Criminal - Capítulo 34

| | |
" Ter seus lábios próximos aos meus era bom, bom até de mais."
Querido amado, se este amor só existe nos meus sonhos, não me acorde. - Don't Wake me up, Chris Brown.
 POV Niall.

                Os garotos chegavam irritar a certo ponto incomodando com a mesma pergunta. Eles simplesmente não têm mais nada o que fazer. Na verdade eles tinham, ficavam brincando com o canudinho do refrigerante. Eu estava sentado no gramado do jardim, sim eu parecia uma pessoa normal que não portava nenhuma arma junto comigo. Mas ficar observando as pessoas em família me fazia lembrar da minha quando era pequeno. E agora depois de alguns minutos eu imaginava Julie, Nataly e eu. Dei um sorriso fraco e fiquei ali mais alguns minutos.

                Me levantei tirando o sorriso do rosto e caminhei em direção ao restaurante, onde os meninos estavam tomando ainda o refrigerante.

- Chega de palhaçada – falei – Vamos logo.
- Mas...
- Sem mais, agora – falei.
- Nossa, pensei que era você que gostava de comer – Louis falou.
- E eu gosto – falei – Mas quero Julie de volta logo.

                Eles se levantaram e então seguimos para fora do restaurante.

- Vai trocar a placa? – Zayn perguntou.
- Vou – falei dando de ombros.

[...]

                Depois que havíamos trocado a placa eu fiquei aliviado por poder continuar com esse carro perfeito. Arrancamos do local e seguimos para a saída norte de Miami. Vamos lá Julie tem que estar em algum lugar, eu preciso encontrá-la.

                Estávamos na rodovia já, e os garotos estavam distante um pouco. Eu era o único que estava na frente logo seguido de Zayn e Louis, Harry estava logo atrás. Apertava com força o volante enquanto dirigia, eu precisava encontrar Julie, sim eu precisava, eu já estava na seca a alguns dias e puta que pariu.

                Acelerei mais rápido e logo vi os caras passando pelos outros carros. Escutei meu celular começar a tocar e logo peguei o mesmo o atendendo:

- Fala Liam.
- Então já estão saindo de Miami? – perguntou.
- Estamos na rodovia – falei dando de ombros.
- A polícia está logo a frente.
- Puta que pariu – falei e dei um soco no volante.
- Desce na próxima e desvia por baixo, depois é só subir novamente – ele falou.
- Beleza – falei.

                Passei para a outra pista e então logo vi os outros passando para atrás de mim, assim que avistei a decida eu liguei a seta, capaz deles ficarem tapados e se perderem. Deixei o carro correr e logo entrei na pista abaixo da rodovia.

- Segue reto e depois é só subir – falou.

                Eu não falei nada apenas fiz o que ele falou, os caras não haviam se perdido, estavam a alguns carros de distância, mas conseguiam me acompanhar. Passei as mãos pelo cabelo enquanto subia novamente para a rodovia. Julie isso vai custar caro, e muito caro. Vou te foder por uma semana inteira e você não vai poder andar por essa semana, me deixando na seca e ainda por cima Alfredo iria morrer, porque ele é quem era o culpado disso.

                Assim que estava na rodovia logo acelerei e então os caras estavam entrando na mesma, logo começaram a acelerar mais ainda e agora nós estávamos indo mais rápido do que antes para o norte da Flórida.

POV Julie.

                Eu havia sido arrastada para algum lugar, me colocaram um pano na cabeça e começaram a me arrastar. Eu comecei a gritar e então senti uma arma no meu quadril, o cara sussurrou para mim calar a minha boca se não eu morria agora mesmo. Mordi meu lábio segurando o grito e então eu fiquei quieta.

                Eles tiraram o pano da minha cabeça e me jogaram contra o chão, escutei a porta batendo e então uma figura veio até mim, segurava alguma coisa que eu não conseguia identificar muito bem. Logo senti o mesmo me batendo com aquilo, gritei de dor e então eu percebi que era um cinto de couro. Ele me deu mais umas cinco vezes e eu gritava de dor, senti as lágrimas escorrerem pelo meu rosto e então eu mordi meu lábio. Logo depois de um minuto mais ou menos ele começou a bater em mim novamente. Logo escutei palmas sendo batidas e eu abri meus olhos, Alfredo sorria maldosamente e então ele se abaixou na minha frente dizendo:

- Tem alguma coisa para falar querida? – sorriu.
- Vai para o inferno – falei com raiva transbordando de meus olhos.
- Pode bater – Alfredo falou se levantando e então o cara começou a me espancar novamente – Com mais força porra – gritou e então eu senti o cinto se chocando com mais força na minha pele.

                Me abracei e me encolhi em um canto. Ele continuou me batendo e eu chorava de dor, logo depois escutei Alfredo gritando e então o cara parou, ele saiu e então escutei batendo a porta. Arrastei-me para o colchão que ali havia e então me encolhi no mesmo.

                Logo o choro foi cessando aos poucos e eu continuei abraçada. Me encostei na parede e fechei meus olhos.

                Niall se encontrava na minha frente sorrindo enquanto me abraçava. Ele beijou minha cabeça e então eu senti ele me apertar contra seu corpo, era confortante ter ele perto de mim. Olhei para ele e dei um sorriso para o mesmo que correspondeu, ter seus lábios próximos aos meus era bom, bom até de mais. Bom até que eu não quisesse que se descolassem dos meus. Ele me abraçou novamente e eu me senti segura naqueles braços fortes, suas mãos caminhavam por minhas costas fazendo um carinho confortante, isso não poderia estar acontecendo, não podia mesmo, Niall não faria isso, era apenas um sonho. Ele sorriu para mim e senti ele seus braços escorregando pelos meus e então segurou minha mão e logo ela foi se afastando de mim, meu sorriso foi cortando aos poucos até que ele foi afastado de mim por completo.

                Abri meus olhos em um tremendo susto e senti novamente o meu corpo todo doer e minhas pernas mais ainda. Escutei alguém me chamando e logo forcei meus olhos para olhar a figura na minha frente.

- Julie Julie – falava – Julie – era Carolayne.
- O que foi? – falei sussurrando.
- Niall vai estar vindo logo em breve – falou.
- Ele não está atrás de mim – falei.
- Você não sabe o que fala. Ele está vasculhando cada canto da Flórida e também antes em Londres – disse mais auto.
- Não é Niall, ele não faria isso – falei.
- Julie escuta uma coisa, você acha que Niall não gosta de você?
- Ele não gosto – falei sussurrando.
- Garota ele ama você, ele nunca faria isso por nenhuma outra garota! – falou – E olha que a única garota por quem ele fez isso foi Camille e já faz um bom tempo.

                Eu não sabia o que falar, Carolayne havia calado minha boca com sucesso. Fiquei abrindo minha boca diversas vezes, mas não saia nada da mesma. Eu soltei um gemido de dor e logo ela me encarou.

- Ele te machucou não foi? – perguntou.
- Quem? Niall ou o cara? – perguntei, eu havia ficado realmente confusa.
- O capanga de Alfredo – falou – Eu já volto – disse se afastando – Vê se você pensa no que eu falei.

                Assim que ela fechou a porta eu me encolhi no meu canto, a iluminação não era muito boa e o quarto era escuro. Algumas lágrimas escorreram pelo meu rosto de dor, doía muito. Não, Niall não poderia me amar, ele era uma pedra. Passei as mãos pelo rosto tentando tirar as lágrimas que escorriam pelo mesmo. Escutei meu estomago, eu estava com fome, eu não comia nada. Eu daria tudo por uma simples comida, eu não podia pensar em comida, se não me dava mais fome ainda. E me veio à lembrança de eu atacando o prato de comida na cara de Niall, uma maça também em sua cara. Fui acordada de meus devaneios com um barulho na porta. Era Carolayne.

- Olha Julie, eu só consegui isso para você – ela falou me entregando um copo.
- O que é isso? – perguntei.
- Suco de laranja – falou – Toma logo, antes que alguém apareça.

                Peguei o copo de sua mão, as minhas estavam tremendo. Guiei até minha boca e logo tomei vários goles esvaziando o copo em alguns segundos.

- Obrigada – falei entregando o copo para Carolayne, eu ainda tremia.
- Julie você está bem?
- Estou bem Carolayne – sorri fraco.
- Eu vou subir então, vou fazer de tudo para que Niall encontre você – ela disse se levantando e eu assenti.

                Ela fechou a porta e eu me vi naquele lugar sem cor, sem vida, e sozinha. Pensei no rosto de Niall, eu sentia a ardência e a dor nas pernas e em todo o meu corpo. Lembrava de Niall, seus olhos azuis me encarando, seus sorriso que muitas vezes não se via... Em um momento ele estava na minha frente sorrindo enquanto eu sorria também, era bom ter ele comigo naquele quarto vazio e escuro, totalmente sem vida. Foi ai que eu fui escorregando pela parede ainda sorrindo, eu cai no colchão. Eu estava desmaiando.

CONTINUA...
Hello galera, me desculpem pela demora. Então o que vocês estão achando de Criminal? Eu devo continuar ou não? Obrigada pelos comentários no capítulo anterior, você são demais. Esse mês lança MM, eu estou pirando OMG. Dia primeiro o Harry faz aniversário, cupcake omg, vai fazer 20 aninhos pqp. Eu amei o design do blog e vocês? Bom, é isso. Um beijo para vocês e até o próximo capitulo.E sim eu sou a garota que escreve no imagine de mahomie hahaha.

12 comentários:

  1. Ai. Meu. Deus
    Ta pfto
    Xx Isa

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh claro que contínua, quero o niall ea julie juntos de novo, i need kk amando

    ResponderExcluir
  3. Continua adoro sua fanfic ;)

    ResponderExcluir
  4. Ta muito bom Vc tem que continuar logo o niall tem que salvar ele

    ResponderExcluir
  5. continua, estou adorando

    ResponderExcluir
  6. aaaaaaah continua fofa!

    ResponderExcluir
  7. Oi amor, sim isso e chato, eu sei, mas o blog está começando e eu agradeceria muito se você lesse e indicasse o blog pro seus leitores http://eraumavez1d.blogspot.com.br/ agradeço desde já

    ResponderExcluir
  8. ai meu eu to super hiper cuirosa dapra senhiorita continuar logo..mto obrigrada kkk
    ahhhhh continuaa..pelo amor de diose...kk
    ps:Lena

    ResponderExcluir
  9. Continua pelo amor de Deus to morrendo de curiosidade!

    ResponderExcluir