Say Goodbye Chapter six Part 1

| | |
Joguinho Sanguinário

 Bonnie Walker On 

Os dias seguiram sem muita alteração em meu humor. A única pessoa que tinha o poder de muda-lo sem nenhum esforço era a senhorita Kristina Turner, ela me provocava com um olhar de puta pobre ou então dizendo ao sete ventos que já tinha feito coisas com todos os garotos gostosos da escola. Como hoje era um dos dia que eu atacaria qualquer um, lá veio a senhorita puta no período vespertino me encher a paciência. Tudo começou quando Liam me barrou na porta do meu quarto. Não podemos esquecer que eu peguei detenção por algo que eu estava certa em ter feito. 

Flash Back On

- Bonnie!- Chamou Liam no final do corredor.
- O que foi dessa vez? - Disse cruzando os braços.- Veio me perguntar como é ser comido pela Monitora chefe?- Fiz uma careta.
- Sério, quem te irritou hoje?
- O que você quer?- Repeti calmamente.
- Você poderia me ajudar em uma coisinha?
- O que?
- Preciso achar um livro, mas ainda não sei onde ele está.
- Você não sabe procurar, querido?
- Sério, me ajuda.- Ele fez uma cara de cão sem dono, e seus olhos começaram a encher de lágrimas inutilmente. Revirei os olhos e fiz uma cara de " Vamos ", e ele sorriu.- Obrigada.- Andamos até a bibiloteca em silêncio, Eu sentia que Liam desvia os olhos atrás dos meus que as vezes iam atras dos seus. Assim que chegamos, entrei em um estado de calmaria e sorri quando virei para ele. Comecei a andar até a segunda ou terceira prateleira quando finalmente encontrei o livro que ele precisava sem o menor esforço. Quando entreguei o livro a ele, nossas mãos nesse momento se roçaram e ouve uma pequena explosão de choque dentro de mim. Com a mão direita livre Liam me puxou para perto de seu corpo, então ele jogou o livro no chão e colocou seu braços em volta da minha cintura. Levantei lentamente a cabeça na espera de alguma coisa.- Bonnie.- Sussurrou lentamente, cada letra fazia os pelos da minha nuca se arrepiarem me deixando mais ofegante. Pensamentos foram apagados da minha mente, eu sentia o meu celular vibrar no bolso mas estava muito ocupada para verificar o que era. Liam aproximou-se do meu rosto lentamente e me beijou. Eu não queria sair dali, não queria empurrá-lo ou bater em seu braços e chamar de nojento e depois sair toda raivozinha, mas simplesmente deixe que ele guiasse tudo. Ele segurou minhas pernas e as colocou em volta de seu quadril e me apoiou na mesa que tinha uma velha janela, ele beijava meu pescoço, joguei minha cabeça para trás e mordi meu lábio inferior, ele passou o indicador pela minha bochecha me fazendo corar. 

- Cof Cof.- Olhei por cima de Liam, e lá estava Kristina fazendo um sinal de negação com a cabeça e sorrido sarcasticamente.- É proibido namorar em recinto escolar, crianças.- Liam se afastou de mim e arrancou o livro da mão de Kristina. Passei e sussurrei em seu ouvido:
- Mas dá para qualquer um pode, né Kris?
- Você sabe quem eu sou?
- A merda da escola inteirinha já sabe o coisa do Satã.

E foi assim que ganhei a minha primeira detenção. 4 meses de trabalho forçado. Ótimo. ÓTIMO.  
Logo depois do ocorrido fui chamada na secretaria para prestar um "depoimento " pelo desacato a uma Monitora Chefe. Não, tudo bem, por ai está tudo bem. Mas tudo piorou quando recebi novamente a segunda detenças: 1 ano de trabalho forçado. 

Eu estava andando no corredor das salas de aulas, Niall estava me fazendo companhia e falando sobre o livro que rinha terminado de ler, mas as palavras dele não tinham muito fundamento.

- O que você acha?- Perguntou ele.
- Ãh? Atá eu acho que seja legal você presentear a SeuApelido com flores. 
- Legal a sua ideia, mas eu não estava falando disso não Bon.
- Bon? 
- Digo B. Mas enfim, você acha legal?
- Niall, meu querido. EU ACABEI DE LEVAR UM A DETENÇÃO DE QUATRO MESES DE TRABALHO FORÇADO, E TO PENSANDO COMO ACABAR COM A RAÇA DA MERDA DA KRISTINA, E VOCÊ TA PERGUNTANDO SEU ACHO LEGAL DA FLORES PRA SEUNOME, NÃO EU ACHO ESCROTO, E NEM UM POUCO ROMÂNTICO. Acho que sua duvida foi esclarecida.
- É, eu acho que foi.
- Mas o que aquela Vadia ta fazendo perto do meu homem?
- Bonnie!- Niall segurou meu braço.- Não! Para com isso. Agora. 
- Mas Niall, ela ta se esfregando nele.
- Ignora.
- Eu vou ignorar o seu comentário.- Andei até ela- Escuta aqui querida!
- Bonnie!- Disse surpresa- achei que uma detenção bastava para você. 
- É, mas eu ainda acho que não.



- O que você gostaria então?
- De meter a mão na sua cara.
- Então por que não faz isso, anjinha?- Avancei para cima dela batendo em seu rosto maquiado, acertando os olhos e o lábio inferior, Kristina segurou com uma da mãos parte do meu cabelo, e com a outra mão livre ela batia na minha cara, primeiro no lado direito depois no esquerdo assim repentinamente. Lembro-me certamente de pessoas gritando a minha volta para separarem a gente, ante que eu conseguisse acertar Kristina na sua orelha, Niall me agarrou pela cintura e me erguendo para longe dela. Senti minha cabeça encostar em seu peito, eu tentava me esquivar de seus braços, mas usava toda a força para me manter parada.

- Vê se acalma, B.- Disse pousando seu queixo na minha cabeça.- Ela faz isso, porque sabe que ele é o seu ponto fraco.
- O Liam não é meu ponto fraco.
- Não.- Disse irônico, encarei ele com o olhar severo.- O quê? Eu disse alguma coisa?- Depois de duas horas, me chamaram para uma assembléia, e adivinha! Mais uma detenção. 

Flash Back off

Durante o jantar todos olhavam para nossa mesa, com o olhar de assustados. Molly que comia sua gelatine vermelha estava tranquilamente calma como se nada tivesse acontecido. Samantha não aparaceu naquela noite o que pareceu muito entranho, mas todos novamente agiam com tranquilidade. 

- Molly, onde que está a minha irmã?
- Sua mãe ligou, e disse que precisava de uma de vocês em casa com um papo sério.
- E você só me avisa agora?
- Você só pergunto agora, querida.


Samantha Walker 
  
Cheguei em casa tarde da noite e todos estariam dormindo, a não ser por Hank, que sempre esta acordado na sala de televisão roendo as unhas dos pés. Me direcionei para a cozinha e peguei um copo da água. Subi as escadas lentamente, sem fazer barulho. No andar de cima estava tudo escuro e quieto, a não ser pelo gemido que vinha do quarto de minha mãe. A porta estava aberta e com claridade, vi Hank em cima de uma mulher que não era a minha mãe. Soltei um leve grito de espanto, que o fez desconcentrar de sua longa penetração, ele andou na minha direção com um olhar malicioso.

- Samantha! Vejo que voltou- Me abraçou.- Seus peito cresceram desde a última vez que nos vimos.- Alisou meus seios com as mãos, e logo deu um leve apertão.
- Não me toque.
- E por que não?- Disse beijando meu pescoço e apertando meus seios logo destampados, Hank abaixou meu short e minha calcinha, passando a mão em meu sexo penetrou os dois dedos indicadores dentro de mim, fazendo-me gritar de dor.- Se gritar eu penetro outra coisa.- Disse tirando os dedos e se abaixando, senti sua língua roçar minha virilha, gritei novamente por ajuda então penetrou, segurando meu punhos contra parede, Hank e beijava meu pescoço. Aquela estranha mulher atingiu sua cabeça com duas garrafas de vinho, fazendo-o cair em cima de mim, eu empurrei ele e caiu no chão. 


Dia seguinte 

Acordei por volta das seis da manhã, os hematomas em meus punhos começaram a se formar. Tomei mais um banho, olhei no meio de minhas pernas, estavam normais, mas a dor era alucinante. Coloquei uma roupa qualquer e sai lentamente pelo corredor, vi o corpo de Hank caído no chão. Passei lentamente por ele, quando consegui passar pro ele, segurou meu tornozelo, comecei a chutar sua cara e gritar desesperadamente, ataque consegui me soltar dele e Hank com o nariz quebrado. Desci as escadas correndo e peguei o Audi de Hank e dirigi até o aeroporto tentando manter um certo espirito de calmaria.

No aeroporto peguei o primeiro voo para Londres. Já em Londres vi Bonnie na sala de embarque acenando para mim, corri o mais rápido que pude, e abracei.

- Por que você não me ligou?
- Não conseguia nem mexer direito.- Expliquei
- Tudo bem, você vai contar a mamãe?
- Por favor não me obrigue.
- Não estou obrigando nada, mas...
- B por favor não conte, por favor.
- Não contarei. Palavra de Walker.- Sorriu para mim.
- Obrigada.

Durantes vários dias, usei roupas de manga comprida e faltava a maioria das aulas. Os últimos dias de verão começaram a se tornar a insuportavelmente quente, e já estavam me fazendo muito mal. Estávamos em um quinta-feira, comecei a ficar tonta e tudo se borrou na minha frente, pelo que me lembro era aula de calculo, então cai nos braços de Zayn, que rapidamente me chamou e depois disse não lembro de mais nada a não ser o desespero de Zayn.



Hiiii minha goxtosas. Muitas pediram um capitulo maior e ai esta. Provavelmente postarei em breve.
Comentem, ou não. Vocês sabe o que tem que fazer.
Qualquer coisa: @pqpkamis (twitter)

Bjusss






4 comentários:

  1. Cara apenas continuaaaa, anciosissima aq
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  2. Continuaaaa! Tá perfeitoooooo!
    xx Luh

    ResponderExcluir
  3. Wow, a Sam Desmaiou, Hank, aquele filho da puta, tomara q ela conte para o Zayn o que ele fez

    ResponderExcluir
  4. Continua pff kami está p-e-r-f-e-c-t, serio vc escreve muito bem, pq se escrever ruim, invado sua casa e puxo sua orelha ein! Zoeira, mas serio ta perfeito, continua please

    ResponderExcluir