eu sinto muito por aquilo, mas algo tinha de ser feito, era minha única saída.
- E eu entendo. -(seu Nome) diz deixando o rapaz impressionado-
- Entende? -pergunta incrédulo-
- Sim, e é exatamente por isso que te liguei.
- Você...
- Sim, quero marcar um lugar para conversarmos, preciso de uma lista das coisas que o orfanato precisa. Não garanto conseguir tudo, mais o principal farei o possível.
- E-Está falando sério mesmo?
- Sim. -suspirou a garota- Você pode pensar que sou mesquinha como os outros ricos, mas eu não sou.
- Posso perceber que não. -ele diz se impressionando mais uma vez-
- Então... Onde podemos nos encontrar?
- No orfanato. É o melhor lugar.
- Eu não tenho certeza se quero ir a um orfanato.

     Silêncio predomina novamente na linha até que (Seu Nome) acrescenta rapidamente.

- Não, não tem nada haver com as crianças, é que... Sou um pouco frágil para ver coisas tristes.
- Não se preocupe com isso, elas ficam tão... Felizes quando alguém diferente vai visitá-las, você estaria levando mais felicidade apenas. -diz Louis-
- Mesmo?
- Com toda certeza.
- Então... Tudo bem, às 13:00 está bom?
- Está ótimo, estarei te esperando lá.

Ligação OFF

    (Seu Nome) solta um suspiro pesadamente pensando no que ela acabou de fazer, pensando no quanto Math ficaria furioso se soubesse. Não, mais ele não iria saber, e afinal, era por uma boa causa, tudo que a jovem poderia pensar naquele momento era o quanto queria poder ajudar aquelas pobres e indefesas crianças. Desceu para o café da manhã e encontrou Mary, a empregada, limpando os móveis.

- Bom dia Mary. 
- Bom dia, e então como foi o noivado?
- Normal. -diz sentando-se pra se servir-
- Defina normal?
- Assim como todos os noivados são!
- Porque acho que você está me escondendo alguma coisa?
- Porque você desconfia até do sol, vive questionando se não é mesmo ele que gira em torno da terra. -responde-
- Devo acreditar em você?
- Não. -sorri colocando um pedaço de pão na boca de forma divertida-

                              

- Ótimo, então está mesmo mentindo.
- Não é nada que deva se preocupar. -tranquiliza-
- Eu sei que não, confio em você.

      Enquanto isso, Louis acaba de cumprir mais uma manhã na faculdade, é seu último ano antes que seja um médico formado. Ele se senta sobre o banco de um parque e come um cachorro-quente de almoço enquanto pensa no quanto aquela moça foi bondosa. Ele explora sua mente até conseguir finalmente se lembrar do nome dela, (Seu Nome). Era esse o nome do bom anjo que teve compaixão ou ao menos um pouco de amor no coração para ajudar uma boa causa.

Mais tarde às 13:00

     (Seu Nome) atravessava a Avenida que ficava de frente ao Orfanato, seus passos eram decididos e esbanjavam determinação, antes mesmo de chegar ao portão (Seu Nome) já sentia seu coração repleto de compaixão pelo o que veria lá dentro. Ela chegou à recepção e assinou seu nome no caderno de visitantes.

- Com licença, a senhora poderia me dizer se Louis Tomlinson está aqui?

     A jovem perguntou para a doce senhora que ficava na recepção, com um sorriso no rosto a mulher de terceira idade respondeu:

- Está sim, ele chegou não tem muito tempo. Basta seguir esse corredor e virar à esquerda.
- Muito obrigada.

    (Seu Nome) deu um sorriso de agradecimento à senhora e então caminhou em direção ao lugar que a mulher havia lhe falado. Abriu a porta um pouco sem jeito e ainda sem saber se poderia invadir o local daquela maneira, e então avistou Louis agachado conversando com uma bela garotinha de cabelos negros e olhos verdes, aquela era a pequena Jenny de 8 anos, a criança carente preferida de Louis, aquela que ele pretendia adotar logo depois que se formasse.

     A pequenina notou a presença de (Seu Nome) e com o dedo apontado para ela, sussurrou para Louis:

- Quem é ela Tio Louis?

    Louis estava surpreso tanto quanto  a garotinha, ele realmente não esperava que (Seu Nome) fosse de verdade ao Orfanato. O jovem levantou-se graciosamente e fez um carinho na cabeça da pequena dizendo docemente:

- Espere aqui um pouquinho ta bom? -

     Louis caminhou até (Seu Nome) que se encontrava parada na porta observando-o enquanto se aproximava, quando ele finalmente a alcançou, ergueu sua mão para apertar a dela e disse:

- É um prazer conhecê-la de um angulo mais favorável pra mim.

      A jovem aperta sua mão com um sorriso no rosto e diz:

- É um prazer te conhecer também., é muito lindo o que você faz.

 

    O rapaz sente suas bochechas corarem com o elogio mais se contém, recompondo-se, ele faz sinal com a mão e diz com sua voz macia e veluda:

- Quero que conheça alguém. -ele aponta para Jenny e então faz sinal para que (Seu Nome) vá na frente-
- Ela vive aqui? -pergunta a jovem-
- Sim, desde que nasceu.

    (Seu Nome) engole em seco imaginando o quanto deve ser horrível morar em um orfanato a vida inteira sem jamais saber quem são seus pais ou se tem uma família fora daquele lugar.

- Jenny está é (Seu Nome), pode dizer olá pra ela? -Louis diz calmamente-
- Oi tia (Seu Nome). -A pequena diz com voz doce-
- Hey. -(Seu Nome) diz agachando-se pra ficar da altura da garotinha- Tudo bem com você?
- Tudo. -ela diz baixo- Você tem um cabelo bonito.
- Você acha? Sabe de uma coisa? Seu cabelo também é muito lindo. -sorri gentilmente-
- Mesmo?
- É claro, veja só como ele brilha e é macio. 
- Você vai ficar aqui com a gente como o tio Louis?
- Ah querida, eu não posso. 

      O olhar da garotinha se decai e uma ponta de tristeza toma conta de seu belo rostinho, (Seu Nome) sente-se comovida e acrescenta rapidamente.

- Mais prometo que vou vir aqui visitar o orfanato quase todos os dias!
- Isso seria perfeito!

      Jenny fica tão animada que pula de braços abertos no pescoço de (Seu Nome) deixando a jovem um tanto atordoada enquanto uma parte de seu coração se desmancha criando carinho pela pobre criança órfã que não tem ninguém ao lado dela a não ser Louis. Jenny sai dos braços de (Seu Nome) relutantemente e logo após encara Louis que estava observando tudo atentamente.

- Obrigado tio Louis por trazer a tia (Seu Nome) aqui. 

    Louis dá um sorriso meigo e envergonhado, então diz:

- Eu e (Seu Nome) precisamos conversar a sós agora Jenny, daqui um pouco eu volto aqui, tudo bem?
- Ta bom tio Louis.

    (Seu Nome) e Louis se afastam da garotinha saindo da sala e entrando em um lugar que parecia ser o refeitório. Eles se sentam um na frente do outro e Louis diz:

- Jenny gostou de você.
- Você acha?

                           

- Sim, sabe, ela tem um dom.
- Um dom?
- Jenny sabe muito bem quando as pessoas são boas de verdade, agora sei que posso confiar em você.
- Então antes você não confiava?
- Desculpe. -ele sorri sem graça- Seu noivo não foi muito gentil na noite passada.
- Sinto muito por ele. Mas, Jenny tem algum problema?
- Como assim?
- Bem, eu não pude deixar de notar o quanto ela fala devagar, as palavras parecem demorar para chegar à ela.
- É muito perspicaz.
- Obrigada.
- Jenny é autista, pretendo adotá-la assim que me formar.
- Oh, eu sinto muito. No que pretende se formar?
- Medicina, é meu ultimo ano.
- Boa sorte, você vai ser um ótimo médico tenho certeza.
- Obrigada.
- Sabe, estou incomodada com uma coisa desde o fato que ocorreu.
- O que é?
- O que aconteceu com o menino negro que estava nos seus braços quando entrou no buffet?
- Ele está no hospital, o garoto tinha sérios ferimentos sem contar nas doenças que poderiam começar a se manifestar.
- Meu Deus, e quando ele sair? O que vai acontecer?
- Com certeza irão mandá-lo pra cá, ele não tem pra onde ir e não pode ficar na rua. Não tem pais e nem família, é órfão assim como os outros.
- Acho que isso é demais por hoje... Podemos falar do principal agora?
- Claro.

      As horas se passaram enquanto os dois jovens conversavam, eles pareciam se entender, falavam entre si em um sintonia jamais vista antes. O tempo passava e nem eles mesmos deram conta do momento em que a conversa fugiu dos negócios para simplesmente um assunto comum entre jovem, algo mais descontraído, no fundo (Seu Nome) percebeu que Louis não era somente aquele jovem sério e determinado, ele também era apenas um jovem normal, que gostava de se divertir com os amigos e sair para beber de vez em quando. A garota olhou no relógio sobre a parede que marcava 15:27 e perguntou assustada:

- Aquela hora está certa?
- Sim, porquê?
- O tempo passou muito rápido, tenho de ir.
- Está mesmo muito ocupada? Não gostaria de tomar um café?
- Eu não sei se devo...
- Qual é? É só um café.

   Ela pensou e então finalmente cedeu:

- Tudo bem.

                            

- Mais tem de ser rápido. -acrescentou-
- Claro, não quero problemas com seu noivo estressado.
- Ele viajou essa manhã.
- Mesmo?
- Sim.
- Então não garanto te deixar ir antes de experimentar os donnuts açucarados da tia Lilo.
- Você tem uma tia que se chama Lilo? -perguntou de forma divertida-
- Claro que não, é assim que eu chamo a tiazinha que faz os donnuts daquela cafeteria da esquina.
- Compreendo. -diz sorrindo-
- Vamos então, é por minha conta!
- Claro, só não vá se arrepender depois de ver a quantidade de comida que sou capaz de ingerir.
- Terá de competir comigo qualquer hora dessas, posso comer um boi!
- E eu uma vaca! -os dois sorriem-

      Ambos sentem-se impressionados e um tanto incomodados com a forma que estão se relacionando, afinal se conheceram à apenas algumas horas e já estão saindo pra tomar café na tia Lilo da esquina, mas o fato, é que tanto Louis quanto (Seu Nome) já sentiam um certo tipo de ligação, ambos mesmo sem saber do futuro, sentiam que precisavam da presença um do outro de alguma forma, tinham algo muito forte que nem mesmo eles eram capazes de imaginar ou conter. O que na verdade era aquilo?

- Droga!

     Reclama Louis quando percebe quem está ligando pra ele.

- Algum problema? -pergunta (Seu Nome)-
- Nada, é só que... Rose está me ligando a cada uma hora, eu não aguento mais isso.
- Rose?
- Minha ex-namorada, acho que ela ainda não aceitou o término.
- Oh eu compreendo.

      Louis recusa a chamada e põe o celular sobre a mesa do café, no momento em que pretende voltar sua conversa com (Seu Nome), o celular vibra novamente, só que desta vez (Seu Nome) é mais rápida pegando o celular.

- O que está fazend...

      Louis começa mais é interrompido quando (Seu Nome) põe o dedo indicador sobre os lábios do rapaz para que ele fique quieto, Louis fica tão atordoado a ponto de não dizer mais nenhuma palavra e somente prestar atenção no que a garota vai fazer. Ela atende a ligação e fazendo uma voz super irritante diz:

- Você ligou para Louis Tomlinson, sinto dizer que ele está temporariamente não disponível pra você, por favor, tente daqui alguns anos.

      (Seu Nome) aperta o botão vermelho desligando a chamada. Ela coloca o celular na mesa de volta de sorri docemente para Louis:

- Prontinho!

                           

- Você é louca! -ele diz sorrindo-
- Talvez um pouco, espere só até me conhecer de verdade!

    E mais uma vez, o que era para ser um rápido café, durou horas de conversa jogada fora, bem, claro que tudo aquilo não tinha sido em vão, era apenas uma artimanha do bondoso destino, afinal, ele sempre pensa em tudo, e faz tudo perfeitamente como tem de ser feito! O que tiver de ser será, mais a escolha final quem faz somos nós mesmos, nem mesmo o engenhoso destino é capaz disso, ele só constrói a nossa história e depois, cabe a nós decidir se queremos ou não seguir com isso, no final só existem dois caminhos: O feliz, e o triste. E então, qual vai ser?

Hey minhas meninas lindasss, fiz esse bem grandão pra compensar o tempo que não postei essa longfic, sinto muito por isso. Obrigada pelos comentários do ultimo post, eu amei e li cada um deles, comentem mais okay? Ah e leiam Hurricane, eu amo vocês! ♥ -Deh

9 comentários:

  1. Awn q emocinante, quero a Jenny pra mim :3...imagino daqui a pouco a Sn e o Boo Vão estar namorando (amém, kkkk) e iria ser super se ela e a ex dele brigasem :v tah muito legal Lotus pq também quanto tempo não tem uma fic com o louis (Louis girl aqui o/ ) mas enfim Continua hurricane logo se n eu choro.

    ResponderExcluir
  2. perfeito, continua...
    to curiosa pra saber o que ira acontecer entre Louis e (seu nome)!
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Awwnt ;3
    Continua logooooo Pleaseee
    #DerretendoComTantaPerfeição
    XxTaata Tommo

    ResponderExcluir
  4. Continua *-*

    Louis girl aqui \o/

    ResponderExcluir
  5. nossa eu estou amando *_* adorei, continua amor please <3

    ResponderExcluir
  6. Socorro, continua essa fic <3

    ResponderExcluir
  7. Cara pelo amor !! Continua !!! Eu to doida aqui !! Sua fic é muito perfeita !! Sua diva !! Termina logo !

    ResponderExcluir
  8. Continua logo !!! Sua perfeita ! A fic também ! Linda termina logo !!

    ResponderExcluir