Longfic - Zayn Malik - / I Pray For You - Capítulo 1

| | |

Voice’s SeuNome
  
  Fazia cerca de vinte e oito minutos que eu aguardava os meninos chegarem e nada, eles simplesmente não apareciam. Já estava ficando preocupada, notícias de pessoas desaparecendo era o centro das atenções em jornais e revistas. Peguei meu terço e comecei a rezar, para que nada de ruim acontecesse com os meninos. Eu não era muito religiosa, mas sempre que podia eu orava e pedia a Deus para que tudo na minha vida ocorresse bem e nada de ruim possa me fazer ficar triste. Lá fora estava chovendo muito forte e algumas vez eu conseguia ouvir raios. 

    Meus pais não estavam em casa, apenas eu e minha irmã. Ouvi a porta ser aberta e dois sujeitos molhados entraram em minha casa. Ambos se viraram e sorriram para mim que retribui com alívio. Minha expressão feliz mudou assim que os vi entrarem em casa sem ao menos enxugarem os pés. Dei uma bronca nos dois e ambos enxugarão seus pés e ainda os obriguei a tirarem seus sapatos.

Liam: Não teria como você deixar essa mania de limpeza não? - Olhei para ele.
Eu: Não. Já que eu sou a única pessoa nesta casa que se importa com a higiene e bem estar da família, devo manter essa mania em perfeito estado e nunca abandoná-la. - Zayn revirou os olhos.
Zayn: Então, vamos fazer o trabalho ou não? - Zayn falou um pouco zangado. Eu sabia que ele estava com ciúmes, ele sempre disse que eu preferia o Liam do que ele.
Eu: Não se sinta excluído Sunshine. - Provoquei. - Sabe muito bem que o meu preferido sempre foi você desde quando tínhamos oito anos de idade. - Fiz Zayn dar um leve sorrisinho.
Zayn: Também, quem não resiste a essa beleza? Foi a mamãe quem fez. - Liam riu.
Liam: Eu ainda vou ser o padrinho do casamento de vocês, eu enho a absoluta certeza.
Eu: Até lá, espere sentado Liam.

    Em minha casa havia um porão, escondido que apenas eu, Liam e Zayn sabíamos. Não que nós não queríamos que meus pais o vissem, mas era escondido para escondermos nossos trabalhos, fazermos o que quisermos sem ter de ouvir alguém reclamar que estamos quebrando algo. 

    As paredes do local era cercada de fotos nossas, isso era por termos uma câmera das antigas que revelava a foto na hora. A maioria era nós três, poucas eram as que tinham apenas os meninos ou eu e algum desses dois. A nossa infância e adolescência estava toda registrada aqui, e apenas nós sabíamos disso.

    O trabalho era de ciência, e tínhamos que falar sobre as diversas plantas que existem na terra. Nós, ficamos com as plantas aquáticas. Bem, não era o melhor tema mas três nerds trabalhando juntos tiraríamos as notas máximas. Começamos a fazer a pesquisa, eu eu achei interessante o fato de que as algas marinhas dão mais oxigênio para nós do que as próprias árvores.

    Passamos a manhã inteira fazendo o trabalho e procurando algum local que as goteiras não molhassem o nosso trabalho. Sinceramente, teremos de fazer uma pequena reforma no nosso esconderijo. E eu só espero que ninguém o descubra quando os garotos estiverem o reformando. O barulho da chuva só ficava mais forte, e tivemos que segurar o arbusto de plástico para ele não ir embora e deixar nosso esconderijo a amostra. Quando tudo estava quase pronto, Zayn falou:

Zayn: Ouviram isso? - Era o som de gritos e pareciam ter vindo da casa. - Seunome, que horas são? - Olhei no relógio e era a hora em que minha mãe chegava em casa para almoçar.
Eu: 12:30 minha mãe já chegou.
Liam: E é normal os gritos? - Neguei com a cabeça e agora ouvimos o som de algo quebrando e um tiro, isso um tiro. - Alguém mais ouviu isso? - Eu e Zayn assentimos e saímos daquele porão e fomos diretamente para dentro da minha casa, lá encontrei meu pai jogado no chão em uma possa de sangue.
Eu: PAPAI! - Gritei e ouvi minha mãe e Miranda chorando. Olhei para Zayn e Liam e os dois estavam com os olhos arregalados e com as mãos pra cima, olhei para frente e vi um homem mascarado apontando uma arma em minha cabeça.
Zayn: Não faça nada com ela, atire em mim mas deixe ela em paz.
Homem: Quem disse que eu quero atirar nela? Eu passei meses a procura de uma garota como ela e agora que eu a encontrei eu não vou desperdiçar essa minha chance.

    Enquanto o cara continuava com a arma apontada na minha cabeça e distraído olhando para Zayn que o olhava raivosamente por ter dito que possivelmente me queria. Me levantei deixando o corpo de meu pai ainda fraco no chão e parti pra cima do cara. O homem caiu no chão com o tamanho da força que eu pulei em cima dele, ele soltou a arma e eu o segurava fortemente e por ser brava dava socos quando ele tentava se soltar, mas para o meu azar ele era bem mais forte do que eu.

    Enquanto o cara estava distraído me fazendo ficar quieta, Zayn pegou a arma e continuava se tremendo ao segura-la. Liam foi para perto de minha mãe e de Miranda e ficou consolando as duas. O cara finalmente conseguiu me segurar com o braço prendendo meu pescoço e me enforcando e Zayn apontava a arma para o cara.

Homem: Se eu fosse você eu não atirava moleque. Eu estou com ela e posso muito bem mata-la enforcada. -Zayn continuava se tremendo e apontando para o homem no qual quanto mais Zayn segurava o revolver mais apertava meu pescoço. - Você é quem sabe, quer a sua namoradinha viva ou quer vê-la morta. - Eu olhei para o meu pai que ainda estava no chão, eu rezava para que ele continuasse vivo mas minhas orações não foram suficientes. Ele estava morto!
Eu: Zayn me ajuda! - O homem continuou apertando meu pescoço e quanto mais apertava mais eu me debatia, mas não era o suficiente. Ouvi um barulho de tiro, fechei meus olhos apertando os mesmo e não senti o homem caindo juntamente comigo. Os abri e vi Zayn soltando levemente o revolver e olhando pra mim com lágrimas nos olhos.
Zayn: Eu te amo! - Sussurrou ele e caiu no chão, eu gritei seu nome e vi Liam, mamãe e Miranda serem presos na coluna que tinha perto da escada. Logo depois que Zayn caiu no chão vi outro homem atrás dele e segurando um revolver.
Homem: Ótimo! Agora que dois morreram vamos deixar esses três aí e levar a garota conosco. - Eles prenderam minhas mãos atrás das minhas costas e colocaram uma fita em minha boca me impedindo de falar. E assim me levaram para um lugar bem longe da minha família, bem longe dos meus amigos, bem longe do garoto que amo.

    Eu estava acabada, eles havia matado Zayn, o único garoto no qual eu amei e sempre vou amar. Até hoje eu me recordo dos gritos de minha mãe, tentando fazer com que eles não me levassem embora, mas seus gritos eram em vãos. Eles não a escutaram e não me soltaram. Eles apenas me levaram para um lugar bem longe, onde ninguém possa saber onde estou, onde eu não posso fugir, e onde eu não tenho escolha a não ser o que eles mandam. Essa, é a história da época em que fui dada como morta.


To Be Continue’d

Como eu havia dito antes, eu vou recomeçar esta longfic. Acho que com as ideias que eu tenho, ela ficará bem melhor e será postada bem mais rápido. E eu espero que vocês gostem dessa nova versão. Virão que eu coloquei algumas partes da antiga? Então, eu vou colocar um pouco no próximo capítulo também, mas o reencontro de você e do Zayn vai ser mais emocionante e diferente. Um beijo!

3 comentários:

  1. Ta ainda melhor ! Sua assinatura ta perfeita <33
    Estou sentindo falta de DIL :(

    Feliiz Aniversário atrasado ! você me falou uma vez qual era o dia de seu niver .. eu esqueci o dia , acho que era dia 5 kk ' nem lembro direito .. Bjs !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou dar o meu melhor para a longfic ficar melhor. Tenho outra assinatura do liam fofinha que você vai adorar.
      Obrigado! Sério, achei que ninguém iria lembrar. E eu nem queria comentar sobre meu aniversário pois acho falta de educação a pessoa falar que é seu aniversário pra todo mundo te dar os parabéns, embora eu quisesse isso eu não o faço. E sim, é dia 05.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oh my Josh !Q anciedade zaynte posta posta posta
    xoxo Duda

    ResponderExcluir