Longfic - Harry Styles - Na batida do seu coração

| | |
Capitulo 3 (verão-começo)
Girl

  América P.O.Vs

    Abro os olhos e a primeira coisa que vejo são raios solares entrando pelo vão da janela, é verão! Levanto-me animada e percebo que ainda é muito cedo, e isso é bom porque não tenho mais sono, portanto posso surpreender Harry chegando antes dele pela primeira vez. Bem, se quero surpreende-lo é preciso algo especial, mais o que poderia ser? Talvez um piquenique, sim isso seria perfeito!

  Faço minhas higienes matinais, coloco um short jeans e uma blusa de alcinha, é verão então vamos aproveitar. Desço e preparo tudo, a cesta, a toalha e é claro, a comida. Todos ainda dormem, então saio a caminho do nosso ponto de encontro.

   Caminho lentamente apreciando toda a beleza do verão e prestando atenção em cada pequeno detalhe, não deixo passar nada, nem mesmo as gotas de orvalho que ainda se alojam por entre as folhas e flores. Os raios de luz escapam no meio das árvores e borboletas voam faceiras pelo céu como se estivessem se divertindo com a maravilhosa manhã.

   Como eu já imaginava, ele não havia chegado ainda, forro a toalha no chão sobre algumas poucas folhas secas deixadas pelo outono e arrumo cada prato no seu lugar, avisto um ramo de uma flor que não conheço e coloco sobre a cesta, então sento-me esperando por ele. Me afundo em pensamentos que não posso descrever, não simplesmente por não poder, mas sim por não ser possível encontrar as palavras para me expressar. Estremeço com duas mãos sobre meus olhos, sorrio com seu toque e ele as retira de meu rosto. 

Harry: O que é tudo isso?
América: Quis fazer uma surpresa.
Harry: E conseguiu, mais não foi a única que pensou em surpresas.
América: Como assim?
Harry: Eu trouxe algo pra você, um presente.
América: Ah Harry, não precisava.
Harry: Mais eu quis, no momento em que vi percebi que seria perfeita pra você!
América: O que é?
Harry: Toma.

   Ele me entregou uma correntinha prateada com um pingente de coração, na verdade era metade de um coração e tinha escrito nele assim: "BE", "FRI", "FOR". Não entendi o que significava mais ele era lindo.

América: Harry ele é lindo, obrigada.

                   

Harry: E adivinha só?
América: O quê?

   Ele usava uma correntinha assim como a minha mais estava escondida por dentro de sua blusa, ele se aproximou de mim e colou minha metade na dele, elas se encaixavam formando a frase "Best Friends Forever".

                                                          

Harry: Se encaixam perfeitamente.
América: Obrigada Harry, nem sei o que te dizer. Ai eu te amo tanto! -falei abraçando-o-
Harry: Também te amo pequena, hoje é meu dia de folga podemos ficar mais tempo juntos.
América: Isso é ótimo!

                

Harry P.O.Vs

    Eu estava certo, aquele era um presente perfeito, Méri está mais feliz que nunca e eu por incrível que pareça também estou, América faz isso comigo, sempre que estou ao seu lado me sinto assim, feliz apenas por ser eu mesmo. Íamos comer quando Méri começou com um ataque de tosses.

Harry: Méri, você está bem?
América: E-Eu só preciso... Da minha bombinha.
Harry: Tudo bem, diz onde está que eu pego pra você.
América: Não Harry... Eu não trouxe. -falou puxando o ar-
Harry: Tá, agora ta me deixando preocupado! -falei ficando de pé-
América: E-Eu deixei em casa. -disse com a voz falha-
Harry: Vai ficar tudo bem, só me diz onde você mora que eu te levo.

15 minutos depois...

   Toquei a campainha ainda com Méri no meu colo, ela puxava a respiração calmamente. Uma senhora atendeu a porta, imagino que seja sua mãe pois no momento em que viu a garota passando mal no meu colo , ela levou as mãos à boca espantada e com os olhos marejados.

Harry: E-Eu, encontrei ela passando mal não muito longe daqui.e...
Senhora: Ai Meu Deus América! Entra querido, entra, vou pegar a bombinha dela.

  Entrei e a mão dela correu subindo as escadas, sinto minhas costas doloridas já com seu peso mais não me importa, a minha preocupação e nervoso são muitos maiores que qualquer dor na coluna. América me olha ainda com dificuldades de respirar e diz com a voz falha.

Méri: Pode me colocar naquele sofá.

  Faço o que ela pede e a deito sobre o sofá sentando-me ao seu lado e segurando sua mão com força.

Harry: Vai ficar tudo bem Méri, eu prometo.

   Levo sua mão até meus lábios e deposito um beijo na parte de cima, fecho os olhos ainda com sua mão na minha, então ouço passos da escada e me levanto abruptamente, não somente sua mãe desceu, mas também um senhor que suponho ser seu pai. A senhora colocou a bombinha de ar para que Méri pudesse respirar, aos poucos sua respiração foi ficando regular, incrível o poder que essa simples bombinha transmite. Quando tudo finalmente se acalmou, América se sentou no sofá e me encarou com olhos de agradecimento.

Méri: Obrigada Harry.
Senhor: Vocês se conhecem?
Harry: Bem... -comecei-
Méri: Somos amigos a meses. O nome dele é Harry, Harry estes são meus pais, Maria e Fausto.
Senhora: Eu não sabia que você tinha amigos querida, isso é ótimo!
Méri: Mãe por favor não começa.
Senhora: Harry por que não fica conosco para o almoço?
Méri: Mãe o Harry não...
Harry: Eu adoraria!
Senhor: Que ótimo! Vou temperar a carne para o churrasco.
Senhora: E eu vou fazer minha especialidade em sobremesa. Nossa filha tem um amigo!

   Eles saíram deixando Méri e eu na sala sozinhos, não me aguentei e comecei a rir feito bobo.

Méri: Para Harry!
Harry: Você é tão anti-social assim? -gargalhei-
Méri: Cala a boca! -falou me tacando uma almofada-
Harry: Você sabe que seus pais não são normais, não é? Eles são comédia.
Méri: É que nunca fui de ter amigos.
Harry: Quantos já teve?
Méri: Bem... Teve o.... Aquele dos cabelos cacheados..
Harry: Cabelos cacheados?
Méri: É, olhos verdes...
Harry: Esse sou eu!

                   

Méri: Ah, é mesmo, esse é você. Sabe... Meus pais tem medo.
Harry: De você não fazer amizades?
Méri: De eu morrer sem ter amigos.

  Abaixei a cabeça e fitei minhas mãos com aquelas palavras, ela não vai morrer, ela não pode morrer, como eu fico se isso acontecer?

Harry: Bem... Porque não me mostra seu quarto?
Méri: Tudo bem, mais não vai rir. -sorriu-
Harry: Por que eu riria?
Méri: Bem, ele é meio que feminino demais.
Harry: Okay, não vou rir.
Méri: Se você rir eu te bato estou dizendo.
Harry: Calma fera, ta muito exaltada. -gargalhei-
Méri: Bobo. -revirou os olhos-
Harry: E vai me bater com o que? Uma bombinha de ar?
Méri: Há há, você ainda lembra desse dia?
Harry: Como poderia esquecer? Foi o dia que nos conhecemos!
Méri: Foi o melhor dia da minha vida!

                  

   Subimos as escadas que levavam até seu quarto e quando ela abriu a porta dei de cara com 50 tons de rosa! Cortinas rosa escuro, paredes rosa bebê, cobertores pink e móveis brancos, até a TV era rosa!

Méri: Falei pra você não rir.
Harry: Desculpa, é impossível.
Méri: Minha mãe exagera na decoração. -sorriu-

                   

   Avistei sobre uma cômoda vários porta-retratos e caminhei até lá para ver melhor, aproximando-me mais peguei o que mais me chamou atenção, era Méri, ela devia ter seus catorze anos e estava abraçada com um menininho de mais ou menos 6 anos.

Harry: Quem é ele?
Méri: Mike, ele era meu irmão.
Harry: Era?

                   

Méri: Sim, ele morreu tem 5 anos.
Harry: Do quê?
Méri: DPOC, a dele era mais grave que a minha.
Harry: E-Eu sinto muito.
Méri: Não tudo bem, já faz muito tempo que ele nos deixou.

  Ouço duas batidas na porta.

Senhora: Crianças o almoço ta pronto.
Méri: Já vamos descer mãe!


Na mesa do almoço...

América P.O.Vs

   Estamos todos reunidos à mesa, depois que meu irmão morreu raramente nos sentamos assim todos juntos para comer. Meu pai come vendo TV e minha mãe na mesa da cozinha sozinha já que como no meu quarto. Harry me parecia radiante de felicidade por ter conhecido meus pais, não sei o porque da sua empolgação, mas fico feliz também.

Senhor: Então Harry, quais são suas intenções com a minha filha?

   Harry se engasgou com a própria saliva já que não tinha colocado na boca, então olhou para o meu pai e disse:

                   

Harry: Como assim?
Senhora: A meu jovem, qual é? Somos velhos mais não idiotas.
Méri: Mãe!
Senhor: Vemos como seus olhos brilham quando você olha pra Méri.
Méri: Pai!

   Harry estava mais vermelho que um pimentão e sua respiração estava mais pesada do que quando ele me carregou da floresta até aqui.

Harry: E-Eu...
Senhor: Vamos, não precisa ficar envergonhado.
Harry: A verdade é que... Sou louco pela Méri, eu amo a filha de vocês de verdade.

  Harry disse isso e então me fitou. Uau, isso foi uma facada no meu peito, meu coração bate a mil por hora e posso vê-lo se mover por cima de minha blusa de alcinha que coloquei hoje cedo. Harry está falando sério? Não não, ele deve ta dizendo isso só pra despistar os meus pais. Mais e se for verdade? Eu amo Harry mais isso nunca daria certo, nós dois sabemos disso. O silêncio tomou conta até que minha mãe se pronunciou.

Senhora: Que lindo! -falou com as mãos juntas- O primeiro namorado de nossa filha!
Méri: Nós não somos...
Senhor: Isso merece um brinde!
Harry: Ah não precisa...

  E eles fizeram um brinde! Espera, o que está acontecendo aqui? Como foi que minha falta de oxigênio se transformou num almoço de família em que já tenho meu primeiro namorado? Isso não está certo, isso não está certo!

Mais tarde na varanda...

   Meus pais foram dormir, deve ser coisa de pessoas mais velhas dormir todo dia após o almoço, Harry e eu estamos na varanda e minha garganta está coçando pra perguntar se tudo aquilo era verdade, mais porque não perguntaria? Coloco uma mecha do cabelo atrás da orelha, dou um forte suspiro e me pronuncio:

Méri: Harry?
Harry: Que foi?
Méri: Aquilo que você disse... No almoço, era verdade?

                    

Harry: -suspirou- Era, tem algum tempo já que eu queria te falar aquilo.
Méri: Porque não falou?
Harry: Tive medo, de você não sentir o mesmo.
Méri: Harry. -sorri- Eu sonho com você todos os dias.
Harry: Sonha?
Méri: Uhum, sonho com o dia que teremos nosso primeiro beijo.
Harry: Esse dia pode ser hoje. -sorriu-

   Harry se aproximou de mim, com uma mão sobre meu rosto me fitando com seus brilhantes olhos verdes, então ele fechou e colou nossos lábios num doce beijo, fechei meus olhos também e desfrutei do momento, sua boca macia, sua língua percorrendo minha boca, nunca havia beijado um garoto, não imaginava que a sensação fosse tão boa assim. Eu amo esse garoto, amo ele com todas as minhas forças, amo ele como meu primeiro amor e amarei até a última batida do meu coração.

                  

   Festas de final de ano só me trouxeram prejuízo! :-( Minha prima estragou meu PC aí homem teve que levar pra formatar e só me devolveu ONTEM, por isso to postando hoje, minhas sinceras desculpas e se não foi pedir muito, poderiam me chamar de Deh? Estou amando esse apelido por um motivo especial rsrs. Bjokas

8 comentários:

  1. Adorei,que fofo!!!!
    Vai ter outro capítulo?Espero que sim!!!

    ResponderExcluir
  2. Posta logo esse capitulo

    ResponderExcluir
  3. continua amr, demorou demais Deh! Amo essa longfic com todas as minhas forças

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei que demorou minha linda, desculpa de vdd. Fico muito feliz que você goste da long ♥

      Excluir
  4. nem lembrava q tinha essa longific hahaha dai quando eu li o nome dela lembrei,mas ñ tem problema pq ficou per-fect ameeei Deh, continua logo please
    by:Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk Obrigada por tudo Duda, acho que amanhã eu posto mais ok? :-)

      Excluir