Revenge - Capitulo 19

| | |
Estaca zero

SeuNome P.O.V'S

Como sempre, eu estava certa. Liam levantou o edredom e pela minha mochila ter feito um pequeno barulho, ele me encontrou. Puro azar eu ter tentado respirar naquele lugar com uma mochila cheia de coisas dentro. Ele agarrou a minha blusa com força (dizem que as pessoas drogadas adquirem mais força sob o efeito da droga) puxando-me para fora da cama. Ele me prensou contra a parede e eu podia sentir o cheiro na droga em sua garganta ainda. Eu devo ter exagerado um pouco na dose mas...fazer o que agora não dá mais para voltar.

- Foi você que fez isso não foi? -ele falava alto, mas de um jeito sexy ao mesmo tempo- O que você quer aqui?
- O que mais eu poderia querer aqui? Quero o que eu não consegui antes, imbecil.
- Você cheira a álcool! 
- E você a maconha, se isso te serve de consolo. -vociferei.
- Isso é ridículo -falou rindo- Você, uma garotinha tentar me matar! Que ilusão!
Sem querer eu chutei as partes baixas dele, o fazendo afrouxar as mãos e se agachar um pouco.
- Opa! Foi mal... -falei irônica em quanto saia do quarto em direção à sala.

No caminho, abri minha mochila e de lá puxei uma faca, ouvi a porta do quarto ser aberta e batida contra a a parede, olhei para trás e vi Liam cambaleando na minha direção. Acelerei e desci a escada em pulinhos, fiz a volta no sofá da sala mas Liam deu uma de Batman e me prensou contra o mesmo.
Eu cai no sofá, empurrada por Liam depois de tirar a faca da minha mão esquerda, me causando um leve arranhão com as suas unhas. Ele passou por cima do braço do sofá, ficando por cima de mim. Nos beijamos rapidamente e ele fazia um certo peso sobre o meu corpo, me fazendo sentir a sua ereção aumentar em contato com o meio das minhas pernas.
Nos levantamos ainda nos beijando, eu tirei a blusa dele e distribui beijos por todo o seu abdomem. As mãos dele deslizaram para os botões do meu shorts, os abrindo lentamente. Depois, em quanto suas mãos iam para o fecho do meu sutiã, eu abri a sua calça e levando com ela a sua box vermelha até o chão.
Ele olhou-me desapontado pela minha pressa, e ficou me fitando com os olhos semi-cerrados. Pegou-me no colo e juntos, caimos na cama do quarto de hospedes (para onde ele tinha me levado no colo, a quatro passos de distância do sofá da sala). Ele tirou o meu sutiã, com uma certa dificuldade, e o atirou para longe de onde estávamos. Ele colou a sua testa na minha e em seguida beijo-a delicadamente.

- E mais uma vez... -ele começou ofegante- ... voltamos ao ponto inicial.
- Pra você ver como nem tudo mudou. -eu disse me virando em seus braços quentes e bombados.

Ele me ajeitou na cama e colocou as minhas mãos em sua nuca, levando as dele até os meus seios massageando-os. Ele deslizou as mãos pelas laterais do meu corpo até chegar ao meu quadril. Seus dedos deslizaram pela minha virilha, desviando da minha calcinha e chegando até o meu canal vaginal. Ele massageou o meu clítoris, me fazendo arfar de prazer e gemer baixou aos seus ouvidos. Puxei-o mais para perto de mim e mordisquei a sua orelha, fazendo com que ele dissesse ao pé do meu ouvido um "não" meio desajeitado.
Ele se levantou rapidamente e se afastou um pouco da cama ofegante. Eu o olhei sem intender em quando ele abria a gaveta e tirava de dentro um pequeno embrulho com o simbolo da Louis Vuitton.
Liam deu a volta e caminhou para o banheiro depressa, voltando pouco tempo depois, aproximadamente um ou dois minutos depois, dando-me tempo para recuperar as minhas forças.
Eu puxei o lençol, dando conta de que o ar-condicionado estava ligado em 10°C, ou seja, o quarto estava a beira de virar um ótimo habitat para pinguins, focas e ursos polares. Eu me perdi em pensamentos pervertidos, até que ouvi a porta do banheiro ser aberta, mas mesmo assim não tirei os olhos da prateleira com fotos.

- Muito frio? -ele estava sentado ao meu lado, envolvendo-me em seus braços confortáveis, duros, mas confortáveis.

Mais uma vez, fui até a sua boca, beijando-a sem pressa de prosseguir, afinal a noite seria só nossa. Liam baixou a sua mão, novamente até o meu quadril e depois até a minha coxa. Ele passou a perna esquerda por cima de mim, desfivelou a minha calcinha, tirando-a pelo lado do meu corpo (sim eu usava calcinhas reguláveis) e deixando-a ao lado da cama. Sua penetração foi rápida e inesperada, fazendo-me apertar o lençol e em seguida as suas costas. Ele esticou a mão para a cabeceira e a apertou como eu e o lençol. Os movimentos de Liam eram lentos, porém fortes. Nós dois já estávamos suando e molhando a cama, até que eu cheguei ao meu ápise. Eu fui ficando molenga, meus músculos estavam relaxando com o prazer, mas percebi que Liam ainda lutava para chegar ao seu. Deixei ele continuar até que ele fez a famosa careta, que informava-me que já podia parar.
Ele se deitou ao meu lado, modelando o travesseiro e apoiando a cabeça, olhando para o teto. Eu fui mais para perto dele e senti a sua respiração, muito ofegante, saindo pela boca. Eu puxei novamente o lençol para mim, por causa do ar e alguns minutos depois de estarmos nessa posição, relaxados, o celular de Liam começa a tocar com a voz da sua prima, Coryne.

Coryne P.O.V'S

Já era bem tarde quando eu ia dormir. Deitei na cama e peguei da mesinha "a culpa é das estrelas" para ler pela milésima vez. Estava quase terminando o terceiro capitulo quando o meu telefone começou a vibrar.

>>> Ligação ON <<<

Eu: Alô?

xxx: Senhorita Van Wire?
Eu: Sim , é ela. Quem gostaria?
xxx: Aqui é o diretor do Hospital Lenkaster. Estou ligando para informar que o seu namorado, Harry Styles, sofreu um grave acidente de carro esta noite.
Eu: Como é que é? -perguntei alto, aparentemente surpresa.
Diretor: Sim senhorita. Desculpe, mas preciso que a senhorita compareça ao Hospital o mais rápido possível. 
Eu: Claro er... tudo bem, estou à caminho.

>>> Ligação OFF <<<

Desliguei o telefone, tremendo e sem saber direito o que fazer, liguei para Liam pra pedir ajuda. Um milênio depois, eu já estava quase desistindo dele e desligando, ele atendeu.

>>> Ligação ON <<<

Liam: Que foi?
Eu: Quanta educação! Seguinte, preciso que você me leve ao hospital.
Liam: Porque eu? Pede pra sua mãe!
Eu: Acontece que eu estou sozinha nessa birosca aqui! -falei alto.
Liam: Pra... -interrompi.
Eu: Liam cala a boca e vem logo! É uma emergência!

>>> Ligação OFF <<<

Não dei chance para ele responder, simplesmente desliguei o telefone e troquei de roupa. Fiz tudo rapidamente, já que não sabia qual era o sentido de  "estado grave" na língua de um médico.
Dois minutos depois de um descer, Liam buzinou na frente de casa. Sai correndo pela sala, quebrei um vazo e derrubei água no tapete e pensei "foda-se, eu limpo depois". Abri a porta e girei a chave, sai correndo em disparada pela grama, abri a porta de me joguei para dentro.

Liam: Esqueceu a chave na porta, Coryne.
Eu: Merda! -abri a porta outra vez, fui até a porta e arranquei a chave, quase quebrei ele mas tudo bem ela ficou meia ilesa. Voltei para o carro e antes mesmo de eu fechar a porta, Liam acelerou.
Liam: Para que hospital você quer ir? Lenkaster ou o hospital Central?
Eu: Lenkaster.
Liam: Tudo bem, SeuNome e Coryne, segurem-se!

Liam acelerou pela cidade inteira, literalmente, passando em sinal vermelho, pelas calçadas e tudo isso. Teria sido um bom passeio de eu não estivesse indo ver o meu namorado internado em um hospital. Saltei em frente à recepção com SeuNome, em quanto Liam iria estacionar civilizadamente. Entramos e fui direto falar com a recepcionista.  

- Licença, você poderia me dizer onde é o quarto do senhor Harry Styles, por favor?
- Vou pesquisar. -ela virou-se para o computador e começou a digitar o nome dele, algum tempo depois de clicar e escrever ela olhou para nós e continuou- O senhor Styles está na UTI número 7, no 5º andar. O elevador fica à direita, no final deste corredor.
- Obrigada!

Puxei a SeuNome e começamos a correr pelo corredor, ela tentava escrever para Liam avisando onde estaríamos, só que correndo fica um pouco complicado. Apertei várias vezes o botão do elevador até ele abrir. Disse para o homem para que andar íamos e ele nos levou até o 5º andar. Sai de lá e a SeuNome agradeceu o homem. Virei para a esquerda, SeuNome me puxou para a direita e 6 portas depois, chegamos. Olhei pelo vidro e vi uma enfermeira lá dentro dando em cima dele, o que com certeza me fez perder a cabeça, abri a porta e ouvi ela sussurrando com ele.

- Licença, queridinha. Pode ir agora. -falei.
- Hora e quem é você? -ela perguntou.
- A namorada dele, sua oferecida. -vociferei agora com mais raiva, fazendo Harry sorrir torto, eu amo esse sorriso. Ela fechou a cara e saio logo em seguida, fechando a porta.
- Danadinha quando está nervosa. -disse SeuNome.
- Só defendo o que é meu. -olhei para Harry e cheguei mais perto, sentando-me na beirada da cama.- Como você se sente?
- Estou bem. Melhor agora na verdade. -ele disse suavemente.
Eu o selei. - Se eu souber que você ainda falou com aquela vagabunda, você é um homem morto, Harry Styles.
- Putz Harry, você se f**** agora. -disse SeuNome.- Quando ela chama pelo nome... huuum!
- É eu conheço a minha Nêh.
- Agora me explica uma coisa... como foi que isso tudo aconteceu? -perguntei.
- É uma longa história. -ele disse.

Continua...
-----------------------------------------------------------------
Olá minhas vidas! Como estão
Desculpem não ter postado antes, fiquei doente e o meu computador decidiu que não iria mais ligar a internet -viado-. Sorry mesmo.
Espero que gostem, se tudo der certo eu acabo ele logo logo ^^.
Beijos meus brigadeiros 


2 comentários:

  1. Tudo bem,tudo bem, tá ótimo ele! Continuaa
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  2. Posta logo ta divoso
    Kkkk
    XxTatinhaaaa

    ResponderExcluir