Revenge - Capitulo 18

| | |
Nada é para sempre

SeuNome P.O.V'S

Era madrugada. Eu estava dormindo tranquilamente quando ouço batidas na porta principal. No começo achei que era um sonho, mas depois elas foram ficando mais repetidas e aceleradas. Levantei-me de má vontade como sempre e fui esbarrando em tudo até a porta, estava escuro e eu ainda estava em processo de "ligamento". Vesti o roupão que estava pindurado atrás da porta no cabideiro e depois girei a chave, abrindo uma fresta da porta para espiar. Era o Harry novamente.

- Ah qualé Harry! -resmunguei rouca- Seus horários estão ficando cada vez mais estranhos!
- Desculpa SeuNome, eu não viria aqui se não fosse mesmo necessário.
- Er... entra. -abri mais a porta dando espaço para dois.
- Obrigado. -Harry entrou e parou pouco depois da porta para me seguir até o sofá onde costumavamos nos sentar para discutir.
- Então... crum -limpei a garganta para tentar tirar a voz rouca- O que te trás aqui a essa hora da... madrugada?
- O Zayn, claro.
- Ah... o que houve agora? vocês brigaram de novo? -ironisei.
- Não foi bem isso...mas quase.
- Ta fala criatura! Eu ainda pretendo dormir hoje até ser acordada pelo despertador daqui a algumas horas. -reclamei como geralmente faço quando estou com sono.
- Bem... não sei qual será a sua reação mas... o Zayn embarcou em um avião hoje e não quiz me dizer o destino.
- Como é que é garoto? -levantei a voz- E você deixou assim? Sem mais nem menos ele ir em bora? Você é o que um pamonha ambulante? Um filhote de cruz credo ou de burro talvez? 
- E eu podia com ele? Você, SeuNome, sabe muito melhor que eu de que quando o Zayn coloca alguma coisa na cabeça ele empaca feito mula até conseguir! 
- Ta, ta desculpa! Só que dai entra o seu papel como melhor amigo de impedir o outro de fazer burradas tipo essa! -Harry me olhou com uma cara de desaprovação-  Ta p****! Desculpa de novo.
- Dá pra tentar parar de me criticar! -exclamou ele- Eu sei que fiz burrada como sempre mas dá pra assim... tentar melhorar um pouco pro meu lado?
- Já te pedi desculpas! Agora você quer o que? Que eu me ajoelhe aqui? Para né!
- Mudando de assunto antes que você me bata...-começou Harry- O que quer fazer a respeito?
- Tem algo para se fazer? -perguntei- o jeito é deixar ele ir e esperar para que ele volte.

Harry fez que não com a cabeça, virou as costas e abriu a porta com muita força (chegou a entortar a fechadura).  Deixou-a aberta e andou rápido para o carro, ouvi o barulho alto do motor e os pneus cantarem em seguida. Fui correndo até a beira da calçada, ele já estava muito longe para eu falar, então gritei qualquer coisa. Nada. Estava tudo acabado, definitivamente.
Voltei para dentro, de cabeça baixa. Tranquei a porta e começei a gritar e quebrar tudo que eu via pela frente. Copos, abajur, retratos, tudo. Minha casa ficaria aos pedaços quando eu acabasse. Começei pela sala, depois avancei apra o quarto e por último o quarto. Cai na cama exausta, cinco minutos depois levantei e fui cambaleando até o banheiro. Escondido no fundo falso do armário haviam algumas garrafas de vodka que eu escondia do Logan. Peguei cinco mas só consegui tomar quatro e meia delas. Posso dizer que ainda estava sóbria, levando em consideranção tudo que eu já bebi.
Eu tinha que estar na casa de Liam palanejando algo para acaber com ele, mas ao invés disso eu estava aqui. Tomando garrafas e garrafas de vodka. Passou pela minha cabeça de ir até a casa de Liam, por volta dessas horas ele levantaria e iria até a cozinha para beber água, é um costume muito estranho que ele adquiriu quando ainda era pequeno, eu poderia sorrateiramente colocar algo ana bebia dele. Como o que estava a anos escondido na minha gaveta de calsinhas. Maconha.
Maléfica do jeito que eu estava, peguei as chaves do carro, tranquei e fui até a calsada. Pensei melhor e decidi ir de andando, um carro levantaria suspeitas a essa hora. Desenterrei do quintal a mochila de Logan, coloquei a droga dentro e depois a coloquei nas costas caminhando lentamente pela rua. estava escuro e frio, mas eu estava quase perdendo a noção do tempo que se leva para planejar algo infalível contra o Liam. Como nada me passou pela cabeça, simplismente decidi improvisar na hora. Fazer tudo com cuidado mas sem nenhum planejamento antes. Sim eu não estava muito bem das ideias.
Como de costume, entrei pelos fundos da casa, hoje por uma janela pequena que saia no sistema de ventilação da casa. Rastejei até a lavanderia e tenho que admitir que isso deve ter demorado pelo menos uma meia hora. Parei em cima das grades e desparafusei até conseguir abri-la. Desci e milagrosamente não fiz barulho. Andei pelas sombras até chegar na cozinha. Abri a geladeira e peguei a jarra d'água. Tirei da mochila o pequeno saquinho e derramei a maioria dentro, mechi até conseguir misturar tudo. Ouvi barulho na escada, deixei tudo como antes e corri para a portinha de onde eu sai. Observei Liam pegar um copo e colocar a água batizada dentro. Ele bebeu tudo e fez uma careta estranha. Deixou o copo na pia e recolocou a jarra na geladeira. Ele virou e tornou a subir de volta ao quarto, dei uma meia hora para garantir e subi atrás dele. Entrei no quarto e ele estava acordado, para minha infelicidade, olhando pela janela. Eu quiz entrar no primeiro lugar que visse quando me dei conta de que ele percebeu que eu estava ali. Abri uma porta, que devia ser o quarto de Logan, bem bagunçado e entrei. fui para baixo da cama e grudei nas madeiras de cima, ciente que ele iria tentar ver se eu estava ali. E estava certa.

Harry Styles P.O.V'S

Acelerei o máximo que pude. Começei a dirigir pela noite chuvosa. SeuNome ficara no meio da rua gritando coisas que eu não entendia. Sabe, quando perdemos uma pessoa que gostamos muito, ficamos inconsoláveis. Tentei fazer alguma coisa, mas o que mais eu poderia fazer? Eu sou Harry Styles o cara que sempre torna a vida dos outros uma verdadeira bosta.
As pessoas não sabem sobre mim, ela não me compreendem totalmente. O carro já passava dos 120 km/h, quem disse que eu me importava. Dirigia a procura de um lugar onde as pessoas pudessem ser melhores para mim. Por mais que isso fosse impossível, devemos sonhar alto e eu não tinha motivos para ficar em Londres.
Passei pelo quilômetro 45 da avenida principal e segui para o interior. Uma região montanhosa e muito imprevisível, eu estava mesmo desafiando a morte. Quem ligava? Quem iria sentir minha falta? Ninguém. Na curva, deixei o carro na primeira, puxei o freio de mão e acelerei. Eu sorria com o barulho dos pneus a baixo de mim e com o som do motor aquecendo. Desengatei tudo e acelerei ainda mais na reta entre duas montanhas, tirei as duas mãos do volante e deixei o carro andar em linha reta para onde quer que eu estivesse indo. Curva pós curva, todas as retas percorridas em alta velocidade, eu só me esqueci de uma curva fechada perto de um penhasco. Eu estava rápido de mais para freiar, minha única opção era fazer a curva antes. O barro era muito escorregadio por causa das pedras, fui derrapando até capotar. A última coisa que me lembro é que olhei pela janela e vi que estava caindo. Depois disso eu apaguei totalmente.

Continua...
-----------------------------------------------------------------
Oii meninas divas e maravilhosas, quanto tempo! Tudo bem com vocês? Com a velhinha aqui ta tudo bem ^^
Desculpem mesmo a demora, química está me matando últimamente... o que estão achando? Surpresas novas nessa reta final? Comentem, eu preciso da opinião das minhas leitoras para escrever melhor!
Beijooooos lindas!

2 comentários:

  1. Oh! Eu sou diva e maravilhosa ? Eu já sabia, kkk brinks. Está tudo bem comigo, demorou mais pelo menos postou :) Cara tá muito bom, pq tipo vc está me surpriendendo, do nada vem coisas q eu nunca pensei q aconteceriam, mas claro tudo com seu sentido, o Harry tem q viver, e a Seunome tem q se preocupa com ele, continuaaa
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amor, que bom que está gostando! Tem novas surpresas chegando ;)
      Beijus xx

      Excluir