Fucking Liam Payne- Chapter 44 / Parte 01

| | |

- ESSE MUNDO NÃO PERTENCE MAIS AOS HUMANOS


VICTORIA P.O.V'S

No carro, parecia que todos pareciam apreensivos. Não estávamos no carro de Zayn como antes, e sim, no da estudante universitária Sidney Martinez. Era uma caminhonete velha vermelha, com bastante espaço para todos nós. Louis e Zayn conversavam descontraidamente no banco da frente, eles pareciam loucos de vontade de acabar com Ronald. Mas eu, eu não sabia o que eu podia sentir. Havia uma parte de mim, que estava ansiando pela morte. Eu dizia a mim mesma "qual é, eu já morri uma vez e não pode ser tão ruim". As vezes a vida é pior que a própria morte. E encostada no vidro do carro, eu não estava tentando refletir sobre isso, mas sobre o nosso objetivo. Ao meu lado, Harry estava sentado tentando fazer ligações, havia escrito em seu celular "Ligação de casa", e quando atendeu pude ver que ele suspirou aliviado ao atender e dizer "Amanda". Ele tinha medo em sua voz, quando falava com ela. Parecia amor de filmes, entre humanos e vampiros mas eu sentia, o que eu via ao meu lado era muito mais intenso que qualquer outra obra criada. Era tão real. E tão surreal. Eu sabia dizer, quando um homem ama uma mulher. 
Eu tinha que me concentrar, se fosse para eu morrer eu iria. Não queria que fosse como naquelas despedidas banais de filmes românticos, onde, a garota quer que seu amado saiba que ela o ama mais que qualquer coisa, embora, isso fosse a maior verdade de todas, acima de tudo. De qualquer briga, de qualquer alto e baixo que tivemos. Eu vivi boas aventuras até aqui. Engraçadas até, talvez eu tenha tornado a vida de outros um inferno, mas eu sabia que talvez, eles sentissem minha falta. Por que se eu tivesse um coração, ele estaria pulsando por eles. Meus amigos. E, Liam, acima de todos. O manchado dos olhos castanhos dele estavam na minha mente, misturado com a visão escura de uma Manhattan anoite. 

Saí de meus devaneios quando vi Sidney ao lado de Zayn segurar o braço dele como um sinal de alerta. Ele a olhou e eles criaram uma linha de visão pelo espelho da frente após se olharem nos olhos. Pelo espelho retrovisor eu pude vê-los amarelos olharem para Sidney com uma pitada de susto. Talvez encanto. Mas ele estava assustado. Foi aí que percebi o quanto eles ficavam bem juntos, a maneira como Sidney olhava para ele era como Liam olhava pra mim. 
Zayn pediu que Louis encostasse o carro num pequeno estacionamento com uma subida de um mercadinho ali no centro de Manhattan. Eu sabia que por ali estavam tendo enormes filas de carros entrando e saindo da interestadual por ser final de ano. 

Saltamos todos do carro, Sidney disse algo ao Zayn que pela minha leitura labial foi "Vamos entrar" e nós fomos seguindo uns aos outros até lá dentro. Ao entrar, nos espalhamos, Kimberly foi até a geladeira pegar algumas bebidas enquanto os outros também olhavam. No balcão logo na entrada havia um homem atendendo, ele olhava uma revista despreocupado em atender as pouquíssimas pessoas ali. Parecia tudo normal, por que estávamos ali? Ao pensar calada isso, Sidney fez uma careta, parecendo confusa e perturbada. 

Sidney: Não...isso está errado. Não era aqui...-Zayn a olhou e ela fez o mesmo. Quando ouvimos alguns gritos altos, eles vinham do outro lado da rua. Louis e Harry correram até a porta do mercado para olharem e eu fui logo atrás, vi que pelo menos 15 pessoas saíam gritando as pressas de um pequeno mercado do outro lado da rua, quase idêntico ao que estávamos. Liam passou por mim e correu até lá na frente. Quando saí na calçada, o vento estava forte, dando pequenas pancadas no meu rosto e bagunçando meus cabelos. Parecia que o céu iria desmoronar. Quando as pessoas terminaram de correr de lá e Liam, Harry, Louis e Niall entraram, eu fui em seguida sentindo Hope atrás de mim, quando entramos logo vi o mercado inteiro revirado, produtos no chão, garrafas quebradas e prateleiras reviradas, haviam de duas a três pessoas mortas no chão, de seus pescoços escorria a mais doce bebida que meu olfato podia captar. Coloquei a mão em frente o nariz vendo Kim fechar os olhos de angustia ao ver aquela cena. Os garotos checavam se as pessoas estavam respirando e nada, olhavam em volta assim como eu. Ronald estivera ali. Ele estava acabando com Manhattan. Foi quando olhei para o chão para um dos corpos, havia um outro ser ali, agachado ao lado, como se tivesse cuidando do corpo. Quando ele me viu, levantou a cabeça e de suas costas surgiram duas asas enormes. 


Eu levei um tremendo susto que fez minhas pernas cambalearem. Ele logo desapareceu. Sidney parecia estar tonta. Ouvimos um barulho na prateleira e todos olhamos para trás. Por entre as prateleiras eu segui a silhueta de um homem engravatado, ele andava com passos de tigre e eu logo notei que não havia nada de normal nele. Por que não havia corrido como os outros? Foi quando, as prateleiras acabaram e fiquei frente a frente com ele que se virou.

Ele: Este mundo não pertence mais...aos humanos...-disse com uma voz cavernosa. Seu rosto derreteu e eu notei que era um mensageiro de Ronald. Ele tentou me atacar mas eu recuei, bem na hora em que o vi cair de joelhos no chão a minha frente, após ser golpeado por...Liam. Que agora me olhava orgulhoso, havia enfiado uma estaca nas costas da criatura que derreteu perto dos meus pés. 
Eu: Obrigada. -disse num suspiro medroso. -De onde tirou isso?
Liam: Esqueceu das estacas e brinquedos que comprei a um tempo pela internet? Pois é, não deixei ir junto com a casa, também não sou burro né. -girou a estaca na mão na tentativa de fazer pose. 
Zayn: Gente, ele não está aqui. Nós chegamos atrasados. 
Niall: Onde então? Espero que não seja mais uma pegadinha desse cara. 
Hope: Ele está nos atraindo, mas talvez não seja isso. 
Harry: É, talvez ele só queira aniquilar pessoas inocentes. -disse em tom de brincadeira. Esse garoto era tão imbecil. 
Sidney: Não, espera. Eu não queria dizer isso...
Eu: Como assim? 
Sidney: Victoria, eu sei onde ele está. Eu vi, mas...não é bem garantido. Se chegarmos atrasados ele pode não estar lá. 
Louis: Cansei de papo furado, vamos logo. -Liam jogou a estaca para Louis que pegou no ar e fomos todos para a porta. Logo, a policia chegaria naquele local para examinar e não poderíamos estar ali.

Zayn agora ao volante, dirigiu até a estrada da interestadual que saía de Manhattan. A noite estava cada vez mais escura, eu não fazia ideia do que íamos encontrar. Acabamos por entrar em uma fila de carros que parecia mais um infinita fila de luzes de farol e pessoas que de vez em quando buzinavam estressadas. Eu bufei colocando a mãos para fora da janela. Zayn buzinou e colocou a cabeça para fora de sua janela para enxergar adiante. Ficamos ali menos de três minutos e Sidney abriu sua porta e simplesmente desceu do carro e começou a andar entre as filas de carros. Zayn me olhou e bufou, Liam, ele e eu descemos do carro após Liam pedir que os outros esperassem ali. Fomos até ela que estava agora parada olhando para o nada e Zayn a pegou pelos braços. 

Zayn: O que foi?
Sidney: Acho que a Kimberly vai querer ver isso. -apontou para frente e foi aí que eu vi. Com certeza, era a imagem mais assustadora e linda que já tinha visto em todos esses séculos. Haviam dezenas, ou, centenas de criaturas negras que pareciam sombras com asas negras flutuando para dentro dos carros e de um enorme ônibus de viagem. Eu mal conseguia olhar para eles que conversavam, estava de boca aberta.
Liam: Meu Deus! São anjos da morte?
Zayn: Droga, o que é isso Sidney? Sidney?-chacoalhava a garota pelos braços. -Eu não consigo ver nada!
Sidney: Não sei ao certo o que são, mas sei o que vai acontecer. Ronald está aqui. -olhou pra mim e eu estava congelada. Ela olhou para o ônibus e se soltou de Zayn, foi até lá e bateu tanto na porta que o motorista abriu-a. Ela entrou e nós três fomos atrás, nisso, Louis apareceu e entrou também. Haviam muitas pessoas no ônibus, algumas delas dormindo ou fazendo qualquer outra coisa. Mas a maioria olhava para Sidney que parecia uma maluca ali. 
Liam: Louis, você pode ver essas coisas?-sussurrou para ele. 
Louis: Sim, são anjos da morte. Kim já me falou sobre eles, se estão aqui é porque...porque essas pessoas vão todas morrer. 
Zayn: Eu não estou vendo nada. -sussurrou para eles. As pessoas nãos prestavam atenção em nós e sim em Sidney que ficava andando de um lado para outro. 
Louis: Você não pode vê-los porque não está morto como nós. -sussurrou. Eu olhava para frente vendo as pessoas curiosas e caladas olhando Sidney, atrás delas ou ao lado haviam os anjos da morte com suas asas e olhos completamente negros. Eles estavam apenas parados ali, esperando que pudessem levar as almas daquelas pessoas. Olhei para frente e vi pelo vidro, ao lado do carro de trás a imagem de Ronald, ele olhou nitidamente para mim com um sorriso debochado. Era ele mesmo, vestido de preto. Eu levantei a cabeça tentando não mostrar medo algum. Logo ele desapareceu e eu percebi que iria fazer mal á aquela gente. 
Sidney: Todos vocês...por favor, saiam daqui. Vocês tem que descer desse ônibus ou irão morrer!- ouvimos alguns risos. -É verdade! Por favor me ouçam. 
Eu: Há uma bomba nesse ônibus, ela está falando sério. Desçam agora!-ordenei alto e todos se levantaram com medo nos empurrando para saírem do ônibus. 

Todos descemos, as pessoas gritavam de medo e corriam o mais rápido que podiam para longe do ônibus, batiam nos carros e gritavam para saírem dos carros, eu e os garotos também fazíamos isso. Em segundos, todos ali estavam fora dos carros correndo e gritando, a estrada se tornou uma bagunça enorme de pessoas enlouquecidas pisoteando umas as outras para saírem dali. Virou um tumulto, era quase impossível enxergar em meio a tanta gente correndo. Zayn e Louis foram correndo até a caminhonete para encontrar o restante do pessoal, eu fui atrás e quando chegamos, Niall, Hope e Harry estavam ajudando as pessoas a saírem dos carros, Louis olhou para o banco de trás na qual Kimberly gritava por socorro. Louis batia no vidro vendo que ela estava presa pelo cinto de segurança e a porta não abria, talvez estivesse travada. Ele tentava desesperadamente tira-la, quando eu ia ajuda-lo, Niall apareceu me mandando correr com Liam dali. Eu senti uma dor terrível no meu peito e na minha cabeça, como a dor de uma facada ou de um tiro, algo mais intenso ou espiritual que qualquer outra. Minha cabeça estava rodando, eu sentia que seria pisoteada por aquelas pessoas a qualquer momento, sentia-me sendo levada por elas que corriam sem parar e no meio daquela multidão, foi quando vi dentro de um carro um garotinho preso que batia com as mãos no vidro gritando. Ninguém o ajudava, e a sua frente não havia ninguém no volante. Onde estava a droga de sua mãe? Me empurraram algumas pessoas correndo e eu cheguei com esforço até ele, tentei puxar a porta mas não conseguia, então, mandei ele se afastar e quebrei o vidro, enfiei meu braço pelo buraco e destravei a porta, abrindo-a e o garotinho de aproximadamente uns cinco anos pulou no meu colo. Eu só consegui agarra-lo forte nos meus braços e sentir seu cheiro de bebê. Corri com ele o mais rápido possível e logo senti após ser empurrada mais uma vez um tapa no meu rosto bem forte, então tiraram o garoto dos meus braços a força, um homem disse que eu estava roubando seu filho enquanto o menino chorava. Ótimo, ele então era o pai. Corri dali para onde todos iam, um enorme terreno gramado ao lado da estrada mas antes que eu chegasse vi que um carro foi amaçado com força, vários homens sobrenaturais pularam em cima dos carros, um deles fez com que o motor do ônibus explodisse, criando junto com os galões de gasolina do caminhão de trás um enorme incêndio na estrada, arrebatando tudo ali. Eu consegui chegar no gramado. As pessoas estavam a maioria ali, mas bem menos da metade, eu me perguntava para onde haviam fugido. Eu estava apreensiva, nervosa e angustiada. Logo avistei meus amigos na escuridão daquele gramado e passando por muitas pessoas que olhavam a beleza do incêndio na estrada, cheguei a eles, meus olhos encostraram os de Liam e eu só consegui correr até ele e o abraçar o mais forte que eu conseguia. Meu Deus, ele estava vivo. O que eu sentia era inexplicável naquela hora. 


As mãos de Liam estavam apertando minhas costas, eu sabia que ele estava tão preocupado quanto eu. Quando consegui solta-lo, olhei em volta, vendo rostos mais abatidos, Kim estava bem, ela estava ali. Zayn, Louis, Niall, Hope, Harry. Olhei para Zayn já esperando a resposta que ele ia me dar. Eu estava tão decepcionada, ela não havia me contado tudo, não tudo. Ela havia prevido a própria morte e não me contou. 

Zayn: Eu sinto muito, Victoria. Ela não voltou. 


Tudo se encaixava. A dor terrível que senti em meio a multidão, era como se ela estivesse se desintegrando de mim, aquela estudante que eu nem conhecia, que nem queria conhecer, parecia significar tanto agora. A dor que senti foi porque ela havia morrido. E ela tinha uma ligação comigo, era por isso. Sidney havia nos ajudado a chegar até aqui e a salvar tantas pessoas, mesmo sabendo que ia morrer ela nos ajudou. E olha para mim, ajudando pessoas, ajudando pessoas boas. Eu, um monstro. O que está acontecendo com esse mundo? Eu só queria poder viver sem ver sombras em todos os cantos. Quando eu balancei a cabeça para Zayn, vi atrás dele uma sombra. Ao olhar melhor, era Ronald. Eu o encarei e Zayn se virou percebendo que eu olhava algo e levou um susto ao vê-lo ali. 

Ronald: Sentiram saudades?


Hey, cutes! Tudo bem com vocês? Bem, eu estou me virando. Desculpem a demora, mas eu estou com a agenda cheia e tentando me virar com os meus dois blogs, hehe. Mas bem, gostaram do capítulo? Eu vou postar assim que eu puder, prometo! É isso amores, beijos amo vocês de mais! Obs: Postei aqui ;)



8 comentários:

  1. Oh my Josh! A Sidney morreu! Ain ñ tava preparada pra isso apesra de eu jatertido conciencia de q issoiria acontecer :'( Tadinha zaynte ! E a Victoria tah criando juizo agr antes de morrer neh, achei muito fofo oq ela fez pelo menininho, poste quando puder ok flor? by:Duda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi linda! Pois é, coitada eu adorava tanto ela. Desculpa amore. KKKK, pois é eu também achei muito fofa ela. Pode deixar, eu vou quando conseguir ok? Prometo, linda!
      Beijos! Xx

      Excluir
  2. Que fic maravilindo!!! como vc consegue? meu cara, escreve melhor que muitos autores de livros, voce e demais eu estou apaixonada por essa fic você merece todo o conhecimento do mundo por ter feito essa OBRA PRIMA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amore, obrigada mesmo linda! Isso é muito importante pra mim, princesa, sério mesmo! Me deixa muito comovida. Que isso, diva!
      Beijos!

      Excluir
  3. Estou tão feliz por não ter abandonado a fanfic, você assiste The Vampire Diares? Sei que é meio obvio que assiste, mas eu amo sua fanfic principalmente pelo fato de ter a Nina Dobrev e ser sobrenatural, eu adoro coisas desse tipo, além disso tem a Sasha Pieterse, ah meu Deus, eu morro assim! Continue por favor, ah e você vai ter que me aguentar porque vai ver sempre meu comentário nos seus capitulos, onde você arranja tanta criatividade? Essa é a melhor fanfic sobrenatural que eu já li, até porque parece um filme, as palavras que você usa faz a fanfic parecer profissional, mas me diz uma coisa, você vai escrevendo o que sai da sua cabeça ou escreve todas as ideias no papél e depois de terminar tudo escreve na fanfic? Me responda por favor, te adoro <3

    ResponderExcluir
  4. Continua por favor estou amaando!!
    ##alaana

    ResponderExcluir
  5. continua pf, to amando!

    ResponderExcluir