Missing Angel - Capítulo 45 (Parte 2)

| | |
Eu não vou mudar nada na minha vida. Eu vou passar essa noite sozinha. Quem disse que não posso usar meu all star com meu vestido? Quem disse que não posso ser solteira? Oh, oh, essa não sou eu. / La la Land- Demi Lovato. 
kjh
Narrador P.O.V's

nervosismo de Justin o fez ficar aéreo por alguns segundos, enquanto o celular tocava desesperadamente. Foi no penúltimo toque, que ele finalmente conseguiu deixar seus devaneios e arrastar o botão para atender.

Justin: Alô?-disse sentindo não esconder o desespero na voz.
XXX: Bieber, você está bem?
Justin: Quem fala?-pediu grosseiramente.
XXX: É Luke. Nos vimos a ultima vez no restaurante, ofereci uma mesa a você e sua namoradinha. Eu sei que brigamos e nos ameaçamos, mas...
Justin: Olha cara, não é um boa hora, não me venha com falsas desculpas agora.
Luke: Escuta aqui, eu só liguei porque acho que descobri uma coisa. -Justin entrou em alerta- Provavelmente você já deve saber mas Eric veio aqui, e queria saber de você. Não sei como foi que ele descobriu que você esteve aqui, tenho um mau pressentimento, pelo jeito que ele estava falando está indo atrás de você.
Justin: Desgraçado, eu vou arrancar a cara da cabeça dele!-disse batendo no volante. -Mas valeu por avisar.
Luke: Você ainda me deve.
Justin: Vá a merda. -desligou, jogando o celular em cima do banco.

Estava confirmado. E pior, ele estava vindo mais rápido do que esperava, se já tinha ido atrás do Luke lhe procurar com certeza já chegaria hoje mesmo. Talvez Justin tivesse horas. Se Eric sabia que ele foi até Brighton também sabe da SeuNome, e da família dela. Qual é, ele queria que se danassem. Precisava mesmo era salvar a própria pele. Mas por que agora esse pensamento parecia uma mentira de certa forma? Bateu as mãos no volante novamente, raciocinando mil coisas por minuto, tentando tomar uma decisão e tentar bolar um bom plano. Ele sempre conseguiu, por que agora não ia? É claro que parecia mais arriscado do que das outras vezes. Apertou os dedos no couro do volante se mantendo calmo, então, ligou o veículo.

[...]

Já havia passado algum tempo, era pouco depois do horário do almoço quando Justin subia a rua a pé após deixar o carro na de trás. Não queria chamar nem um pouco de atenção. Caminhou dando uma olhada em sua antiga casa alugada, agora aquela placa havia voltado ao gramado, ele só conseguiu sorrir ironicamente ao ver aquilo. Virou e entrou no jardim da casa de SeuNome, não parecia estar vazia olhando por fora. Subiu a varanda e tocou a campainha, sentindo a agitação voltar. Depois de alguns segundos, ouviu alguns barulhos de passos e conversas, algo que deduziu rapidamente ser "deixa que eu atendo" e logo depois a porta se abriu. O sorriso da pessoa a sua frente desapareceu na hora como se Justin fosse totalmente indesejado. E era.

Harry: Você?
Justin: Eu.
Harry: O que você está fazendo aqui?-começou a falar mais baixo.
Justin: Te pergunto o mesmo.
Harry: Isso não é da sua conta, delinquente.
Justin: Escuta, não vou ficar nessa de xingamentos e discussão. Vou logo ao assunto, a SeuNome está?-disse já colocando um pé para dentro da casa mas Harry logo o impediu de entrar mais.
Harry: Sai fora, ela não quer mais nada com você. -Harry o encarou- Temos um trato, ou já esqueceu?
Justin: O seu trato de merda já era, os planos mudaram.
XXX: Harry, quem é?-perguntou uma voz da cozinha.
Harry: Ninguém, eu já vou. -encarou Justin.
Justin: Não quero te assustar, mas eu tenho que tirá-la dessa casa agora. Tem caras da pesada vindo. -Harry fingiu uma risada.
Harry: Você não me engana, imbecil. Eu te dei a liberdade cara, agora fica longe dela. Não vem com mentiras para tira-la do caminho que eu estou tentando colocá-la para o bem dela.
Justin: Você está é colocando-a em perigo. -Harry negou, certo do que estava fazendo. Ela ia ficar bem seguindo em frente e esquecendo Justin. -Se você a ama tem que acreditar.
Harry: Como eu vou acreditar em um bandido?-disse entre dentes.
Justin: Cara, você não está entendo a gravidade da situação. 
Harry: Se isso é verdade, então eu vou estar aqui quando eles chegarem, a policia vai estar aqui.
Justin: Harry, deixa de ser burro, o cara é mais perigoso do que você imagina.
Harry: Eu não vou deixar ela ir com você.
Justin: Tudo bem. -se afastou. -Mas quando a sua garota estiver morta, não diga que não avisei.

Bieber deu as costas parecendo decidido e desceu os dois degraus rapidamente enquanto Harry nem hesitou em logo fechar a porta. Por mais que em algum momento tivesse ficado desconfiado, sabia que não dava para confiar em pessoas como ele. Se sentia arrependido até de tê-lo livrado da cadeia, mas se mais tarde SeuNome descobrisse, seria pior. Voltou para a cozinha, encontrando Dona Rosa, SeuNome e Austin disputando colocar os ingredientes na comida que ela fazia e logo abaixo da mesa Parmesão miando de fome. Harry sorriu automaticamente ao ver aquela cena e foi logo pegar a comida para dar ao gato. 

SeuNome: Quem era?
Harry: Correio. O entregador se enganou. -sorriu, rezando para que ela acreditasse. SeuNome assentiu e voltou a discutir com o irmão. Harry pelo menos estava certo de que Justin depois dessa, não fosse mais aparecer e a deixasse em paz. Ou pelo menos tinha esperança disso. 

Depois do almoço agitado, a tarde passou rapidamente. Mas ao anoitecer, Harry estava se sentindo tão bem ali com eles, sabia que SeuNome ainda estava muito machucada assim como ele por isso ele era cauteloso e sempre estava mais com Austin do que com ela. O pai dela havia acabado de chegar, cansado do trabalho, sorriu ao ver todos reunidos no sofá. Subiu e logo desceu alegando que ia sair com alguns amigos inclusive Cory, e olhou para Harry como se o agradecesse antes de sair novamente. A tv estava ligada num filme na qual eles mal assistiam. Até que SeuNome pegou Parmesão no colo e se levantou. 

SeuNome: Estou cansada, acho melhor subir. Amanhã cedo tem escola... -Harry sorriu fraco e assentiu. -Vejo vocês amanhã, não é?-Austin concordou. -Os dois?
Harry: Sim, SeuNome. -sorriu para ela. 

SeuNome ajeitou o gato em seu colo e caminhou até a escadaria, olhou para cima antes de subir os degraus vendo que o segundo andar estava totalmente escuro. Ela subiu olhando para o lado, os garotos no sofá ainda estavam. Assim que chegou ao topo caminhou o resto do corredor entrando em seu quarto se sentindo estranha novamente. Mas aquilo não era novidade. Só era meio estranho ter Harry ali. Acendeu a luz e fechou a porta, em seguida foi até sua cama soltando o gato em cima dela. Sorriu e fez um carinho nele, que logo se acomodou ali mesmo. SeuNome sentou-se na beira da cama ao lado de Parmesão, olhando para baixo, para suas mãos juntas. Era difícil não pensar em tudo que aconteceu desde o começo do ano, de todos os lugares, aquelas coisas foram as mais intensas. Descobriu tantas coisas que se contasse talvez ninguém acreditaria. 
Enquanto isso, ao lado de fora de sua casa, bem a frente dela, o carro de Justin havia acabado de estacionar. Ele tinha que tira-la de lá, sua mente estava perturbada demais. Mesmo que parecesse muito confuso, ele se importava com ela, não podia pensar na possibilidade de sumir dali e deixar que, pela primeira vez, uma pessoa inocente morresse por causa dele. Além do mais, SeuNome nem sabia o que estava acontecendo, ela simplesmente morreria. Porque Justin tinha certeza que eles não lhe dariam a mínima chance. Naquele momento, ele era o único que podia impedir aquilo, já que Harry Styles era mais cabeça dura do que imaginava. Ele se certificou de que a luz do quarto dela estivesse acesa, em seguida desceu de seu carro, caminhando na escuridão do jardim a procura de uma escada que o levasse até a sacada do quarto dela. Mas não havia. Ele teria que escalar os ramos até chegar na telha. Rezou para que aquelas plantas fossem fortes o bastante para aguentá-lo e deu um impulso para cima, depois disso sem olhar para baixo, continuou subindo até alcançar a telha, em seguida se segurou nelas tentando manter o equilíbrio para conseguir colocar um dos pés dentro da sacada. Assim que conseguiu, andou até a janela de seu quarto, SeuNome olhou levando um susto ao vê-lo. Justin ficou a encarando assustando-a, e a fazendo se perguntar um milhão de coisas. Levantou-se da cama andando até a janela, ela queria bater nele pelas coisas que fez, por ter sumido sem dizer porque quê. Assim que chegou bem perto Justin colocou uma das mãos na janela e ela franziu o cenho, mas percebeu no jeito que lhe olhava que havia algo de ruim acontecendo. Colocou sua mão na janela, sobre a dele. Bieber fechou os olhos agradecendo por ela estar bem. Aquilo era estranho, se importar com outra pessoa, se importar com uma garota. Mas não tinha tempo para suas próprias dúvidas. Falou algo mas SeuNome não ouviu, era quase impossível ouvi-lo ali de fora. Pelos lábios de Justin, ele pedia que abrisse a janela. Ela fez que "não" com a cabeça, lembrando-se dos alertas de Harry. Então os lábios de Justin disseram aparentemente "Por favor". SeuNome olhou para trás se certificando que a porta estava fechada. Então abriu a janela.

Justin: Você tem que vir comigo, sem perguntas. -disse rápido.
SeuNome: O que houve?
Justin: Eu falei sem perguntas. -pegou a mão dela, lhe dando um puxão em direção a sacada.
SeuNome: Não, eu não vou com você. -Justin a encarou. -Eu não posso mais confiar.
Justin: Não me venha com essa, estou tentando salvar a sua vida.
SeuNome: É mentira.
Justin: Se for mentira te deixo atirar em mim. -os olhos dela se arregalaram.
SeuNome: O quê? Não!
Justin: Vamos, eu não tenho muito tempo. Não vou te deixar morrer. -SeuNome não acreditava estar ouvindo aquilo. -Você tem que confiar.

Ela tentou pensar rápido, e balançou a cabeça, deixando que Justin a puxasse pela mão novamente até a sacada. Ali estava muito vento, o bastante para bagunçar totalmente seu cabelo enquanto Bieber olhava para baixo. Ele a ajudou a descer com cuidado, e em seguida fez o mesmo. Olhou em volta percebendo a rua deserta e a guiou até seu carro. A fez entrar e deu a volta pela frente, entrando e o ligando rapidamente. Saiu daquela rua o mais rápido que conseguiu, dirigindo pela cidade em alta velocidade mas não em uma velocidade que pudessem o parar por excesso. Ficaram por um tempo assim, SeuNome sabia que não podia confiar em Justin, mas torcia para que o que ele estava falando fosse verdade. A cabeça de Bieber estava a mil, enquanto dirigia agora em direção a estrada interestadual.

SeuNome Onde vamos? Me diz isso pelo menos.
Justin: Brighton. -disse apenas e o silencio voltou. SeuNome bufou.
SeuNome: Por que você sumiu? Saiu do país e agora voltou alegando que eu vou morrer e está tentando me salvar? Conta outra.
Justin: "Saí do país"? Mas eu não...Harry. -bufou. -É claro. Você ainda acredita em tudo que ele diz.
SeuNome: Eu não sei mais em quem acreditar.
Justin: Então não acredite em ninguém.
SeuNome: É muito fácil falar. -pegou o celular do bolso de trás e o ligou. Logo no visor apareceram 8 mensagens não lidas, de Harry. E antes que ela pudesse terminar de ler a primeira chegaram mais duas.
Justin: Quem é?
SeuNome: Harry.
Justin: Que merda. Filho da puta. -desviou a atenção do volante para tentar ler a mensagem.
SeuNome: Cala a boca, ele só está querendo saber onde eu estou, está desesperado.
Justin: Me dá aqui. -pegou o celular de sua mão e começou a digitar uma resposta ao mesmo tempo que dirigia. Assim que terminou devolveu-lhe o celular com a mensagem já enviada.


"Fiz o que foi preciso, vou cuidar da SeuNome. Fuja daí, ou vai sobrar para você e o irmãozinho dela.
-Justin"

SeuNome: Que merda, por que fez isso?
Justin: Mais tarde você vai me agradecer.
SeuNome: Esse papo não pode ser sério mesmo, quem é que quer me matar?
Justin: É uma longa história, e você não entenderia. -ela suspirou.
SeuNome: Você pode tentar.
Justin: Prefiro não.
SeuNome: Tá, mas e se pegarem o Harry? E se ele não sair de lá?-sentiu um terrível mal estar no peito, como se fosse vomitar.
Justin: Ele é um cara esperto, vai se tocar ao ler a mensagem.
SeuNome: Não é só isso, meu irmão e meu pai estão lá!
Justin: Acho melhor você começar a torcer por eles então. -disse, deixando-a desesperada. Um barulho repetitivo se instalou dentro do carro, SeuNome foi ver seu celular percebendo que não era o dela, Justin assentiu tirando o dele do porta-luvas e atendendo agitadamente.
Justin: Fala Luke.
Luke: Hey bro, onde você está? Conseguiu pegar a garota?-notou um certo medo na voz dele.
Justin: Já, estou aqui com ela. -havia contado a Luke seu plano logo depois de sair da casa da SeuNome atarde.
Luke: Se eu fosse você corria para chegar logo aqui, não olhe para trás. Os caras já chegaram em Londres.
Justin: Como você sabe disso?
Luke: Porque eu também estou aqui.
Justin: Não brinca comigo desse jeito.
Luke: É, mas olha, pegaram um cara que acha ser o irmão dela. -Justin bufou. -Se você quer salvar a garota não conte isso a ela, pois com certeza ela vai querer voltar.
Justin: Mas...como você sabe disso?
Luke: Estou na rua dela, que você me enviou, fiquei aqui estacionado olhando para a casa da garota e vi quando chegaram e logo depois saíram com um cara alto, com roupas coladas e fizeram ele entrar no carro deles com um saco na cabeça.
Justin: Merda Luke, esse aí não é o...-olhou para a SeuNome que ouvia o que ele dizia. -Eu não posso fazer nada para salvar esse cara.
SeuNome: Justin, o que aconteceu?-disse ao seu lado.
Luke: Vou desligar, só achei que você devia saber. -o celular ficou mudo e Justin o jogou no console.
SeuNome: Me conta logo o que está acontecendo. -Bieber se mantinha concentrado na estrada lotada.-Que cara você disse que não podia salvar?
Justin: Era um cara amigo do Luke, levou um tiro e agora o Luke queria minha ajuda, aquele imbecil. -mentiu.
SeuNome: NÃO TENTA ME ENGANAR!-e virou no banco- Justin, se pegaram alguém da minha família, você tem a obrigação de me contar.
Justin: A gente não pode voltar SeuNome.


SeuNome: Por quê?-pediu nervosa.
Justin: -suspirou- Pegaram o Harry.


Meia hora antes...



Harry Styles P.O.V's

SeuNome havia acabado de subir para dormir, aquilo faria bem pra ela, eu me sentia descansado de saber que ela dormiria bem. E eu sabia, pelo jeito que falou antes de subir. "Amanhã cedo tem escola", eu nem me lembrava mais como era se divertir na escola, ultimamente tinha sido um completo fantasma lá. Mas eu iria tentar melhorar a partir de amanhã, para pelo menos terminar a merda do ano bem. Tentei esquecer da universidade por um tempo e voltar a prestar atenção na tv. Eu já tinha visto aquele filme um milhão de vezes, Titanic, é claro que é o meu preferido. Apesar de dizer para todo mundo que é Clube da Luta. A questão é que as pessoas julgam demais, desde o começo do colegial alguns diziam que eu era gay sem nem me conhecer. Eu era o cara que gostava de arte erótica e usar roupas antigas. Mas era popular, eu pegava quem eu quisesse. O que é uma estranha combinação. Mas de qualquer forma, nunca quis ser normal, acho que por isso eu me apaixonei pela SeuNome, por que ela tinha alguma coisa que as outra não. As outras eram todas iguais. Ela viu problema em eu ser mulherengo, e naquela universidade que garota já achou isso um problema? Elas gostavam de caras assim. Que transa uma vez e nunca mais liga.

Austin: Oh! Acorda!-estalou os dedos na minha frente. Bem do jeito que a Lou fazia. -Tá no mundo da lua, é?
Eu: Onde você vai?-disse ao vê-lo se levantar e pegar um casaco.
Austin: Na casa de um amigo, tá tendo uma festa. A Jayme vai estar lá, e você já sabe. -assenti. -Você não vem?
Eu: Não estou nem um pouco afim.
Austin: Tá bom bebê chorão, fica aí com seu Titanic. -ri. -Vê se não vai aprontar com a minha irmã, hein. -joguei uma almofada em sua cabeça.
Eu: Vai embora logo!- Austin riu e foi indo para a porta, saindo sem dizer mais nada. A casa ficou um silencio de uma hora para outra, e só Deus sabia o quanto aquele silencio me fazia bem. Tombei a cabeça no encosto do sofá e fechei os olhos por alguns segundos, aproveitando para tentar relaxar um pouco. Foi então que ouvi um barulho no andar de cima, em seguida outro. Levantei e subi, entrando rapidamente no quarto de SeuNome que me surpreendeu por estar com a luz acesa. Assim que entrei, encontrei o quarto completamente vazio. E a janela, aberta, estava com as cortinas voando para dentro do quarto como se zombassem de mim. Ela não estava ali. Aí que tudo vez sentido, Justin havia a levado. É claro, como pude ser tão estúpido de pensar que ele ia cumprir o trato e ficar longe dela? Eu queria bater na minha própria cara por ter acreditado nisso. Peguei meu celular e tentei ligar para ela, mas dava que seu celular estava desligado. Então enviei várias mensagens, mas mesmo assim não conseguia conter o desespero de saber que SeuNome estava com um criminoso sem saber, e que ele poderia levá-la para qualquer lugar que quisesse. Não, consegui me acalmar. Ela era uma garota esperta, se corresse perigo iria saber se defender. Fiquei ali, acreditando nisso até que recebi uma mensagem do celular dela.

"Fiz o que foi preciso, vou cuidar da SeuNome. Fuja daí, ou vai sobrar para você e o irmãozinho dela.
-Justin"

Merda, merda! Fugir? Ele devia estar brincando, só podia. Aquela história de novo? Até parece que eu ia cair nessa, eu tinha que encontrá-la. Apaguei a luz de seu quarto e desci as escadas em silêncio. Comecei a andar de um lado para outro na sala, parecia que estava enlouquecendo. Não sei o porquê, mas comecei a pensar na possibilidade de Bieber estar falando a verdade. Liguei aquela história que ele havia me contado quando invadi a casa dele, com essa de hoje mais cedo. E se os caras de que ele estivesse falando quisessem se vingar da família dela? Justin era maluco e nele eu não confiaria de novo, mas a questão dele não ter desistido de voltar aqui anoite para buscá-la deve ser porque está mesmo em perigo. Foi então, que decidi ficar na casa. Eu sabia que podia ajudar, mesmo não sendo o certo, se fosse mesmo verdade. Austin estava na casa de um amigo, eles não iriam machuca-lo, nem ao pai dela. Fiquei na cozinha, esperando o que tivesse que acontecer. Me servi de refrigerante e me sentei na mesa, estava um completo silencio, como se nada fosse acontecer e ficou assim por longos e longos minutos. Até que a campainha tocou, duas vezes seguidas. Por incrível que pareça, não me assustei com isso, apenas entrei em alerta. Fui até a sala ao mesmo tempo que tocou pela terceira vez, abri a porta e dei de cara com três caras, mais altos que eu e com postura de seguranças, usavam roupas escuras e eram mal encarados.

Eu: Posso ajudar, senhores?-ironizei sem querer.
Homem¹: Onde está a garota?-falou curto e grosso.
Eu: Que garota?
Homem²: Não gostamos de lidar com mentiras, não queremos te machucar.
Eu: Agradeço por se importarem, obrigado. -fechei a porta na cara deles, mas um deles colocou o pé impedindo. Em seguida empurraram a porta entrando e um dos caras me pegou pelo pescoço rispidamente me encostando na parede.
Homem¹: Vou perguntar pela ultima vez, onde ela está?
Eu: Já falei que não sei de garota nenhuma, acho que estão enganados. -o cara fez um sinal com a cabeça para o outro. Os outros dois começaram a vasculhar a casa, um entrou na cozinha enquanto o outro subia as escadas, eu só ouvia o barulho das coisas sendo quebradas e chutadas, logo os dois caras já tinham subidos e estavam vasculhando o segundo andar. Eu tentava me soltar mas percebi que quanto mais tentava, mais o cara apertava a mão no meu pescoço. Então os outros dois desceram as escadas e vieram até nós.
Homem³: Nada dela. -me olhou. -Onde está escondida?
Eu: Me conta, não dói quando vocês estão com essas mãos pesadas masturbando um ao outro?-ri e um dos desgraçados colocou um saco na minha cabeça.
XXX: Vamos, não temos tempo para isso. -ouvi enquanto tentava me soltar e um deles amarrava minhas mãos para trás. Me deram um empurrão para fora e ouvi a porta se bater, não conseguia ver nada e estava meio sem ar, só conseguia perceber que estavam me fazendo andar pelo jardim em direção a rua. Logo um dos caras me fez parar.
XXX: Cadê ela?
XXX¹: Ela não estava em casa, só estava esse babaca. É o irmão.
XXX: Coloque-o no carro. -um cara abaixou com força minha cabeça me fazendo entrar num carro, logo eles entraram e ouvi a porta fechar.
XXX: Quem é você?-ouvi uma voz no banco da frente.
XXX¹: Ele era o único na casa, é o irmão dela. -depois de dizer isso, o carro ficou silencioso. Eu não neguei. Se pensassem que sou Austin não iriam atrás dele. Senti o automóvel começar a se mover e nessa hora senti uma agitação no meu peito, agora sim eu sentia medo.

[...]

Depois de ficar naquele silencio por um bom tempo, eu percebi que o caminho na qual me levavam era longo. Longo o bastante para me dar medo e me fazer esquecê-lo. Aquele saco na minha cabeça estava dificultando a espiração cada vez mais, eu não sabia mais quanto tempo ia aguentar. Senti o carro parar e em seguida as portas se abriram, um dos caras me puxou para fora e eu senti o vento frio na minha pele, ele trazia um pouco de areia. Eu quase perguntei onde estávamos, mas consegui me segurar. Não ia deixar o orgulho de lado para dirigir qualquer palavra sequer para esses caras. Me levaram até algum lugar e me fizeram sentar em uma cadeira. Alguém puxou o saco da minha cabeça e eu apertei os olhos tentando me acostumar de novo com a luz. Percebi que estava num lugar fechado que parecia uma garagem, com uma lâmpada amarela velha logo em cima de mim. Tinham dois daqueles caras na porta e outro logo atrás de um que estava a minha frente.

Ele: Olha aqui, eu vou ser legal com você. Meu nome é Eric, o seu é Austin, certo?-assenti- Então, cadê a sua irmãzinha, hein?
Eu: Eu não sei.
Eric: Ah, por favor! Não seja assim, nós sabemos que está mentindo, não é rapazes?-todos permaneceram calados, apenas me olhando como se fossem me fuzilar. -Vingança é doce como um prato cheio.
Eu: Por que está fazendo isso?-ele pegou uma arma da cintura e me deu uma coronhada na cabeça e eu gritei.
Eu: Eu realmente não sei de nada, ela não fala comigo a bastante tempo.
Eric: Ah, é mesmo? Não sabe de nada?-me encarou. Eu neguei com a cabeça. -Então acho que vou ter que te matar. -forcei meus pulsos tentando soltá-los das cordas enquanto o cara se virava e pegava uma arma diferente com o outro. Ele se aproximou com a arma apontada para minha cabeça, destravou-a e eu fechei os olhos. Foi quando ouvi um baque enorme. Pronto, ele havia atirado. Mas, porque eu ainda podia pensar? Ouvi dois barulhos seguidos que pareceram ser tiros, foi então que abri os olhos. Eu ainda estava na cadeira, não havia morrido. E a porta tinha sido arrombada, e um dos caras estava morto no chão. Justin estava ali em pé, e pela primeira vez eu estava feliz em vê-lo. Apontava a arma para os outros caras, mandando eles se afastarem, e assim eles fizeram com as mãos para cima. Um deles, parecia aterrorizado em ver Bieber ali. Justin veio até mim e me desamarrou sem deixar de apontar a arma. Assim que estava solto, Justin me guiou para fora após dizer para os caras que se nos seguissem iria atirar neles. Justin e eu corremos por uma espécie de corredor que nos levou a uma escada de grades. Corremos o mais rápido possível e conseguimos descer até a um lugar que parecia ser um estacionamento. Estava completamente vazio, em volta havia umas grades que diziam "Local proibido", e uma enorme vegetação que cobria as laterais. Eu estava cansado de correr, quando Justin parou olhando para os lados e para trás.

Eu: Ei, onde ela está?-disse ofegante.
Justin: Não se preocupe, ela está bem escondida. -olhei para frente.
Eu: Tá bem escondida o caralho, eu estou vendo ela ali!-falei nervoso, não acreditava que ele deixou ela sozinha. -Sua anta, foi deixá-la no carro!
Justin: Cala essa boca, se não fosse por mim você teria uma bala enfiada no peito agora.

Ouvi passos rápidos atrás de nós, e antes que pudesse me mover para sair dali eles já haviam nos alcançado. Levei um tão forte no rosto que fui para o lado, enquanto outro cara batia no Justin. Outros caras chegaram assim como aquele que quase atirou em mim, nós estávamos em completa desvantagem. E eu estava apanhando demais, sem conseguir me defender de maneira nenhuma. Meu rosto ardia com os socos, os chutes, eu sentia que ia cair porque não estava aguentando. Olhei para frente em direção ao carro, SeuNome estava no banco da frente com uma expressão de desespero e completamente amedrontada assistindo tudo. Eu falei "Não se mexa" para que eles não a vissem esperando que ela tivesse lido meus lábios. Meu rosto estava cheio de sangue, eu mal podia ver onde Justin estava, apenas podia ouvir os gritos dele. Aquilo era uma das piores coisas que eu já tinha vivido, mas eu estava fraco demais para conseguir segurar os punhos dos caras. Percebi que de dentro do carro, SeuNome olhava para outro ponto agora, a direta de mim e Bieber, eu segui seu olhar e percebi que havia um carro preto com vidros também escuros, ela o encarava sem parar como se soubesse que algo pior estivesse para acontecer. Eu caí no chão, depois de outro chute, foi quando SeuNome rapidamente desceu do carro. Eu gritei para ela voltar mas era tarde, eles já tinham a visto. Droga, desejei não ter caído, por que ela foi descer? Por que? SeuNome sabia que não poderia me ajudar, e mesmo assim por que desceu? Foi nessa hora que do carro preto a diante, desceram mais dois caras que pareciam seguranças e na frente deles, um homem que aparentava uns cinquenta anos com pose de gangster, que jogou um charuto no chão e se aproximou calmamente de nós. Eu não levantei do chão porque não consegui, mas pude ver a maneira maligna que ele olhou para SeuNome.

Ele: Então você é a garotinha que eu devia ter matado a doze anos atrás. -riu. -Você ficou muito bonita SeuNome! E você...-olhou para Justin que estava com o rosto ensanguentado. -eu vou fazer o que você já devia ter feito a muito tempo. -suas palavras eram firmemente ditas. -Você é um COVARDE Justin. Você não presta para nada, nunca prestou! Devia ter feito um trabalho bem feito e olha o que acontece...você se apaixonou por ela. -disse sarcasticamente e os outros forçaram risadas. -VOCÊ É UM FRACO! Um imprestável, o meu sangue nas suas malditas veias não serviram para nada, é uma vergonha! Eu mesmo devia ter acabado com você enquanto ainda era criança. -olhei para o lado e Eric apenas ouvia, com uma expressão fria. Minha cabeça estava rodando, aquele cara era o pai de Justin? Ele andou até a SeuNome que recuou, mas ele a puxou pelo braço de uma forma ríspida, e Justin levou um golpe nas costas que o fez cair.
Justin: Harry!-gritou como se precisasse que eu fizesse algo rápido. Juntei todas as minhas forças para conseguir levantar e antes que os caras me segurassem, corri até o Justin para pegar sua arma que estava caída a alguns metros dele mas vi que ele mesmo conseguiu pegar antes. Se pôs de pé e disparou sem pensar em direção ao seu próprio pai, mas Eric se jogou na frente e a bala acertou seu peito. Seu corpo caiu nos braços do pai de Justin.
Eric: Pai, eu nunca te deixaria morrer. -disse com dificuldade.
Ele: SEU FILHO DA PUTA, VOCÊ MATOU O MEU FILHO!-gritou e Justin estava rangindo os dentes.
Justin: Fica com o seu filhinho no inferno. -ao dizer, puxou o gatinho, acertando a cabeça do pai. SeuNome veio correndo até mim e eu a abracei o mais forte que pude, percebi que ela tremia demais, como uma criança indefesa e lágrimas escorriam pelos seus olhos. Logo após o ultimo tiro, os outros caras vieram até nós, com certeza ainda tinham ordens para acabar com a gente. Eu tentei sair dali com a SeuNome mas um deles segurou-a puxando de mim. Ela gritou alto mas o cara continua a puxando enquanto outro fazia o mesmo comigo nos separando, eu só conseguia ouvir seus gritos chamando por mim, uma das minhas mãos segurava seu braço mas quando o cara a puxou pela ultima vez, minha mão escorregou de seu braço, tocando em sua mão gelada e naquele momento, eu senti que seria pela última vez. O cara que me segurava voltou a me bater com raiva, eu segurei sua mão mas com a outra ele me acertou no rosto e assim continuou, enquanto aquele que segurava SeuNome se juntou com outro e os dois estavam a levando em direção ao mato.
Harry: SOLTEM ELA!-SeuNome se esperneava. -SOLTEM AGORA!-berrei e o cara esmurrou meu rosto. Eu não ia deixar que aqueles monstros a estuprassem. -DESGRAÇADOS!-tentei me soltar de qualquer maneira mas o cara me golpeava cada vez mais. Eu só conseguia ver sangue em meu rosto.


Narrador P.O.V's

SeuNome se esperneava e gritava enquanto era arrastada bruscamente até a os arbustos, ela gritava o nome de Harry na esperança de que ele pudesse ajuda-la mas isso estava longe de acontecer. Só queria entender o que estava acontecendo, por que aquelas pessoas queria fazer mal a ela e quem era Justin. Ela tentou ver pelo ombro de um dos caras que a arrastavam mas não conseguia, e ali estava completamente deserto, sem ninguém que pudesse ajudá-los. SeuNome sentia que eles não passariam daquela noite, e essa era a pior sensação que já tinha sentido, incapacidade, medo, angústia, tudo misturado. Como se trancassem sua respiração. Aquele era o homem, tudo fazia sentido, o desgraçado que matou sua mãe e sua irmã, ele era pai de Justin? Não havia o que pensar, ela não sabia. E ele estava tentando engana-la todo esse tempo.
Assim que a levaram para trás das grades, um dos caras abria sua calça enquanto o outro segurava seus braços juntos para trás, dizendo que ela não fugiria de novo. Pelas grades, viu Justin levar vários murros e chutes até cair no chão, mas antes que pudesse gritar para ele, o cara que lhe segurava puxou-lhe para trás.


Homem¹: É lindo não? Ver seu amiguinho e o namoradinho apanharem até morrer?-sussurrou perto de seu pescoço fazendo-a querer vomitar. -Como é que funciona, você transa com os dois ao mesmo tempo? Então vai gostar desse joguinho. -o outro se aproximou com a calça aberta e SeuNome berrou alto, ele tocou em suas pernas e ela gritou novamente, então o outro com a arma lhe deu uma coronhada na cabeça e cair no chão. Foi quando uma quarta pessoa apareceu de trás das grades, atirando rapidamente contra os caras mas errando os primeiros tiros, até que acertou os dois caras. Luke olhou para baixo vendo SeuNome desmaiada e com a cabeça ensanguentada, abaixou-se a pegando no colo e logo viu Justin adiante, que estava no chão. Luke colocou SeuNome no banco de trás de seu carro, que estava bem escondido e em seguida quando saía do carro viu Harry chegando com uma arma na mão e gotas de sangue em seu rosto.

Luke: Vou leva-la para um lugar seguro, depois nos encontramos. -Harry assentiu. Foi quando ouviu a voz de Justin atrás de si, a diante. Luke já tinha entrado no carro e saído dali, Harry ofegante, entregou a arma para Justin que ficou impressionado.
Justin: Não acredito que atirou naquele cara. -Harry o olhou sério.
Harry: Ela está bem agora. -Justin assentiu.
Justin: Olha, isso aqui, é pra SeuNome. -tirou do bolso um papel dobrado. -Não minta pra ela, entregue e não diga que eu fugi do país, ela tem que saber o que aconteceu. -Harry ficou apenas o olhando sem saber o que fazer. Justin colocou em sua mão. -Não perca. Dessa vez foi quase, bro. -sorriu e colocou na mão de Harry as chaves de seu carro. -Ainda sobrou um. -sorriu ironicamente e saiu andando bem rápido, Harry deu a volta e pegou o carro dele sem perguntar mais nada. Entrou no mesmo e o ligou, a sua frente ouviu um barulho de tiro. Foi quando olhou, e viu que tinha sido o ultimo. O corpo de Justin caiu no chão, e o homem que sobrava correu rápido para escapar dali. Harry suspirou e deu partida saindo dali o mais rápido possível, indo ao encontro daquele cara misterioso, que havia salvo SeuNome.

CONTINUA...
Genteee! Eu sei que demorei, é que eu tive que editar esse capítulos várias vezes, eu sempre achava que não estava bom o bastante pra publicar. E esse ano começou bem mais puxado pra mim, imagino pra vocês também, mas sei lá, eu estava tão acostumada com as férias que nem estou conseguindo mais me acostumar. Mas enfim, eu gostaria de todo o coração as coisas fofas e lindas que vocês me escrevem, eu sei que pareço uma chata e idiota (todas as notas de todos os capítulos eu falo a mesma coisa), mas é verdade, eu vou ler os comentários e sempre fico sorrindo com o que vocês escrevem. Essa é a razão de eu estar aqui, de me esforçar para criar coisas novas e continuar firme (bunda do Louis) aqui. 
LIZZY XX))

87 comentários:

  1. MEU DEUS! EU AMO ESS AFANFIC! ESSE FOI O MELHOR CAPÍTULO DA HISTÓRIA DOS CAPPITULOS! VC ESCREVE ESTILO LIVRO E ATÉ MELHOR QUE O RICK RIORDAN! PARABÉNS FICOU PERFEITO. NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO O JUSTIN MORREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEUUU. TADINHA DA SEUNOME O PAI DO JUSTIN É UM DESGRAÇADO E O HEURI UM FOFO. ESCREVE MAIS! CONTINUAAAAAAAAAAAA AHH!!!!!! TE AMO
    XXXX

    ResponderExcluir
  2. Please posta logo
    Qual vai ser o próximo imagine?
    Só leio os do seu blog, são os únicos excelentes, mas os seus são os meus preferidos
    XxTata

    ResponderExcluir
  3. MEU PAI DO CÉUUUUU
    CARA QUE PERFEITOO
    ESTA MAIS QUE PERFEITOOO

    ResponderExcluir
  4. Ai deus magico perfeitooo

    ResponderExcluir
  5. PERFEITOS DEFINE
    ESTA OTIMO CONFIE NO TEU TALENTO QUE VC TEM MUITOOO

    ResponderExcluir
  6. AIII T-T EMOCIONANTE AII DEUSSS

    ResponderExcluir
  7. MARAVLILHOSSOOO
    MEU DEUS QUE PERFITOOO

    ResponderExcluir
  8. Cara meu deus vou chorar continua logo pelo amor de Deu esta muito perfeitooo

    ResponderExcluir
  9. Perfeito de masss meu pai eternooo

    ResponderExcluir
  10. QUE TALENTOOOO
    MEU DEUS DOS CEU

    ResponderExcluir
  11. CARA DEMOROU MAIS VALEU ESPERAR CASA SEGUNDO DIA POR ESSE CAPITULO,ESTA DE MAIS MEU DEUS
    XX:Mari

    ResponderExcluir
  12. particulamente ameiiiii
    Lindo perfeitoo

    ResponderExcluir
  13. QUE DIVO VELHOOOO
    MEU DEUSSS
    FAÇA MAIS FICS COM O HARRY POR QUE VOCÊ ARRASSA DE MAISSSSS

    ResponderExcluir
  14. PERFEITOOO
    NEM TEM MUITO O QUE FALAR ESTAR DE MAISSS

    ResponderExcluir
  15. Perfeito de mais caraaaaa

    ResponderExcluir
  16. Velho mais que perfeitooooo

    ResponderExcluir
  17. DIVO PARABENSSS AMEIII

    ResponderExcluir
  18. Cara demorou mais valeu a pena.
    PERFEITOOOO

    ResponderExcluir
  19. Ai CARA VOCÊ TEM QUE ESCREVER UM LIVROOO

    ResponderExcluir
  20. Talentossima em tudo que faz.

    ResponderExcluir
  21. AAAIII
    MORRRII de maisss

    ResponderExcluir
  22. Eu chorei lindo de maisss

    ResponderExcluir
  23. Cara imagina vc fazendo um Hot cara,vc é talentosa em tudo que que faz..

    ResponderExcluir
  24. CARA ME EMOCIONEI. DIVO MAIS QUE PERFEITOOO
    SÒ TENHO ISSO A DIZER

    ResponderExcluir
  25. meu pai da bunda preta,DIVOO

    ResponderExcluir
  26. PERFEITOO MELHOR FIC QUE JÁ LIIII

    ResponderExcluir
  27. CARA VALEU A PENA ESPERAR VOCÊ É DE MAISSS VELHO PUTA QUE P*****

    ResponderExcluir
  28. Eu amei muitooo serioooo
    Serioooo
    Seriooo
    Seriooo
    PERFEITOOOOOO

    ResponderExcluir
  29. Posta logo parabens divooo

    ResponderExcluir
  30. Mãe do céu esta maravilhoso,como sempre,amei..
    Parabens

    ResponderExcluir
  31. Eu amei serioo cara que massa

    ResponderExcluir
  32. Oi amor, sei que isso é chato, mas poderia por favor indicar meu blog pro seus leitores? Eu amo seu blog, aliás, continue por favor, estou muito ansiosa http://eraumavez1d.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Cara o Bieber morreu?, coitado zaynte! Enfim tá muito liamdo continuaaa q eu to curiosa
    xoxo Duda

    ResponderExcluir
  34. PUTA MERDA ANNA LIZZY EU TO DLSHIVFGBUSDB TA MUITO PERFEITO MULHER É SERIO EU TO EM CHOQUE, QUANDO EU VI QUE O CAPITULO IA SER GRANDE EU FIQUEI TAO <3 DKGHVDS AI MDS EU N ACREDITO, ESSA FANFIC PODERIA SER EDITADA((só um pouquinho)) E VIRAR UM LIVRO, EU IRIA GUARDAR JUNTO DA MINHA COLEÇAO DE PJ PORQUE MEU DEUS, FARIA QUESTÃO DE SER A PRIMEIRA A COMPRAR DIFGBUEDA CONTINUA LOGO, PELO AMOR DE DEUS ANTES QUE EU MORRA DE TANTA CURIOSIDADEEE
    bjau da may xx

    ResponderExcluir
  35. Perfeito acho q essa é a palavra pra definir essa fanfic e principalmente esse capitulo, eu leio essa fic desde o inicio, mas nunca comentei, mas hj me senti na obrigação de comentar, esse foi o melhor capitulo o mais emocionante o mais pft de tds, n só dessa fic, mas de tds q eu já li. Parabéns vc escreve muito bem, confie no seu talento
    Vicky :)

    ResponderExcluir
  36. -Nada dela, onde q esta escondida?
    -Escuta, doi quando vcs estao com essas maos pesadas masturbando um ao outro?

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk scrrr mulher, morri com a fodisse do Harry

    ResponderExcluir
  37. AAAAAAAAH *-* perfeito *-* cara eu tenho sentimentos SABIA ? Quer mim matar msm né ? ;c mds *--* mds *--* mds *--* cara ESSA É A MELHOR FIC QUE EU JA LI É A MELHOR MSM SEM MENTIRA *-* EU AMO ESSA FIC <3 AMO MT <3, bj :* ~Emmy

    ResponderExcluir
  38. Simplesmente P-E-R-F-E-I-T-O ♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♡ TE AMOO!

    ResponderExcluir
  39. Simplesmente P-E-R-F-E-I-T-O ♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♥♡♡ TE AMOO!

    ResponderExcluir
  40. Continua por favor meu deus eu te imploro eu junca li nada parwcido com isso em toda a minha vida putz..... eu to apaixonadaaaaaa entao..por favor continua

    ResponderExcluir