Missing Angel - Capítulo 43

| | |

- Ele disse que tudo ia ficar bem

"Quando a noite começar a ir embora, garoto, você tem meu coração pulando. Quando você me toca enquanto o tempo está passando longe. Salve o dia."./ Save the day- Selena Gomez

Narrador P.O.V's

2 semanas depois...

Harry nem sabia mais como deveria se sentir. Era como se fora do seu quarto não existisse mais vida, e ele não aguentava mais ficar ali, trancafiado por dias, mesmo que de vez em quando andasse pelo apartamento aquilo não era vida. Precisava pensar, mas certas horas parecia que ia se afogar em seu sono. Eram tantas lembranças daquela cama, daquele quarto, era como se ele ainda pudesse ouvir os risos de Sarah nele, misturados aos gritos dela enquanto ele batia em Derek. O ódio que ele sentia dela não chegava nem aos pés da decepção. Ele sentia que queria matá-la enquanto dormia. Não, dormindo não. Um bom assassino não é tão covarde de matar sua vítima enquanto dorme, porque iria adorar que ela se defendesse. Mas quando pensava na decepção que SeuNome deveria ter sentido naquela noite, ele tinha vontade de chorar de novo. Só queria ter conseguido se controlar, para que ela não tivesse visto aquela cena horrível. Mas não conseguiu ver a escolha em sua frente naquele momento, a raiva que sentiu pulsou em suas veias assim que colocou os olhos naquela tv e as imagens começaram a fazer sentido.

Ele então, oficialmente se rendia. Se rendia a Justin Bieber, a Derek e ao amor desesperadamente doente que sentia por SeuNome. Conseguir uma garota nunca foi tão difícil, e Harry simplesmente não sabia como sua vida tinha tomado esse rumo, como foi que tudo ficou desse jeito? Ele não sabia o que faria.

Quando conseguiu acordar, percebeu que já eram dez e quarenta. Saiu de seu quarto com a mesma roupa fedida a remédio e foi para a cozinha já que estava morrendo de sede. Caminhou até a geladeira e a abriu sentindo-se como um zumbi, os olhos cansados demais para prestar bem atenção em qualquer coisa. Serviu um copo com água gelada e foi ouvir as mensagens da secretária eletrônica. Assim que ouviu a voz chorosa de Sarah apertou a máquina em suas mãos deixando seus dedos sem circulação. Lutou contra a vontade de jogar a mesma contra a parede, simplesmente desligou antes de ouvir as outras 39. Ele já sabia o que queria fazer. Não era o certo, e nem o que deveria. Mas era o que ele queria mais do que tudo naquele momento.

Se livrou daquelas roupas assim que entrou no banheiro e tomou um banho demorado, fingindo para si mesmo estar purificando sua alma. Ao sair, vestiu-se com um jeans escuro e uma camiseta branca, um tênis da mesma cor e colocou seu celular desligado no bolso, junto com bastante dinheiro.

[...]

Em uma hora e meia depois, Harry já se sentia um pouco melhor, tinha parado num bar perto de seu prédio que tinha fama de ser bem ruim. Mas pelo menos estava vazio, sem aquelas pessoas que o sufocavam em todos os cantos. Na verdade no bar só havia ele e mais um sujeito bem afastado. Harry sabia que não estava completamente bêbado, só havia tomado algumas doses, e já não se lembrava de muita coisa daquela noite, o que provava que seu plano havia sido bem sucedido. Álcool sempre seria melhor que aqueles comprimidos fajutos que estava tomando para conseguir dormir.
Deu uma olhada para seu celular vendo uma mensagem Austin que havia acabado de chegar. "Você está bem? Todos na faculdade estão comentando..." Harry digitou "Como ela está?" mas apagou em vez de enviar após ficar encarando a mensagem. Levantou-se da cadeira e pagou o velho que passava um pano nos copos. Entrou em seu carro e dirigiu até a casa dele, ao estacionar bem na frente da casa, fez uma careta engraçada ao olhar a casa de Justin do outro lado da rua. Forçou o olhar para tentar ver algo da janela acesa do quarto de SeuNome, mas não teve sucesso. Desceu do carro quase tropeçando no meio fio da calçada, andou até a varanda subindo com cuidado os degraus. Tocou na porta e depois de alguns minutos teve resposta. Austin lhe olhou com uma expressão triste e Harry o cumprimentou.

Austin: Não precisava ter vindo. Por que não respondeu a mensagem?
Harry: Achei melhor responder pessoalmente. -Austin o olhou estranhamente pensando se aquilo era sério mesmo.
Austin: Tá brincando?-riu. Harry só o olhou. -Você bebeu né?
Harry: Bebi, bebi. -fechou os olhos. -Bebi.
Austin: Okay, olha...se quiser entrar eu acabei de terminar de estudar...
Harry: Não adianta mentir, eu sei que não estudou merda nenhuma. -Austin assentiu. -Então respondendo, eu estou bem sim. -entrou e Austin fechou a porta. -Uau, esse é aquele novo dos zumbis?
Austin: Sim, é. Senta aí, eu vou pegar alguma coisa pra comer e a gente joga, sei que vai te fazer bem. -Harry se sentou no sofá.
Harry: Lembro de quando eu vivia aqui, quase todo dia. Achava que estar aqui era melhor que estar em casa. -encarou o chão da sala onde tinha acontecido a briga. Piscou balançando a cabeça. -Er...
Austin: O que foi?
Harry: Nada. -Austin voltou com um pacote de salgadinhos.
Austin: Meu pai está dormindo então é melhor não fazermos barulho. -Harry assentiu.

[...]

- UHUL!- os dois gritaram alto juntos quando conseguiram passar de fase.
Austin: Droga, quantas vezes vou ter que te mostrar que tem que pular aquele negócio, você não pula Hazza!
Harry: Mas eu pulo sim Austin.
Austin: Não, nós estaríamos dois níveis na frente se você tivesse pulado.
Harry: Qual é. -eles se encararam sérios e começaram a rir juntos. Harry segurou a cabeça de Austin fingindo estar tentando arrancá-la enquanto ele ria.
Austin: Solta boiola!-riu. Harry parou de rir e se pôs de pé.
Harry: Eu vou ao banheiro, já volto. -andou em direção as escadas mas a voz de Austin o fez se virar.
Austin: Boa sorte. -falou depois de olhá-lo. Harry sorriu tristemente e balançou a cabeça.

Subiu as escadas e encontrou o corredor do segundo andar escuro e silencioso, as duas primeiras portas estavam fechadas. Nessa hora pensou no quão engraçado era Austin já saber exatamente o que ele ia fazer no andar de cima, ninguém deseja sorte para quem está indo ao banheiro. Mas por incrível que pareça, ele precisava mesmo. Harry suspirou e entrou no banheiro. Assim que saiu, apagou a luz novamente e antes de pegar as escadas novamente, olhou para trás não resistindo ao ver a porta dela entre aberta, com a luz acesa. SeuNome não poderia estar dormindo. Quando instintivamente colocou um pé na direção da porta dela, pensou novamente. Aquilo era tão errado, seu pai já havia lhe dito. E ele realmente não queria magoa-la. "Qual é Harry"-pensou- "Já se passaram duas semanas...ela deve estar melhorando. Não estrague isso". Mas por que parecia tão difícil lutar contra a vontade de ir até lá? Sentiu uma agitação tomar conta de seu peito. Caminhou até a fonte de luz do corredor, chegou bem perto da porta a ponto de poder vê-la. SeuNome estava de pijamas, as mechas soltas jogadas em um lado do ombro, e com uma fotografia na mão. Mas seus olhos não estavam mais na fotografia. Como era bom vê-la, parecia que as duas semanas haviam sido dois anos. Sentia falta de tocar nela, do seu cheiro e de sua risada alta e estranha, da maneira como ficava brava as vezes...e acima de tudo, sentia falta de sua amizade com ela.
Harry adentrou o quarto silenciosamente, sabia que poderia arranjar encrenca com o pai dela se ele o pegasse ali, mas ele sabia bem que tipo de pai ele era. Era como o dele, além do mais ele sabia que o homem lhe aprovava. Mesmo assim não era bom mexer com o pai de uma garota. Harry se aproximou da cama onde ela estava, viu mais de perto seu rosto. SeuNome estava chorando. Mas não era um choro qualquer, era aquele que poderia engasgar alguém, aquele na qual a pessoa não consegue mais aguentar e ele saí sem controle, aquele intenso que destrói, e aquele que mais tentamos esconder. Sem hesitar, Harry se aproximou rapidamente dela por incrível que pareça conseguindo andar reto, seu rosto estava triste e molhado.

SeuNome: Saí Harry! O que você tá fazendo aqui? Não, não quero saber. -disse rapidamente puxando a coberta para cobrir seu rosto sem sucesso. Harry sentou-se na beira de sua cama.
Harry: Olha. -falou parecendo assustado por encontrá-la naquelas condições, era para já estar melhor. Ao mesmo tempo assustado por vê-la chorando e não saber confortar. -Antes que você diga qualquer coisa, eu não vou embora dessa casa antes que você me conte. O que o Justin fez? -ela deu um risinho sarcástico e se ajeitou.
SeuNome: Não é da sua conta. Você não é nada meu, nem meu amigo, nem conhecido, eu finjo nunca ter conhecido você! Como tem coragem de vir aqui e ainda com cheiro de bebida? Você me estuprou, você mentiu pra mim, você me humilhou na minha própria casa por causa daquela mulher, você humilhou o Austin e o meu pai! Somos motivo de piada agora em todo lugar Harry, você espancou o Derek na minha casa! E agora vem aqui?-fungou passando a mão nos olhos. Harry se sentia quebrado, no chão completamente. Como que se cada coisa ruim que ele fez fosse uma faca em seu peito.
Harry: Por favor, para! -disse como se só ela pudesse fazer a dor parar. -Me conta SeuNome, sei que fui um monstro mas eu posso ajudar você agora!
SeuNome: Não, você liga pra nada, só pra você, só quer saber pra rir de mim. -ela disse firme, mesmo sem conseguir parar de chorar.

Harry aproximou seu corpo e puxou o rosto dela, encostando sua testa na dele. Quando ela tremeu, ele sorriu pegando sua mão que estava no colo da mesma. Estava gelada, como nos dias de inverno na qual ele lembrava quando ela adormeceu sobre ele pela primeira vez. SeuNome afastou o rosto ao sentir a mão quente de Harry, mas na mesma hora ele a beijou inesperadamente. Seus lábios com um pequeno resquício de bebida se movimentaram bruscamente na dela, fazendo-a sentir a sensação de que iria ficar em chamas pelo calor em sua barriga, e Harry, segurava seu rosto a pressionando contra sua própria boca para que ela não tivesse como sair, suas línguas tocavam-se em sintonia, SeuNome tentou resistir colocando uma das mãos no ombro de Harry ao tentar afastá-lo, mas sem querer deixou-se ser tomada pela sensação de prazer aos poucos. Ela era forte, tinha que resistir. "Ande, se afaste", pensava, "Empurre-o". Mas as mãos dele em seu rosto a trazia ainda mais para perto, como se quisesse que os dois se fundissem em um só. Não, não poderia resistir dessa vez, ela sentia tanta a falta dele de uma maneira como nunca havia sentido antes. Levantou as pernas ficando de joelhos na cama sem parar de beija-lo, suas duas mãos estavam no rosto de Harry, e as dele puxavam sua cintura sempre para mais perto. Aos poucos ela os separou enquanto Harry lutava para continuar com lábios nela mesmo com falta de ar.

SeuNome: Ch-chega Harry...-se afastou encostando as costas na cabeceira da cama e olhando para baixo sem coragem de encará-lo. Harry que também olhava para baixo sentiu seus dedos que estavam pousados na cama tocar em algo. Olhou percebendo ser a foto que antes SeuNome segurava, era dela e Justin. Encarou a foto e em seguida levantou a cabeça para olha-la.
Harry: Eu...
SeuNome: Eu sinto muito Harry. Não dá pra fazer isso outra vez.
Harry: Você não tem que se desculpar por nada. -conseguiu conter o mal estar que estava sentindo. -Eu te amo, e sei que não é uma boa hora para dizer isso. Eu só te peço que me conte o que ele fez. Não quero que seja minha amiga e nem minha conhecida...só preciso saber o que houve.
SeuNome: Se eu te contar...você não irá bater nele como fez com Derek, nem irá fazer nenhuma imprudência?-Harry a encarou bem.
Harry: Sim, eu prometo. -ela soltou um suspiro e abaixou uma das mangas do pijama.
SeuNome: Foi a quatro dias...estávamos juntos aqui e Justin disse que queria ir para o porão. Eu falei que não queria e nos desentendemos, começamos a brigar. Ele está muito estranho ultimamente, uma hora está bem e na outra não, parece até doente. Eu estava achando bem estranho ele querer ir tanto para o porão, aí brigamos bem feio e ele fez isso...-apontou para o machucado.
Harry: O-o que mais?
SeuNome: Justin me deu um tapa no rosto e...eu disse que estava terminando qualquer coisa que tivesse com ele. Disse que não queria mais vê-lo. E não o vejo mais desde então. -eles se encararam, Harry parecia pensativo. -Eu fui no porão pela primeira vez ontem. Vasculhei tudo, e não achei nada que não fossem coisas velhas do meu pai. -ele apenas a olhava em silencio. -Não vai dizer nada?- Harry se aproximou dela, sentou-se ao seu lado com as costas encostadas na cabeceira e entrelaçou o corpo dela após SeuNome hesitar.
Harry: Você não contou isso a mais ninguém?-ela negou. -Vai ficar tudo bem. Eu estou prometendo. -acariciou a cabeça dela quando SeuNome encostou a mesma em seu ombro. -Você foi forte, sempre foi. -ficou alguns minutos parado, só garantindo-se que iria consola-la pelo menos um pouco. Se levantou e SeuNome o olhou com o rosto abatido, embora seco. -Prometa que vai dormir. -ela assentiu e se deitou. Harry andou até a porta quando ouviu a voz dela.
SeuNome: Onde você vai?
Harry: Vou para casa. Preciso dormir também. -sorriu tentando passar conforto. -Ninguém vai encostar em você de novo. Nem eu. -ela apenas lhe direcionou um olhar vazio e Harry apagou a luz fechando a porta. Desceu as escadas e encontrou a sala em perfeita ordem, Austin dormia no sofá de boca aberta. Harry desligou o vídeo game e apagou a luz da sala antes de sair da casa.

"Por que ele tinha que morar logo aí?", pensou Harry, enquanto olhava diretamente para a casa alugada de Justin Bieber. "Bem na frente da dela. Qualquer barulho e pronto". Tomou rapidamente a decisão e fechou a porta do carro o travando e atravessou a rua. Não poderia ser tão difícil assim. Se Derek, Krista, Darcy e SeuNome conseguiam...seus devaneios sumiram quando viu um carro passando na rua, ele se aproximou da casa de Justin como quem não queria nada. Olhou o muro, não tinha cerca elétrica, e nem aviso de cão bravo. Deu a volta na casa, conseguiu subir no muro e atravessar o enorme arbusto que havia ali na parte de trás. Caiu com as costas no gramado e gemeu antes de se levantar. Andou até a porta de vidro dos fundos e pensou melhor em quebra-la, já que provavelmente o imbecil deveria estar dormindo no andar de cima. Achou ali ao lado de uma plantação de flores mortas uma escada de metal, pegou-a colocando apoiada na lateral da casa, assim conseguiria chegar a uma das janelas sem fazer estrago. Subiu se equilibrando nos degraus e lutando contra a vontade de olhar para baixo e conseguiu chegar a janela. Destravou o pino e abriu-a, ficando de pé no ultimo degrau para que conseguisse entrar. Colocou uma perna de cada vez dentro do corredor e então fechou a janela, tentando ser o mais silencioso possível.

Havia algo errado com ele. E Harry sabia que não era de sua cabeça, ou apenas o ciume que sentirá por ele estar com a garota que ele amava, sempre havia desconfiado do jeito do cara, misterioso demais para o gosto de Harry. Afinal, antes era uma maravilha como SeuNome afirmava e agora havia virado um agressor? E aquela história de porão? Suspeita sem dúvida. Harry não sabia se a teria de volta. Talvez isso nem importasse. Mas sabia que aquela agressão não ia ficar impune, não mesmo. Se Justin fosse preso por agressão SeuNome poderia ficar em paz, conheceria outro cara que fosse bom para ela em algum tempo.

A vontade que sentia de se vingar dele era maior que o sentimento de raiva que Harry já sentia de Justin. Caminhou com cuidado e cautelosamente pelo corredor percebendo que todo o segundo andar estava apagado, e as portas todas abertas. Ele não estava em casa. Harry entrou na porta que deduziu ser o quarto, sem acender a luz, andou até a pequena escrivaninha que havia ali. Ele ainda sentia algumas pontadas em sua cabeça e o efeito das bebidas que tomou, mas ignorou ao perceber as coisas espalhadas em cima da mesinha. Haviam vários jornais de Brighton, alguns papéis na qual Harry não conseguiu ler por conta das letras pequenas demais, mesmo havendo uma janela em sua frente que deixava a luz do luar entrar. Vasculhou com mais pressa a escrivaninha achando anotações sobre números e armas, o que o assustou. Haviam endereços e telefones ali, fotos de pessoas e numa das gavetas Harry encontrou algo enrolado num pano. Ao desenrolar percebeu ser um calibre 45 que o fez arregalar os olhos. Quem era Justin Bieber de fato? Seu coração estava pulsando rápido demais, ele não devia estar ali mas sentia sede de entender o que estava acontecendo, o que aquele cara queria. Até que voltando a vasculhar na mesa, achou fotos da SeuNome, tiradas como de fotógrafos profissionais dela saindo de lugares e fotos da casa dela. Em volta de seu rosto nas fotos havia círculos vermelhos feitos em caneta como se marcasse que ela era sua vítima, seu alvo ou algo do gênero. Antes que pudesse pensar qualquer coisa, Harry ouviu um barulho atrás de si que lhe pegou de surpresa. Um barulho de arma sendo destravada ecoou logo atrás de sua cabeça.

XXX: Ora, ora. Harry Styles. Procurando alguma coisa?


CONTINUA...
OOIE. Que saudade de vocês pequenas batatas saltitantes. que merda é essa? O.O
Pessoal, espero que não esteja sendo clichê. Alguém imaginava isso? Eu só consigo escrever ouvindo música algora, parece uma maldição. Nem sei como agradecer o apoio de vocês, muitíssimo obrigada pelos comentários do ultimo capítulo, obrigada a quem fica me pedindo no Instagram pra postar, eu acho super meigas as mensagens de vocês! Obrigada meus doces! :) 
Faltam mais ou menos uns quatro capítulos para o final de Missing Angel :'(, vai ser realmente uma fic que eu vou sentir falta de escrever. Aí está, espero que estejam gostando. 
Beijão!


11 comentários:

  1. Ai meu coração! Que perfeição é essa? Tem humor, drama e sentimento em cada palavra. Você consegue descrever exatamente tudo o que os personagens sentem e o leitor acaba sentindo também! Muito lindo e o Justin é um fdp -perdoe o palavrão-, o Harry é um fofo e a SeuNome é uma fofa.
    CONTINUA! É o melhor fic do mundo!!
    Beijos te amo!

    ResponderExcluir
  2. Continua ae! ... Ta otimo, posso disser que e uma das melhores fanfics que eu ja li (se nao for a melhor) ... Em fim ta perfeito, voce escreve extremamente bem! XX Paolla ♥

    ResponderExcluir
  3. Que perfeita.
    Pelo amor de Deus volta eles.

    ResponderExcluir
  4. Que fic mais perfeita. E eu achando que Frozen era perfeito, ai vem você com Missing angel que é mais perfeita *-* imagina a próxima fic

    ResponderExcluir
  5. Continua logo ... Cara se existir uma palavra melhor q perfeito pra descrever essa fic vai ser ela pq cara perfeito inda é pouco essa fic acho q é a melhor q ja li vc é mt boa Lizzy .. Continua logo pf *-* to amando de mais msm Xx Emmy

    ResponderExcluir
  6. Justin, o que você vai fazer com o Harry? :'(
    Ah, não, Missing Angel vai acabar, o que vai ser da minha vida? Essa foi uma das fanfics que mais marcou a minha vida. Eu amo ela de coração, e espero uma continuação por que eu estou ficando doida com essa fic!

    ResponderExcluir
  7. Como assim ja vai acabar, cara oq eu vou fazer da vida agr sem essa fic ? :c EU PRECISO DE CONTINUAÇÃO não pode acabar assim :c nãooo D: essa fic é a melhor fic q eu ja li na minha vida *-* ..

    ResponderExcluir
  8. Mds, ta muito perfeita, continua!

    ResponderExcluir
  9. Menina, isso ta muito perfeito! Faz uma segunda temporada! Essa historia é boa demais p acabar! Por favor, amo mto essa fic, ela é vida! Bjos parabens

    ResponderExcluir
  10. Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa,cara a s/n é mto boba ela larga o gostoso do Harry so pq conheceu outro gostoso kkk af

    ResponderExcluir