Fucking Liam Payne (EPÍLOGO)

| | |
for
(EPÍLOGO)


13 anos Depois...   

"Londres/Inglaterra - 3 de Abril de 2025

             Eu me lembro do jeito que as casas eram construídas, seguindo a arquitetura moderna da época, mas a deles era realmente muito melhor do que a de qualquer família do condomínio. Talvez fosse a grama mais verde, o cercado mais branco, ou como a maioria das mulheres tinham inveja dela. Eu lembro bem, minha mãe comentava com as vizinhas quando se encontravam para um chá nos sábados. Ela e o marido eram misteriosos. A princípio ninguém sabia que Louise Curtmantle tinha um marido, mas depois de um tempo ele simplesmente apareceu. Seu nome, James Payne, não cheguei a ser apresentado mas lembro-me bem de como saíam discutindo de casa, eu voltava da escola sem ser notado, descia do ônibus e geralmente não conseguia deixar de olhar para aquela direção. Um casal havia sumidos, nunca foram encontrados. Numa dessas manhãs eu mesmo vi diante de mim o homem desamassar o capô do carro com as mãos, como uma criança curiosa, é claro que imaginei que ele fosse um super-herói. Mais tarde eu lembro nitidamente de vê-los em uma madrugada arrastando sacos de lixo para fora de casa, naquela época, eu estava beirando oito anos, tudo parecia fascinante, mas a minha curiosidade crescia cada vez mais, eu queria saber tudo sobre eles. Meus pais e meu irmão não acreditavam em mim, mas eu sabia que não tinha enlouquecido. Depois, a namorada do meu irmão Matt havia sido morta, havia muito sangue. Eu estava com um amigo quando ouvi a gritaria na rua, eu e meu amigo saímos na porta e eu vi meu irmão ser arrastado como culpado pela morte da namorada para dentro da viatura. Se fechar os olhos ainda posso ouvir os gritos dele "Você sabe, sabe quem foi. Conte a eles!" Nos mudamos quando a fiança dele foi paga na mesma noite. Depois disso, eu não pude ter uma adolescência muito normal. Dois anos depois, beijei uma garota pela primeira vez. Imaginei como se ela tivesse dentes afiados. No baile da escola eu podia jurar que havia sangue no vestido de Clary Jones, mas ao olhar melhor era só seda vermelha. Estive pensando naquele casal desde então, entrei na faculdade de letras e as coisas que vi pela janela do meu quarto ainda assombram meus pesadelos em algumas noites. Como se eu fosse levantar e olhar com o binóculo algo horrendo na casa da frente. 



Então para começar esse livro, eu prefiro começar falando dessas coisas bizarras que aconteceram comigo, sobre aquele homem e aquela mulher que no começo pareciam normais a primeira vista, mas que agora me fazem pensar se talvez ela tivesse um certo poder sobre ele, ou ele sobre ela, mas o importante era que naquele condomínio  ..."

Daniel Dolson encostou as costas na cadeira de madeira encarando o papel na máquina de escrever. Ele nunca gostara de computadores para isso, sempre preferiu essas máquinas, era assim que fazia as histórias na infância. Aquelas lembranças haviam acontecido a treze anos atrás até o ponto em que estava em sua vida, mas as imagens eram tão nítidas como se tivessem acontecido ontem. Ele parou para pensar, como deveria continuar. Agora com 21 anos, tudo parecia mais surreal, mesmo que ele tivesse certeza absoluta no que viu e confiasse em seus olhos. Havia se mudado bastante, até chegar em Londres, onde depois de estudar a história da árvore genealógica dos Payne e Curtmantle perceber que eles não tinham diferença nenhuma de seus antepassados, eles de fato eram estes. Não existia um James e uma Louise, e sim Liam e Victoria que de fato foram casados no passado, e sobrevivido de forma milagrosa até o século 21. Daniel havia se mudado para Londres por estar tão viciado na história dos dois vampiros amantes, para estudar letras. Danny pigarreou, bebendo um pouco de seu café e se levantou agilmente da cadeira ao ouvir um barulho de estante atrás de si. A xícara de café caiu de sua mão ao ver a figura a dois metros dele, que havia derrubado alguns livros da estante. Era ninguém menos, que Liam James Payne, o vampiro na qual teve pesadelos a sua vida inteira. Arregalou os olhos, piscando mais de duas vezes e fazendo Liam rir. Ele estava mesmo ali. 

Liam: Então...o pequeno Dolson que escrevia histórias de terror sobre coisas que não existem cresceu e virou escritor. -Danny encarou Liam, ele estava igualzinho do jeito que se lembrava, porém agora usava roupas modernas de 2025. -E veio morar aqui? Se quer saber, nessa velha Londres aconteceram muitas boas histórias. 
Danny: O-O que v-você quer?-quebrou a xícara na mesa usando rapidamente mirando a ponta afiada na direção de Liam. 
Liam: Só vim fazer uma visita. 
Danny: Como você me a-achou?
Liam: Eu tenho rodado o mundo nos últimos anos. E...ninguém mandou, você me olhar desamassando o carro. -sorriu de um jeito assustador. 

Na sala do pequeno apartamento de Daniel Dolson ouviram-se gritos de horror. As mãos geladas de Liam soltaram o corpo completamente seco de Danny que caiu no chão na mesma hora. Liam passou a mão em sua boca limpando o excesso de sangue do garoto, se sentou na cadeira de Danny e leu o que ele havia escrito, em seguida, bateu na prensa da máquina, continuando de onde ele parou:

"Então para começar esse livro, eu prefiro começar falando dessas coisas bizarras que aconteceram comigo, sobre aquele homem e aquela mulher que no começo pareciam normais a primeira vista, mas que agora me fazem pensar se talvez ela tivesse um certo poder sobre ele, ou ele sobre ela, mas o importante era que naquele condomínio aconteceram coisas que você nunca entenderia, os corpos eram completamente sugados, depois nos livrávamos deles, atraíamos nossos queridos vizinhos para matá-los, fazíamos um tipo de sexo selvagem que seres humanos nunca entenderiam, brigávamos e nos beijávamos, ela foi a mulher da minha vida e morte, a mulher egoísta pela qual eu matei e morri, pela qual eu menti e lutei, pela qual tive um amor jovem por centenas de anos, e não me arrependo de nada que tivemos que fazer, mas o que vocês humanos, devem saber no máximo...é que não podem escrever essa história. Ela não pode ser conhecida, não pode ser contada. Essa história é nossa, e apenas nossa. Ela me fodeu até o fim."

Liam sorriu e levantou-se, ajeitou a aliança de ouro em seu dedo "Victoria Curtmantle, 1457 - Ama-lo por toda a eternidade" e saiu do apartamento escuro, deixando a porta aberta e se mexendo com o vento.


FIM
- Débora Lox

18 comentários:

  1. Cara muito per-fect sério mesmo tá tão perfeito que eu não consigo nem critica-la pela demora dos capítulos, só consigo ficar feliz por ter lido essa linda fanfic e triste por ela ter acabado :( Essa fic foi pra mim algo sobrenatural posto no real, ri, senti raiva, chorei, sorri, muito lindo mesmo, vai marcar
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, baby! Muito obrigada, não sabe o quanto eu fico feliz com isso. Me desculpe pelas demoras, eu estava tentando criar o final perfeito. Aww, isso faz meu coração pulsar, eu fico muito feliz que tenha gostado. Agradeço novamente, princesa.
      Beijos!

      Excluir
    2. Você sempre me surpreendendo com seus comentários, né gatinha? Haha xxx

      Excluir
    3. Pois é né kk

      xoxo Duda

      Excluir
  2. Amei.So n gostei q ela morreu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Veve ;) Muito obrigada, pois é, você acredita que eu também fiquei triste pela Victoria? Mas bem, só assim as coisas iriam se encaixar, e eu queria emoção heuhue. Beijos, liamda ;)
      xoxoxox

      Excluir
    2. Tbm fiquei triste,parece q na história ela começa a fazer parte de vc e quando morre sente uma dor no coração

      Excluir
  3. Nossa vc não sabe o quanto eu chorei no "Abelha Rainha" ela não pode ter morrido, eu fiz tipo um flash back de tudo que aconteceu, quando ele perdeu a empresa, quando ele chamava o carro de monstro de lata, o primeiro hot :3 buaa estou chorando aqui, kkkk ficou muito perfeita essa fic,não acredito acabou :'( Também estou quase morrendo aqui pq revenge está acabando.....Missing Angel Acabou Ai Já é Sessões De Choro Comendo Brigadeiro kkkkk mas ainda bem que esta começando uma nova "Bad Boy Of Mine", mas também estou roendo as unhas por causa de Hurricane,Ou seja não sei expressar meus sentimentos....Nossa foi grande ein, ufa desabafei kkkkk mas enfim foi perfeita Fucking LP, obrigada pra quem leu até o fim, bjs Deh sou sua fã ^^!

    ResponderExcluir
  4. Debby chorei mt
    Perfeito o melhor imagine q eu ja li c ctz
    Chorando mt
    XxTaa

    ResponderExcluir
  5. Melhor Fanfic de T-O-D-O-S!
    Fucking Liam Payne foi épico, diferente de tudo que eu já li, maravilhoso! Eu sou muito crítica com os fanfics mas o seu me fez apaixonar moça! Meu deus, que perfeição. Perfeição existe e eu terminei de ler, vai deixar saudades!

    ResponderExcluir
  6. Porque ela morreu eu nao consegui ver o capítulo 46 e estou querendo saber por favor ela naonpode ter morrido eles deviam ter encontrado o filho deles e sido feliz. O nial nao tenha que ter morrido na quele capítulo. Mas como eu nao li oque tinha no capítulo anterio nao posso falar muita coisa. A fic foi linda mesmo ela tendo morrido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi linda, desculpe por isso o erro foi meu na hora de colocar na página do fanfic. Tá arrumado lá, testei várias vezes, desculpe mesmo pelo incomodo, espero que consiga ler! Beijos!

      Excluir
    2. nao foi nada anjo

      Excluir
  7. Esse. Foi o melhor fanfiction que eu li ,ela é PERFEITA. A MELHOR DE TODAS,me emocionou muito. To chorando até agora.
    Parabéns você é uma otima escritora,é dificil eu elogiar uma fanfiction. Mais essa não tem como não elogiar. Sentirei saudades. Do fucking. Liam payne

    ResponderExcluir
  8. O melhor de todos

    ResponderExcluir
  9. mirian directioner5 de maio de 2014 05:29

    o-ooi sou nova leitora mas leio so as completas eu to sem palavras pra essa fanfic eu amei nunca fiquei tao ligada numa fanfic comm fiquei nessa amei esse final ty love <3 xxmirian...vick rs

    ResponderExcluir
  10. Fiquei MT triste com umas partes ate chorei,dizem q são apenas historias porem TDs sabem q n parecem,sentem elas,sentem q dor no peito quando quem é do bem morre,sinto comi se essa pessoa fosse intima,sinto como se fizesse parte dela...

    ResponderExcluir